Banco Mundial visita a região para renovação do SC Rural

Visita da comitiva a propriedade rural de Canoinhas/Divulgação

Objetivo foi analisar a aplicação do programa na região; representante do banco se disse satisfeito

 

O economista agrícola sênior do Banco Mundial, o argentino Diego Arias, liderou uma comitiva do Banco que percorreu a região de Canoinhas durante esta semana a fim de analisar a repercussão do SC Rural, programa do Governo do Estado subsidiado pelo Banco, na região.

Arias disse que gostou muito do que viu, elogiou o trabalho dos agricultores da região que participam do programa, frisando a qualidade do leite e do mel produzidos na região. “O que percebemos muito diferente das demais regiões do Brasil foi a vontade dos jovens de trabalhar com a família. Jovens que têm decidido ficar no campo e se aperfeiçoar”, explica.

Arias explica que o SC Rural prevê investimentos do Governo a fundo perdido e, em igual valor, dos produtores rurais. Estudo aponta que em cinco anos, os agricultores que não participaram do SC Rural aumentaram a renda em 45%. Quem participou do programa aumentou a renda em 120%.


Há 30 anos o Banco Mundial financia a agricultura em SC. Em 1984, durante o governo de Esperidião Amin, o Banco começou a fomentar o Microbacias. Para Arias, SC está apta a renovar o financiamento, mas para tanto, precisa de um aval do Governo Federal.

 

OBSTÁCULO



O diretor de projetos especiais da Secretaria de Estado da Agricultura e Pesca, Ditmar Alfonso Zimath, diz que o governo do Estado está se esforçando para garantir a renovação do financiamento. Na próxima semana o governador Raimundo Colombo (PSD) estará em Brasília para defender a renovação. “Estamos desenhando o programa que deve suceder o SC Rural e essa avaliação do Banco Mundial é importante para renovarmos o financiamento”, opina. Ele lembra que atualmente SC é a terceira economia do País, mas o que ocorre é que houve questões econômicas do passado que podem implicar nos critérios de avaliação da operação de crédito. “Estamos municiando o governador para que argumente ou questione os critérios que o Governo Federal usa para avalizar a operação de crédito. Ou que se abra uma excepcionalidade”, diz otimista, afirmando que SC é referência na produção agropecuária.

O diretor de extensão rural e pesqueira da Epagri, que é a gestora do SC Rural na região, Paulo Lisboa Arruda, lembra que o programa ajuda no desenvolvimento regional e que deve impulsionar o Crescendo Juntos, programa recém-lançado por Colombo que visa compensar regiões historicamente preteridas pelo Estado como o Planalto Norte, em questões de investimentos.

 

SAIBA MAIS

O Programa SC Rural é uma iniciativa do Governo de Santa Catarina com financiamento do Banco Mundial (Bird). O financiamento, que visa consolidar a política pública para o desenvolvimento do meio rural catarinense prevê investimentos da ordem de US$ 189 milhões, dos quais US$ 90 milhões financiados pelo Bird e US$ 99 milhões do Estado. O SC Rural propõe novos desafios, apoiando planos e projetos com um enfoque amplo que pode envolver um município, um grupo deles e mesmo uma determinada região. Tem como objetivo geral aumentar a competitividade das organizações da agricultura familiar por meio do fortalecimento e estruturação das suas cadeias produtivas.

A responsabilidade direta pela coordenação do Programa é da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, através da Secretaria Executiva Estadual do SC Rural, tendo como executoras suas empresas vinculadas Epagri e Cidasc, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Secretaria de Infraestrutura, Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte, Fatma e Batalhão da Polícia Militar Ambiental de Santa Catarina.

Deixe seu comentário:

Top