Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Cerco a quadrilha teve perseguições, tiroteios e presa grávida de gêmeos

Policiais em torno de um dos carros que levavam explosivos no sábado/PM/Divulgação

A ação começou em Caçador, onde foi emitido um alerta de que havia três carros suspeitos rondando agências bancárias da cidade; operação de caça aos bandidos se encerrou nesta quarta

 

Digna de um bom filme de ação, a perseguição à quadrilha de assaltantes de banco que deu azar de se deparar com a Polícia Militar de Canoinhas e Major Vieira na madrugada de sábado, 13, mostrou que interior nem sempre é sinônimo de facilidade para a bandidagem.

 

A ação começou em Caçador, onde foi emitido um alerta de que havia três carros suspeitos – um Citröen, uma Saveiro e uma Mitsubishi Outlander – rondando agências bancárias da cidade. Os três carros deixaram a cidade sendo seguidos de longe por policiais de Caçador até a cidade de Calmon. Alertados pela Polícia de Caçador, a Polícia de Porto União emitiu um alerta para a Polícia Militar de Canoinhas, que armou uma tocaia no trevo de acesso a Canoinhas pelo portal da avenida Rubens Ribeiro da Silva.

 

Abordados pelos policiais militares, os motoristas do Citröen e da Saveiro fugiram pela SC-477, que liga Canoinhas a Major Vieira, atirando contra a viatura da PM. A Outlander fez a conversão sentido Porto União pela BR-280.

 

Na dúvida em quem seguir, os policiais do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) seguiram os dois carros pela 477. Dos carros, os bandidos dispararam tiros de fuzis que danificaram a viatura e deixaram um policial ferido com estilhaços de vidro quebrado da viatura da PM. A Saveiro e o Citröen C4 também ficaram bastante danificados. Policiais da guarnição de Major Vieira esperavam os bandidos no portal de acesso à cidade. Também houve troca de tiros entre bandidos e policiais. Acuados pelo PPT e pela guarnição de Major Vieira, os bandidos abandonaram os carros e fugiram a pé. Sem parar de atirar contra os policiais eles se embrenharam em um matagal.

 

 

PERSEGUIÇÃO

A perseguição aos bandidos na mata começou ainda na madrugada de sábado e só terminou na tarde desta quarta-feira, 17.

No sábado, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) retiraram os explosivos e armamentos que foram encontrados nos carros abandonados. Maçaricos também foram encontrados nos carros e manchas de sangue, que comprovam que durante o tiroteio os bandidos também foram feridos. O helicóptero Águia da PM fez buscas e policiais de toda a região participaram da operação. Nenhum suspeito foi detido nas proximidades da SC-477.

O tenente coronel João Marcos Dabrowski de Araújo, comandante do 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM), não deu detalhes, mas disse que como os bandidos não foram encontrados a operação foi suspensa e nova tática deve ser tomada.

 

 

 

CASAL FUGITIVO

A Outlander foi encontrada abandonada, com um pneu furado e sem estepe durante o tiroteio com a PM, na localidade da Encruzilhada, que fica às margens da BR-280, interior de Canoinhas, na manhã de sábado, 18. O casal, que procurava uma borracharia nas proximidades, foi preso em flagrante. Eles não ofereceram resistência e foram encaminhados para a Delegacia. A PM acredita que havia outras pessoas com eles no carro. Na Delegacia, eles se reservaram o direito de permanecerem calados e só devem se pronunciar em juízo. A mulher está grávida de gêmeos. Baseados nas evidências, o delegado regional Rui Orestes Kuchnir, que preside o inquérito, pediu a prisão preventiva do casal. Eles estão na Unidade Prisional Avançada (UPA) de Canoinhas.

 

 



FAMÍLIA REFÉM

Enquanto a PM fazia buscas na mata às margens da SC-477, durante a madrugada de domingo, 14, cinco homens armados renderam uma família em Paiol Velho, interior de Major Vieira. Eles comeram, tomaram banho e levaram dois carros e um casal que estava na casa como reféns. Os bandidos fugiram em direção a Matinhos. Quando já estavam na rodovia BR-116 liberaram os reféns para voltar para casa no Prisma sob a condição de que eles só poderiam ligar para a Polícia três horas depois, o que a família de fato fez. Os bandidos seguiram em fuga no segundo veículo, um Fiat Palio branco.

Para o delegado, não há dúvidas de que os bandidos integram a quadrilha.

O Palio Fire, placa AKQ9402 de Major Vieira na cor branca, ano 2002/2003, ainda não foi encontrado.

 

 

 

 

PÂNICO NA ESCOLA

Na segunda-feira, 15, o carro de um morador do interior de Major Vieira foi alvejado por disparo de um fuzil entre as localidades de Rio da Veada, Paranazinho e Arroios, que ficam às margens da SC-477.

 

 

A vítima estava trafegando pela via quando viu algumas pedras no meio do caminho. Ele reduziu a velocidade e foi então que um tiro atravessou o carro. Ele não se feriu.

 

A ação dos bandidos levou à suspensão das aulas na Escola Básica Municipal Guilhermina Maria da Veiga Ferreira até a tarde desta quarta-feira, 17. Na manhã de terça-feira, 16, os alunos foram escoltados pela PM até suas casas. Em comunicado a prefeitura de Canoinhas informou que as aulas serão retomadas nesta quinta-feira, 18, considerando que a PM suspendeu a operação no local.

 

 

PRÓXIMOS PASSOS

O delegado regional acredita que a quadrilha seja composta de pelo menos oito membros, que se separaram depois do tiroteio de sábado. Ele acredita, ainda, que os bandidos possam ter roubado outro carro depois que tiveram frustrada a tentativa de segunda-feira à noite. “Mas não temos notícia de nenhum roubo até o momento”, frisa.

 

A suspeita é compartilhada por Araújo, que tem recebido várias informações infundadas, o que tem atrapalhado as investigações.

Ainda não se sabe qual agência e de qual cidade eles pretendiam arrombar. “Sabemos que Major Vieira não era o alvo, porque ali acabou se tornando uma rota de fuga para eles”, pondera Kuchnir.

 

Deixe Seu Comentário