Teremos novidades aqui no topo :)

Alternância de poder traz podres à tona

Laboratório funciona anexo à Clínica da Mulher e da Criança/Arquivo

Edinei Wassoaski comenta sobre descoberta de material vencido usado em exames no Laboratório Municipal                                                                                       

 

Winston Churchill disse certa vez que a democracia é o pior dos sistemas políticos… exceto os demais. É a democracia, por exemplo, que permitiu que enquanto um grupo expressivo de moradores de Canoinhas lamentava a derrota de Beto Faria (PMDB) em outubro do ano passado, outro igualmente expressivo grupo comemorava a vitória de Beto Passos (PSD).

Se essa alternância de poder será saudável para o Município é cedo para falar, agora que a troca de grupos políticos no comando do Município leva a descobertas que jamais viriam à tona se um mesmo grupo administrasse a cidade ad aeternum, isso é verdade.

Escrevo isso para abordar a questão dos tubos e reagentes vencidos desde 2014 encontrados no mês passado no Laboratório Municipal. Funcionários da Secretaria de Saúde ouvidos pela coluna sob anonimato revelaram que em anos nunca tinham visto fiscais da Vigilância Sanitária no laboratório. A interdição do local, aliás, foi feito pela Vigilância Estadual, porque a equipe municipal ainda não havia sido empossada pelo novo prefeito.

Restringindo-se somente à Vigilância Sanitária, dei-me ao trabalho de pesquisar tudo o que foi noticiado sobre o setor nos últimos 12 anos em Canoinhas. Excluindo raros eventos de conscientização, ações pontuais e paliativas, nenhuma grande operação, interdição de estabelecimento, muito menos ação efetiva no sentido de coibir questões que saltam aos olhos como o caso de gente que solta esgoto em via pública. Diz a Vigilância que esse tipo de situação só é averiguada se o denunciante aceitar ir em juízo sustentar a denúncia. Ou seja, nunca é averiguada porque as pessoas temem mal-estar com o vizinho porco.

Que mais sujeira jogada embaixo do tapete venha à tona, não para crucificar ninguém, mas para que o próprio governo que hoje está no poder receie esconder algo da população que prontamente será exposto por seu sucessor, para sua absoluta vergonha.

 

A PROPÓSITO: A denúncia abriu uma trincheira de guerra entre a Secretaria de Saúde e os bioquímicos do Laboratório, que só falam diante de um advogado. A questão vai longe com a abertura de uma sindicância para apurar o caso.

 

 

Persona non grata

Secretário de Administração de Canoinhas por 11 anos, durante as gestões de Leoberto Weinert e Beto Faria (ambos PMDB), Argos Burgardt deixou Canoinhas com fama de ótimo gestor, tanto que aceitou o convite de assumir o mesmo cargo na prefeitura de Jaraguá do Sul. Em menos de três meses de mandato do prefeito Antídio Lunelli (PMDB), no entanto, Argos se tornou o grande vilão da administração. Os professores do Município acusam o secretário de montar um pacote de maldades para os servidores de carreira e os Admitidos em Caráter Temporário (ACTs). A situação é tão crítica que o professores já entraram na quarta semana de greve.

Na semana passada, a Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul aprovou cinco projetos do pacote. Todos eles aguardam apenas a sanção do prefeito para entrar em vigor.

Para enxugar os cofres públicos, Argos mira, agora, na gratificação dos profissionais do Programa Estratégia Saúde da Família

 

 

VISITA

Deputado federal Mauro Mariani (PMDB) recebeu nesta semana em seu gabinete em Brasília, um grupo de acadêmicos e professores de Direito do campus Canoinhas da Universidade do Contestado (UnC).

 

 

 

 

Recuo

Está difícil de o prefeito de Irineópolis Juliano Pereira (PMDB) ver aprovado o projeto de lei que aumenta o número de cargos comissionados na estrutura da prefeitura. Nesta semana houve pressão popular e vereador doente atrapalhando a votação.

Os contrários ao projeto temem a imprevisível pauta da Casa de Leis, que nunca é anunciada previamente, ou seja, dependendo do momento, o presidente coloca ou tira o projeto da pauta.

A PROPÓSITO: Não se sabe exatamente quantos cargos Pereira pretende criar. O projeto de lei é bastante nebuloso e pelas contas da coluna seriam 47 novos cargos, que elevariam para 82 o número total de comissionados. Há quem garanta, no entanto, que o número não passa de 12. Certo ou errado, o projeto precisa ser esclarecido.

 

 

EVENTO CONCORRIDO

Governador Raimundo Colombo, gerente da Fatma de Canoinhas Francine Nader, deputado Antonio Aguiar e secretário regional Aloisio Salvatti durante a inauguração da filial da empresa alemã Kromberg & Shubert, nesta quarta-feira, 29, em Mafra.

 

 

“São coisas diferentes, mas ambas desequilibram uma eleição”

do deputado federal Jorginho Melo (PR), comentando sobre a tese que diferencia o caixa 2 de doações não declaradas do caixa 2 fruto de propina

 

 

RÁPIDAS

PARANOIA: Uma ossada teria sido encontrada às margens do rio Canoinhas no fim de semana. Polícia acionada e a constatação de que se tratava de uma pobre capivara.

 

TRÊS BARRAS: João Canani assumiu a Secretaria de Agricultura. Já João Pedro Simão assumiu o Departamento de Trânsito da cidade.

 

REFORMA: Dos 16 deputados federais catarinenses, 10 afirmam que são contra a lista fechada nas eleições proporcionais. Apenas um é a favor. Os demais não opinaram.

 

R$ 8 BILHÕES: foi quanto o Brasil perdeu com “gatos” na rede elétrica em 2015. A Celesc estima que 1,5% da energia produzida em Santa Catarina é furtada.

 

SEM REGRAS: Em tempos de preocupação com a fiscalização da carne, o IBGE estima que 3,95 milhões de cabeças de gado tenham sido abatidas clandestinamente em 2016..

 

MAIS GENEROSO: Enquanto Dilma Rousseff (PT) liberou R$ 3,4 bilhões em emendas parlamentares em 2015, Michel Temer (PMDB) liberou R$ 5,8 bilhões de maio a dezembro de 2016.

 

EXPLOSÃO DA FÉ: Uma nova igreja surge a cada hora no Brasil. Sem burocracia e sem pagamento de impostos, abrir uma igreja é simples e descomplicado.

 

DESCARADOS: As centrais sindicais querem negociar com o governo o apoio à Reforma Tributária em troca da regulamentação da contribuição assistencial.

Deixe Seu Comentário