Matérias de: Adair Dittrich

Ferrovia tinta de sangue…

Adair Dittrich evoca lembranças do passado a partir dos trilhos que ligavam a região de Canoinhas                                       

  Era o trem que nos levava para as viagens de sonho, para as viagens encantadas, para os portos onde...
Continue lendo...

E continuam os trens em seus trilhos…

Estação de Marcílio Dias/Acervo de Fátima Santos

Adair Dittrich segue crônica sobre os bons tempos das ferrovias                                                                                       ...

Continue lendo...

O Ramal Marcílio Dias a Canoinhas

Início do ramal ferroviário que ligava o distrito canoinhense de Marcílio Dias ao centro/Fátima Santos

Adair Dittrich evoca suas lembranças dos tempos áureos da ferrovia                                               

  Duas linhas de ferro fundido. Paralelas. Fixadas a intervalos nem sempre regulares a pranchões de duro lenho, os dormentes. Nome que...
Continue lendo...

O Último Trem

Trem deixa estação de Marcílio Dias/Acervo de Fátima Santos

Adair Dittrich escreve sobre a última viagem do "trem de Marcílio Dias"                                                             

  Nascer ao som das locomotivas, que, com o vapor produzido em seu...
Continue lendo...

Aos Homens de Cáqui (Final)

Leia a última parte da crônica de Adair Dittrich                                                                       

 És a vida expandindo beleza no ouro das praias. O...
Continue lendo...

Top