Manchete com erro atribuída ao JMais foi manipulada por criminoso

Vídeo explica como a manipulação é grosseira

 

 

O print da tela de um computador que acessa uma página do JMais teve o título alterado pela pessoa que propagou a imagem por grupos e contatos de WhatsApp na manhã desta quinta-feira, 22. O título publicado pelo JMais para a matéria Mulher é executada a tiros no São Cristóvão, em Três Barras foi alterada para “Mulher é executada viva com tiros no São Cristóvão, em Três Barras”. O objetivo, acredita o editor do JMais, Edinei Wassoaski, “é denegrir o site. Assim que tomamos conhecimento da imagem vasculhamos nosso sistema para ver se não era um erro nosso mesmo, o que se fosse, certamente corrigiríamos e pediríamos desculpas, o que é praxe em um veículo de imprensa sério. Porém, a manipulação é grosseira e típica de descerebrados”, afirmou. Wassoaski vai acionar judicialmente o WhatsApp para descobrir de onde surgiu a postagem. “Não será tarefa difícil, na verdade estamos quase conseguindo descobrir sem autorização judicial. A pessoa é tão cretina que deu print na tela dando uma monte de pistas sobre sua identidade”, avisa.


 

 

Uma das evidências é a hora. A manipulação foi feita de um print tirado às 10h38. Pouco depois ele chegou a Wassoaski pelo WhatsApp. “Estamos conversando uma por uma com as pessoas que receberam o print antes de mim, então não será difícil chegar ao autor. Se não conseguirmos dessa forma, a Justiça conseguirá”, diz Wassoaski confiante.



 

 

No vídeo acima, o técnico do Studio Silver, Rudmar Silveira, responsável pelo desenvolvimento e manutenção do JMais, explica como foi feita a fraude.

 

 

 

Deixe seu comentário:

Top