Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Matérias de: Adair Dittrich

Amor, Luz e Paz…

(Porque ainda é Tempo Pascal)   Quase não haviam dormido. Fora tenebrosa a noite carregada das lembranças daqueles maravilhosos tempos que agora não mais se repetiriam. Maravilhosos dias e maravilhosas noites em que muito ouviram e muito viram e muito aprenderam. Reuniram-se na manhã de domingo no mesmo local onde estiveram naquele dia consagrado e as últimas palavras...
Continue lendo...

… e eis que chega a Semana Santa

Foto: Egon Thien
Foi num domingo que o Mestre entrou na Grande Cidade ovacionado pela multidão. Tapetes amaciavam seus passos. E ramos ornavam o caminho que Ele percorria. Sinos e tambores, cornetas e alaúdes enchiam os ares com sons que só O glorificavam. E o Mestre sabia da incoerência e insensatez, da volubilidade e inconstância humanas. Mas, seu sorriso e suas...
Continue lendo...

E depois da névoa… o ponto de luz!

ADAIR 2Sempre haverá um tempo de névoas nos olhos. Névoas que turvam a visão do mundo, a visão da vida. Opacos cortinados ofuscando paisagens, ofuscando luas, ofuscando amores... Imiscuir-se neste fantasmagórico espaço em que todas as vidraças são fumacentas, em que luzes tornam-se opacas e pensar que...
Continue lendo...

O ilimitado amor

Uma linda boneca de porcelana de rosadas faces, Brigith era a graça que desfilava diariamente pelas ruas de minha vila.  Seus louros e encaracolados cabelos esvoaçavam por seus ombros, embalados pelo vento e pelo ritmo de seu caminhar. Tinha os mais límpidos olhos azuis, quase violetas de tão azuis, brilhantes, de olhar firme rumo ao...
Continue lendo...

Como desenhos que o vento desfaz…

A água escorrendo no chuveiro e aquele assobio sincopado e monocórdico em melodia sempre igual, demonstrando o seu desesperador estado de espírito. E ela, no quarto ao lado, olhando o céu cinzento de um entardecer de agosto. O mar não se mostrava amigo e batia furiosamente nas encostas dos rochedos. O bater das ondas, a água despencando...
Continue lendo...

Desabafos perdidos no tempo

Como os fios de muitas meadas enrodilhadas, desfilamos nossos dias entre a multidão. Pessoas que passam despercebidas ao nosso olhar e aos nossos sentidos, pessoas outras que ao nosso lado são figurantes de todas as horas e muitos outros e muitas outras que ao nosso lado apenas se sentam para tentar desfiar suas angústias. Dentro de...
Continue lendo...

Moka: a perdigueira inteligente

Depois que o nosso grande amigo Graife partiu para morar nas campinas eternas onde foi se integrar à matilha-potestade dos anjos-cachorros, meu pai ficou algum tempo sem o seu esporte único, a caça. Não sei quanto tempo se passou, mas, não demorou muito e um dia ele apareceu com uma linda cadela de branca pelagem com...
Continue lendo...

Um Natal Inesquecível

São tantas, e tão profundamente enraizadas na alma, as lembranças dos mais ternos Natais passados com minha família. Foram muitas as noites felizes de Natal em que, juntos, cantamos “Noite Feliz”. Natais da infância, natais do adolescer. Natais do agora. Mas, existe um Natal que ficou indelével, gravado a fogo, escrito com diamante no compacto e...
Continue lendo...

…em um santuário de paredes brancas

Vidas e histórias vividas desenterradas do mais recôndito de cada ser que passou entre as quatro paredes de um local a que sempre chamei de meu sagrado santuário. Foi longo o espaço de tempo dentro do espaço de uma vida ali dinamicamente vivida. Histórias dos que cuidavam do outro e da outra que naquele universo vinham...
Continue lendo...

Peraltices de colegiais nos anos trinta

Foto: Acervo pessoal de Fátima Santos
No final dos Anos Trinta do século passado as Irmãs Franciscanas iniciaram a construção do primeiro bloco de alvenaria do Colégio Sagrado Coração de Jesus, de Canoinhas. Dormitórios das internas, Clausura, Capela, salas de aula, administração, enfim, tudo o que compunha a organização localizava-se, ainda, nos pavilhões de madeira. O novo prédio...
Continue lendo...

Divagando entre palmeiras

Cuba 372Um dia eu me deparei a rabiscar palmeiras em qualquer papel a meu alcance. Toscas palmeiras que minha mão nada hábil na arte do desenho tentava fazer com que alcançassem o mar ali ao lado à tênue luz de um imaginário luar. E assim passei por...
Continue lendo...

… Em busca de outro caminho

Um fim de tarde guardando no ar o peso de um grito que tenta explodir e trazendo com ele a incógnita, a expectativa de um punhado de amigos. Lá, sentados, na sala de decisões, circunspectos, tranquilos, heroicos, abnegados, os donos de uma situação. Lá, sentados, tranquilos, resolvendo, como num julgamento imortal da vida e do destino dos...
Continue lendo...

História real

Não encontrei um título para esta história real. Espero que a imaginação de vocês o faça.   Tornou-se um vulto meio abstrato a vagar pela casa. A vagar pelo seu esquecido jardim já cheio de ervas daninhas. Esse seu jardim onde ele ficava, por horas inteiras sentado na relva macia debaixo da grande...
Continue lendo...

Um ritual do Dia de Finados

Levar flores, acender as velas, fazer uma prece diante de um espaço onde os mais amados nossos que se foram estão é o ritual que se repete ano a ano neste dia, nesta época. Um ritual de amor para homenagear aqueles que muito significaram em nossas vidas. Um ritual simplificado agora que encontramos floriculturas abarrotadas com os...
Continue lendo...

O amanhecer do primeiro dia no internato

Foto: Capela do Sagrado em imagem mais recente/Arquivo
Não havia horário de verão ainda naquele fevereiro de mil novecentos e quarenta e quatro em que eu, pela vez primeira, dormia longe de minha mãe, de meu aconchego, de meu mundo, dos meus conhecidos aromas tão amados. Embora o dia já tivesse raiado naquela madrugada o sono era...
Continue lendo...

Médico, você vive histórias…

Pintura: “MÉDICO”, de Samuel Luke  Fildes, 1891
Dezoito de Outubro tem seu dia marcado no calendário dos santos como o dia de Lucas. Lucas, o Médico de Homens e de Almas. Lucas, o Evangelista que não conheceu Jesus, mas, que dele teceu as mais belas páginas do Evangelho. Lucas que só chegou à Galileia depois que...
Continue lendo...