Hospital Santa Cruz gasta 41 por cento de suas receitas com folha de pagamento

Diretor administrativo do HSCC, Derby Fontana, em seu escritório/Divulgação

Com 223 funcionários, hospital tem um gasto mensal de R$ 525,9 mil; pagamento do 13º salário ainda segue sem recursos

 

 

O Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC) divulgou nesta sexta-feira, 30, dados que mostram o esforço da entidade para dar transparência às suas contas. Por causa da polêmica envolvendo a falta de recursos para pagar o 13º salário dos funcionários, houve vários questionamentos até mesmo do prefeito Beto Passos (PSD) sobre a suposta falta de transparência por parte da direção do HSCC.


 

 

No material divulgado pela assessoria do Hospital,  o HSCC esclarece que o Santa Cruz “é uma entidade filantrópica privada, que atua de maneira 100% transparente há mais de 79 anos no município. Essa transparência pode ser acompanhada por qualquer cidadão através do site www.hsccsaude.com.br, onde estão reunidas todas as informações. Na aba “institucional”, estão disponíveis as prestações de contas do ano de 2016 e 2017 e também o estatuto que rege a entidade. O site é atualizado regularmente com os trabalhos que o HSCC desenvolve e também com notícias, das quais a do dia 20 de novembro esclarece alguns pontos que geraram as recentes polêmicas.”

 

 

Para manter o Hospital funcionando com atendimento de qualidade é necessário a atuação de diversos profissionais, das mais variadas áreas: Psicologia, Nutrição, Enfermagem, Assistência Social, Administração, Radiologia, entre outros. Atualmente o HSCC conta com 223 colaboradores diretos, o que consome apenas 41% das receitas totais, uma folha de pagamento considerada enxuta. A Lei de Responsabilidade Fiscal, que deve ser respeitada no setor público, por exemplo, estabelece como média prudencial , 51,3%.

 

 

A média de colaborador por leito é de 2,26, enquanto em hospitais públicos essa média ultrapassa 7,5 funcionários por leito. Ainda em comparação com os hospitais públicos, ele geralmente atuam com salários que custam o dobro do que em hospitais filantrópicos, como é o caso do Santa Cruz, afirma a direção do Hospital.

 

 

No HSCC os colaboradores são remunerados conforme suas especializações, obedecendo o piso salarial de cada categoria, além de obedecer a um acordo coletivo de trabalho, renovado anualmente, sempre no mês de novembro, informa o HSCC.

 

 

O salário bruto médio de um colaborador do HSCC é de R$ 2.358,39, gerando assim uma folha salarial de R$ 525.921,58 mensais.

 



 

Segundo o diretor administrativo do HSCC, Derby Fontana Neto, o trabalho do Hospital é realizado com planejamento estratégico, que norteia as ações e diretrizes e respondem de forma transparente e eficaz à diretoria, ao conselho deliberativo e à comunidade.

 

 

“Estamos atuando com o mínimo de funcionários permitido para que o Hospital funcione sem comprometer o atendimento aos pacientes. É uma estrutura gigantesca e complexa, que possui farmácia, cozinha, lavanderia, Unidade de Terapia Intensiva (UTI), maternidade, são diversas empresas dentro de uma só. Gostaríamos de remunerar bem melhor, porque nossa equipe merece, porém estamos limitados as condições financeiras do nosso hospital”, argumentou o diretor administrativo da entidade em resposta aos questionamentos sobre o assunto.

 

 

Ele frisa que o site é o canal de comunicação mais prático para a comunidade tirar suas dúvidas sobre o trabalho prestado pelo HSCC. Nas redes sociais a entidade também tem postado regularmente  notícias sobre o Hospital.

 

 

AJUDA

A secretária de Saúde de Canoinhas, Zenici Dreher, disse nesta sexta-feira, 30, que conversou pessoalmente com o secretário da Saúde do Estado, Acélio Casagrande, na quarta-feira, 28. “Solicitamos os encaminhamentos necessários para liberação de parte dos recursos em atraso referente à Porta de Entrada (SUS) para que a situação seja regularizada o mais breve possível”, afirmou.

 

 

Zenici disse ainda que conversou com o prefeito Beto Passos (PSD) e com representantes do Conselho Deliberativo do HSCC. “Estamos definindo parcerias e não mediremos esforços para mobilizar recursos e garantirmos repasses dentro das possibilidades até a data do compromisso assumido pelo HSCC, 19 de dezembro. Porém, dentro da legalidade e das responsabilidades inerentes ao município”, completou.

 

 

A secretária defendeu a participação de representantes da classe médica no Conselho Deliberativo do HSCC, “pois são os principais executores de todos os serviços no HSCC e são estes profissionais que poderão melhorar produção e receitas desta entidade, mesmo que não contemple no Estatuto, que pode ser alterado a qualquer momento. Se não dialogarmos e se não firmarmos acordos com os médicos poderemos perder profissionais gabaritados para outros municípios”, alertou.

 

Deixe seu comentário:

Top