Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Conselho de Saúde de Canoinhas discute denúncias e auditorias

Moises Gonçalves /Divulgação

Órgão é formado por 12 representantes de entidades canoinhenses

 

 

 

Denúncias de atendimento nos serviços de saúde do Município de Canoinhas, assistência farmacêutica e repasse de recursos para entidades canoinhenses. Estas foram algumas das pautas da reunião do Conselho Municipal de Saúde realizada nesta quarta-feira, 11; o encontro debateu ainda as auditorias realizadas na Secretaria de Saúde. “O trabalho do conselho é fundamental para melhorarmos cada dia mais os serviços oferecidos a nossa população e é por isso que agradeço imensamente cada um de vocês que está aqui de maneira voluntária”, disse o prefeito Beto Passos durante a abertura dos trabalhos.

 

 

Composto por 12 entidades, o conselho reúne-se mensalmente para debater assuntos relacionados à saúde pública em Canoinhas. Na pauta, estavam denúncias de falhas no atendimento aos pacientes que usam o Sistema Único de Saúde (SUS). “Tudo o que chega até nós é apurado e por isso é importante as pessoas oficializarem as denúncias junto à secretaria de Saúde. Elas somente são apuradas com esta formalização”, explica a secretária Zenici Dreher ao lembrar que informações divulgadas pelas redes sociais não são apuradas.

 

 

O conselho debateu também as auditoras realizadas junto ao Fundo Municipal de Saúde. A secretaria dispõe de equipe que examina cuidadosamente as atividades desenvolvidas com o objetivo de averiguar se elas estão de acordo com planejamento prévio e dentro da lei. “Este trabalho foi amplamente questionado e debatido”.

 

 

O atendimento na assistência farmacêutica do município também passou pelo crivo do Conselho. Aproximadamente 800 pessoas por dia recebem medicamentos fornecidos nas farmácias mantidas pelo Município. Estão à disposição dos munícipes 274 itens. Pela avaliação realizada, o percentual de usuários que não conseguem medicamentos é pequeno diante do número de pessoas que saem com os remédios, afirma Zenici.

 

 



ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

Há grande preocupação do Conselho em relação à quantidade de medicamentos entregues aos pacientes: “observamos que estamos vivendo uma verdadeira medicamentalização da vida que é preocupante. Observamos as pessoas chegando com ‘sacolas’ de receitas médicas de diferentes profissionais em busca de remédio na farmácia”, expõe Zenici. Uma das soluções a este problema, debatida no conselho, é a implantação do prontuário eletrônico a fim de unificar as informações do paciente: “assim, quem consultar na unidade de saúde e na UPA receberá a mesma orientação e não terá receita duplicada. Queremos com isso preservar a vida das pessoas e proteger dos danos causados pelo uso descontrolado de medicamentos”, garante a secretária.

 

 

É notória a falta de medicamentos, porém, os de alto custo são de responsabilidade do Estado (apenas dispensados na farmácia municipal). Outros problemas também interferem na falta de remédios: interesse das empresas em participarem dos processos de licitações, a morosidade na entrega dos produtos, falta da matéria-prima, e o aumento da demanda de pacientes que buscam medicamentos gerado pelo crescimento no número de pessoas atendidas nas unidades de saúde graças à reestruturação que extinguiu as filas das madrugadas e à melhoria no atendimento da UPA. “É por este conjunto de fatores que sempre teremos em média cerca de 20% de medicamentos faltando. No entanto, lembro que os itens oferecidos na farmácia de Canoinhas contemplam o preconizado pelo SUS e é muito maior do que a lista de outros municípios”, observa a secretária.

 

 

DEMAIS ASSUNTOS

O Conselho discutiu ainda o plano de trabalho para garantir o repasse de recursos a entidades como a Associação dos Pacientes Oncológicos de Canoinhas e Região (Apoca) e à Comunidade Terapêutica “Caminho do Sol” (Arad).

 

 

Ao final, a “Carta de Canoinhas”, que cobra a manutenção dos serviços da regional de saúde em sua totalidade, foi lida. O conselho deliberou pelo envio do documento ao Conselho Estadual da Saúde.

 

 

SOBRE O CONSELHO

O Conselho é composto por membros da Apoca, Arad, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Associação de Terceira em Canoinhas (Ática), pastoral da Saúde, Associação Catarinense de Deficientes (ACD), representantes dos odontólogos, enfermeiros, Núcleo dos Assistentes Sociais, Hospital Santa Cruz, Laboratório Planalto e pela secretária de Saúde. A função deste grupo é garantir a participação da comunidade no planejamento e fiscalização dos recursos públicos. “O Conselho Municipal de Saúde de Canoinhas é assíduo, participativo, crítico e de muita seriedade”, conclui Zenici

Deixe Seu Comentário