As chances de Leoberto Weinert

Weinert com Mauro Mariani e Carlos Chiodini na convenção deste sábado/Divulgação

Ex-prefeito teve nome homologado na disputa para uma vaga na Assembleia

 

 

LEOBERTO

Ex-prefeito de Canoinhas, Leoberto Weinert (MDB) teve seu nome homologado na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa neste sábado, 4, durante a convenção do partido. Com uma pré-campanha bastante morna, o ex-prefeito chegou com status de favorito depois da desistência de Antonio Aguiar (PSD) de concorrer a reeleição. Os emedistas pensam, e com razão, que embora Aguiar tente transferir votos para Renato Pike (PR), não consegue. Quem herda boa parte dos votos do deputado seria, portanto, Leoberto.


 

 

Weinert, de fato, tem uma carreira singular na política. De perfil técnico, embora não tenha fugido do pragmatismo de nomear aliados de qualidade duvidosa conseguiu atravessar dois mandatos sem nenhuma denúncia nem escândalos significativos. Nervoso, talvez sua língua tenha sido sua maior inimiga nessa travessia. Pagou por ser sincero, como quando chamou vereadores acostumados a se lambuzar com as benesses do poder de “sanguessugas”. Bateu boca com a imprensa – vejam só, inclusive com Beto Passos, hoje prefeito – e cravou na história a frase dita durante evento da Casan de que costuraria a boca da imprensa com agulha de saco de estopa.

 

 

Conseguiu eleger seu sucessor, mas fracassou na tentativa de reelegê-lo.

 

 

O mandato correto, porém sem brilho de Beto Faria (MDB), fez  muitos saudosistas resmungarem por aí frases que invariavelmente caíam “no tempo do Leoberto”, inclusive servidores públicos.

 

 

 

Weinert não fez um governo excepcional, mas foi feliz nas decisões que tomou, principalmente na austeridade com que tratou o erário. Foi essa austeridade que permitiu Faria governar, como uma espécie de puxadinho do mandato de Weinert. Nunca prometeu fábulas e entregou realidade. E essa realidade é que os Municípios arrecadam pouco e arcam com muitas despesas fixas. Sobra uma merreca para investimentos, daí a necessidade de se ter representatividade em Florianópolis e Brasília.

 

 

Provou que é possível, apesar das dificuldades, com projetos conseguir façanhas como o Instituto Federal (IFSC).

 

 



 

Weinert sentiu na veia o descaso do Estado e da União e vai usar desse discurso para tentar a vaga na Assembleia. Sua biografia o credencia, resta saber se terá retórica para garantir a eleição.

 

 

 

A PROPÓSITO

Canoinhas tem 42.105 eleitores aptos a votar nesta eleição. Se somados aos votos da comarca, passa fácil dos 60 mil votos. Se não conseguirmos eleger um representante local para a Assembleia, é séria a falta de comprometimento dos eleitores com a região onde moram.

 

 

 

E A OPERAÇÃO?

Em junho de 2015, pelo menos oito integrantes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) estiveram recolhendo supostas provas na prefeitura de Canoinhas para investigar uma suposta irregularidade em licitação relacionada à compra de alimentos. Três anos depois, não se sabe que fim deu o processo.

 

 

A EXECUTORA DE LULA

Responsável pelas decisões sobre a custódia do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a juíza Carolina Moura Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, já atuou na comarca de Mafra.

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário:

Top