< dezembro 2017 - JMais | Jornalismo Digital Archive | JMais | Jornalismo Digital

Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Adair Dittrich escreve poema especial em alusão ao fim de ano                                                                                                                                   

 

Mais alguns pedaços arrancados do fundo do baú.

 

 

Para as almas sensíveis em mais um ano que finda.

 

 

Para lembrarmo-nos que nada fenece nas histórias da vida.

 

 

Para emergir dos portais que limitam o concreto onde vivemos com o abstrato que existe, que não vemos, mas que vive dentro de nós porque o sentimos.

 

 

A imagem que sorriu do outro lado da vida…

 

 

Vivi um dia enfim após estas angústias todas. Consegui ser outra vez. E consegui fazer. Lentamente eu fui juntando um a um os meus pedaços todos e reiniciei a caminhada.

 

 

Consegui reencontrar a mescla de poesia na dor dos que eu vejo.

 

 

Consegui enxergar outra vez, através das minhas lágrimas, as lágrimas alheias.

 

 

E vibrei novamente ao ouvir o som velho e amigo de novos seres ainda não amigos.

 

 

E senti outra vez amigos sentados frente a mim, debulhando seu sofrimento e seu penar.

 

 

E envaideci-me olhando-os do alto de minha ternura.

 

 

E sorri para ampará-los. E senti que amparados se sentiram.

 

 

E tudo isto começou no instante solitário em que senti e em que vibrei num sorriso interior que ontem me envolveu.

 

 

Na escuridão tranquila de uma noite azulada, banhada em lua, sem cores resplendentes de artificialismos, sem sons berrantes, sem ruídos eu me aprofundei dentro de mim e revivi com saudade e emoção nossos momentos todos.

 

 

E te vi envolvendo tua mão num beijo enviado já lá de longe. E vi teus olhos úmidos, brilhantes, refletindo a luz de todas as estrelas daquela madrugada.

 

 

E via o teu sorriso enfeitando aquele amanhecer.

 

 

Depois, foste encoberto pela noite onde continuou brilhando o teu sorriso e o teu olhar.

 

 

E a tua voz sonora ficou-me bem lá dentro e ainda a ouço assim acariciante, suave e repousante.

 

 

Não quero deixar esta imagem. Ela ficará comigo nas horas todas que esta vida me reservar.

 

 

Com a certeza de que este intervalo será breve, será curto e sem feridas.

 

 

Com a certeza de que muito logo novamente eu te verei assim e aqui. Cedo, muito cedo estaremos juntos, sorrindo e ampliando os nossos horizontes azuis.

 

             Escrito em 03/01/74

Confira a terceira parte da Retrospectiva 2017 do JMais                                                     

 

 

JMais encerra neste último dia do ano sua Retrospectiva dos principais fatos que marcaram 2017 em Canoinhas e região. Apresentado em forma de galerias de fotos e legendas, publicamos esta revisão do ano em quatro partes (acesse as outras três partes na editoria de Variedades). Trata-se de um apanhado do que marcou o ano de três em três meses.

 

 

Nesta última postagem passamos a limpo os meses de outubro a dezembro. Para obter informações relacionadas às fotos, clique na letra “i”. Boa leitura!

 

OUTUBRO

 

NOVEMBRO

 

DEZEMBRO

Leia as crônicas do professor Ederson Mota                                                                                

 

BALANÇO   

Nada como fazer um balanço da vida ao final de cada ano que finda e pesar as boas e más fases vividas. Um balanço existencial exige encarar a verdade sobre si mesmo, sua conduta, seu desempenho, sua dedicação, sua capacidade de doação e o seu nível de conhecimento, até que ponto a ignorância influenciou suas ações.

 

 

Todos deveriam rever seus conceitos, renovar suas verdades e alimentar seu padrão ético em benefício da sua felicidade e a dos outros que o cercam.

 

 

Alguns chamam isso de exame de consciência, outros de revisão de procedimentos, mas o importante são as mudanças de atitudes que acontecem após essa reflexão.

 

 

Laços familiares são refeitos, relacionamentos e amizades são renovados, troca-se o ar do ambiente, abrindo –se a janela da alma, respira-se um novo tempo, uma nova atmosfera.

 

 

Todos querem viver esse balanço, mas para alguns ele se torna um fardo, um peso a ser carregado, um castigo; são aqueles que vivem atormentados, que se sentem culpados, que vivem recolhidos em si mesmos e estão prestes a explodir.

 

 

E agora? Agora abra o seu coração, veja a vida com outros olhares e desfrute a felicidade de ser humano e existir.

 

 

AGITAÇÃO

É um vai e vem incessante, grupos falantes ruidosos, famílias, crianças, idosos, sorveterias lotadas, lanchonetes ambulantes com filas, um cheiro de comida no ar, e a massa sorridente se desloca pela cidade, contemplando vitrines reluzentes, visitando lojas, além dos veículos, carros, motos, bicicletas trafegando vagarosamente pelas ruas enfeitadas para desfrutar a paisagem.

 

 

Tudo muito iluminado, muito decorado, com a alegria estampada nos rostos de todos os transeuntes que carregam sacolas e pacotes de presentes.

 

 

Vêm algumas perguntas: o que causa essa euforia? A chegada do bom velhinho? O ato de presentear familiares e amigos? A reflexão sobre o que foi realizado em 2017?

 

 

Acredita-se que a atmosfera mágica do natal é uma comprovação clara de que somos humanos, temos sentimentos e que nos guiamos pela solidariedade.

 

 

E agora? Agora é a hora de estender a mão num cumprimento sincero, afinal é Réveillon! Que bom se todos os dias fossem assim!

 

 

O MENINO

Um menino, uma circunstância histórica desfavorável, uma perseguição implacável, uma profecia, um casal, 2017 anos atrás.

 

 

Uma criança predestinada, que revolucionou a humanidade, um ambiente de pobreza, carência, dificuldades e uma lição de sofrimento e humildade ficou.

 

 

Mais uma vez, uma criança mudou um conceito de crueldade dominante para liberdade, justiça e igualdade, afinal, quem nasceu numa estrebaria e repousou sobre uma manjedoura, de repente, visitado por reis trazia consigo a marca da inocência e o perfil celestial.

 

 

Eis o menino, eis o Natal, data da cristandade, com suas tradições e aceitação.

 

 

Nasceu para a glória, para a felicidade, como toda criança, com família digna, respeitosa e cumpridora dos seus deveres, como as famílias das crianças de hoje deveriam ser.

 

 

Um exemplo sem ostentação, sem publicidade, sem a riqueza principesca, sem o manto da vaidade e das aparências.

 

 

E agora? Agora é comemorar o Natal, aprofundando a espiritualidade e o amor ao próximo, seguindo o exemplo de inocência da notável criança do presépio.

 

 

ESTRADAS

Falar sobre estradas, infraestrutura, é sempre tema de debates,versões e demais especulações.

 

 

Falar sobre estradas do interior é assunto severo, incontestável, considerando a importância do fluxo de alimentos e produção agropastoril.

 

 

O grande problema é o estado em que se encontram essas vias indispensáveis à sobrevivência de milhões de pessoas, se permitem trânsito livre ou se detêm obstáculos intransponíveis ao transporte de produtos.

 

 

As comunidades do interior sabem perfeitamente como estão as estradas, interrompidas ou não, lamacentas ou perigosas, sinalizadas ou sem norte definido.

 

 

Algumas apresentam trilhas de alta dificuldade e não condizem com os avanços atuais, outras estão abandonadas à própria sorte, esquecidas pela conservação que deve ser permanente.

 

 

Estradas que impedem o desenvolvimento não são úteis a quem produz e a quem consome, apenas constam de mapas, não se sabe por que existem; e são muitas Brasil afora.

 

 

E agora? Agora é o momento de planejar a recuperação e executá-la sem critérios preferenciais ou outras maneirices.

 

 

 

Os riscos para os animais, segundo especialista, são vários                                            

 

A queima de fogos na virada de ano é tradição em muitas cidades do país. Mas o que é motivo de alegria e deslumbramento entre as pessoas, acaba sendo um momento de desespero para os animais, silvestres e domésticos. É possível, entretanto, criar um ambiente seguro para os animais de estimação, para minimizar os riscos de fuga ou para evitar que eles se machuquem.

 

 

“A nossa capacidade humana de perceber o mundo não é a mesma dos animais. A sensibilidade de audição e visão pode ser mais ou menos apurada para cada espécie. Nós temos uma capacidade de um gradiente de cores muito mais complexo que a maioria dos animais, mas a percepção auditiva deles é mais apurada que a nossa”, disse a médica veterinária Vânia Plaza Nunes, diretora técnica do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal e especialista em comportamento e bem-estar animal.

 

 

Os riscos para os animais, segundo Vânia, são vários. A luz e o brilho dos fogos de artifícios podem causar mais impacto nos animais noturnos por exemplo, como os morcegos e os gatos. “Eles têm uma acuidade visual muito grande, então pouca luz já é suficiente. Então aquilo [fogos] causa pânico, porque foge ao padrão normal a que eles estão acostumados”, explicou.

 

 

Para o olfato, as bombas e fogos também são prejudiciais, pois liberam pólvora e outras substâncias químicas e metais. Mesmo quando os fogos são disparados de balsas no mar, como no Rio de Janeiro, as substâncias se depositam na água, onde também há muitas espécies de animais.

 

 

“Com o som, o problema é mais grave ainda”, disse a especialista, pois eles captam os infrassons e os ultrassons, que não são percebidos pelos humanos. “Os morcegos usam isso para se orientar. Se você solta fogos em área perto de mata, eles vão perder a capacidade de voar, podem cair, entrar na casa das pessoas. Para os cães e gatos aquilo também não faz parte do comportamento normal, eles ficam muito assustados”, explicou Vânia.

 

 

Segundo a médica veterinária, nesses momentos, os animais têm o chamado comportamento de luta e fuga, que é o comportamento instintivo que todos os seres vivos têm para tentar se defender. Ela explicou que, assim como os animais, pessoas com autismo e crianças pequenas também se incomodam com os efeitos dos fogos.

 

 

PREPARANDO O AMBIENTE

Vânia dá dicas que podem ser adotadas para amenizar o estresse e evitar que os animais fujam ou se machuquem. Nas horas mais próximas à virada, para quem ainda tem aves em gaiola, ela orienta a deixá-las em um ambiente fechado e supervisionar os animais. “Deixar água suficiente apenas para beber, mas sem risco de se afogarem caso sofram uma queda”, disse.

 

 

Para cães e gatos não é recomendado administrar calmantes, mas, uma semana antes do Réveillon, eles podem usar florais de Bach, que são extratos naturais que ajudam a acalmar. “E sempre que possível, procurar orientação do veterinário”, disse Vânia.

 

 

Segundo ela, com antecedência, é possível preparar um ambiente confortável para o animal de estimação e, aos poucos, ir acostumando-o com esse ambiente. É importante não deixar objetos que ele possa derrubar e não deixar portas ou janelas abertas, mas evitando que o ambiente fique excessivamente aquecido. Também existem os feromônios de apaziguamento, que podem ser colocados no ambiente para deixá-lo mais harmônico. Essas substâncias podem ser encontradas nas boas casas de produtos veterinários.

 

 

A especialista recomenda ainda colocar uma música ambiente em uma intensidade que vai competir um pouco com o som externo. “E, se possível, a pessoa pode ficar junto, porque a companhia acalma o animal. Mas tomando cuidado para não reforçar o comportamento de medo para o animal”, explicou.

 

 

Existe ainda uma técnica de enfaixar o cachorro, que funciona como um abraço, e pode trazer tranquilidade nos ambientes hostis. Segundo Vânia, a faixa levemente elástica deve passar pelo peito do cão e cruzar e amarrar nas costas.

 

 

MUDANÇA DE COMPORTAMENTO

Para Vânia, as pessoas poderiam abolir os fogos de artifício como forma de diversão. “Talvez usar os recursos de uma forma melhor, empregar o dinheiro para minimizar os danos ambientais e criar outros mecanismos de celebração social”, disse. “Mesmo estando no século 21, continua-se reforçando esse tipo de prática. Está na hora de mudarmos esse marco civilizatório”.

 

 

Segundo a especialista, muitas cidades estão conseguindo avançar em projetos de lei que regulam a comercialização e queima de fogos de artifício, como Campinas, Santos e Sorocaba, todas no interior de São Paulo. “Tem uma minimização, mas não resolve o problema”, disse.

Vítima aponta segurança de casa noturna como autora do disparo                                              

Um homem, que não teve a identidade revelada pela polícia, foi baleado no início da madrugada deste sábado, 30, no centro de Porto União.

 

A vítima alegou que o disparo partiu da arma de uma segurança de um clube noturno. O clube nega a afirmação.

 

Segundo informações da Polícia, a situação ocorreu na rua Gerônimo Coelho, centro de Porto União. A Polícia Militar estava no Hospital São Braz atendendo outra situação, quando um homem chegou baleado acompanhado de sua mulher.

 

Ao ser perguntado sobre o ocorrido, o homem alegou que uma das seguranças de um clube noturno próximo dali, teria efetuado disparo de arma de fogo em sua  direção e de sua acompanhante. Um dos tiros teria acertado de raspão a perna do homem.

O empreendimento gerará 300 novos postos de trabalho diretos                                               

 

O município de Mafra foi o escolhido pelo Condor Super Center para ser a segunda cidade de Santa Catarina a receber um empreendimento da rede. Com um investimento de R$ 40 milhões, o hipermercado terá 12 lojas de apoio e uma praça de alimentação. A inauguração está prevista para meados de 2018. O empreendimento gerará 300 novos postos de trabalho diretos.

 

 

Segundo o presidente do Condor, Pedro Joanir Zonta, Mafra foi escolhida pela proximidade logística e pelo potencial da cidade. “Nossa expansão não para e escolhemos Mafra por vermos o alto grau de desenvolvimento da cidade e uma necessidade da região por um centro de compras completo, que proporcione momentos agradáveis e de lazer aos clientes”, afirma.

 

 

Um dos grandes destaques da nova loja é a criação de uma usina de energia solar, que vai preservar o meio ambiente com a redução de muitas toneladas de CO² e diminui a utilização de energia de fontes não renováveis.Ainda pensando no meio ambiente, a loja contará com um sistema de captação da água da chuva, que será utilizada na irrigação de jardins, descarga de sanitários e limpeza de pisos.

 

 

O Condor tem atualmente 44 lojas, entre super e hipermercados, em 15 cidades do Paraná, localizadas em Curitiba e Região Metropolitana, litoral, Campos Gerais e Norte do estado, e uma em Santa Catarina, na cidade de Joinville, além de uma central de distribuição na capital paranaense.

Mais generoso: Dos R$ 5,750 milhões liberados em emendas impositivas no próximo ano sob indicação do deputado Antonio Aguiar, R$ 1,270 milhão devem vir para Canoinhas

 

 

A cidade de Canoinhas deve receber R$ 1,5 milhão em investimentos por meio de emendas impositivas de deputados estaduais no próximo ano. O deputado canoinhense Antonio Aguiar (PMDB) lidera as indicações com R$ 1,270 milhão em investimentos – R$ 787,5 mil, no entanto, têm de ser divididos com as outras seis cidades que compõem a Agência de Desenvolvimento Regional de Canoinhas (ADR). Além dele, apenas Mauricio Eskudlark (PSD), também canoinhense, encaminhou duas emendas no valor total de R$ 67 mil.

 

 

As emendas impositivas, que somam aproximadamente R$ 200 milhões, têm esse montante reservado pela cota de 1% da receita corrente líquida do Estado. A relação foi incluída junto ao projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) para o ano que vem, aprovado na última sessão deste ano da Assembleia Legislativa, e garante que os deputados indiquem para onde irá essa fatia do dinheiro — desde que 50% de tudo seja voltado à saúde e 25% à educação.

 

 

É a primeira vez que o orçamento catarinense recebe emendas impositivas dos deputados, ou seja, de execução obrigatória. Foram acatadas 1.259 emendas impositivas de origem parlamentar, 93 do Orçamento Regionalizado e 23 do relator, o deputado Marcos Vieira (PSDB). Cada parlamentar titular teve até 35 emendas acatadas, com valor mínimo individual de R$ 100 mil, sem poder ultrapassar a casa dos R$ 5 milhões na soma dos recursos.

 

BELA VISTA DO TOLDO

Em termos de prestígio, tomando como base o tamanho das cidades, Bela Vista do Toldo sai na frente em toda a região. Conseguiu emendas de três deputados, totalizando R$ 1,04 milhão em investimentos. Três Barras, por outro lado, garantiu apenas uma emenda do deputado Narciso Parizotto (PSC) no valor de R$ 240 mil.

 

Porto União foi a cidade que mais pulverizou os investimentos, com emendas de sete deputados.

 

ACOMPANHE AS EMENDAS PARA A REGIÃO

CANOINHAS
DEPUTADO ANTONIO AGUIAR (PMDB)
Infraestrutura na área de abrangência da ADR Canoinhas R$ 787,5 mil
Secretaria de Saúde R$ 300 mil
Compra de ambulância R$ 150 mil
DEPUTADO MAURÍCIO ESKUDLARK (PSD)
Compra de veículos para transporte de alunos R$ 42 mil
Compra de equipamentos para área da saúde R$ 25 mil
EMENDA ACATADA PELO RELATOR COMO PRIORIDADE DO ORÇAMENTO REGIONALIZADO
Reabilitação da SC-477, entre Canoinhas e Major Vieira R$ 100 mil
Construção do centro cirúrgico do Hospital Santa Cruz R$ 100 mil
TOTAL R$ 1,5 milhão

 

BELA VISTA DO TOLDO
DEPUTADO ANTONIO AGUIAR (PMDB)
Recuperação e melhoria da malha viária R$ 100 mil
Van para a Saúde R$ 120 mil
DARCI DE MATOS (PSD)
Manutenção e conservação de estradas vicinais R$ 250 mil
construção e compra de equipamentos para rede municipal de ensino R$ 170 mil
Aquisição de Uniformes escolares R$ 300 mil
LEONEL PAVAN (PSDB)
Carro para a Saúde R$ 100 mil
TOTAL R$ 1,04 milhão

 

TRÊS BARRAS
NARCISO PARIZOTTO (PSC)
Duas vans para a Saúde R$ 240 mil
TOTAL R$ 240 mil

 

 

MAJOR VIEIRA  
DEPUTADO ANTONIO AGUIAR (PMDB)
Apae R$ 100 mil
JEAN KUHLMANN (PSD)
Veículos para a Saúde R$ 100 mil
NARCISO PARIZOTTO (PSC)
Veículos para a Saúde R$ 100 mil
PATRÍCIO DESTRO (PSB)
Ambulância R$ 150 mil
TOTAL R$ 450 mil

 

 

PORTO UNIÃO
CARLOS CHIODINI (PMDB)
Veículo para a Sec. De Esportes R$ 130 mil
Academia de Saúde sem valor
GABRIEL RIBEIRO (PSD)
Aquisição de dois veículos para a saúde R$ 160 mil
LEONEL PAVAN (PSDB)
Viatura policial R$ 50 mil
Veículos para a Saúde R$ 75 mil
MAURÍCIO ESKUDLARK (PSD)
Ambulância R$ 80 mil
MILTON HOBUS (PSD)
Carro para a Sec de Meio Ambiente R$ 100 mil
NARCISO PARIZOTTO (PSC)
Carro para a Sec de Meio Ambiente R$ 100 mil
VALDIR COBALCHINI (PMDB)
Ônibus para a Saúde R$ 200 mil
EMENDA ACATADA PELO RELATOR COMO PRIORIDADE DO ORÇAMENTO REGIONALIZADO
Reabilitação da SC-135 entre Porto União e Matos Costa R$ 100 mil
TOTAL R$ 995 mil

 

 

 

MAFRA  
DR VICENTE (PSDB)
Aquisição de um veiculo para o Lar Nossa Senhora de Anunciação R$ 170 mil
GABRIEL RIBEIRO (PSD)
Carros para a Saúde sem valor
JOÃO AMIN (PP)
Carros para a Saúde sem valor
PATRÍCIO DESTRO (PSB)
equipamentos hospitalares para o Hospital São Vicente de Paulo R$ 150 mil
SILVIO DREVECK (PP)
Reforma da UTI Neonatal Catarina Kuss sem valor
EMENDA ACATADA PELO RELATOR COMO PRIORIDADE DO ORÇAMENTO REGIONALIZADO
Ampliação e readequação da Maternidade Catarina Kuss R$ 100 mil
TOTAL R$ 420 mil

30 de dezembro de 2017

 

Diário Catarinense (fim de semana e segunda, dia 1º)

Reservado 2018

 

__________________________________________

O Globo

 

Manchete : Pezão pretende zerar o rombo e prevê tomar mais medidas amargas

Governador prepara mudanças na segurança e nas regras de aposentadoria

Ao GLOBO, sucessor de Cabral diz que quer forças policiais por mais tempo na ativa e planeja juntar UPPs com batalhões

“As pessoas saem com 48 anos, tem que ter tempo de permanência maior (na ativa)”

“Não vou minimizar a corrupção, mas ela não é a causa dos problemas do Estado do Rio”

“Vou procurar emprego, tenho que me aposentar com 65 anos de idade, tenho 62”

Às vésperas de iniciar seu último ano como governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB) diz que vai “lutar muito para reduzir a zero” o déficit fiscal do estado, que está em R$ 10 bilhões. Pezão reconheceu, em entrevista ao GLOBO, que adotará medidas amargas. Segundo ele, é necessário aumentar o tempo de permanência dos servidores na ativa, especialmente os das forças de segurança: “mais um pouco, 7, 8 anos”. O governador anunciou que a tropa de choque da PM e o Bope reforçarão o policiamento em comunidades onde o tráfico é forte, como Rocinha, Alemão e Maré, e elogiou a atuação das Forças Armadas. Ex-vice e sucessor de Sérgio Cabral, ele declarou que está muito amargurado e que a corrupção não influiu na crise. (PÁGINAS 10 e 11)

 

 

Cármen segue com Lava-Jato no recesso

Ministra autoriza inquéritos

A presidente do STF, Cármen Lúcia, autorizou a continuidade de investigações em quatro inquéritos contra autoridades, no recesso. Entre eles, há casos da Lava-Jato, que ficariam parados dois meses. A liminar que suspendeu o indulto será analisada pelo plenário do STF em fevereiro. Até lá, valem as regras antigas. (PÁGINAS 3 e 4)

 

 

Regra mais rígida para trabalho escravo

Após quase três meses de polêmica, o governo recuou e endureceu as regras de fiscalização do trabalho escravo. A decisão revoga portaria publicada em outubro, alvo de críticas no país e no exterior, que quase inviabilizava o combate à prática. (PÁGINA 19)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

 

Manchete : Congresso isenta empresas e governos perdem R$ 9 bi

Em novembro, deputados e senadores derrubaram veto do presidente Michel Temer em lei sobre incentivos fiscais

Uma falha da articulação política do governo fará com que União, Estados e municípios percam R$ 9,3 bilhões em arrecadação de tributos em 2018. Em novembro, deputados e senadores derrubaram veto do presidente Michel Temer na lei que validou incentivos fiscais estaduais concedidos a empresas por meio do ICMS. Sem alarde, o Congresso concedeu abatimento na cobrança de tributos federais sobre esses incentivos, apesar dos alertas em contrário feitos por técnicos do Ministério da Fazenda. Como consequência direta, haverá impacto na arrecadação não previsto no Orçamento e que terá de ser compensado com outras medidas, segundo fonte da área econômica. Com o objetivo de impedir perda de arrecadação, o presidente Temer havia vetado o trecho da lei que equiparava o benefício fiscal dado pelos Estados a um incentivo para investimento. Com esse tratamento diferenciado, as empresas pagam menos tributos, inclusive Imposto de Renda – que é compartilhado pela União com Estados e municípios. (ECONOMIA / PÁG. B1)

 

 

Coluna do Estadão

DEM e PPS estão em pé de guerra com o governo porque, em tempo de contenção de despesas, o Banco do Brasil liberou R$ 600 milhões para o governo da Bahia, do PT. (POLÍTICA / PÁG. A4)

 

 

Planalto desiste de novo decreto sobre indulto

O governo desistiu de publicar novo decreto de indulto natalino depois que a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, derrubou trechos do texto. O ministro Torquato Jardim (Justiça) afirmou que o governo aguardará o julgamento final da Corte. Com isso, vale a publicação de 21 de dezembro com as regras do perdão de penas, excluídos três artigos e dois incisos vetados por Cármen. A avaliação era de que esses trechos poderiam estender o benefício a condenados por crimes como corrupção. (POLÍTICA / PÁG. A4)

 

 

Governo recua e endurece norma contra trabalho escravo

Nova portaria sobre trabalho escravo editada pelo governo torna mais rigorosos os conceitos de jornada exaustiva e de condição degradante de trabalho. A norma elimina a exigência de autorização do ministro do Trabalho para divulgação da “lista suja”, determinação que, na portaria anterior, de outubro, esvaziava o poder da área técnica. A necessidade da realização de um boletim de ocorrência pela autoridade policial participante da fiscalização também foi descartada. (ECONOMIA / PÁG. B4)

 

 

Desemprego cai para 12%, menor nível do ano

O desemprego caiu para 12%, chegando ao menor nível do ano, mas ainda acima do registrado em 2016. No trimestre encerrado em novembro, a taxa ficou em 12% ante 12,2% dos três meses encerrados em outubro, segundo o IBGE. O total de desempregados ficou em 12,6 milhões de pessoas. (ECONOMIA / PÁG. B3)

 

 

Temer decide enviar 2 mil militares ao RN

O presidente Michel Temer autorizou o envio de 2 mil homens das Forças Armadas para o Rio Grande do Norte, em operação de Garantia da Lei e da Ordem. Policiais militares e civis do Estado estão com parte das atividades paralisadas em protesto contra o atraso no pagamento de salários. (METRÓPOLE / PÁG. A9)

 

 

Brasileiro vira preso político na Venezuela (INTERNACIONAL / PÁG. A7)

 

Violência vai do presídio para as ruas

Divaneide de Jesus Feitosa com os pertences do filho Joniarlison, morto em guerra de facções em presídio do Amazonas: um ano após rebeliões que deixaram 119 mortos em Manaus (AM), Boa Vista (RR) e Natal (RN), a superlotação e as condições precárias persistem nas prisões e a violência se espalhou pelas ruas, informa o enviado Marco Antônio Carvalho. (METRÓPOLE / PÁG. A8)

 

 

Receita cobra clubes paulistas

A Receita Federal exige dos times paulistas o pagamento de tributos de anos anteriores que podem ultrapassar R$ 100 milhões. Os clubes alegam que a cobrança é indevida. (PÁG. A10)

 

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

 

Manchete : Doria tem 53% de suas promessas travadas

Maioria dos compromissos do prefeito de SP está longe de ser implementada

Das 118 promessas feitas pelo prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), antes do início da sua gestão, mais da metade está longe de ser implementada. Do total, 9% foram concluídas. Outras 38% estão em andamento, 25%, em ritmo lento de execução e 28%, paradas. Entre os compromissos concluídos está o fim de uma fila de 485,3 mil exames represados havia anos na rede municipal. A Secretaria de Saúde finalizou a tarefa no primeiro trimestre. Já as reformas de Unidades Básicas de Saúde estão em andamento. Segundo a prefeitura, 14 dessas obras foram retomadas neste ano. A meta de construir 30 piscinões foi classificada como em ritmo lento. Em 2017, dois reservatórios foram inaugurados na cidade. A prefeitura desistiu das faixas exclusivas para motos e manteve paralisadas obras dos CEUs (Centros Educacionais Unificados). Essas promessas foram consideradas paradas. Doria finaliza o primeiro dos quatro anos de mandato com alta em sua reprovação. Segundo pesquisa Datafolha de novembro, 39% consideram a gestão tucana ruim ou péssima — em fevereiro, eram 13%. O governo registrou 29% de ótimo ou bom e 31% de regular. (Cotidiano b1)

 

 

Delatores da Odebrecht não explicam 600 codinomes

Depoimentos e documentos da delação da Odebrecht deixaram de explicar cerca de 600 codinomes dados a destinatários de propinas e repasses ilegais registrados nas planilhas do setor de operações ilícitas da empreiteira, mostra levantamento feito pela Folha. Somente os 20 maiores beneficiários sem identificação teriam recebido mais de R$ 100 milhões. Há ainda outra lacuna: uma planilha intitulada “tradução”, com apelidos vinculados a nomes de políticos, mas sem informações sobre repasses ligados a eles. (Poder a4)

 

 

Governo recua e endurece as regras sobre trabalho escravo (Mercado a11)

 

Emprego com carteira cai ao menor nível em cinco anos

O número de empregos com carteira assinada atingiu, em novembro, o menor nível dos últimos cinco anos, aponta pesquisa do IBGE. Desde abril de 2015, cerca de 3 milhões de postos formais foram perdidos — o equivalente à população do Uruguai. (Mercado a11)

 

 

Salário mínimo é reajustado e passa a R$ 954 a partir de segunda (1º). (a11)

 

 

Cientistas de EUA e Brasil produzem na soja substância que neutraliza o HIV (b10)

Preste atenção nas dicas da Polícia Militar Ambiental                                                                     

 

Com as festas de fim de ano vêm também as queimas de fogos de artifícios. O ritual exige cuidados para quem vai manusear ou presenciar os fogos  e com os animais de estimação, que podem ter ataques de pânico com a luminosidade e o barulho.

 

 

Para as festas, o subcomandante operacional da Polícia Militar Ambiental de Florianópolis, major Marledo Egídio Costa, recomenda que os fogos sejam disparados em locais abertos e sem qualquer tipo de obstáculo. “É prudente evitar centros urbanos com edifícios, locais que tenham fios de alta tensão, que podem de alguma maneira causar qualquer transtorno à vida da sociedade naquele momento”.

 

 

Nas praias, locais mais comuns das festividades, também devem ser tomados cuidados com o fluxo de pessoas. Os fogos normalmente são soltos por barcas em alto mar, mas podem ser comprados explosivos mais fracos em várias lojas do comércio. Caso a pessoa queira disparar um desses, deve ser feito em um ambiente que não tenha aglomerados e que estejam a uma distância segura do artefato. “Deve estar bem direcionado para que não atinja grupos de pessoas e a qualquer tipo de local que possa causar um prejuízo maior”, afirma o major Marledo.

 

 

Os animais de estimação são os que mais sofrem com a queima de fogos, a grande luminosidade e os barulhos estrondosos podem causar pânico. Muito ficam com  tremedeiras, choram e podem fugir de casa, procurando um lugar mais seguro, caso estejam próximos do foguetório. Nesse caso, o major recomenda que as pessoas coloquem os animais em um ambiente fechado, onde ele se sinta seguro.

 

Se não for possível achar um lugar isolado para o animal, dá para protegê-lo com chumaços de algodão. Um dos principais fatores que causam o medo neles é a audição sensível, colocar pequenos pedaços de algodão alivia o barulho e não machuca os animais. Também é recomendado o uso de sedativos para casos mais sérios, mas deve ser feito sob supervisão de um veterinário.

 

Caso estejam em casa com seu animal e ele tenha ataques de pânico, a recomendação da Polícia Militar Ambiental é de confortá-lo em um lugar que ele não seja afetado pela luminosidade e o barulho e nunca deixar o animal sozinho durante esses momentos.

Confira a terceira parte da Retrospectiva 2017 do JMais                                                     

 

 

JMais continua com sua Retrospectiva dos principais fatos que marcaram o ano em Canoinhas e região. Apresentado em forma de galerias de fotos e legendas, publicaremos diariamente, até este domingo, 31, um apanhado do que marcou o ano de três em três meses. A cada dia um trimestre. Nesta terceira postagem passamos a limpo os meses de julho a setembro. Para obter informações relacionadas às fotos, clique na letra “i”. Boa leitura!

 

JULHO

 

 

AGOSTO

 

SETEMBRO