Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Uma eleição perigosa

Divulgação

Edinei Wassoaski escreve sobre os perigos das redes sociais no processo eleitoral de outubro                                                    

 

Já virou chavão dizer que o combate às mentiras, pomposamente chamadas de ‘fake news’ ,será o grande desafio das eleições deste ano no Brasil. Com os desdobramentos escandalosos das eleições nos Estados Unidos ano passado, o que pensar do Brasil, onde a nossa Agência Brasileira de Inteligência (ABI) tem fragilidade muito maior que a CIA americana, enganada por um grupo de jovens universitários da Macedônia atrás de uns trocos. Em documentário da Globo News, esses jovens revelam: “Até tentamos inventar notícias do Trump, mas vimos que o eleitor da Hilary Clinton não absorvia com tanta voracidade essas mentiras do que os eleitores de Trump”, revela um dos estudantes. A mentira mais branda ligava Hilary a uma rede de pedofilia sediada em uma lanchonete. Um homem invadiu o local com um rifle disposto a matar os apoiadores da “pedófila”.

 

 

     O Fantástico, da TV Globo, mostrou recentemente que fábricas de ‘fake news’  se reproduzem pelo País tendo o Facebook e grupos de WhatsApp como a plataforma ideal para potencializar as mentiras. Foi assim nos EUA. Para ajudar, o mesmo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que diz que vai combater incansavelmente as notícias falsas permitiu que apenas as redes sociais cobrem para impulsionar propaganda política durante o processo eleitoral. Isso significa que candidatos desonestos podem investir em sites de notícias falsas e pagar para proliferar com muito mais rapidez as mentiras sobre seus adversários por meio do Facebook. Quando o TSE acordar, a mentira já se alastrou.

 

 

    Diante de um cenário tão pessimista, só resta aos cidadãos honestos não caírem na teia dos mentirosos. Nem é tão difícil assim: cheque a informação que você compartilha e denuncie quem prolifera mentiras. Como? Se um site obscuro publica uma bomba sobre um candidato a Presidência, por exemplo, corra para o UOL, G1, Folha de S.Paulo, Estadão, enfim, sites feitos por jornalistas. Se um site com um batalhão de repórteres não noticia o que um endereço que deve ser alimentado de um fundo de quintal traz com exclusividade é porque há algo muito errado. Não compartilhe!

 

 

A PROPÓSITO: Há os espertões que dizem que mídia tradicional manipula e por isso recorrerão à ‘mídia alternativa’. Para esses casos existe a Justiça, que precisa investigar esse veículo, o que será muito mais fácil, porque ao contrário dos fabricantes de mentiras, esses veículos têm endereço e proprietários conhecidos.

 

 

Procurador aprovado

A Câmara de Vereadores de Canoinhas aprovou em segunda votação nesta semana a criação do cargo de procurador municipal, com status e salário de secretário. A criação do cargo foi uma exigência do Ministério Público, mas o novo status foi ideia do prefeito Beto Passos. O projeto recebeu votos contrários de Norma Pereira (PSDB), Paulinho Basílio (MDB) e Camila Lima (MDB). Emenda da Câmara exige que o procurador trabalhe 40 horas semanais.

 

 

PÉ NA ESTRADA

Liderada pelo presidente estadual, o vereador canoinhense Paulo Basílio (D), a Juventude do MDB dá início a uma nova fase de mobilização diante das eleições. O projeto “Juventude Democrática” irá percorrer todas as 36 regionais de Santa Catarina, organizando o segmento nos municípios e ouvindo a militância. “A ideia também é conhecer cases de sucesso conduzidos por jovens”, ressaltou Basílio. 

 

 

 

Ensino superior

Vereadora Camila Lima (MDB) protestou nesta semana contra a falta de investimentos no ensino superior por parte do Município. Ela lembra que a lei destina 5% dos 25% que têm de ser gastos constitucionalmente com a Educação, para o Ensino Superior. Ela sugere que este valor seja aplicado no auxílio-transporte para acadêmicos que estudam em faculdades de União da Vitória/Porto União e Mafra.

 

Para Paulo Glinski (PSD), a interpretação é equivocada. “O artigo é mal redigido porque especifica que os valores têm de ser investidos em ensino básico”, explica. Projeto de lei instituindo a ajuda de custo aos universitários foi vetado pelo Executivo no ano passado.

 

 

 

 

Vamos oferecer o título de persona non grata para o governador”

da vereadora Norma Pereira, dizendo que se a Gerência de Saúde de Canoinhas fechar de vez não resta alternativa aos vereadores

 

 



Na base do coice

Vereador Paulinho Basílio se empolgou ao falar da situação da Gerência de Saúde de Canoinhas, prestes a fechar as portas. Disse que não tem mais conversa, o negócio é “ir no coice”, que só assim os vereadores serão ouvidos.

 

Presidente da Casa, coronel Mario Erzinger (PR) contrapôs: “O senhor pode dar um coice bem forte, pois é presidente do MDB Jovem”. Basílio ficou quieto.

 

 

 

Bielecki candidato

O mandato bastante promissor à frente da prefeitura de Mafra anima o prefeito Wellington Bielecki (PSD) a concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa. Se isso se confirmar, o partido vai pedir apoio de Canoinhas e região. Bielecki eleito, é a rendição total de Canoinhas à Mafra. A saída é eleger um canoinhense ou alguém que aqui more.

 

 

RÁPIDAS

CORREÇÃO: O projeto de lei que cria o banco de materiais é de autoria de Norma Pereira e não de Camila Lima.

 

VOU NÃO VOU: quem analisa o comportamento de Célio Galeski (PR) traça um diagnóstico: ele já saltou do barco do governo.

 

FUI: Deputado Antonio Aguiar assinou ontem à noite ficha no PSD.

 

VALE?: A Câmara de Canoinhas pediu explicações ao Município sobre os gastos com o estudo de trânsito que, conforme expôs reportagem do JMais da semana passada, aponta uma série de obviedades.

 

BATE: As associações de municípios, como a nossa Amplanorte, custaram R$ 41 milhões para as 295 cidades catarinenses em 2017.

 

REBATE:  A Federação dos Municípios de SC (Fecam) diz que apenas em 2017, a união municipalista garantiu R$ 665 milhões aos municípios catarinenses por meio de verbas federais e estaduais.

 

PROVOCAÇÃO: Perguntado sobre a possível reedição da aliança MDB-PSD, governador Pinho Moreira disse que não sabe quem comanda o PSD hoje.

 

A PROPÓSITO: Pinho se comprometeu a conceder entrevista à coluna na segunda-feira. Vai falar sobre o fim da ADR Canoinhas e afins.

 

CONTRAPONTO: Secretário Paulo Machado manda carta na qual repudia afirmação feita pela coluna de que não trabalha nas segundas-feiras. “O secretário declara que tem pautado suas atividades dentro dos conceitos básicos da administração pública de probidade e eficiência, visando melhorar a vida das pessoas de Canoinhas através do cumprimento de políticas de desenvolvimento, emprego e renda determinadas pelo poder executivo”.

 

 

PERGUNTA PERTINENTE: 

É o caso de ‘ir no coice’ para fazer o Governo do Estado olhar para a região de Canoinhas?

 

 

Deixe Seu Comentário