< Março 2018 - JMais | Jornalismo Digital Archive | JMais | Jornalismo Digital

Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Apresentação encantou e emocionou o público na noite desta Sexta-Feira Santa                                                  

Correção: número de espectadores foi revisto pela organização

Pelo menos 4 mil pessoas assistiram à encenação da Paixão e Morte de Cristo feita pelo 15º ano no Morro do Cristo na localidade do Salto d’ Água Verde, em Canoinhas. Antes, das 18 às 20h, os mais de 200 atores, todos moradores da própria localidade, encenaram os principais fatos da vida de Jesus Cristo, desde seu nascimento.

 

 

Sem nenhum incidente e organização elogiada, desde os estacionamentos até as acomodações, a apresentação mais uma vez emocionou e encantou o público.

 

 

Abaixo veja galeria de imagens feitas pela fotógrafa Fátima Santos.

 

 

Confira o que foi destaque no JMais

 

Pinho anuncia R$ 35 milhões para SC-477 e confirma fechamento da Gersa

 

Estado deve economizar menos de R$ 200 mil/ano com fechamento da Gersa

 

Hospital São Vicente, de Mafra, passa a atender alta complexidade pelo SUS

 

“Pacientes não terão de ir à Mafra”, afirma Secretaria de Saúde

Homem mata ex-esposa e se suicida em Canoinhas

 

Cinco fugitivos de Presídio de Caçador são recapturados

 

Pastor evangélico é esfaqueado em Irineópolis

 

Acidente mata duas pessoas na BR-153

 

Falso vendedor de purificadores de água é preso em Canoinhas

 

Oficializada integração de serviços do Samu e Bombeiros de SC

 

Motorista de carreta morre em acidente na PR 151

 

Rapaz é esfaqueado em Três Barras

 

Resgatado carro que caiu no Valetão

 

Manifestantes pedem permanência da Gersa em Canoinhas

 

Sancionada lei que muda sepultamentos em Canoinhas

 

Morre ex-prefeito de Major Vieira

 

Operadoras de telefonia móvel reconhecem mau sinal na região

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Manifesto reuniu cerca de 30 pessoas neste sábado no centro da cidade                                      

 

Pelo menos 30 pessoas saíram às ruas de Canoinhas na manhã deste sábado, 31, para protestar contra o fechamento da Gerência de Saúde (Gersa) de Canoinhas. A manifestação começou em frente à Farmácia Vital e seguiu pelas ruas centrais da cidade.

 

 

Uma das organizadoras do movimento, a vereadora Norma Pereira (PSDB) culpou a chuva e o fato de ser véspera de feriado pela pouca adesão. “Valeu porque muita gente viu e questionou. Ao menos 90% da população não imagina o prejuízo que teremos com fechamento da Gersa”, disse a vereadora. Participaram da manifestação, ainda, os vereadores Camila Lima (MDB), Coronel Mário Erzinger (MDB) e Paulinho Basilio (MDB), além do empresário Rafael Mirando da Silva e de representantes do Movimento Cidadão Fiscal, de Canoinhas.

 

 

Neste sábado, 31, reportagem do JMais mostrou que o governo deve economizar menos de R$ 200 mil anuais com o fechamento da Gersa Canoinhas, consumado na semana passada.

 

 

 

Miguel Barbosa assassinou Roseclea dos Santos com facadas e pauladas e depois se matou                                                          

ATUALIZADA ÀS 14h30 DE 31-3-18

 

O mototaxista Miguel Barbosa assassinou sua ex-esposa, a diarista Roseclea dos Santos, e depois se matou na manhã deste sábado, 31, em Canoinhas.

 

 

Conforme apurado até o momento, Miguel e Roseclea viveram juntos por cerca de 20 anos, mas se separaram no mês passado. Inconformado com a separação, Miguel foi até a casa da enteada, no bairro Piedade, nas proximidades do posto Pwiedade, onde Roseclea estava temporariamente cuidando da casa para a filha, que viajava. Dentro da casa, Miguel matou a ex-mulher com várias facadas e pauladas.

 

 

Depois, ele voltou para casa, na rua Acir Woitexem, no distrito do Campo d’ Água Verde, em Canoinhas. Antes de se matar, ele avisou um vizinho que teria matado Roseclea. O vizinho acionou a Polícia Militar. Quando os policiais chegaram no local, encontraram Miguel enforcado em um rancho nos fundos da casa.

 

O Instituto Geral de Perícias (IGP) recolheu os corpos nos locais das mortes.

 

Casa onde Miguel teria se suicidado/Biluka/JMais

 

Casa onde Miguel teria se suicidado/Biluka/JMais

 

Acadêmico de Direito analisa a trajetória do partido do governador Raimundo Colombo                                      

 

Antônio Vasco*

 

O objetivo deste artigo é lembrá-los da história do PSD, pois depois de quatro anos o maior expoente do PSD catarinense esteve em Canoinhas. Então senta que lá vem história:

 

No dia 13 de setembro de 2010, em Santa Catarina, o ex-presidente Lula discursou: “’Precisamos extirpar o DEM da política brasileira”. Foi nesse ano que Raimundo Colombo foi eleito pelo DEM para o cargo de governador de Santa Catarina.

 

No dia 18 de março de 2011 o PSD nasce porque políticos dissidentes do partido Democratas, do Partido Progressista, do PSDB, liderados pelo então prefeito de São Paulo Gilberto Kassab decidiram que fazer oposição ao governo Lula seria muito difícil. Decidem criar o PSD para disfarçar sua falta de fibra e seu fisiologismo.

 

 

Além de Kassab, o ex-vice-governador de São Paulo Guilherme Afif Domingos, o senador pelo Acre Sérgio Petecão, o governador de Santa Catarina Raimundo Colombo, o ex-governador e senador do Amazonas Omar Aziz, o ex-vice-governador da Paraíba Rômulo Gouveia e o deputado federal pelo Rio de Janeiro Índio da Costa passam a integrar o PSD. Pretendiam inovar, mas só fizeram um remendo onde não estava furado, deixaram um furo na oposição ao governo Lula. Esse não é o final da história, ela ainda está se desenrolando…

 

Depois dessa recapitulação fica fácil perceber o oportunismo e a falta de fibra desses políticos que tinham medo do então presidente Lula. O medo deve ter surgido depois da declaração que Lula fez em 2010. O fato é que se o ex-presidente decidisse por acabar com o estado democrático de Direito a oposição seria menor.

 

 

O oportunismo desses políticos foi vendido como uma inovação que, no final das contas, facilitou a vida do ex-presidente. Lula adorou presenciar o nascimento do PSD. Certamente ele foi um convidado especial para o batizado do PSD; ali foi Lula a derramar água benta e a abençoar esse bebê.

 

 

Sabemos o quão honesto é Lula: enriquecimento ilícito, apadrinhamento político e pouquíssima competência. Sabemos tudo o que a polícia federal e o MPF estão denunciando todos os dias. Nós sabemos de muita coisa enquanto eles não sabem de nada. Não sabem do fechamento de unidades administrativas nem das denúncias de corrupção que recaem sobre seus apadrinhados.

 

A lâmpada elétrica não foi inventada pelos fabricantes de vela, portanto não consigo vislumbrar nenhuma inovação boa chegando pelas ideias desses velhos políticos que não perdem oportunidade de nos mostrar sua falta de fibra e de competência.

 

*Antônio Vasco é médico veterinário e acadêmico de Direito da
UnC/Canoinhas

Aprenda mais com a professora Giselle Ludka Deitos

 

A utilização do verbo to have em língua inglesa pode nos levar a cometer alguns equívocos. Isso por conta da tradução mais comum que ele possui entre os aprendizes de língua inglesa em nosso país. Geralmente a tradução do verbo Haveé ter/possuir.

 

 

Um exemplo simples seria I have a beautiful beach house(Eu tenho uma bela casa de praia).

 

No uso do inglês britânico é comum percebermos o verbo Have em perguntas seguido de got como no exemplo a seguir:

 

Have you got a car? (Você tem carro?). Nesse específico exemplo, o uso de “have got” é bastante comum, e é relevante lembrar que o seu significado é o mesmo de apenas o verbo have isoladamente. Dessa maneira podemos dizer que o verbo have tem o mesmo significado de have got.

 

Quando utilizamos o verbo to have com os pronomes he/she/it, devemos substituir have por has.

She has a beautiful smile. (Ela tem um belo sorriso)

He has the best company in town. (Ele tem a melhor empresa da cidade)

Bob is my favorite dog. It hassome thing special I cannot explain. (Bob é meu cão favorito. Ele tem algo especial que eu não sei explicar).

 

O verbo to have também funciona como auxiliar de alguns tempos verbais, os quais não serão apresentados nesse artigo. Além disso, o verbo to have também pode assumir diferentes usos da tradução ter/possuir, mas isso será assunto para uma outra conversa.

 

 

Cálculo foi feito por funcionários da Gerência com base em contas de luz, água, telefone, compra de insumos e diárias                                                                         

 

O colunista do jornal Diário Catarinense, Renato Igor, mostrou nesta semana que o Estado de Santa Catarina gasta, em média, R$ 30 milhões por ano para indenizar servidores que usam sem carros próprios para prestar serviços ao Estado. Apenas 0,7% deste valor seria o suficiente para manter a Gerência de Saúde de Canoinhas (Gersa) funcionando.

 

 

Segundo levantamento feito por servidores da pasta a pedido do JMais, o custo anual para manter os dois prédios próprios pertencentes a Gersa com internet, telefone, água, luz, locação de duas impressoras da Selbetti, manutenção dos veículos, combustível, material de expediente e material de limpeza não passa dos R$ 60 mil. Somado este valor ao que se gasta com diárias para que os servidores se deslocassem para cidades atendidas pela Gersa, o gasto anual total não passa dos R$ 200 mil.

 

 

Com salários dos 20 servidores, a Gerência de Canoinhas demanda R$ 1,2 milhão por ano. Segundo o secretário de Saúde de SC, Acélio Casagrande, esse “alto custo” foi um dos motivos para o fechamento da Gersa. O argumento, no entanto, contradiz o arranjo para manter 16 servidores prestando serviços na prefeitura de Canoinhas, além do remanejamento dos outros quatro para Mafra. A princípio, como são todos concursados, os salários seguem sendo pagos pelo Estado sem nenhuma alteração. Essa informação foi confirmada pela secretária de Saúde de Canoinhas, Zenici Dreher, que esteve reunida com Casagrande nesta semana, em Florianópolis.

 

 

Reunião realizada na quarta-feira, 28, entre representantes da Secretaria de Estado da Saúde e os 20 servidores da Gersa Canoinhas confirmou essa determinação.

 

DESPERDÍCIO

Além de cortar gastos que pouco implicarão no orçamento do Estado, o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB) deve causar prejuízo para o Estado. Em 2016 foram investidos R$ 84 mil para montagem de um Ambulatório de Entomologia em Canoinhas. Efetivamente, o ambulatório, que faz leituras de todas as larvas de mosquitos, de Canoinhas até São Bento do Sul, começou a funcionar em meados do ano passado. Durante o verão podem ser lidas até mais de mil larvas por dia, além de casos de escorpião, carrapatos, entre outros. Com o fechamento da Gersa, o prédio deve ficar ocioso.

 

No final do ano passado  foi aprovado pelo Governo do Estado um projeto para construção da rede de frio, um espaço para armazenamento de insumos, medicamentos vacinas e soros, no valor de R$ 1,1 milhão. O valor seria disponibilizado no começo deste ano para a construção da estrutura em Canoinhas. “Agora, creio que o investimento vá para Mafra”, acredita o ex-gerente regional de Saúde, Gilberto de Carvalho.

 

MOBILIZAÇÃO

Nesta segunda-feira, 2, às 17h30, o médico auditor do Estado em Canoinhas, Dr Vasco Magalhães Telles, vai palestrar para os associados da Associação Empresarial de Canoinhas (Acic) sobre “Impacto real na comunidade de Canoinhas e região com o fechamento da Gerência de Saúde”. A ideia é sensibilizar o empresariado a lutar pelo retorno do serviço em Canoinhas.

 

Quase 40% do valor dos ovos de Páscoa é composto apenas por tributos                               

 

Marco Aurélio Pitta*

 

A carga tributária brasileira é uma das maiores do mundo. Representa cerca de 33% de todo o PIB, que é a geração de riqueza de nosso país. Alguns países da Europa até tem uma tributação maior que o Brasil, mas a aplicação destes impostos nestas situações é bem mais notada por seus habitantes. Por aqui, em busca de uma melhor opção para nossa família, gastamos com plano de saúde e educação para nossos filhos, em busca de qualidade. Nos países desenvolvidos, existem boas escolas e bons hospitais. Ou seja, o retorno do imposto pago pelos cidadãos é percebido de forma notória pelos habitantes de seus países.

 

Mas, falando de Brasil, nesta época do ano, é muito comum a compra de ovos de Páscoa pelas famílias brasileiras. E os preços destes produtos? Alto, muito alto por sinal…, mas pouca gente sabe que quase 40% do valor destes ovos de Páscoa é composto apenas por tributos.  Sim, de acordo com o site “Impostômetro”, a carga tributária é de 38,53%. São diversas siglas que compõem esse percentual, como ICMS, PIS, COFINS e IPI, por exemplo. O ICMS representa a circulação de mercadorias. O PIS e o COFINS têm como fato gerador o faturamento. O IPI representa a fase de industrialização. São tributos que são repassados pelos empresários ao consumidor final, que acaba de fato pagando tudo isto.

 

Como referência ao ovo de Páscoa, cito alguns produtos com menor carga tributária, como itens de cesta básica por exemplo. O arroz e o feijão têm cerca de 15,34% de tributos. Frutas em média 21,78%. Batata e leite têm, respectivamente, 11,22% e 12,55%, uma das menores cargas tributárias entre os alimentos. Existem também itens com tributação mais elevada, de forma mais justa, como cigarros (80,42%), jogos de videogame (72,18%), casacos de pele (81,86%) e cachaça (81,87%), por serem não essenciais à população.

 

Mas, voltando a falar sobre a Páscoa, uma alternativa aos ovos seriam os bombons, mas estes também têm uma carga tributária excessiva. Estima-se algo em torno de 37%. O chocolate de forma geral tem carga de impostos de 38,60%. Outro produto que é bem procurado nesta época, principalmente pelos católicos, é o bacalhau. Este peixe, se nacional, tem 34,48% de impostos. Se importado, pode representar quase 45% de impostos em seu preço final.

 

Em um cenário com queda de arrecadação e déficit orçamentário, dificilmente o Governo irá mudar este ambiente tributário. Muitas reformas estão por vir, além de várias iniciativas buscando diminuir a sonegação. Tudo isso acredito ser favorável para que um dia os tributos em nosso país diminuam. Mas enquanto isso não acontece, não resta alternativa senão pesquisar, pesquisar e pesquisar! Olhe bem as opções de compra, compare preços e marcas, buscando a maior economia possível, pois dos tributos, não temos como nos livrar.

 

 

 

*Marco Aurélio Pitta é gerente de contabilidade e tributos do Grupo Positivo, coordenador e professor de programas de MBA da Universidade Positivo nas áreas Tributária, Contábil e de Controladoria

 

Em artigo, vereadora Norma Pereira defende a reativação da Gerência de Saúde de Canoinhas                  

 

Norma Pereira*

 

Muitas pessoas têm me indagado o porquê de todo o meu empenho contra a transferência da Gerência Regional da Saúde de Canoinhas (Gersa) para Mafra, portanto, venho por meio deste apresentar os principais motivos.

 

Em primeiro lugar, entendo tratar-se de uma luta legítima por ser a Gersa um órgão importante na promoção de políticas de saúde e que existe em Canoinhas desde o início dos anos 1980, o que por si só nos indica nada ter a ver com a Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR, posteriormente chamada de ADR), criada no primeiro governo do saudoso Luiz Henrique Silveira, de 2003 a 2006.

 

 

Em segundo lugar, me empenho pela permanência da Gersa em Canoinhas porque sei dos excelentes trabalhos executados ao longo desses quase 30 anos de existência em nossa região, contando com dois prédios próprios e plenamente estruturados com laboratórios e computadores apropriados para o brilhante desempenho de 20 funcionários concursados que exercem com denodo as suas funções.

 

Nesse tópico, e à título de ilustração, ressalto que das mais de 30 agências existentes no Estado de Santa Catarina, das quais 15 estão na mesma situação que a de Canoinhas, a nossa e a de Laguna são as que mais se destacam em razão do dinamismo, competência e aperfeiçoamento profissional dos funcionários, que elaboram projetos, buscam recursos, inclusive a nível Federal, e obtêm resultados espetaculares, sempre no sentido de melhor estruturar o órgão, melhor capacitar os profissionais e atingir o nobre objetivo de espalhar saúde em nossa região.

 

Em terceiro lugar, me solidarizo com essa luta porque o argumento de contenção de gastos não se justifica e representa um desrespeito aos funcionários do Órgão e à nossa população, isso porque:

 

  1. o prédio onde a Gersa funciona é próprio e, portanto, não há despesa com aluguel;
  2. os 20 funcionários são todos concursados e, portanto, mesmo que alocados em outros órgãos públicos, o Estado não deixará de pagar todos os vencimentos;
  3. os funcionários são altamente capacitados para as funções que exercem atualmente e, caso sejam alocados em outros órgãos, correrão o risco de atuar em áreas diversas daquelas à que estão inteirados e, portanto, serem subaproveitados;
  4. caso a Gersa vá para Mafra, novas contratações deverão ser realizadas, o que implica em mais gastos;
  5. toda a estrutura necessária ao funcionamento da Gersa está em Canoinhas, e o seu fechamento implicará na desativação de um laboratório de entomologia (estudo das doenças transmitidas por insetos), setor de vigilância sanitária e epidemiológica, rede de frio para conservação de vacinas e medicamentos em geral (central com câmaras frias/gerador de energia, aparelhos de ar condicionado), bem como a perda de todos os veículos obtidos junto ao Estado e União Federal, através de projetos aqui formulados e aprovados pelos órgãos destinatários.

 

Portanto, entendo ser oportuna e legítima a minha luta e de todas as pessoas a quem me aliei no intuito de mover esforços para que a Gersa permaneça em Canoinhas, desempenhando suas funções normalmente.

 

Ainda, convoco todos quantos comungam desse entendimento, que desejam defender essa causa e que estão preocupados com a sequência de perdas impostas pelo Governo do Estado ao nosso município para que se juntem a nós para defender o que é nosso de DIREITO e de JUSTIÇA.

 

*Norma Pereira é vereadora pelo PSDB em Canoinhas

 

Trabalho dos bombeiros evitou que fogo se propagasse para casa ao lado                                  

 

Uma casa de madeira medindo aproximadamente 60 metros quadrados foi destruída por um incêndio na noite desta sexta-feira, 30, na rua Ananias Petrenchuk, no bairro Piedade, em Canoinhas.

 

Segundo o Corpo de Bombeiros de Canoinhas, no local havia duas casas, uma ao lado da outra, sendo que a primeira estava totalmente tomada pelas chamas e a segunda, uma casa mista medindo aproximadamente 80 metros quadrados, estava começando a ser atingida pelo fogo.

 

Os bombeiros começaram o combate ao incêndio pela segunda casa, onde Diego Teixeira da Silva, 24 anos, mora com a esposa e uma filha de três anos. A primeira casa foi totalmente destruída. Nela morava uma mulher com duas crianças. Ela e os filhos fugiram para a casa de parentes quando o fogo começou. A mulher não acompanhou o trabalho dos bombeiros.

 

Após aproximadamente duas horas de combate e rescaldo os bombeiros conseguiram deixar o local em segurança. Foram gastos aproximadamente 10.000 litros de água. A energia das residências foi cortada para evitar danos maiores.