Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Aos 50 anos, desafio do PMDB de SC é se manter relevante

O PMDB chega aos 50 anos em Santa Catarina com o desafio de se manter protagonista

 

O PMDB chega aos 50 anos em Santa Catarina com o desafio de se manter protagonista no cenário político estadual. Embora não tenha o governador, as duas vitórias de Raimundo Colombo têm o DNA do partido, ou do saudoso Luis Henrique, o que dá no mesmo. Já escrevi aqui que a morte de LHS causaria profunda transformação no partido. E causou. Mas ao contrário do que gente como eu previu, que o partido naufragaria, o PMDB parece propenso a ressurgir com uma cara mais jovem e mais ponderada. Essa cara corresponde, ao que parece, a Mauro Mariani, virtual governador do Estado em 2018. A guerra que se esperava entre ele e Pinho Moreira não veio. Ao invés da disputa, o consenso. LHS deve estar feliz com o que semeou pouco antes de partir.

Já no cenário municipal, o PMDB completa neste ano, 12 anos no poder. Aqui, o desafio para o partido é se manter relevante. Propor algo que saia do “mais do mesmo”.

O profundo descontentamento da população com a classe política, nacionalmente, tem no PMDB um alvo fácil. O partido está até o pescoço envolvido com corrupção. O presidente da Câmara é odiado nacionalmente e o vice-presidente, com um pé na Presidência, está sob suspeita. 62% da população não apoiam o pé-vermelho na Presidência, segundo o Datafolha.

O quanto desse descontentamento nacional vai atingir Beto Faria na disputa pela reeleição ainda é uma incógnata. Além disso, nem todos estão contentes com o modo morno de Faria de governar. Por outro lado, Beto Passos (PSD) terá de trabalhar muito para apagar da memória popular que era do PT, o campeão, até agora, no ranking da corrupção no País.

É nesse cenário que Renato Pike (PR) emerge como possível candidato de terceira via.

 

Em Major Vieira

Três ex-vereadores deixaram seus respectivos partidos para ingressar no PSDB, que vem se fortalecendo na busca por emplacar uma candidatura própria a prefeito. O atual vice de Orildo Severgnini (PMDB), Adilson Litcoski (PSDB) tem se movimentado nesse sentido. O objetivo, neste momento, é compor coligação.

O ex-vereador Alceu Schumacher (foto) deixou o PMDB e os ex-vereadores José Falkiévicz e Antonio Almeida deixaram o PSD e assinaram com o PSDB.

 

Sérgio Teixeira/Divulgação

Sérgio Teixeira/Divulgação

Deputado Antonio Aguiar (PMDB) com o bolo comemorativo dos 50 anos do PMDB catarinense. A data foi lembrada em evento na Assembleia Legislativa na segunda-feira, 25, com a participação do secretário regional Ricardo Pereira Martin e do prefeito de Canoinhas, Beto Faria.

 

 



Gazaniga pra prefeito

O PP de Três Barras lançou a pré-candidatura do diretor do Serviço Autônomo de Saneamento  Água (Samasa), Emílio Gazaniga, a prefeito da cidade. O nome foi aclamado pela maioria dos membros do diretório, que ainda confirmarão a candidatura em convenção marcada para ocorrer em julho. Prefeito Elói Quege (PP) participou da reunião e concordou com o nome de Gazaniga como o ideal para disputar sua sucessão.

Havia rumores de que Quege teria provocado mal-estar no partido depois de intervir pessoalmente para filiar Gilson Nagano no PSD. Nagano já confirmou que é pré-candidato a prefeito. A reunião desta semana, no entanto, na avaliação do diretório, mostrou a união do partido.

A busca agora é por um vice ideal para Gazaniga. O PMDB é a menina dos olhos do partido do prefeito. O PP não concorda, no entanto, com o nome de Gerson de Sousa, o Dunca, que já se declarou propenso a disputar a prefeitura pelo PMDB.

 

RÁPIDAS

TRÊS BARRAS: O PP avalia que precisa de um nome de expressão dentro do distrito de São Cristóvão, maior colégio eleitoral da cidade, o que não é o caso de Dunca. Dessa forma, sugere os nomes de Rildo Voigt ou Sérgio Jarschel.

COGITADOS: Dunca teria concordado com a visão progressista da aliança. O PP não descarta, ainda, ter na vice alguém do PSB, como o caso do vereador Abraão Mussi ou Joel da Cruz do DEM.

TÍTULO: O Cartório Eleitoral de Canoinhas fará plantão no feriado de terça-feira, 3, das 9 às 19h. Na quarta, 4, termina o prazo para fazer ou transferir o título.

ELEIÇÕES: O presidente estadual do PMDB, Mauro Mariani, e o coordenador das Eleições 2016, Valdir Cobalchini, passaram neste sábado, 30, por Canoinhas, para articulações.

RECORDE: SC é o segundo Estado que mais inchou a folha de pagamento entre 2009 e 2016. Foi de R$ 7 bilhões para R$ 11,5 bilhões.

MISTÉRIO: O que não dá pra entender é como o Estado se chora para contratar novos policiais, o que é essencial, enquanto incha a folha.

EFEITO LAVA-JATO: Dos 638 prefeitos que o PT elegeu em 2012, 135 se desfiliaram do partido no ano passado.

EFEITO LAVA-JATO II: Em SC, dos 45 prefeitos eleitos, seis deixaram o PT.

 

Deixe Seu Comentário