Teremos novidades aqui no topo :)

Quase 14% das ligações recebidas pelos bombeiros são trotes

Arquivo

No comparativo entre os batalhões, o recorde de trotes no ano passado foi registrado na região de Curitibanos

 

O Corpo de Bombeiros Militar lança novamente uma campanha para combater os trotes telefônicos via 193. De acordo com levantamento realizado pela Diretoria de Tecnologia e Informação das cerca de 760 mil ligações recebidas através do telefone 193, no ano passado, 13,8 % foram classificadas como sendo trotes. Estas chamadas foram classificadas pelas Centrais Operacionais do Corpo de Bombeiros Militar em todos os batalhões do estado, que concentram todas as chamadas de suas respectivas regiões.

 

Apesar de todo o esforço e do preparo dos bombeiros que atuam como atendentes do COBOM (como são chamadas as Centrais de Atendimento das Emergências), em saber distinguir os chamados mentirosos, dos reais, algumas vezes, as viaturas podem ser despachadas para ocorrências que não existem. Isso ocorre porque os chamados diários são tantos que, às vezes, não há tempo para checar se a ocorrência é mesmo real.

 

No comparativo entre os batalhões, o recorde de trotes no ano passado foi registrado na região de Curitibanos, sede do 2° Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar, em que 22,6% das chamadas recebidas foram trotes. Para o Soldado BM Ortiz, que atua no COBOM de Curitibanos, os trotes diários são tantos que já é possível identificar até o momento em que ocorrem: em dias de semana, nos horários de saída de escolas. O que indica uma obviedade, que a maioria dos trotes é praticada por crianças e adolescentes sem o conhecimento dos pais ou responsáveis. “Dia desses nós recebemos mais de 50 ligações de um único número num mesmo dia. Resolvemos retornar em outra ocasião e conversamos com a mãe da criança. Ela se desculpou e não sabia que o filho usava o celular dela para aplicar trotes ao Corpo de Bombeiros”, explica Ortiz.

 

TROTE É CRIME

 

É importante que os pais ou responsáveis monitorem as atitudes das crianças e adolescentes ao telefone, para evitar esse tipo de situação. Pois, além do prejuízo ao erário e à comunidade, já que viaturas podem deixar de ser deslocadas para ocorrências graves para atender casos inverídicos, praticar trote é crime e pode trazer consequências penais para quem o pratica. A Lei estadual 14.953/2009, prevê multa aos autores identificados, para cada chamada classificada como sendo mentirosa. No caso da autoria da ligação ser de um menor de idade, quem responde legalmente são os pais ou responsáveis pelos terminais telefônicos de onde originou o chamado.

 

Ano passado um caso chamou atenção da imprensa e da instituição militar. Uma adolescente de 15 anos, em Lages, chegou a ligar 758 vezes, num mesmo dia para o Corpo de Bombeiros na tentativa de passar trotes. A brincadeira de mau gosto atrapalhou, inclusive, o chamado para atendimento de um acidente grave, pois ocupava as linhas enquanto as ligações do acidente tentavam entrar na central. Depois de identificar o número telefônico, a corporação registrou um Boletim de Ocorrências e conversou com a mãe da menor, que se mostrou solícita e impediu que a filha continuasse com a conduta.

 

Importante dizer que são considerados trotes todas as ligações efetivadas ao Corpo de Bombeiros, ou outras instituições de emergência, de caráter irreal ou fantasioso, em que o solicitante se faz passar por outra pessoa ou pede apoio da instituição em situações inverídicas.

 

A campanha de combate ao trote do Corpo de Bombeiros Militar, pretende contar com ajuda da imprensa para repercutir o assunto, além de um vídeo que será disponibilizado no site e redes sociais.

Deixe Seu Comentário