< Fevereiro 2018 - JMais | Jornalismo Digital Archive | JMais | Jornalismo Digital

Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Ela ainda afirmou à Polícia que faz uso de cocaína                                                                                   

 

Uma moradora da rua Basílio Humenhuk, no bairro Sossego, em Canoinhas, chamou a Polícia Militar  no sábado, 24, informando que sua filha, de 20 anos de idade, teve um surto dentro de casa e a agrediu fisicamente, além de ter quebrado vários objetos dentro da casa. A mulher correu para a rua e pediu ajuda a transeuntes que ligaram ao 190.

 

 

Na chegada no local, os policiais perceberam que a jovem estava muito alterada, mas contida por vizinhos. Ao questionar a moça sobre seu estado, ela relatou, mesmo em estado alterado, que havia fumado maconha e tomado um chá alucinógeno.

 

 

O Corpo de Bombeiros foi chamado e auxiliou na condução ao Pronto Socorro para que a menina fosse medicada.

 

 

No quarto da jovem não foram localizadas as supostas substâncias alucinógenas, mas ela mesma informou que além maconha, usa cocaína.

Câmara debateu a possibilidade de implementação de rede mais tecnológica                                                                    

 

Por meio de requerimento, os vereadores Chico Mineiro (PR), Paulinho Basílio (PMDB) e Camila Lima (PMDB) solicitaram informações sobre o sistema de iluminação pública do município. No documento, os vereadores questionam o poder executivo sobre quem é responsável pela troca de lâmpadas queimadas e se existe material para fazer a troca.

 

 

 

Durante a sessão desta terça-feira, 27, Basílio relatou que, apesar de a prefeitura informar que repassa o recurso para que a empresa responsável realize a troca, a empresa alega que está sem material para substituir as lâmpadas queimadas. “A gente pede bastante prioridade do executivo para resolver esse assunto”, afirmou. A vereadora Norma Pereira (PSDB) concordou com Basílio, relatando que também foi informada que não há material para fazer a substituição dos dispositivos danificados.

 

 

Ao lembrar que a iluminação pública foi tema de debate na câmara no último ano, o vereador Paulo Glinski (PSD) comentou que membros da comissão de licitação do poder executivo informaram os vereadores sobre a existência de sistemas mais modernos, onde se poderia obter informações exatas sobre a quantidade de lâmpadas que necessita de trocas e sobre a periodicidade da substituição. “A empresa que quer se dispor a fazer esse trabalho tem que ter tecnologia através de um controle. […] Hoje, com a modernidade, nós temos que ter um sistema diferenciado”.

 

 

Célio Galeski (PR) relatou que não conhecia o sistema mais moderno e que considera importante que a câmara peça, mediante requerimento, a instituição de uma rede de iluminação pública mais tecnológica. “Propor essa modernização para que nós possamos fazer efetivamente esse acompanhamento do quanto é gasto, para a gente poder prestar contas”.

Novo estudo acompanhou pela primeira vez em Santa Catarina áreas acima de 1 hectare; Canoinhas e Bela Vista do Toldo são os municípios com menor área de mata atlântica na região

 

Três Barras possui a maio extensão de mata atlântica da região. É o que mostram mapas que trazem o total de remanescentes florestais do bioma Mata Atlântica no estado de Santa Catarina. Esses mapas foram apresentados durante o Seminário “Santa Catarina (ainda) é Mata Atlântica”, realizado na semana passada em Florianópolis, pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e Governo do Estado de Santa Catarina. Elaborado pela ONG SOS Mata Atlântica mapeia desde 1985 o total de mata atlântica presente em território brasileiro, porém, em suas últimas análises, a fundação estudava apenas territórios de 3 hectares ou mais. Nos novos mapas entregues agora, a ONG analisou pela primeira vez no estado áreas a partir de 1 hectare.

 

 

 

Na análise anterior, referente ao período 2014-2015, o Atlas da Mata Atlântica apontou que em Santa Catarina, o bioma estava presente em 29,6% do território. Com a mudança no parâmetro de avaliação (de 3 hectares para 1 hectare), os novos mapas, referente ao período de 2015-2016, mostraram um ganho de 11,9%, apontando que hoje, em Santa Catarina, 41,4% do território é composto pelo bioma mata atlântica.

 

 

Os mapas também mostram que, entre 2015 e 2016, houve um aumento de 57% no desmatamento de mata atlântica em Santa Catarina. Isso representou uma perda de 1054 hectares de mata em todo o Estado.

 

 

O estudo foi entregue ao MPSC, a Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável do Governo do Estado de Santa Catarina (SDS) e ao Instituto do Meio Ambiente (IMA). Ele é de acesso público, e pode ser consultado por meio de duas plataformas. No site mapas.sosma.org.br é possível encontrar o Atlas da Mata Atlântica de todo o país, com acesso aos relatórios anuais da SOS Mata Atlântica. O outro modo de consulta aos mapas é através da plataforma ‘Aqui tem mapa‘, onde se avalia a situação do bioma em cada uma das cidades brasileiras.

 

 

REGIÃO

O fato de Três Barras ter a maior área de mata atlântica da região, é, segundo o comandante da Polícia Ambiental de Canoinhas, major Christopher Rudolf Froehner, devido às áreas de preservação federais, caso da Floresta Nacional (Flona), a área administrada pelo Exército,  área de domínio da Rede Ferroviária e as áreas de reserva preservadas pelas empresas WestRock e  Mili. “Isso contribui para a cidade ter esse número expressivo”, reflete.

 

 

Já a baixa extensão de mata atlântica em Canoinhas, se deve, na visão de Froehner, ao fato de a cidade ser o grande polo econômico da região. “Um dos principais fatores é o fato de que Canoinhas teve uma expansão demográfica anterior para que gerasse desenvolvimento econômico. É histórico, também, que a matriz econômica da cidade, no início do século, foi a atividade extrativista”, explica.

 

 

 

Froehner frisa que a Polícia Ambiental trabalha intensamente para manter as reservas de mata atlântica intactas.

 

SITUAÇÃO NA REGIÃO

CIDADE por ha   
Três Barras 19640
Porto União 3648
Papanduva 2645
Monte Castelo 2037
Major Vieira 1689
Mafra 1677
Itaiópolis 1142
Irineópolis 1106
Canoinhas 364
Bela Vista do Toldo 118

 

 

PRÓXIMOS PASSOS

O coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (CME), promotor de Justiça Paulo Antonio Locatelli, reforçou a importância que o estudo apresentado tem para auxiliar as ações de combate ao desmatamento. “Os mapas entregues oficialmente pela SOS Mata Atlântica permitirão a identificação dos polígonos desmatados para uma atuação conjunta do MP com os demais órgãos públicos visando a conservação e a recuperação do bioma atlântica.”

 

 

O objetivo da entrega dos mapas, segundo a pesquisadora da SOS Mata Atlântica Marcia Hirota, é subsidiar ações de conservação e preservação do bioma. “A intenção é que esse mapa sirva de embasamento para ações do MPSC, dos órgãos ambientais, da polícia ambiental e também para que as pessoas, em geral, conheçam onde tem mata atlântica na sua cidade e ajudem a conservar.”

 

 

 

Segundo o coordenador do Centro de Apoio Operacional Técnico (CAT), promotor de Justiça João Carlos Teixeira Joaquim, a ideia é estabelecer um comparativo entre este mapa e outro que mostra as áreas remanescentes de mata atlântica em Santa Catarina referente ao ano de 2012. Este estudo, desenvolvido pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável, é o último considerado oficial para o MPSC. “Agora nós vamos sobrepor as imagens destes dois mapas para verificar os focos de desmatamento. A partir daí, vamos articular com o CME e com as Promotorias do Meio Ambiente para verificar qual a estratégia a ser definida”, afirma João Carlos.

 

 

 

Por enquanto, os mapas ficarão disponíveis no CAT para acesso direto das Promotorias de Justiça, e o objetivo é que estes novos dados abasteçam o Portal do Promotor, uma plataforma que reúne dados administrativos, de gestão de gabinete, socioeconômicos e de diversos órgãos públicos para acesso dos promotores de justiça do MPSC.

De acordo com o governador, a política de comunicação de sua gestão deverá ser marcada pela transparência, agilidade e qualidade da informação

 

 

 

Em cerimônia realizada na redação da Secretaria de Estado da Comunicação de Santa Catarina, o governador Eduardo Pinho Moreira deu posse ao novo secretário, Marcelo Mello Rego, nesta terça-feira, 27, em Florianópolis. O cargo era ocupado por João Debiasi, que ficou à frente da pasta por dois anos.

 

 

“A Secom tem o papel de nos colocar em contato com a sociedade de forma efetiva e clara. Vamos ter ações importantes e inovadoras em Santa Catarina e a sociedade precisa conhecer essas ações, então será esse o canal de comunicação” afirmou o governador.

 

 

O governador destacou que escolheu Marcelo Mello Rego pela experiência no setor, pela agilidade e pela humildade. “E humildade é uma virtude no ser humano, porque ela permite novos aprendizados e ele aprendeu muito. Identifiquei no Marcelo a pessoa que eu queria. Estou feliz com a contribuição que vai dar ao meu governo”, disse Moreira.

 

 

Jeferson Baldo / GVG

Ao destacar o projeto de comunicação, o novo secretário apresentou o grupo executivo que dará suporte a todas as ações do setor. “Será uma gestão compartilhada por um conselho executivo. A equipe que montamos e a que estamos conhecendo, que já estavam na Secom, estão preparados para enfrentar os desafios de divulgar com a melhor transparência possível e de uma maneira eficiente. Queremos estreitar ainda mais a comunicação regional, ou seja, fazer com que o governo só tenha uma comunicação, e isso estamos falando das regionais e de todas as secretarias, principalmente aquelas que o Governo vai dar prioridade, que é Saúde e Segurança Pública”.

 

 

 

 

Jeferson Baldo / GVG

Marcelo Mello Rego reforçou que a secretaria dará uma atenção especial à mídia regional, pela importância que representa como canal de prestação de contas ao cidadão. E isto está alinhado com a diretriz do governador Eduardo Pinho Moreira.

 

 

 

 

O novo secretário acrescentou que está preparado para assumir a pasta. “Eu já tive experiências em outros governos, como por exemplo, no do Luiz Henrique da Silveira, tive pessoas que me acompanharam nesta trajetória e me ensinaram muito. E, a partir de hoje, nesta secretaria, quero atender aquilo que o governador está esperando de mim e da minha equipe”

 

 

O discurso na íntegra do secretário pode ser acessado aqui

 

 

Ao lado do secretário, o Núcleo Executivo da Comunicação do Governo de Santa Catarina será formado pela secretária adjunta, Rejane Benvenuto Andrade; pelos coordenadores de comunicação e de gestão, Chico Alves e Soledad Urrutia, que atuarão ligados diretamente ao gabinete do governador; respondendo como diretora de Imprensa, Lúcia Helena Vieira; a jornalista Sabryna Sartott, na Gerência de Serviços de Imprensa, além do executivo de imprensa, Gonzalo Pereira. Neto Barni assume e Gerência de Comunicação Digital. Jornalistas Simone Sartori e Jeferson Baldo também integram a equipe. Na diretoria de divulgação, Paulo Bossle.

 

 

Participaram do evento representantes dos trade de comunicação de Santa Catarina, veículos de imprensa, autoridades, amigos e familiares.

 

 

Núcleo Executivo de Comunicação
Marcelo Mello Rego – Secretário de Estado de Comunicação
Formado em Engenharia, Economia e História, Marcelo Mello Rego foi diretor de Comunicação e Relações Externas da empresa Cia.Hering, sendo responsável por planejamento, implantação e manutenção das estratégias e ações de comunicação e participando de campanhas de promoção de publicidade das empresas têxteis do grupo. Foi secretário de Comunicação Social da prefeitura de Blumenau por duas gestões e membro fundador e diretor do Grupo dos Profissionais de Comunicação e Marketing de Blumenau.

 

 

Como deputado estadual, entre 1990 a 1994, teve destacada atuação, sendo autor da Lei que facilita a instalação de empresas de informática em Santa Catarina. Respondeu pela diretoria de Desenvolvimento Econômico da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Integração ao Mercosul. Na Secretaria de Estado de Comunicação, já foi diretor de Divulgação durante oito anos, nos dois mandatos do governador Luiz Henrique da Silveira.

 

 

Rejane Benvenuto Andrade – Secretária AdjuntaConsultora em comunicação e marketing, Rejane possui quase 30 anos de experiência na área, tendo formação em Comunicação Social e em Gestão do Conhecimento. Trabalhou para veículos de comunicação, agências de propaganda e empresas de comunicação corporativa, com foco em gestão de reputação: riscos, crises e imagem. Integrou a equipe de Comunicação do Governo Paulo Afonso Vieira e foi coordenadora de Divulgação no Governo Luiz Henrique.

 

 

Paulo Bossle – Diretor de DivulgaçãoEspecialista em Marketing Estratégico, com diversos cursos na área, Paulo Bossle foi gerente de contas estratégicas das multinacionais americanas Hewlett-Packard e Computer Associates. Na área pública atuou na Casa Civil como coordenador do Sistema de Gestão Integrada Orientada. Foi Gerente de Mídia da Secretaria de Comunicação de Santa Catarina no período de 2007 a 2011, sendo responsável pela implantação do Sistema de Cadastro de Veículos Reguladores.

 

 

Chico Alves – Coordenador de Comunicação Formado pela PUC do Rio Grande do Sul, Chico começou a carreira na RBS, onde passou pela Zero Hora, ClicRbs, antes de vir para Santa Catarina. Atuou na Central de Notícias Regionais da Associação de Diários do Interior de Santa Catarina (ADI) foi assessor da Fatma, do BRDE, diretor de Imprensa na Assembleia Legislativa, com passagem pela Senado Federal e pela assessoria do PMDB Estadual. Por último, foi assessor da Secretaria Estadual de Administração.

 

 

Soledad Urrutia – Coordenadora de Gestão Jornalista, pós-graduada em gestão pública e empresarial, Soledad atuou como assessora e executiva de imprensa nas Secretarias de Estado de Comunicação, Justiça e Cidadania, Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda e Desenvolvimento Econômico Sustentável. Coordenou a comunicação da Defesa Civil, de 2007 a 2009. Trabalhou como consultora de comunicação em projetos públicos e privados. Nos últimos anos respondeu pela assessoria de comunicação do MDB/SC.

 

 

Lúcia Helena Evangelista Vieira – Diretoria de ImprensaJornalista, especializada em Jornalismo Aplicado, Lúcia Helena é diretora-proprietária da Casa Imagem e consultora de comunicação desde junho de 2012. Atuou como consultora técnica da Secretaria de Estado de Turismo Cultura e Esporte de Santa Catarina, de julho de 2011 a abril de 2014. Foi professora de Marketing Institucional e Comunicação da Fundação Escola de Governo – ENA. Respondeu pela diretora de Comunicação Social da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, de 2005 a 2011. Nesta condição, foi responsável por formular a política de comunicação do Poder Legislativo em todos os níveis.

 

 

Gonzalo Pereira – Executivo de ImprensaGonzalo Pereira é jornalista, graduado em Comunicação Social e pós-graduado em Marketing Estratégico. Como jornalista, já atuou em veículos de comunicação de Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. Coordenou a área de Comunicação Institucional de grandes empresas brasileiras. Professor universitário, lecionou na Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina) e Estácio de Sá.

 

 

Sabryna Sartott – Gerente de Serviço de ImprensaJornalista, graduada também em Designer Gráfico. Sabryna iniciou sua carreira profissional em 2003 no Governo do Estado, como fotógrafa assumindo depois a função de executiva de imprensa na Secretaria de Estado da Comunicação e Gabinete do vice-governador. Tem curso de especialização em Redes Sociais e marketing digital. Atualmente atende às redes sociais do Governador Eduardo Pinho Moreira.

 

 

As aulas têm início previsto para março e os cursos têm duração de 18 a 24 meses

 

 

 

Esta quarta-feira, 28, é o último dia para a inscrição no Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem), destinado a quem quer concluir o ensino fundamental e obter um certificado profissionalizante. São oferecidas 43 mil vagas na modalidade Urbano e 11 mil na modalidade Campo, por meio das secretarias de Educação estaduais e municipais.

 

 

O programa é destinado a jovens de 18 a 29 anos que saibam ler e escrever, mas ainda não concluíram o ensino fundamental.

 

 

Para fazer a inscrição, os interessados devem procurar a Secretaria de Educação estadual ou municipal de sua localidade. O Projovem Urbano tem vagas em 13 estados e 25 municípios, incluindo oito capitais, e No Projovem Campo há vagas em 11 estados e 45 municípios.

 

 

A lista de estados e municípios que vão oferecer vagas pode ser consultada no site do Ministério da Educação.

Prejuízo do proprietário é de mais de uma tonelada e meia de fumo                                           

 

Na manhã desta terça-feira, 27, bombeiros de Major Vieira atenderam a um incêndio em estufa de fumo na localidade de São Sebastião. A estufa de alvenaria tinha aproximadamente 45 metros quadrados e ficava anexo a um barracão com aproximadamente 400 metros quadrados.

 

 

Com a rápida montagem de uma linha de ataque, a guarnição conseguiu evitar que o fogo se alastrasse para o barracão. A estufa foi destruída.

 

 

Segundo o proprietário, de 25 anos, havia dentro da estufa cerca de 1.500 quilos de fumo, sendo que todo o material estocado foi queimado.

 

 

Para o combate às chamas e rescaldo foram utilizado aproximadamente 3.000 litros de água.

Mais quatro jogos estão agendados para domingo, 04, todos válidos pela quarta rodada da competição

 

 

 

Trinta gols foram marcados pela terceira rodada do Campeonato de Futebol Suíço do distrito de São Cristóvão, em Três Barras, durante o domingo, 25.

 

 

Duas goleadas por 6 a 3 chamaram a atenção do público que compareceu ao estádio municipal Luiz Evaristo de Carvalho (Campo do Caic): os responsáveis foram os times do Alto do Mussi sobre a equipe da Baixada e, também, do Unidos do Campo ao vencer o Amigos do Feijão.

 

 

Com os resultados, os dois times assumiram a liderança isolada das chaves D e B, respectivamente, com seis pontos.

 

 

Outras duas partidas completaram a rodada: O Ajax ganhou do Nacional Canoas por 4 a 2, mesmo placar da vitória do Três Barras sobre o Real. Os vencedores somaram os três primeiros pontos pelas chaves C e A, respectivamente.

 

 

O campeonato é uma realização da prefeitura de Três Barras, por intermédio da coordenadoria de Esportes, em parceria com a Liga Esportiva Canoinhense (LEC) e uma empresa local.

 

 

Confira os confrontos agendados para o próximo domingo, 04:

 

– Às 10h30 – Amigos do Futy X Milan (Chave D)

– Às 13h45 – Palmeiras X Bem Amigos (Chave B)

– Às 14h45 – Barcelona X Capão do Erval (Chave C)

– Às 15h45 – Beira Rio X Marra (Chave A)

 

 

Classificação geral

Empresa chegou a ser contratada, mas não cumpriu prazo                                                     

 

Desde o ano passado o Município de Canoinhas trabalha para que novas lombadas sejam instaladas no perímetro urbano. Em 2017, por duas vezes houve tentativa de contratação por meio de processo licitatório, mas sem êxito.

 

 

 

No final do ano uma empresa foi contratada para realizar o serviço ainda no final de janeiro. Por duas vezes a empresa foi notificada, mas não cumpriu os prazos. “Se fosse por nossa vontade própria estas lombadas já teriam sido instaladas, mas precisamos respeitar a legislação que traz estas burocracias”, desabafa a secretária do Planejamento, Vivianne Pailo Collares.

 

 

 

A nova previsão da empresa é que os redutores de velocidade sejam instalados no início do mês de março. A prioridade é a avenida Wendelin Metzger, no acesso ao distrito de Marcílio Dias, onde um acidente vitimou duas pessoas no ano passado e neste domingo, 25, mais um jovem ficou gravemente ferido em acidente envolvendo carro e moto, e novas pavimentações que já foram entregues pelas empreiteiras como a rua Theodoro Humenhuk, no Campo d’Água Verde. A secretaria de Planejamento possui cronograma de instalação elaborado a partir da demanda prevista pelo Departamento de Trânsito do Município (Detracan).

A 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (CNVS) começou nesta terça-feira, 27, e segue até dia 2 de março. O evento visa a construção de uma Política Nacional de Vigilância em Saúde, a manutenção de direitos conquistados e a defesa de um SUS público e de qualidade para todos. Claudio Henrique Mathias, secretário da saúde de Major Vieira, é delegado da região do Planalto Norte, composta por 13 municípios, e está participando do evento.

 

 

 

Entre os palestrantes estão o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Jarbas Barbosa, a procuradora do Ministério Público de Contas do Estado de SP, Élida Graziane, o professor do Departamento de Ciências Farmacêuticas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Norberto Rech, e o ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo.

 

 

O objetivo do evento é construir a Política Nacional de Vigilância em Saúde, que vai nortear as ações do Ministério da Saúde na área. A conferência, organizada pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), está sendo realizado no Centro de Eventos da Ascade, em Brasília.

 

 

METAS

A 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (CNVS), que surgiu a partir dos resultados da 15ª Conferência Nacional de Saúde, realizada em 2015, e em decorrência de diversos debates ocorridos no Conselho Nacional de Saúde (CNS) em torno de variadas agendas, tem como principal objetivo “Propor diretrizes para a formulação da Política Nacional de Vigilância em Saúde e o fortalecimento de ações de Promoção e Proteção à saúde”.

 

 

Aprovada pelo Plenário do Conselho Nacional de Saúde, em sua 284ª Reunião Ordinária, realizada nos dias 18 e 19 de agosto de 2016, por meio da Resolução nº 535, a conferência nacional deverá, entre outras ações, apontar os caminhos para validar o dito popular de que “é melhor prevenir, do que remediar”.

 

 

Entre os desafios, está o estabelecimento de um modelo de atenção à saúde voltado para a redução do risco da doença e de outros agravos, onde a promoção, proteção e prevenção ocupem o mesmo patamar e recebam a mesma importância do que a recuperação e a assistência.

 

 

O tema central da conferência, que orientará as discussões será “Vigilância em Saúde: Direito, Conquista e Defesa de um SUS Público de Qualidade”. De forma coletiva, o objetivo é trabalhar para se fazer cumprir os preceitos básicos: construir uma sociedade livre, justa e solidária, garantir o desenvolvimento nacional, erradicar a pobreza e a marginalização, reduzir as desigualdades sociais e regionais e promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

Apresentações de diferentes vertentes artísticas acontecem em três cidades                                                  

 

 

O projeto Estação Cultural em março leva a 44 cidades catarinenses, incluindo Canoinhas, Mafra e Porto União, sua programação de apresentações artísticas e oficinas. A iniciativa itinerante é promovida pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) em parceria com as prefeituras que receberão as atrações. Em fevereiro, o público de 23 municípios já teve a oportunidade de participar das atividades do Estação Cultural de forma gratuita.

 

 

 

Receberão as atividades do Estação Cultural neste mês as cidades de Agrolândia, Araranguá, Balneário Camboriú, Blumenau, Brusque, Caçador, Canoinhas, Campo Erê, Campos Novos, Capivari de Baixo, Chapecó, Concórdia, Criciúma, Curitibanos, Florianópolis, Fraiburgo, Garopaba, Ibirama, Imbituba, Irani, Ituporanga, Jaraguá do Sul, Joinville, Laguna, Mafra, Maravilha, Palma Sola, Palmitos, Porto União, Rancho Queimado, Rio do Sul, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, São João do Oeste, São Miguel do Oeste, São Pedro de Alcântara, Seara, Taió, Timbó, Treze Tílias, Tubarão, Urubici e Videira.

 

 

 

Em Mafra, nesta quinta-feira, dia 1º, acontece a oficina Preservação e restauro de bens culturais edificados com a arquiteta Jaqueline Rodrigues Braga. O evento acontece na sede da Ampla Norte a partir das 13h30.

 

 

Já em Porto União, no sábado, 3, acontece o concerto Violino e Família. O espetáculo indicado para crianças e adolescentes acontece no Teatro Ópera às 19h.

 

 

Em Canoinhas, o espetáculo O Patinho Feio, o Gato Desgrenhado e as Galinhas Vesgas do Mundo será exibido neste domingo, 4, no Museu de Arte de Canoinhas, às 15h.

 

 

O Estação Cultural deu início às suas atividades com apresentações culturais em dezembro de 2017 em cinco cidades: Garopaba, Ituporanga, Quilombo, São Lourenço do Oeste e Lages. Na etapa atual, que segue até abril, os municípios recebem, também, oficinas com foco em diversos segmentos artísticos como música, literatura, dança, patrimônio, entre outros. Para participar das oficinas, os interessados devem entrar em contato diretamente com o departamento de Cultura de cada município para mais informações.

 

 

A iniciativa da FCC é embrião de uma política pública que visa à democratização do acesso às atividades culturais, com atrações de abrangência estadual. O objetivo da FCC é contribuir para atrair diversos tipos de públicos, valorizando ações que fomentem a reflexão e a discussão dos temas abordados e possibilitando a troca de linguagens artísticas e culturais entre as regiões catarinenses. O Estação é um projeto de circulação, integração e de estímulo à produção cultural catarinense. São mais de 150 projetos selecionados, mobilizando todas as regiões catarinenses, levando as mais variadas formas de expressão artísticas e também de conhecimento, por meio de oficinas.

 

 

“Em fevereiro tivemos grande participação dos catarinenses. O que o projeto busca é a valorização do nosso artista, da sua produção e também a formação de público no Estado”, explica o presidente da FCC, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz.