Vereadores questionam situação de escolas com esvaziamento da Gered

Requerimentos dos vereadores Coronel Mário Erzinger (PR) e Norma Pereira (PSDB) questionam continuidade do bom atendimento nas escolas de Canoinhas, sem a Gerência de Educação na região                                                

 

Logo após ter sido praticamente resolvida a situação da gerência de Saúde, que deve reabrir como unidade de atendimento em Canoinhas, as indagações surgem em torno da educação estadual no município. Durante o grande expediente dessa segunda-feira, 9, o presidente Coronel Mário Renato Erzinger (PR), usou a Tribuna  para primeiramente agradecer os edis por contribuírem em todo processo para reabertura da Gerência de Saúde. “Embora não tenha saído ainda o decreto da reabertura, conforme anunciado na reunião da última quinta-feira, 5, não podemos deixar de agradecer o empenho dos nobres vereadores e também do poder executivo municipal e Associação Empresarial para que isso acontecesse”, destacando a força política e empresarial canoinhense para tal solução.

 

 


Em seguida foi debatida a situação das escolas estaduais em Canoinhas. Erzinger defendeu amplamente o retorno da Gerência de Educação para o município, e Norma esclareceu que os professores e diretores estão se sentindo perdidos com problemas que possam vir a acontecer nas unidades escolares.

 

 

PEDIDO DE INFORMAÇÕES

Coronel Mário Erzinger (PR) esclareceu que existe uma forte preocupação sobre a descontinuidade de alguns serviços para as escolas estaduais de Canoinhas. “Temos informações extraoficiais, com forte preocupação dos diretores e professores, e por esse motivo formulamos requerimento para o governador Eduardo Pinho Moreira, secretário de Educação Eduardo Deschamps e secretário da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) Mafra, Abel Schroeder para mais informações sobre o assunto”.

 

 

Erzinger requereu informações aos líderes políticos sobre os projetos em andamento como, por exemplo a construção de salas de aula para a Escola de Educação Básica (EEB) João José de Souza Cabral , reconstrução do ginásio de esportes da EEB Julia Baleoli Zaniolo, cancelamento do curso para professores da região que aconteceria em maio, e ainda que existem escolas como a EEB Santa Cruz e EEF Sagrado Coração de Jesus que funcionam sem o devido alvará preventivo emitido pelo Corpo de Bombeiros, fato extremamente grave que o então secretário da ADR Canoinhas estava buscando resolver o problema.

 

 

Em seu requerimento também frisou que com a dispensa de servidores da educação, haverá um acúmulo de atribuições, e que os projetos formulados pela ADR Canoinhas referente à educação, não sofram solução de descontinuidade. “Que seja reavaliado o decreto que extinguiu a Gerência de Educação, a qual funcionava há mais de 40 anos, e solicitamos que seja reaberta, em face dos grandes prejuízos técnicos e políticos decorrentes do ato”, destacou Erzinger.



 

 

SEM PAI NEM MÃE

Em seguida a vereadora Norma Pereira (PSDB) comentou que estão surgindo muitas informações preocupantes. “O que estou sentindo é que os diretores das escolas estão se sentindo sem pai nem mãe, pois estão sem um gerente para resolver os problemas locais e dessa região”. Norma frisou que todos os vereadores vão lutar para que os professores e diretores tenham respaldo governamental, para que assim se sintam seguros e tenham condições de trabalhar com calma e tranquilidade.

 

 

O requerimento de Norma Pereira (PSDB) levantou outros questionamentos sobre o fechamento da gerência em Canoinhas. A vereadora solicitou informações sobre quantas licitações foram deixadas em andamento pelo último titular da ADR Canoinhas, e se serão mantidas as licitações tal como programadas, inclusive de investimentos em infraestrutura para as escolas estaduais de Canoinhas e dos outros municípios vinculados à extinta ADR. Também solicitou saber se procede informação que a Secretaria de Estado da Educação destinou para todas as ADRs, no presente exercício, valor aproximado de R$ 58 milhões, e deste montante quanto estaria destinado  à ADR de Mafra e para a extinta ADR de Canoinhas.

 

 

“Também gostaríamos de saber número de alunos matriculados e quantos professores estavam lotados nas escolas sob responsabilidade da ADR Canoinhas”, indagou a vereadora.

 

 

RETROCESSO

Edmilson Werka (PR) lembrou que o assunto está sendo amplamente debatido desde o início da extinção da ADR Canoinhas, em favor da permanência da Gerência de Educação. “Porque ficarmos subordinados à outra região será mais um retrocesso. Até porque há vários serviços em andamento que não podem parar nas escolas estaduais. Os alunos e professores não podem ser prejudicados por este ato”.

Deixe seu comentário:

Top