Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Semana turbulenta de Passos demonstra que “bateu, levou”

Dayane Wolff /Divulgação

Leia análise de Edinei Wassoaski sobre as discussões do prefeito com a vereadora Camila Lima

 

Tal qual um Big Brother, a relação Legislativo X Executivo de Canoinhas foi harmônica nos primeiros dias, mais precisamente, nos seis primeiros meses. Isso acabou. O conflito entre Beto Passos (PSD) e a vereadora Camila Lima (PMDB) nesta semana,  rompeu de vez um laço já frouxo. Daqui pra frente é guerra. As dores de Camila devem ser tomadas por Paulinho Basílio (PMDB) com certeza. Talvez por Telma Bley (PMDB), que já se declarou parceira de Passos, mas tem uma rixa antiga com Zenici Dreher (PR), com quem teve atrito nesta semana. Zenici, para os poucos que não devem saber, é um dos braços direitos de Passos e, conforme deixou bem claro nesta semana Telma, tem forte influência na Secretaria de Saúde.

 

Nessa briga, Passos já assumiu posicionamento: quem bater, vai levar.

 

Na segunda-feira, 12, fez Camila se calar ao usar das fraquezas de seu discurso para desestruturá-la. Como Camila mesmo disse, ela não tem o poder de oratória do prefeito.

 

 Na semana passada, Passos já havia demonstrado postura mais agressiva ao confrontar o prefeito de Irineópolis, Juliano Pereira (PSDB), que o havia criticado por não cumprir a promessa de manutenção da SC-120, que liga Canoinhas a Timbó Grande. Pereira disse que Passos tomou frente da questão, recebeu dinheiro do Estado e nada fez. Ainda, se dispôs a assumir a rodovia se o dinheiro do Estado for para Irineópolis. Passos, que nesta semana foi a Florianópolis cobrar os recursos prometidos pelo Estado para a SC, falou grosso e o bate boca com Pereira só não foi pra frente porque a turma do deixa disso entrou em ação. Ao que se vê, bem ao contrário de seu antecessor, Passos não pretende deixar perguntas sem resposta. Muito menos, provocações.

 

A PROPÓSITO: Telma fez um discurso na mesma sessão batendo em Zenici: “Hoje Canoinhas tem duas secretárias de Saúde: uma de fato, outra de direito”, disse ao criticar a nova estrutura da Saúde, especialmente o fechamento da Clínica da Mulher e da Criança.

 

 

Juiz para que te quero

O resultado da votação do pedido de cassação da chapa Dilma/Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) expõe a promiscuidade entre política e Justiça que existe há tempos no Brasil. Os três ministros que votaram a favor de Temer foram indicados por ele para o emprego dos sonhos.

 

Aqui em SC, conselheiros do Tribunal de Contas são políticos aposentados que veem ali a chance de uma polpuda aposentadoria. Também são indicados pelo governador. Aqueles que não são, mantêm relação íntima com quem circunda o meio político. Demonstraram que são muito mais políticos que técnicos ao aprovar as contas eivadas de contradições de Colombo em 2014.

 

Em 2008, este CN constatou inúmeras irregularidades nas diárias da Câmara de Canoinhas. Para o TCE estava tudo certo.

 

 

 

“Canoinhas tem três secretárias, uma de fato, uma de direito e uma que ainda acha que é secretária”

da vereadora Zenici Dreher, em resposta à colega de Câmara, Telma Bley, que fez críticas indiretas à ela na tribuna, frisando que Canoinhas tem uma secretária de Saúde de fato e outra de direito. Telma é ex-secretária de Saúde

 

 

PERGUNTA PERTINENTE:

É mais fácil postar críticas nas redes sociais ou marcar uma reunião com o prefeito?

 

 

Divulgação

CANOINHAS E A CHINA

Reunião inicial com delegação chinesa para tratar sobre a possibilidade de investimentos da China em SC. Canoinhas está trabalhando para ter uma cidade irmã na China e este encontro foi o começo da efetivação desta criação. Na foto, chineses com o deputado Kennedy Nunes e o secretário de Desenvolvimento Econômico de Canoinhas, Paulo Machado.

 

 

 

Não acatados

O Sindicato dos Servidores Públicos de Itaiópolis e Região (Sintramist), que congrega também os servidores de Três Barras, cobrou resposta do Município para as reivindicações feitas há um mês. A coluna cobrou e a assessoria do prefeito Luis Shimoguiri (PR) enviou cópia do ofício encaminhado ao Sindicato, no qual diz que foi concedido reajuste de 4%, bem abaixo dos 15% solicitados pelo Sindicato. “Já no que concerne ao pedido de auxílio alimentação no valor de R$ 20 por dia, torna-se impossível o atendimento a este pleito em razão das dificuldades financeiras que o Município de Três Barras enfrenta, com queda na arrecadação”, diz o ofício.

Sobre o pedido de auxílio transporte e regência de classe, o prefeito diz que ainda realiza estudos. “No entanto, enviamos Projeto de Lei para a Câmara de Vereadores prevendo o aumento gradativo da regência de classe passando de 10% para 13% a partir de agosto de 2017, e 15% a partir de novembro de 2017, calculado sobre o vencimento, sendo este o limite suportado neste momento”, segue o ofício.

Conclui o prefeito que os pedidos representariam aumento de R$ 400 mil nos gastos, valor impossível de ser assumido frente aos R$ 10 milhões de dívidas herdadas da gestão anterior.

INSATISFEITOS: O Sintramist deixou claro que não gostou da resposta do prefeito que, para eles, só aplicou o mínimo de reajuste previsto em lei e mais nada. “Não houve ganho real, apenas reposição inflacionária. O auxílio alimentação poderia ser concedido pelo prefeito, pois não entra no cálculo das despesas com pessoal. Mas ele disse que o município não tem dinheiro
e ainda atribuiu uma dívida gigante ao ex-prefeito”, disse Semião Pedro Pereira, presidente do Sindicato.

 

 

Ele não!

Membros do PSD de Canoinhas não têm gostado nem um pouco da influência do ex-secretário de Administração, Diogo Seidel, na pasta sob a gestão de Beto Passos. Grande conhecedor da esfera pública, Diogo é o braço direito do atual secretário, Renato Pike (PR), que ficou impressionado com a capacidade do subordinado. Seidel já era assessor de seu antecessor, Argos Burgardt, hoje secretário em Jaraguá.

 

 

RÁPIDAS

 

NÃO DÁ: Em relação às licenças prêmio vencidas e não gozadas dos servidores de Três Barras, uma reivindicação do Sindicato, a prefeitura disse que tem limitações financeiras que impedem estas concessões, inclusive há decisão judicial que proíbe a contratação temporária no caso de eventuais substituições de funcionários.

 

CHEGOU QUASE: No ano passado, a folha de pagamento da prefeitura de Três Barras chegou a 50%, bem perto do limite de 53%.

 

CACHORRO MORTO: O deputado canoinhense Mauricio Eskudlark (PR) criticou a ineficiência das ADRs nesta semana. Segundo ele, elas são desnecessárias em virtude da facilidade de comunicação entre autoridades e as regiões de SC.

 

R$ 768 MILHÕES: é a dívida do Estado de SC oriunda da Secretaria de Saúde.

 

80%: dos conselheiros do TCE-SC ocuparam, antes, cargos eletivos ou de destaque na alta administração pública.

 

23%: sofrem processos ou receberam punição na Justiça ou nos próprios Tribunais de Contas.

 

COINCIDÊNCIAS: Quando prefeito de Mafra, Jango Herbst (PMDB) vivia escapando, milagrosamente, de reprovação de contas no TCE. Uma curiosidade: seu irmão era (e é) conselheiro do órgão fiscalizador.

 

Deixe Seu Comentário