A guerra interna do Hospital Santa Cruz

Hospital Santa Cruz, de Canoinhas/Divulgação

Para além do déficit que pode deixar funcionários sem 13º salário, há um verdadeiro cabo de guerra entre médicos, Município e direção do HSCC

 

 

CABO DE GUERRA

Há muito por trás da questão pragmática de que sem repasse do Município o Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC) não vai conseguir pagar o 13º salário dos seus 223 funcionários.


 

 

Nos últimos dias, tanto a direção do HSCC quanto o Município foram a público defender seus respectivos lados. Como escrevi aqui na coluna, quem ouve um ou outro, dá razão aos dois, dando uma noção da complexidade da coisa.

 

 

A coluna conversou, sob condição de anonimato, com médicos e funcionários do HSCC nos últimos dias. Ouviu histórias contraditórias. Ao que parece, os funcionários apoiam a atual administração. Por outro, os médicos se queixam que até uma porta foi instalada na ala administrativa para evitar que eles entrassem a qualquer momento. Queixam-se que não há diálogo com o atual gestor, Derby Fontana Neto, e que se sentem tratados como inimigos, quando na verdade só querem ajudar.

 

 

A administração Beto Passos (PSD), mesmo que veladamente, compra a briga dos médicos. Aposta no sangramento de Derby em praça pública para defenestrá-lo da direção. Derby, no entanto, tem o aval da diretoria, como deixou bem claro o presidente do HSCC, Artur Burgardt, durante sessão da Câmara de Vereadores há duas semanas. Quando falo em sangramento em praça pública, há aí um risco. Enquanto Derby sofre para resolver o problema do 13º sob intensa pressão, quem também está sendo escrutinado é o próprio Passos. Enquete realizada pelo JMais sob a pergunta “Você é a favor que o prefeito Beto Passos desista de comprar maquinários e repasse R$ 500 mil para o Hospital Santa Cruz pagar 13º salários?” tinha 372 respostas afirmativas ante 137 negativas até a manhã deste sábado, dia 1º. Nas redes sociais não é Derby, mas de Passos que está sendo colocado contra a parede. A maioria dos canoinhenses acha, de fato, que cabe ao Município socorrer o HSCC, por mais que o Município se esforce em deixar claro que o Hospital não é responsabilidade dele.

 

 

 

Voltando aos médicos,  hoje nenhum deles compõem o Conselho Administrativo do HSCC. E nem poderão compô-lo, porque em outubro o Conselho modificou o estatuto para impedir a entrada dos médicos. Em mensagem que circula em grupos de médicos pelo WhatsApp, eles consideram a medida uma “traição”. “E obviamente, se o administrador continuar, a situação do hospital com grande parte do corpo clínico médico está insustentável. Tempos difíceis se aproximam”, diz a mensagem.

 

 

É nesse cenário que os dois lados – direção do HSCC e Município – testam forças para ver quem cai primeiro.

 

 

 

SOBREAVISO

A licitação para contratar empresa que preste sobreaviso médico no HSCC restou deserta no linguajar específico, ou seja, não teve interessados. Até 31 de dezembro o próprio HSCC presta o serviço. Depois segue uma incógnita.

 

 



AGUIAR NA DIREÇÃO?

Deputado Antonio Aguiar (PSD) também discorda da administração de Derby, mas não pretende reivindicar seu cargo. Tem dito aos médicos amigos que quer ajudar de alguma maneira, mas não pretende ocupar um cargo necessariamente.

 

 

 

PIKE NAS OBRAS

Vice-prefeito Renato Pike (PR) assumiu o perímetro urbano de Canoinhas enquanto que Gil Baiano (PR) é responsável pelo interior do Município. A divisão de tarefas começou a funcionar na prática nesta semana.

 

 

 

Schiochet, à direita do prefeito de Bela Vista do Toldo, Adelmo Alberti/Divulgação

 

Cumprindo a agenda de visitas nos municípios do Planalto Norte Catarinense, o deputado federal eleito, Fábio Schiochet (PSL), visitou na quinta-feira, 29, as cidades de Mafra, Papanduva, Itaiópolis, Monte Castelo, Bela Vista do Toldo e, por fim, Canoinhas.  Em todos os municípios, o parlamentar conversou com lideranças políticas e comunitárias, além de prefeitos da região.

 

Encontro regional no Laffayette/Divulgação

Em Canoinhas, o deputado Fábio participou da solenidade de comemoração dos 58 anos de implantação do 3º Batalhão da Polícia Militar.  À noite participou de um encontro regional no Clube Laffayette.

 

 

Na reunião reafirmou o seu compromisso como parlamentar federal mais novo da história catarinense, do novo governador do Estado de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL), e do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), por um trabalho que vise a honestidade, transparência e excelência na gestão do dinheiro público. “O Brasil tem jeito sim! O país vai voltar a crescer e ser orgulho para a nossa população brasileira”, destacou o deputado federal Fábio Schiochet.

 

 

Natural de Jaraguá do Sul, Schiochet tem 30 anos, foi eleito deputado federal por Santa Catarina com 87.345 votos.

 

 

 

 

Deixe seu comentário:

Top