Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Taxistas de Canoinhas protestam contra insegurança

Protesto em frente à Delegacia/Biluka/JMais

Caso de Clevertom Antonio Campos Cavalheiro, o Toninho, é o terceiro neste ano de violência contra taxistas                                                                   

 

Taxistas de Canoinhas fizeram dois protestos nesta terça-feira, 5, contra a falta de segurança em se exercer a profissão no Município. Com um olho ainda fechado e cheio de hematomas e pontos cirúrgicos, o taxista Clevertom Antonio Campos Cavalheiro, 24 anos, mais conhecido como Toninho, esteve junto com os manifestantes pedindo por justiça. Ele recebeu 13 facadas na cabeça, rosto e ombro esquerdo durante uma tentativa de assalto na noite de sábado, 2.

 

Este foi o terceiro caso de violência contra taxistas registrado neste ano em Canoinhas.

 

Em junho, um taxista chegou a saltar do carro em movimento depois de ter sido alvo do assalto. Segundo ele, por volta das 3h30 da madrugada, três homens apanharam o táxi no ponto da praça Lauro Müller e pediram pra ir à localidade de Caraguatá.

 

No caminho, o taxista viu que o passageiro que estava no banco de trás portava uma faca. Quando o passageiro do banco da frente anunciou o assalto ele diminuiu a velocidade e saltou do veículo em movimento. O assaltante, supostamente, assumiu o controle do volante e fugiu.

 

Ainda em junho, dois homens e uma mulher renderam um taxista no bairro Piedade. Ele teria sido acionado pelos assaltantes no ponto da rua Getúlio Vargas, onde eles teriam solicitado a corrida até o bairro Piedade.

 

No caminho eles anunciaram o assalto e mandaram o taxista para o banco traseiro, assumindo o volante. Nas proximidades da escola Gertrudes Müller, no entanto, o assaltante que dirigia o táxi perdeu o controle do volante e bateu no muro de uma casa. Com o carro bastante danificado, eles não conseguiram seguir viagem.

 



 

PROTESTO

Na manhã desta terça os taxistas fizeram uma carreata partindo do Cemitério Municipal até a Delegacia da Comarca, onde o menor está detido. À tarde eles fizeram nova carreata do Cemitério Municipal até o Fórum da comarca, onde tentaram ser recebidos pelo juiz criminal e o promotor de Justiça.  Como o processo envolve menor de idade, tanto o juiz quanto o promotor não quiseram se pronunciar alegando segredo de Justiça.

 

 

DEPOIMENTO

Nesta segunda-feira, 4, Toninho prestou depoimento na Delegacia Regional e contou detalhes do crime. O menor havia apanhado o táxi no ponto da praça Lauro Müller. Ao descer a rua Adolfo Bading, sentido Campo d’Água Verde, o acusado pediu que Toninho estacionasse e anunciou o assalto já esfaqueando o motorista, que implorava para ele parar, afirmando que entregaria o dinheiro. Não adiantou. O rapaz de 16 anos seguiu esfaqueando Toninho até que ele conseguisse retirar o cinto de segurança e abrir a porta do veículo, caindo no chão. Ao avistar uma pessoa que vinha em socorro a Toninho, o menor fugiu.

 

 

Com 13 facadas no rosto, cabeça e ombro esquerdo, Toninho retornou ao ponto da praça Lauro Müller, onde foi socorrido.

 

 

O delegado regional Rui Orestes Kuchnir informou nesta terça que o adolescente fica na Delegacia até quinta-feira, 7, quando então deve ser liberado se a Promotoria de Justiça não conseguir uma vaga para ele em um Centro de Internamento Provisório (CIP).

 

Deixe Seu Comentário