Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Trabalhadores ligados à agricultura de SC fecham acordo

Luiz Henrique Monticelli/Divulgação

O acordo coletivo garante o reajuste salarial com base no INPC                                                             

 

Os sindicatos de trabalhadores ligados à Secretaria da Agricultura e da Pesca e suas empresas vinculadas, Epagri, Cidasc e Ceasa, assinaram acordo coletivo de trabalho para o período 2017/18 nesta terça-feira, 9. Os reflexos financeiros do acordo serão incluídos na folha de pagamento de mais de três mil trabalhadores já no mês de maio.

 

O acordo coletivo garante o reajuste salarial com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do período de 1º de maio de 2016 a 30 de abril de 2017, o reajuste será aplicado ainda ao vale alimentação e ao auxílio creche. As demais cláusulas sociais, já previstas em acordos anteriores, também foram renovadas.

 

“Estamos muito satisfeitos porque o acordo foi justo tanto para funcionários, sindicatos e Governo do Estado”, ressalta o secretário da Agricultura, Moacir Sopelsa. Segundo ele, o documento foi construído a partir de um diálogo franco entre os sindicatos e representantes da Secretaria e empresas vinculadas, buscando um equilíbrio entre as demandas dos trabalhadores e as possibilidades do Governo do Estado.



 

Como negociador do acordo coletivo, o secretário adjunto Airton Spies acredita que a proposta aprovada dá tranqüilidade aos servidores públicos e garante a continuidade dos serviços de extensão rural, assistência técnica, defesa sanitária animal e vegetal e fomento agropecuário.

 

“O Governo do Estado irá investir em 2017 mais de R$ 700 milhões no conjunto de políticas públicas para o desenvolvimento da produção agropecuária e do meio rural catarinense, representados pelos orçamentos da Cidasc, Epagri, Ceasa e da própria Secretaria da Agricultura”, destaca Spies.

 

Ao todo são 14 sindicatos que representam os engenheiros agrônomos; médicos veterinários; técnicos agrícolas de nível médio; administradores; técnicos industriais; químicos; engenheiros; contabilistas da Grande Florianópolis; advogados; profissionais de secretariado; zootecnistas; economistas; trabalhadores em assessoramento, perícia, pesquisa e informações; além de comércio e armazenagem.

 

Deixe Seu Comentário