Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Abertura do calçadão exige maior reflexão

No ano passado parte do calçadão foi aberto/Arquivo

Edinei Wassoaski escreve sobre polêmica envolvendo decisão do prefeito                                                         

 

Artigo do professor Rui Branco publicado no JMais provocou comoção nas redes sociais. No artigo, o professor critica a decisão de se acabar com o calçadão da Felipe Schmidt, no centro de Canoinhas, a fim de abrir mais espaço para o trânsito de veículos. “Enquanto a tendência mundial é no sentido de tirar cada vez mais os carros do centro da cidade, deixando o centro para a circulação dos pedestres, Canoinhas insiste em inverter o processo, trazer de volta os carros para disputar os espaços com os pedestres.” Bastou essa frase inicial do professor para incendiar o debate que teve opiniões muito bem fundamentadas, o que nos faz ter esperança de que há vida inteligente na internet. Destaquei algumas:

     Juarez Fuck diz que deve-se abrir a rua e investir na melhoria das praças se a ideia é estimular o lazer. Zeni Oliveira sugeriu uma campanha na mídia para estimular a “carona solidária”. Quanto mais pessoas forem para o trabalho no mesmo veículo, menos carros nas ruas, logo supre-se parte de uma necessidade. Juliana Gulicz diz que há outras prioridades. Professor Walter Birkner afirma que extinguir o calçadão parece estranho e anacrônico e sugere que quem usa o calçadão deveria ser consultado. O engenheiro Alexandre Fuck lembra que o calçadão prejudicou o comércio. Frisa que ainda não temos hoje onde circular com bicicletas, uma demanda crescente e saudável: “Talvez na concepção do calçadão, décadas atrás, a realidade era outra e em uma sociedade que está em desenvolvimento algumas mudanças deveriam ser consideradas.” O arquiteto e projetista Rafael Roeder diz que precisamos debater melhor esse tema para evitar gasto desnecessário do poder público:“Uma mudança precisa ser pautada por informações técnicas e debatidas com a sociedade.” Kelli Bilitzki sugere mudar o endereço dos bancos, muito próximos, o que concentra o trânsito na mesma região. Ieda Alberti frisa que a mobilidade urbana visa primeiramente o pedestre e nunca os veículos.

    Diante de tão ricas contribuições, creio que o prefeito Beto Passos (PSD) deva voltar um passo atrás e propor audiência pública para debater o assunto.

 

Minha opinião

Creio que um meio termo seria possível. Uma via já foi aberta no calçadão. Abre-se outra e tem-se mão dupla. No meio mantém-se o calçadão. Ademais, manter o espaço como está, um lugar ermo e sujo, certamente não é a melhor solução.

 

 

“A primeira pessoa a quem presto contas é a mim mesmo”

do deputado Antonio Aguiar, sobre os gastos com diárias da Alesc

 

 

Priscila Noernberg

CAMPO

Prefeito Beto Passos (PSD), Edison Kuroli (secretário de Agricultura) e Donato João Noernberg (gerente regional da Epagri) durante assinatura do contrato de prestação de serviço entre a Epagri e Prefeitura de Canoinhas nesta semana.

 

 

 

Também as diárias

A reportagem do jornal Diário Catarinense que mostra que a cada R$ 1 gasto com diárias por servidor ou parlamentar do Congresso Nacional, a Alesc desembolsou R$ 14,50 com a mesma finalidade em 2016, complementa tragicamente o que escrevi na semana passada. Temos os despachantes de luxo do governo mais caros do País.

 

 

Edinei Wassoaski/JMais

BOA NOTÍCIA: O IFSC Canoinhas reuniu a imprensa na segunda-feira, 8, para anunciar o terceiro curso superior a ser oferecido pelo Instituto a partir de 2019. O ingresso ao curso de Agronomia, assim como para os outros superiores, a partir de 2018 se dará por meio do Enem.

 

 

 

Hemosc

A diretora do Hemosc, Denise Linhares, estará em Canoinhas na manhã de segunda-feira, 15, para dar satisfações sobre a morosidade em reabrir a unidade de Canoinhas. O Hospital Santa Cruz desmentiu nesta semana o boato de que o HSC teria pedido a sala ao Hemosc. O que ocorreu foi a sugestão de uma troca de espaço visando melhorar o acesso ao posto.

 

 

QUEM NOS REPRESENTA

De acordo com o Ministério do Trabalho há hoje no Brasil 5.190 sindicatos de empregadores e 11.327 de trabalhadores. Nos Estados Unidos são 130. Por que o Brasil precisa de tanta representatividade assim é o que se deseja saber para se manter a contribuição compulsória que tunga 1 dia por ano de suor do trabalhador.

 

 RÁPIDAS

VISITA: Quem almoçou neste sábado em Canoinhas e depois palestrou no restaurante Boi na Brasa foi a prefeita de Bombinhas Ana Paula, conhecida por ter implementado a cobrança de pedágio na cidade. O evento foi promovido pelo PDT canoinhense.

 

ELEIÇÃO: Décio Lima é o novo presidente do PT catarinense.

 

MÁGOA: Bastou ter o pai demitido da Agência de Desenvolvimento Regional para vereador enxergar que a autarquia pouco apresenta resultados efetivos.

 

28%: da população brasileira recebe algum tipo de pagamento do Estado.

 

57,9 MILHÕES: de brasileiros compreende este percentual entre servidores públicos, aposentados, pensionistas e beneficiários do Bolsa-Família.

 

IRRITADOS: Pesquisa realizada pela Ipsos mostra que brasileiro é o segundo povo mais insatisfeito com os serviços públicos entre 23 países. Os mexicanos lideram a lista.

 

DISTORÇÕES À BRASILEIRA: Enquanto o teto do INSS passa pouco dos R$ 5 mil, o deputado federal Esperidião Amin, por exemplo, vai se aposentar com R$ 19 mil mensais.

 

 

Deixe Seu Comentário