Disputa eleitoral em SC está embolada

Casa da Agronômica, moradia do governador de SC/Arquivo

Edinei Wassoaski escreve sobre as pré-candidaturas apresentadas até agora                             

 

A corrida eleitoral pela Casa d’Agronômica, sede do Governo catarinense, a exemplo da nacional, parece ser uma das mais emboladas dos últimos tempos. Candidatos dados como certos como Mauro Mariani (MDB) e Paulo Bauer (PSDB) já não são mais certeza e gente que tinha jurado estar fora do jogo ensaia pré-candidatura. Vem do MDB, justamente, a maior incógnita. Eduardo Pinho Moreira (MDB) havia prometido que apoiaria Mariani. Agora já diz que não pode se eximir do jogo. Medidas midiáticas como o fechamento das ADRs e declarações de impacto mostram bem suas intenções.

 

 


    Napoleão Bernardes (PSDB) renunciou ao cargo de prefeito de Blumenau e diz que está a disposição do partido. Alvo de investigação do Supremo, Paulo Bauer perdeu o posto de candidato absoluto tucano, o que atiçou a ambição de Bernardes.

 

 

   No PSD, Gelson Merisio não se deixa abalar pelos petardos do ex-conselheiro do TCE, Julio Garcia, e segue trilhando o Estado em busca da popularidade que nunca teve. Recentemente teve firmado o apoio de Raimundo Colombo.

 

 

    O presidente estadual do PR, Jorginho Melo, conta com a boa aceitação que Jair Bolsonaro (PSL) tem no sul para cacifar sua candidatura. Melo declarou nesta semana que vai abrir palanque para o militar em Santa Catarina.

 

 

    Melo, ao lado de Esperidião Amin (PP), parecem ser os mais tranquilos nesse jogo. Melo porque não tem disputa interna no partido e Amin porque há anos tem o PP estadual como um feudo. Basta dizer que é candidato e será.

 

 

    Tem ainda o PT, que vai tentar sobreviver a avalanche Lula lançando Décio Lima (que quer ser chamado agora de Lula) ou Lédio de Andrade ao governo. A julgar pela rejeição que Lula tem no Estado, nenhum dos dois tem chance de sucesso se insistir nas teses de Lula como bandeira de campanha.

 

 

A PROPÓSITO: Não só “Décio Lima Lula” aumentou o nome, mas também o deputado de Chapecó, “Pedro Lula Uczai”. A ideia é que os 60 parlamentares da sigla adotem a medida em protesto à prisão de Lula – multiplicando o nome do líder petista no painel da Câmara.

 

 

Por onde anda?

Entrevistado ao vivo no programa Fala Cidade, da 98FM, Beto Faria (MDB) escolheu cuidadosamente as palavras para não melindrar seu sucessor na prefeitura de Canoinhas. “Entregamos a casa em ordem e desejamos êxito à administração. Não acompanho o dia a dia, mas desejo que as coisas funcionem”, limitou-se a falar quando instado a avaliar a administração municipal.

 

A verdade é que com exceção de Paulinho Basilio e Camila Lima na Câmara, a linha de frente do partido em Canoinhas sumiu depois das eleições, incluindo Leoberto Weinert, que é pré-candidato. Para não ser excluído do processo político de 2020, o partido precisa voltar à carga.

 

 

Marcelo Tolentino/Divulgação

CANOINHAS PRESTIGIADA

A nomeação do ex-prefeito de Canoinhas, Beto Faria (MDB) para presidir a Cidasc, nesta semana, foi encarada pela classe política como um sinal de prestígio do governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), que vem judiando da cidade com o fechamento das Gerências de Saúde e Educação. Na foto, Faria com o presidente estadual do MDB, Mauro Mariani.

 

 

Conjecturas

O encontro em Lages para lançar a pré-candidatura de Raimundo Colombo (PSD) ao Senado foi marcado por várias discussões de bastidores. Duas chapas foram cogitadas: Paulo Bauer (PSDB) ao Governo com Gelson Merisio (PSD) de vice e Esperidião Amin (PP) e Colombo ao Senado. Se Bauer rodar, ficaria Amin na disputa pelo Governo com Merisio ou João Kleinubing de vice, Raimundo e Bauer ao Senado.

 

 



INCENTIVO: Somente nesta semana a Câmara de Vereadores de Canoinhas apreciou cinco projetos de lei que concedem incentivos a empresas da cidade. Os pedidos vão de cascalho a empréstimo de máquinas e fornecimento de pedras brita.

 

 

Político que fala mal de político deve desistir e fazer outra coisa”

do vereador Célio Galeski, mandando indireta para a secretária de Saúde Zenici Dreher, que criticou a politização da Gersa. “Por que não teve coragem de falar isto pela frente. Seria um covarde?”, devolveu Zenici

 

 

Taxa de religação

Vereadora Camila Lima (MDB) apresentou projeto de lei que isenta do pagamento da taxa de religação do fornecimento de água da Casan os comprovadamente necessitados. É preciso estar desempregado ou receber menos de 2 salários mínimos.

 

 

RÁPIDAS

NOMEADO: Abraão Mussi assumiu nesta semana a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Três Barras.

 

NOMEADO 2: Já Alcides Adriano de Oliveira assumiu a Secretaria de Finanças de Três Barras.

 

BOLA CHEIA: O MDB agora tem o Governo do Estado, prefeitura da Capital e presidência da Assembleia.

 

COADJUVANTE: O empresário Luciano Hang, da Havan, desistiu de participar das eleições deste ano como candidato.

 

SÓ GASTAR…: Levantamento mostrado pela revista Veja revela que não faltam recursos para a Educação no Brasil.

 

… NÃO ADIANTA:  Na última década, o investimento na educação deu um salto  de 66% só por parte dos Municípios, mas o Brasil continuou entre os piores no ranking mundial.

 

80: deputados federais aproveitaram a janela aberta em março para trocar de partido.

 

EVASÃO: Quem sofreu a maior baixa foi o PT (11), seguido do MDB (7) e PSDB (2).

 

CARA DE PAU: Deputado João Amin sumiu da Alesc por um mês. Motivo: surfar na Indonésia.

 

PERGUNTA PERTINENTE:

  O curso de Licitações em Canoinhas, para evitar viagens de cursistas, chateou algum vereador?

 

 

 

 

 

 

 

Deixe Seu Comentário