Canoinhense encontrado morto em Porto União conhecia assassinos

Pedro tinha 52 anos/Facebook/Reprodução

Dos dois rapazes presos, um deles afirmou que era “amigo” de Pedro Teodorico Araújo e que matou ele com a ajuda do comparsa depois de um desentendimento

 

Com Jair Nunnes, do VVale

 

O delegado regional de Porto União, Nilson César, detalhou em coletivo para a imprensa na tarde desta segunda-feira, 7, o que ouviu dos assassinos confessos do contador canoinhense  Pedro Teodorico Araújo, 52 anos, cujo corpo foi encontrado em uma cachoeira no KM 13, em Porto União, no sábado, 5.


 

 

Segundo o delegado, Cheyner William Gomes, 19 anos, e Gustavo Brito de Miranda, 20 anos, conheciam Pedro, com quem teriam se encontrado no sábado, 5. Cheyner relatou que era “amigo” de Pedro, e que teria combinado com ele e Gustavo de irem passar o dia na cachoeira do KM 13. Lá teria ocorrido um desentendimento e, na sequência, ele teria desferido golpes de faca contra Araújo, que morreu no local. Gustavo teria ajudado a arrastar o corpo de Pedro para a cachoeira a fim de ocultar o cadáver.

 

 



Os dois jovens fugiram do local, utilizando o veículo Fiat Uno que era da vítima, escondendo o carro em um matagal. Após ser preso e confessar o crime, Cheyner levou os policiais até o local onde estava escondido o Uno, que foi guinchado até a Delegacia de Polícia.

 

 

“Os dois foram presos em flagrante e foram encaminhados à Unidade Prisional Avançada de Porto União”, relatou o delegado, que agradeceu ao trabalho incansável dos policiais na busca aos suspeitos.

 

 

ÓTIMO PROFISSIONAL

Pedro era contador e trabalhou por muitos anos como funcionário da extinta empresa Wiegando Olsen. Depois, foi assessor do secretário de Administração de Canoinhas nos governos Leoberto Weinert e Beto Faria, Argos Burgardt. Nos dois empregos teve passagem bastante elogiada. Seu corpo foi velado e sepultado neste domingo, 6.

Deixe seu comentário:

Top