< setembro 2017 - JMais | Jornalismo Digital Archive | JMais | Jornalismo Digital

Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Confira o que foi destaque no JMais

 

Obra da BR-280 é inaugurada

 

Agência em Canoinhas deve processar sangue coletado em toda a região

 

PM prende traficante no Campo d’Água Verde

 

Sob PRF, apreensões de cigarro falso vão a zero de Porto União a Canoinhas

 

Homem é executado a tiros em São Mateus do Sul

 

Bombeiros e Samu terão atendimento pré-hospitalar integrado no Estado

 

Dupla tenta matar desafeto com faca e facão

 

Homem atira contra a própria TV e aparelho de som em Canoinhas

 

Pelo WhatsApp, casal tenta vender motosserra furtada

 

PRF apreende cerca de 20 mil maços de cigarros em Mafra

 

Canoinhas ganha cozinha comunitária

 

WestRock realiza audiência pública sobre possível expansão

 

STF autoriza ensino religioso confessional nas escolas públicas

 

Mestrado da UnC conquista conceito 4 da Capes

 

Petrobras aumenta gás de cozinha em 6,9%

 

Leilão da empresa Fuck não tem lance positivo

 

 

 

 

 

 

Comunicador fez sucesso nos anos 1970 e 1980

 

“Quem não se comunica se trumbica!”, já diria Abelardo Barbosa, o saudoso Chacrinha. Conhecido como o Velho Guerreiro, graças à homenagem feita por Gilberto Gil na canção Aquele Abraço, o apresentador começou a ficar conhecido com um programa de músicas de Carnaval que lançou em 1943 na Rádio Fluminense: Rei Momo na Chacrinha, de onde veio a alcunha que o tornaria conhecido em todo o país.

 

 

Neste sábado, 30, cem anos após o seu nascimento, a Agência Brasil resgatou duas entrevistas feitas pelo jornalista e radialista Hilton Abi-Rihan, encontradas no acervo da Rádio Nacional do Rio de Janeiro.

 

 

> Confira o especial preparado pela Agência Brasil para a data

 

 

Nos áudios, um Abelardo Barbosa que foge à imagem alegre e brincalhona que marcaram o personagem no rádio e na televisão. Em 1980, um Chacrinha irritado solta um palavrão e deixa o estúdio durante um programa que discutia o jabá. No segundo momento, num especial de carnaval gravado em 1984, ele fala sobre um problema de saúde que o afetava na época: a depressão.

 

 

Mesmo nessas situações, é possível reconhecer a figura do Chacrinha como o ícone de humor perspicaz que se tornou conhecido país afora e foi considerado o maior comunicador do Brasil. Outros momentos de sua trajetória são lembrados na entrevista com Denilson Monteiro, autor de “Chacrinha, uma biografia”. Chacrinha faleceu em 30 de junho de 1988 de infarto do miocárdio e insuficiência respiratória em decorrência de um câncer de pulmão.

Segundo o diretor-presidente da Aneel, Romeu Rufino, a decisão foi tomada devido à baixa vazão das hidrelétricas

 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou nesta sexta-feira, 29, que a bandeira tarifária das contas de luz em outubro será a vermelha patamar 2. A tarifa é a mais cara do modelo e representa a cobrança de taxa extra de R$ 3,50 a cada 100 Quilowatt-hora (kWh) consumidos. Em setembro, a bandeira tarifária das contas de luz foi a amarela, com taxa extra de R$ 2 para cada 100 kWh de energia consumidos.

 

Segundo o diretor-presidente da Aneel, Romeu Rufino, a decisão foi tomada devido à baixa vazão das hidrelétricas, porque as chuvas em setembro ficaram abaixo da média. “Em função do regime hidrológico muito crítico, este setembro foi o pior mês de setembro, do ponto de vista da vazão, da série histórica do setor elétrico”.  Apesar do alerta, Rufino disse que não há risco para o abastecimento de eletricidade.

 

 

Desde que a bandeira vermelha passou a ter dois patamares, 1 e 2, em janeiro de 2016, esta é a primeira vez que o nível mais alto é acionado. A tarifa extra mais alta se deve à necessidade de operar mais usinas térmicas, cujo custo de produção da energia é mais alto que a da produzida nas hidrelétricas.

 

 

Na semana passada, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), ligado ao Ministério de Minas e Energia, havia decidido não acionar as usinas termelétricas mais caras, o chamado “despacho fora da ordem de mérito” mas aprovou, se necessário, o aumento da importação de energia elétrica da Argentina e do Uruguai “na medida em que for possível”.

 

 

Na reunião, o CMSE também decidiu retomar a operação de três usinas termelétricas que estão paradas. Segundo o comitê, as usinas de Araucária, Cuiabá e Termonorte II “são capazes de produzir energia a preços mais competitivos se comparados com os de outras usinas térmicas.”

 

 

ECONOMIA

Além disso, a Aneel também realizará uma campanha de conscientização do uso da energia elétrica. Entre as recomendações que a agência fará, estão a de usar a temperatura morna do chuveiro e tomar banhos mais curtos, de até cinco minutos; diminuir ao máximo a utilização de ar-condicionado e não deixar portas e janelas abertas em ambientes com o equipamento; não colocar alimentos quentes e deixar a porta da geladeira aberta apenas o tempo que for necessário; e utilizar iluminação natural ou lâmpadas econômicas, além de apagar a luz ao sair de um cômodo.

A produção de lanches iniciará com a média de 250 refeições por dia                                      

 

Fome. O que ela significa pra você? A maioria da população canoinhense sente “fome”somente antes das refeições, mas infelizmente há pessoas que passam fome todos os dias. Há pessoas que possuem alimentação precária.

 

 

É justamente para assegurar alimentação de qualidade que o Governo Municipal de Canoinhas inaugurou nesta sexta-feira, 29, a cozinha comunitária. A produção de lanches iniciará com a média de 250 refeições por dia, ultrapassando a meta proposta pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário que institui o mínimo de 100 refeições/lanches ao dia. “Desta forma estamos garantindo a esse público o direito humano à alimentação adequada”, explica o prefeito Beto Passos. Os alimentos serão produzidos na cozinha e servidos nos CRAS.

 

 

A cozinha inicialmente vai atender usuários dos Centros de Referência Assistência Social – CRAS I, II e III. Segundo a secretária de Assistência Social, Cintia Aguiar, são famílias em situação de risco e vulnerabilidade social que participam dos grupos e oficinas do serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF).

 

 

O equipamento, com área construída de 269,59 m², foi construído por meio de convênio formalizado entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) e o Município. Estão sendo investidos aproximadamente R$482 mil.A responsável pela Segurança Alimentar e Nutricional de Canoinhas, Jéssica de Jesus Vieira, lembrou que Canoinhas torna-se Município modelo nesta área com a abertura da cozinha. “É um grande avanço na política pública alimentar”, destaca.

 

 

 

INAUGURAÇÃO

A inauguração foi acompanhada por autoridades civis, militares, secretários e gestores municipais, vereadores, equipe da Secretaria de Assistência Social e comunidade. “Que esta casa atenda exatamente àqueles que precisam”, disse o presidente da Câmara de Vereadores, Wilmar Sudoski.

 

 

A unidade estava pronta desde o ano passado, mas não tinha sido aberta. “Foi graças ao trabalho de várias pessoas que conseguimos abrir as portas. Não adianta fazer obra

A rodovia recebeu obras de drenagem, de sinalização e melhorias para a segurança de veículos e pedestres

 

Responsável pela articulação do recurso usado nas obras no trecho urbano da BR-280, deputado federal Jorginho Mello aproveitou a vinda para Canoinhas e inaugurou na manhã desta sexta-feira, 29, as melhorias que a rodovia recebeu. Ato simples, realizado no trevo de acesso a Canoinhas, contou com a presença do prefeito, Beto Passos, do vice, Renato Pike, de secretários e gestores municipais, vereadores e do deputado estadual Antônio Aguiar.

 

 

“O senhor prontamente atendeu ao nosso pedido, cumpriu o que prometeu e hoje, meses depois daquela reunião realizada na prefeitura com a comunidade, estamos inaugurando a obra mostrando que o senhor é um homem de palavra”, destacou o vice-prefeito Renato Pike.

 

 

A rodovia recebeu obras de drenagem (para solucionar problema de alagamento), de sinalização e melhorias para a segurança de veículos e pedestres. A ponte do rio Água Verde ganhou passarelas para os pedestres. “Esta obra não veio para dar comodidade, mas segurança”, ressaltou Pike.

 

 

O superintendente do DNIT de Santa Catarina, Ronaldo Carioni Barbosa, também falou sobre a segurança que a via passou a oferecer com as modificações: “é uma vitória entregar esta obra. Já perdi uma irmã vítima de acidente e sei o quanto é importante uma obra para nos trazer segurança”. Em sua fala, deputado Antônio Aguiar agradeceu o empenho de todos. “A entrega de uma obra destas é como um agradecimento pelos votos que recebemos”.

 

 

Reunião realizada em março na prefeitura com moradores do bairro Água Verde foi lembrada pelo deputado Jorginho Mello. “A sala tinha mais gente do que temos hoje aqui, mas não espero agradecimento porque política não se faz em troca de recompensa”. Mello disse que vai verificar a possibilidade da construção de marginais neste trecho. “Por enquanto a possibilidade é zero, mas se há o desejo e se vai trazer segurança, temos que trabalhar para isso”.

 

 

As obras entregues ao longo deste mês foram enumeradas pelo prefeito, Beto Passos, durante o ato. “Todas elas vão trazer qualidade de vida a nossa população. O ginásio vai afastar os jovens de caminhos ruins, o Creas vai garantir direitos e as pavimentações vem para dar segurança”, comentou. Emocionado, o prefeito desabafou: “se esta obra tivesse sido feita há alguns anos não veria uma das mais tristes cenas que já vi em minha vida; uma mãe enterrando o seu filho”.

 

 

 

O documento detalha todas as receitas e as despesas do Estado no ano

 

O Governo do Estado encaminha nesta sexta-feira, 29, para a Assembleia Legislativa de Santa Catarina o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2018. O documento, elaborado sob a coordenação da Secretaria de Estado da Fazenda, detalha todas as receitas e as despesas do Estado no ano. As receitas orçamentárias estimadas na LOA 2018 somam R$ 26,429 bilhões.

 

>>> O documento pode ser acesso neste link

 

O valor corresponde a um crescimento de 2,5% em relação ao orçamento de 2017.  As receitas correntes, provenientes em grande parte de impostos, foram projetadas considerando um crescimento de 4,4%. Por outro lado, a projeção das receitas de capital, provenientes de operações de crédito, considerou um decréscimo de 66,0%.

 

 

“O princípio do equilíbrio orçamentário estabelece que a projeção da receita seja igual às despesas fixadas. Isso quer dizer que não podemos gastar mais do que os recursos disponíveis, o que nos obrigada a estabelecer prioridades”, explica Romualdo Goulart, diretor de Planejamento Orçamentário da Fazenda.

 

 

A Previdência Social dos servidores públicos continuará sendo a maior despesa do Governo do Estado em 2018, totalizando R$ 5,9 bilhões. Na sequência, vêm as áreas de Educação – R$ 4,37 bilhões (25,02% da Receita Líquida de Impostos), Saúde – R$ 3,54 bilhões (14,01% da RLI) e Segurança Pública – R$ 2,44 bilhões (9,23% da RLI).

 

 

Além do Executivo, a LOA inclui a previsão de repasse de recursos para o Poder Judiciário (R$ 2,2 bilhões), Poder Legislativo (Alesc e Tribunal de Contas do Estado – R$ 790,9 milhões), Ministério Público (R$ 711 milhões) e Universidade do Estado de Santa Catarina (435,6 milhões).

 

 

TRÂMITES

O Orçamento é elaborado pelos três poderes (Executivo, Judiciário e Legislativo) e consolidado pelo Poder Executivo. A LOA é apreciada pelo Poder Legislativo, que pode alterá-la por meio de emendas.  A votação da LOA deve ser feita até o último dia parlamentar do exercício do ano anterior à sua execução.

Orçamento do Estado – Tipo de despesas/Em que se gasta?

Pessoal e Encargos Sociais          59,7%

Outras Despesas Correntes       31,7%

Investimentos                                 4,7%

 

Orçamento do Estado – Funções de despesas/Para que se gasta?

Previdência Social           22,51%

Educação                            16,57% (25,01% da RLI)

Saúde                                  13,39% (14,01% da RLI)

Segurança Pública           9,23%

Direito da Cidadania       3,49%

Transporte                         2,51%

Agricultura                         2,41%

Assistência Social            1,06%

 

Comparativo das receitas entre os orçamentos de 2017 e 2018, segundo a categoria econômica e origem dos recursos

ESPECIFICAÇÃO                           2.017                     2.018  %
1 – Receitas Correntes 23.048.529.219 24.065.565.452 4,4%
Outras Receitas Correntes 514.920.425 374.750.754 -27,2%
Receita Agropecuária 1.095.733 1.098.700 0,3%
Receita de Contribuições 881.055.705 1.009.139.516 14,5%
Receita de Serviços 675.846.814 803.716.551 18,9%
Receita Industrial 3.676.899 33.906 -99,1%
Receita Patrimonial 860.016.517 560.683.339 -34,8%
Receitas Tributárias 14.653.072.737 16.130.044.607 10,1%
Transferências Correntes 5.458.844.389 5.186.098.079 -5,0%
2 – Receitas de Capital 1.392.144.649 473.694.518 -66,0%
Alienação de Bens 49.765.221 57.229.491 15,0%
Amortização de Empréstimos 12.078.000 30.148.538 149,6%
Operações de Crédito 1.248.932.434 350.318.593 -72,0%
Transferências de Capital 51.368.994 35.997.896 -29,9%
Outras Receitas de Capital 30.000.000 0 -100,0%
3 – Receitas Intraorçamentárias Correntes 1.343.477.477 1.884.152.161 40,2%
4 – Receitas Intraorçamentárias de Capital 6.000.000 6.000.000 0,0%
Total 25.790.151.345 26.429.412.131 2,5%
Receita Líquida Disponível (*) 15.110.000.000 16.050.000.000 7,93

Inclui fonte 100, 161 e 162

O prefeito de Major Vieira, Orildo Antonio Severgnini (PMDB), recebeu em seu gabinete na tarde desta terça-feira, 26, a entrega de uma emenda parlamentar através do deputado federal Celso Maldaner (PMDB), no valor de R$ 300 mil.

 

A entrega da emenda foi feita através os representantes de Maldaner, Edemilson Zilli e Valci Dal Maso.

 

O valor é destinado à compra de equipamentos para o Hospital Municipal São Lucas e à Unidade de Saúde Central do município.

 

 

Relação de produtos que serão adquiridos:

Ventilador pulmonar;

Oxímetro;

Aspirador móvel;

Foco clínico de teto;

Bomba de infusão;

Amnioscópio;

Cardioversor bifásico;

Balde pedal;

Freezer;

Escada sete degraus;

Geladeira;

Espaldar em madeira (Aparelho para fisioterapia);

Lavadora de roupas;

Ar-condicionado;impresssora;

Cama Hospitalar elétrica;

Escada com dosi degraus;

Mesa para refeição;

“Carro” Maca simples;

“Carro” emergência;

“Carro” curativos;

“Carr” térmico;

Banho Maria;

Suporte para soro.

Ainda nesta sexta-feira, suposto usuário foi flagrado no mesmo distrito

 

Um jovem com 22 anos de idade foi autuado por portar uma pedra de crack nesta sexta-feira, 29, na rua Valdomiro Olsen, distrito do Campo d’Água Verde, em Canoinhas.

 

 

Ele estava em um Gol em atitude suspeita. Durante revista veicular PMs localizaram dentro do carro a pedra de crack. O motorista do carro relatou que trocou a droga por uma televisão com um homem que já é conhecido da PM pela prática de venda de drogas. Diante dos fatos a substância foi apreendida e o homem vai responder boletim termo circunstanciado.

 

 

 

SEGUNDA ETAPA

Ainda na manhã desta sexta-feira, 29, policiais militares receberam a denúncia de que um jovem estava trocando objetos de sua casa por drogas.

 

 

O local onde ele estava fazendo a troca fica na rua Francisco de Assis Costa, distrito do Campo d’Água Verde. Chegando no local, os PMs abordaram o condutor de um veículo VW Gol que confirmou ter trocado um aparelho de televisão por três gramas de crack.

 

 

Na casa do suspeito foram localizadas duas “buchas” de maconha, em cima do forro do quarto e uma bucha de substância desconhecida embaixo do assoalho, junto de uma lata contendo pó de café e com plástico na tampa, comumente usado para disfarçar o cheiro da droga. Também foram localizados alguns objetos trocados pelo jovem como um televisor 21 polegadas, botijão de gás, aparelho DVD, serra tico-tico, ferro elétrico, entre outros. Diante dos fatos o homem foi preso em flagrante e conduzido para a Delegacia.

Horário vale para o comércio em geral, com exceção dos supermercados                

 

A Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) divulgou nesta semana o horário especial do comércio para o mês de dezembro, considerando as festas de fim de ano.

 

Entre 1º de dezembro de 2017 e 1º de janeiro de 2018, as empresas da categoria do comércio varejista em geral ficam autorizadas a prorrogar o horário de trabalho de seus empregados.

 

O horário máximo a ser respeitado é o seguinte:

DATA DIA DA SEMANA HORÁRIO
1º a 2 de dezembro Sexta e sábado Normal
3 de dezembro Domingo Fechado
4 a 8 de dezembro Segunda a sexta Normal
9 de dezembro Sábado Das 8h30 às 16h
10 de dezembro Domingo Fechado
11 a 15 de dezembro Segunda a sexta Das 8h30 às 20h
16 de dezembro Sábado Das 8h30 às 16h
17 de dezembro Domingo Das 16 às 22h
18 a 22 de dezembro Segunda a sexta Das 8h30 às 22h
23 de dezembro Sábado Das 8h30 às 22h
24 de dezembro Domingo Das 8h30 às 15h
26 a 29 de dezembro Terça a sexta Normal
30 de dezembro Sábado Das 8h30 às 16h
31 de dezembro Domingo Fechado
1º de janeiro/18 Segunda Fechado

2 de janeiro o atendimento começa às 13h

*Fechado no dia 25/12

 


MERCADOS

Este horário não se aplica aos supermercados, mercados e minimercados, que poderão abrir as portas, com o uso da mão de obra de seus empregados conforme lei recentemente editada pelo Governo Federal.

Reinaldo de Lima Jr deve ser candidato concorrendo com a atual reitora da instituição                                      

 

O Ministério Público de Santa Catarina endossou recentemente a decisão do Conselho Universitário (Consun) da Universidade do Contestado (UnC) de autorizar a atual reitora Solange Sprandel da Silva a concorrer a reeleição. Apesar de ter manobrado nos bastidores para que o Consun tomasse tal decisão, Solange não confirma a candidatura.

 

O processo eleitoral ainda não foi deflagrado, mas já suscita movimentação de oposição. Professor da UnC e contador, Reinaldo de Lima Junior já declarou pré-candidatura. Quer representar o campus de Canoinhas, mas trabalhar por todos os campi. Na condição de pré-candidato, ele concedeu a seguinte entrevista ao JMais:

 

 

Descreva sua trajetória na UnC.

Minha trajetória na UnC iniciou-se em 1997. Neste ano fui aprovado no vestibular para cursar Ciências Contábeis, pois já possuía o título de Técnico em Contabilidade pelo Colégio Estadual Coronel Cid Gonzaga de Porto União. Colei grau em Ciências Contábeis na UnC em 2001, pois naquele período o curso tinha duração de 5 anos. Ainda em 2001 iniciei a pós-graduação Lato Sensu, em Contabilidade Gerencial e Administração Financeira, também na UnC, concluindo em 2002. Em 2003 fui contratado pela UnC Canoinhas como professor e permaneço até hoje. Neste período ministrei aulas nos cursos de Ciências Contábeis, Administração de Empresas, Tecnologia em Gestão Pública e Tecnologia em Marketing, além de aulas nos cursos de pós-graduação (Lato Sensu) em Canoinhas e Mafra. Neste sentido, sou UnC de formação. Também ocupei o cargo de vice-coordenador (quando existia esta função) e posteriormente coordenador do Curso de Ciências Contábeis. Atualmente sou professor do Curso de Ciências Contábeis e presidente do Núcleo Docente Estruturante do mesmo curso.

 

 

 

Neste ano completamos dez anos de unificação dos CNPJs dos campi da UnC. Que balanço faz desse processo?

O Processo de Unificação da UnC, iniciou em 2009, por uma exigência do Ministério Público. Em uma determinada reunião estiveram presentes os dirigentes da UnC, representante do Conselho Estadual de Educação, promotores de Justiças das Comarcas (da UnC), onde foi apresentado todo o contexto de necessidade de adequação do formato jurídico/organizacional da UnC. Todo o processo foi orientado e supervisionado pelo Ministério Público. Cabe destacar que foram realizadas auditorias em todas as Fundações e diante do parecer dos auditores, os gestores daquele período, com o aval da Assembleia das Fundações, optaram pela permanência do CNPJ da Fundação da UnC de Mafra. Com relação ao reflexo da unificação temos que destacar alguns pontos. a) O formato utilizado pela UnC antes da unificação, não era mais aceito pelo Ministério Público, desta forma era necessário fazer algo, ou seja, regularizar aquela situação jurídica do momento; b) As antigas Fundações, ao meu ver, possuíam duas opções, unificar ou desvincular daquele sistema, pode-se citar como exemplo a Fundação de Caçador, que seguiu a segunda opção. Entendo que a UnC unificada se fortaleceu, pois meu pensamento, seja na Universidade ou fora dela, é de que juntos somos fortes, separados perdemos força. Entendo também, que os gestores daquele período tinham suas razões plausíveis para unificar.Lembro também, que ocorreu a aprovação pelo legislativo dos municípios, pois as Fundações tinham sido instituídas pelos municípios. Então se a UnC Canoinhas, ou qualquer outro campi universitário tivesse seguido o caminho de Caçador, não sabemos se hoje estaríamos certos da decisão tomada ou lamentando o erro cometido. A decisão foi tomada, certa ou errada, temos que seguir, fortalecendo a Instituição, reconhecendo toda a contribuição que ela tem realizado nos municípios. Contribuição com o desenvolvimento dos municípios. Lembrando sempre, que a UnC é da sociedade, ou seja, a UnC é nossa, pois é uma Fundação. Então ela é uma pessoa jurídica, sem fins econômicos ou lucrativos, que se formam a partir da existência de um patrimônio, para servir a um objetivo específico, voltado as causas de interesse público.

 

 

 

Qual análise faz da gestão da atual reitora?

Acredito que professora Solange não mede esforços para fortalecer a UnC. Entretanto não me cabe julgar a gestão dela ou qualquer outro gestor, seja na UnC ou fora dela. Não sou oposição a atual gestão, ao contrário, gostaria de participar efetivamente da próxima gestão, para continuar o trabalho realizado pela equipe hoje existente. Pois não se pode simplesmente ignorar o trabalho já realizado por todas as pessoas que passaram pela UnC. Esta instituição tem mais de quatro décadas, muito esforço foi destinado para a UnC ser o que é. Desta forma, entendo que renovar é preciso, inovar é necessário, não só na UnC como em qualquer outra entidade.

 

 

 

Concorda com a alteração do estatuto da Fundação que permite que ela se candidate a reeleição?

Quanto a alteração do estatuto, o Ministério Público validou. Como mencionei a fundação é acompanhada e fiscalizada pelo Ministério Público, inclusive com previsão estatutária para essa fiscalização. Neste sentido, se o Ministério Público validou sua alteração é por que não existe nenhuma irregularidade. Quanto à reeleição, cabe destacar que este procedimento adotado no Brasil, em diferentes locais, poderia ser chamado como um mal desnecessário para a democracia. Pois, interpreto este processo de duas formas; 1) Sendo o gestor (independente de entidade ou qualquer outro local), um excelente profissional. Competente, dinâmico, ético e com as demais características positivas que o bom líder deve possuir; ou 2) Totalmente ao contrário da primeira, ou seja, apenas mais uma pessoa com vontade de comandar, porém sem capacidade para tal. Em tese, reeleição é uma proposta boa. Dá a oportunidade de votar novamente em um gestor que se julga eficiente e eficaz. Para o gestor, serve de estímulo para que faça um bom governo e, com isso, seja premiado pelo seu grupo com mais um mandato.

Ficou famosa a frase de Orestes Quércia dizendo após conseguir eleger Luís Antônio Fleury Filho: “Quebrei o Estado, mas fiz meu sucessor”. No meio político, cabe uma análise mais profunda, pois em 2016 tínhamos a seguinte informação: Dos 95 governadores que tentaram a reeleição desde 1998, 61 conseguiram a vitória – o equivalente a 64%. Entre os prefeitos de capitais, o índice sobe para 84%, com 43 dos 51 candidatos obtendo sucesso desde 2000. Desde 1990, quando se intensificaram as permissões para a reeleição nos países da América Latina, somente dois candidatos a um segundo mandato presidencial foram derrotados: Daniel Ortega, na Nicarágua, em 1990, e Hipólito Mejía, na República Dominicana, em 2004. Na América do Sul, os presidentes venceram todas as 17 reeleições.

Pode-se perceber que a possibilidade da reeleição é “quase” a recondução automática ao cargo.

Levantamentos como este, do Senado Federal, com dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), são motivos para avaliar a reeleição de forma negativa e para justificar a sua inclusão no debate sobre uma reforma política.Não há consenso sobre as vantagens e desvantagens da reeleição; e talvez essa discussão seja irrelevante diante de tantos outros desafios do sistema.

Pois bem, sabemos que é fundamental para a democracia a alternância de “poder”. “Quando a alternância de poder não acontece, abrem-se precedentes a comportamentos oportunistas. Corre-se o risco de que avanços ou um legado positivo sejam colocados em xeque”. Cabe frisar, que NÃO estou afirmando que isto pode ocorrer na UnC. Espero que nunca ocorra.

“Uma eleição é feita para corrigir o erro da eleição anterior, mesmo que o agrave”. (Carlos Drummond de Andrade); “A diferença entre um estadista e um demagogo é que este decide pensando nas próximas eleições, enquanto aquele decide pensando nas próximas gerações”. (Winston Churchill).

 

 

 

A justificativa dos apoiadores da atual reitora é que ela fez um bom trabalho e que esse trabalho merece continuidade. Concorda?

Não tenho o habito de julgar pessoas, mas sim resultados. Entretanto acredito que seus apoiadores devem ter razões para tal apoio. Na UnC, tivemos seis Reitores, sendo: a) 1991 a 1998 – AntonioElizioPazeto (Caçador); b) 1998 a 2002 – Mário Bandiera (Caçador); c) 2002 a 2006 – Gaston Mário ZazamajouBojarski (Canoinhas); d) 2006 a 2010 – Werner José Bertoldi (Curitibanos); e) 2010 a 2014 – José Alceu Valério (Mafra); 2014 a 2018 – Solange Salete S. da Silva (Concórdia). Todos estes realizaram um bom trabalho, com certeza todos acertaram e erraram. E sempre o reitor seguinte, imagino eu, tentou melhorar, evoluir. Por isto a renovação é importante. Penso que a renovação permite a correção de possíveis falhas realizadas pelos gestores anteriores, em contrapartida melhorar o que está sendo realizado de positivo.

 

 

 

 

O que o leva a se candidatar a reitor?

Muitas pessoas estão fazendo esta pergunta. Pois eu poderia ser um professor horista (trabalhar durante a noite na UnC) e durante o dia estar à frente de minha empresa (Assecont Org. Contábeis Ltda) que atualmente possui 34 colaboradores, com clientes em diversas cidades, porém, a resposta vai muito além, pois me sinto capaz em exercer esta função. Quem sabe em alguns aspectos de forma diferente da atual gestão, mas com certeza, com as melhores das boas intenções. Também sou uma pessoa com muita vontade de empreender, inovar fazer diferente e fazer a diferença. Quem me conhece, convive comigo,sabe exatamente do que eu estou falando. As entidades, os processos em todos os aspectos precisam ser melhorados, atualizados. Percebo que hoje a sociedade brasileira está desmotivada, estamos nos declarando derrotados. Refiro-me em todos os aspectos, muito além da UnC. Também gostaria de contribuir, implantando uma gestão diferenciada da tradicional. Também quero frisar que esta inciativa surgiu fora da Universidade, participo de diversas entidades (voluntariamente) e este apoio da sociedade de Canoinhas e região fez com que eu tomasse esta decisão e colocasse meu nome como pré-candidato a reitor. Se observar o ciclo de reitores já mencionados, agora seria a vez de Canoinhas, já que Caçador não faz mais parte deste processo. Canoinhas merece, Canoinhas pode.

 

 

Tem conseguido apoio?

Tenho muito apoio da sociedade, posso citar diversas entidades do Planalto Norte Catarinense, Poder Executivo e Legislativo de diversos municípios da região. E estamos conseguindo apoio da comunidade acadêmica. Acredito que quando deflagrar o processo eleitoral, será possível apresentar nosso projeto e aísim a comunidade vai conhecer nossas intenções.

 

 

Conversou com a atual reitora? Ela chegou a te fazer alguma proposta de parceria?

Conversei. Fiz questão de informá-la desta minha disposição, não só ela como todos os dirigentes da instituição. Entendo e respeito muito bem a hierarquia da UnC e por esta razão não poupei esforços para dizer que não sou um revoltado ou oposição. Minha intenção é contribuir, somar. Quanto a uma possível parceria, não chegamos a conversar sobre o assunto, entretanto sou o único pré-candidato declarado na Universidade. Com certeza teremos outros, mas atualmente pelo que sei sou o único, nem mesmo a professora Solange se declarou candidata à reeleição.

 

 

Qual a importância de Canoinhas ter um reitor que trabalhe justamente aqui?

Temos de deixar claroque a sede da Reitoria não vai mudar, vai continuar sendo Mafra, porém o reitor seria de Canoinhas. Com certeza é muito importante para o município. Como muitas pessoas comentam que a Universidade é uma “fábrica sem chaminé” Canoinhas só tem a ganhar. Como uma importância similar, pode-se comparar a necessidade de Canoinhas ter um deputado estadual, um deputado federal é muito importante possuir um reitor também.Destaco que o reitor não vai olhar apenas para o seu município, mas sim para todosos municípios onde a UnC está inserida. Lembro que a UnC conta com uma estrutura deliberativa e a uma executiva. A primeira é o Conselho Universitário (Consun) e a segunda, ou seja, a executiva, é a Reitoria. A reitoria é composta pelo reitor, vice-reitor e mais três pró-reitores. Entendo que estes cargos devem ser distribuídos em todos os campi universitários. Canoinhas possui o mestrado em Desenvolvimento Regional, inclusive, aproveito para parabenizar aos envolvidos neste programa, pois foi avaliado pela Capes com conceito 4, um ótimo conceito. Então ouso a dizer, que Canoinhas contribuiu muito para a UnC ser e permanecer com o título de Universidade, pois sem o mestrado quem sabe isto seria impossível.

 

 

Comparativo feito pelo JMais confronta dados dos últimos três anos em que o trecho Porto União a Canoinhas ficou sob jurisdição da Polícia Rodoviária Estadual, mesmo período em que o posto está sob comando da Polícia Rodoviária Federal

 

 

 

Somente em 2014, 270 pessoas foram presas em Santa Catarina por contrabando e descaminho. Nenhuma no trecho de Porto União a Canoinhas da BR-280, principal porta de entrada do Estado para cigarro falsificado vindo do Paraguai, depois de cruzar o Paraná. E foi assim nos últimos três anos, no período em que a jurisdição da rodovia passou ao comando da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

 

 

Três anos antes o trecho estava sob jurisdição da Polícia Rodoviária Estadual (PRE). No período, segundo dados fornecidos pelo 16º grupamento da PRE, entre 2011 e 2013 foram apreendidas três cargas de contrabando e descaminho, crimes nos quais se enquadra o transporte de cigarro ilegal. O JMais pediu o mesmo levantamento à PRF, e nenhum registro foi encontrado.

 

 

Por três semanas a reportagem tentou contato com o chefe do grupamento que trabalha no posto sediado em Canoinhas. Em diversas tentativas Nilton Rogério de Oliveira não estava no posto da PRF em Mafra, que também comanda. Na semana passada Oliveira estaria em Canoinhas, onde segundo sua assessoria, receberia a reportagem. Como não houve contato, durante esta semana novas tentativas de ouvi-lo foram feitas com o posto de Mafra até que um policial que estava em Curitiba com o telefone celular do posto informou o celular particular de Oliveira. Ao atender a reportagem, o chefe da PRF disse que desconhecia os dados, apesar de terem sido fornecidos por sua assessoria. Disse ainda que tomaria ciência dos dados e no dia seguinte retornaria a ligação, o que de fato não aconteceu.

Rota do cigarro falso para entrar no Brasil/Arte DC

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PREOCUPANTE

Hoje, 70% de todos os produtos contrabandeados do Paraguai são cigarros. Calcula-se que 45,2 bilhões de cigarros foram trazidos ilegalmente para o Brasil no ano passado. Isso faz do país o maior mercado desse tipo de mercadoria ilegal, seguido pelas Filipinas, com 36,3 bilhões, e a Índia, com 23,9 bilhões.

 

 

De cada 10 veículos apreendidos com cigarros, sete são roubados. Há quadrilhas que atuam exclusivamente para abastecer a frota dos cigarreiros. Isso faz com que pessoas que nunca fumaram, nunca andaram fora da linha, sejam afetadas por esse comércio clandestino. Os dados foram levantados pelo jornal Diário Catarinense, em reportagem especial publicada no mês passado.

 

 

Nesta semana, 20 mil maços de cigarros foram apreendidos em Mafra. Policiais militares de Canoinhas colaboraram na apreensão porque o motorista não obedeceu a ordem de parada na blitz montada pelo posto de Mafra e houve perseguição. A PRF informou que o cigarro vinha do Paraguai, o que significa que o Azera onde estava a carga passou pelo posto de Canoinhas.

 

 

ÚLTIMA APREENSÃO EM CANOINHAS ACONTECEU EM 2013

Somente as três apreensões realizadas no posto da PRE, em Canoinhas, entre 2011 e 2013,  somaram 2.684 maços de cigarros, o que corresponde a valor aproximado de R$ 27 mil. E não só. Os policiais estaduais aprenderam produtos eletrônicos, perfumes, material de pesca, medicamentos, lunetas para armas de fogo, máquinas de choque e algemas no valor aproximado de R$ 20 mil. Houve, ainda, apreensão de crack, maconha e cocaína.

 

Ele desejava ser jogador de futebol e se dedicou durante muitos anos a esse sonho, porém não sabia como o destino poderia ser cruel…

 

Ricardo Ennes

 

Saímos de Videira no interior de Santa Catarina, quando eu ainda tinha meus 4 anos de idade e fomos morar em Porto União, também no interior de Santa Catarina. Lembro-me que a casa onde morávamos tinha um quintal muito grande e meu pai, meu irmão e eu, brincávamos de futebol, quase toda a noite de futebol.

 

 

Como eu era muito pequeno e aprendi a jogar com os mais velhos, acabei desenvolvendo habilidades especiais, como por exemplo chutar a bola com as duas pernas e principalmente com a esquerda, o que era um diferencial.

 

 

Como meu pai era servidor público, após alguns anos nos mudamos para Canoinhas, também no interior de Santa Catarina e ali, minha primeira professora de educação física nos forçava a realizar muitos exercícios calistênicos, como por exemplo polichinelos, isso fortaleceu bastante a minha musculatura porém, nós da classe pulávamos o muro para jogar futebol no recreio, no campinho que ficava ao lado da escola. O tempo passa e juntamente com vários amigos montamos um time de futebol, que se chamou Inconfidência Futebol Clube e que se reunia para jogar no campo quartel da Policia Militar da cidade. Infelizmente, após alguns meses, o time foi desfeito.

 

 

Num certo dia, fomos avisados da possibilidade de participar de uma “peneira[1]” para jogar no time da cidade e formamos uma equipe de crianças, na categoria dente de leite, que jogava por toda a região e treinava quase todo dia. Esses jogos e esses treinamentos permitiram que eu ganhasse experiência, que nos fizeram a todos ter um bom entrosamento e adquirir algumas habilidades.

 

 

Com o tempo, chegou um treinador de outra cidade, que me convidou para jogar no time dos adultos, naquela época eu era o mais novo do time e ganhei mais experiência ainda e foi quando comecei a ganhar dinheiro jogando. Após cada jogo, ganhávamos o “bicho[2]” e isso me incentivou a treinar ainda mais e esforçar-me bastante e ainda me lembro de chegar em casa feliz mostrando o dinheiro a meus pais que me elogiavam muito e se sentiam felizes por mim.

 

 

Curiosamente, um radialista de uma das rádios da cidade, ao me ver, sempre me chamava de “Divino”, que era uma referência ao famoso jogador de futebol do Palmeiras, o Ademir da Guia e que por algum motivo, este radialista me associava ao grande jogador, que na época era um dos maiores craques do Brasil.

 

 

Aos meus 17 anos, fomos convidados eu e um amigo a fazer um teste, mais uma “peneira” no Coritiba Football Club, quem nos levou foi o saudoso “Maneco” e eu acabei passando e ficando no clube. Na época o clube tinha um alojamento e eu acabei morando ali por algum tempo e dividindo um quarto com outros 5 atletas. Na época o Coritiba tinha dois jogadores muito famosos que jogavam até na seleção brasileira: o Washington e o Amaral e isso nos deu muita honra e muita experiência e animo para seguir adiante na carreira, tornando o clube um “trampolim” muito importante para galgar o trajeto para clubes maiores.

 

 

Meu primeiro jogo foi um mês depois de minha chegada, contra o arquirrival do Coritiba, o Atlético Paranaense, num jogo conhecido como “Atletiba”. Empatamos o jogo e como o diretor do time gostou muito de minha atuação me chamou para viajar com a delegação para jogar em União da Vitória, porém como eu era mais novo, não pude jogar, mas fiquei entre alguns dos meus ídolos e isso me deu muita satisfação. No dia seguinte, já de volta a Curitiba, recebi mais um “bicho”, mas agora de time grande o que me ajudou e me incentivou muito a continuar treinando.

 

 

Num determinado dia, três atletas foram dispensados do time e saíram para beber e quando chegaram depredaram todo o alojamento, incluindo armários, camas, banheiros. Numa decisão, na minha opinião, impensada do diretor do clube, todos nós que estávamos usufruindo do alojamento fomos dispensados e tívemos que voltar para a casa, independente se tínhamos participado ou não da depredação. Voltei para a casa, apesar de minha inocência naquele fato.

 

 

Continuei meus treinamentos e num determinado treino, senti o joelho e apesar de ter ido a muitos massagistas, não consegui recuperar-me da lesão e em dois meses eu já tinha uma atrofia de 2 centímetros. Após fazer uma radiografia e uma consulta um médico constatou que tive rompimento parcial do menisco externo. E isso me fez desistir da carreira de futebol profissional, apesar de minha completa recuperação e de conseguir jogar no time da cidade e participar de jogos regionais e abertos por todo o estado. Mas foram os dois eventos que me fizeram desistir, o físico, com o problema do joelho e do moral, com a dispensa do time profissional, apesar de minha inocência.

 

 

Meu nome é Ricardo Ennes, sou professor de educação física e personal trainner e moro em Canoinhas, no interior de Santa Catarina, estado do Brasil.

 

[1] Peneira – nome de um processo de seleção de atletas dispostos a jogar em algum time de porte maior.

[2] Bicho – prêmio em dinheiro por ganhar o jogo oferecido a cada um dos jogadores do time.

 

Para ler mais histórias acesse a coluna People Book

30 de setembro de 2017

 

Diário Catarinense (fim  de semana)

Consultas mais baratas no centro de polêmicas

 

_____________________________________________

 

O Globo

 

Manchete : Alteração feita pela Câmara no Refis beneficiará corruptos

Investigados também poderão ter descontos e parcelar dívidas

Emenda foi incluída no primeiro artigo da lei, o que dificulta o veto

A medida provisória que criou um novo Refis, programa para parcelar dívidas com a União, permitirá que corruptos tenham descontos ao devolver dinheiro desviado aos cofres públicos. A MP incluiu as dívidas com a Procuradoria-Geral da União no programa, beneficiando investigados, revela Gabriela Valente. Como a menção está no primeiro artigo da lei, só pode ser derrubada se o presidente Temer vetar o texto por completo. O Congresso ainda terá que votar destaques da medida. (Pág. 21)

‘Sou um criminoso’, diz Joesley em áudio

Em áudios entregues pela defesa da JBS à Polícia Federal, Joesley Batista, dono da empresa e que hoje está preso, reclama da lei contra organizações criminosas, de 2013, que regulou a delação premiada. Em conversa com um interlocutor identificado como Gabriel, ele comenta a sensação que teve ao ler o texto da lei: “Falei: eu sou um criminoso e eu faço parte de várias organizações criminosas”, diz. (Pág. 3)

 

TRUMP esvazia embaixada em Cuba

A embaixada americana em Cuba foi fechada após o governo dos EUA reduzir em 60% sua representação diplomática na ilha. O motivo foi um suposto ataque que deixou 21 diplomatas com dificuldades de audição e danos leves. Cuba nega envolvimento no caso. (Pág. 25)

 

Presídios do Rio não inibem os criminosos

Varredura do Ministério Público revelou que os presídios do Rio, para onde a Defensoria da União quer devolver 55 chefes do tráfico, continuam sendo “escritórios do crime”, revela Antônio Werneck. Nas celas havia celulares e drogas. (Pág. 8)

 

Tentativa de devolver presos ao Rio é criticada

Ministros do STF, o ministro da Defesa, o presidente da Câmara e o governador reagiram ao pedido da Defensoria. (Pág. 10)

 

Empregos com carteira crescem

O desemprego voltou a cair, para 12,6%, e pela primeira vez houve abertura de vagas também no mercado formal. Economistas dizem que a recuperação está sendo mais rápida que o previsto. (Pág. 23)

Luz terá bandeira vermelha nível 2

A luz vai ficar mais cara em outubro por causa da falta de chuvas. Pela primeira vez, o governo acionou o segundo nível da bandeira vermelha, e será cobrada taxa extra de R$ 3,50 a cada 100 kWh. (Pág. 22)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

 

Manchete : Indícios complicam defesa de Lula no caso do apartamento

Planilha apreendida pela PF relativa a gastos do imóvel de São Bernardo não registra pagamentos de aluguel

Os investigadores da força-tarefa da Operação Lava Jato têm indícios de que a família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não fez pagamentos do aluguel de apartamento em São Bernardo do Campo. Entre os documentos da família apreendidos pela Polícia Federal, há uma planilha na qual não consta essa despesa. O documento, intitulado “Contas Mensais 2.º Sem. 2011”, traz desembolsos com condomínio, energia elétrica e IPTU de 2011 do apartamento onde Lula mora e o do imóvel vizinho, apontado pela Lava Jato como sendo do petista, mas não o aluguel de R$ 3.500,00 que aparece em recibos entregues pela defesa como prova de que o petista é locatário. Nesses mesmos arquivos da família Lula da Silva, a defesa do ex-presidente afirmou ter localizado os 26 recibos de aluguel. A força-tarefa acusa Lula de ter recebido o imóvel como parte de propina paga a ele pela Odebrecht. (Política A4 e A6)

Ex-dona diz que vendeu ‘para o Lula’

“Pra mim, ele era o dono. Se perguntarem à minha família, todos vão dizer que vendi para o Lula”, disse a ex-dona do apartamento, Tatiana Campos, à Receita Federal. (A6)

 

 

STF se reunirá para julgar afastamento de parlamentares

A presidente do STF, Cármen Lúcia, marcou para o próximo dia 11 o julgamento de uma ação direta de inconstitucionalidade sobre a necessidade de aval do Congresso para o afastamento de parlamentares. O objetivo é evitar o enfrentamento com o Senado no caso do senador Aécio Neves (PSDB-MG). O Senado deve aguardar decisão do Supremo antes de deliberar sobre o juízo contra o tucano. (Política A10)

 

Vencedores do Nobel criticam País por cortes na ciência

Um grupo de 23 ganhadores do Prêmio Nobel enviou carta ao presidente Michel Temer em que afirma que o corte de 44% das verbas de ciência e tecnologia “compromete seriamente o futuro do Brasil” e precisa ser revisto “antes que seja tarde demais”. “Isso danificará o Brasil por muitos anos, com o desmantelamento de grupos de pesquisa internacionalmente reconhecidos e uma fuga de cérebros”, escreveram. A Presidência da República não se manifestou. (Metrópole A18)

 

Emprego formal dá sinais de recuperação

Após mais de três anos em queda, o mercado formal de trabalho começou a dar sinais de reação. No trimestre encerrado em agosto, o total de vagas com carteira assinada subiu 0,5%, o primeiro avanço significativo desde maio de 2014, quando havia crescido 1,1%, segundo os dados da pesquisa Pnad Contínua, do IBGE. No período, o setor privado contratou formalmente 153 mil trabalhadores. (Economia B1)

 

MTST reforça a militância contra despejo no ABC

REPORTAGEM ESPECIAL

Uma ordem de despejo sem saída negociada para os sem-teto pode provocar resistência e confronto no terreno de 70 mil m², da Construtora MZM, de São Bernardo do Campo. A opinião é de Guilherme Boulos, líder do MTST, que acompanhará o julgamento do recurso contra a reintegração de posse no Tribunal de Justiça na segunda-feira. A maior invasão do MTST reforça a militância com gente de outras regiões, relata Pablo Pereira. Há acampados de Diadema, zona leste e do Jabaquara. “Vamos resistir”, diz um dos seguranças. (Metrópole A22)

 

Oferta da Europa frustra Mercosul

A oferta da União Europeia para o comércio de carnes e etanol frustra o Mercosul. Às vésperas da negociação, a proposta vazou e está aquém do esperado. (Economia B5)

 

Militares vão embora e Rocinha teme violência (Metrópole A21)

 

EUA tiram 60% de seus diplomatas de Cuba (Internacional A12)

 

 

 

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

 

Manchete : Indicações políticas definem 45% dos diretores de escolas

23% dessa fatia não têm pós-graduação, dizem dados tabulados pela Folha

Quase metade dos diretores das escolas públicas do país foram escolhidos por indicação, em geral de políticos, sem critérios objetivos. Eles tendem a ter pior formação e menos experiência do que os selecionados por concurso ou eleição. Os dados foram tabulados pela Folha a partir de questionários do Ministério da Educação aplicados a 55 mil diretores, em 2015.

Pouco mais de 45% deles disseram ter chegado ao posto apenas por indicação. Entre esses, 23% disseram não ter feito pós-graduação. No grupo que chegou ao cargo de outras formas, esse número cai para 13%. Diretores de escolas são vistos como líderes comunitários, especialmente em municípios pequenos. Essa ê a razão pela qual os cargos são tão almejados por políticos, afirmam especialistas.

A categoria responde pela gestão de recursos financeiros, humanos e materiais. Estudos mostram que os diretores têm impacto direto no aprendizado, independentemente da forma como foram escolhidos (indicação, eleição ou concurso). Segundo pesquisa da Fundação Itaú Social, indicados politicamente ficam menos tempo no posto (permanência entre 11 e 15 anos na escola impacta positivamente na nota) e promovem menos formação docente.

Não há consenso sobre a forma ideal de escolher diretores de escolas nem uma regra nacional para a medida. Eleição na comunidade escolar dá força, mas pode deixar o diretor refém de demanda corporativa. Concurso ou prova seleciona melhores em conteúdo, mas pode colocar alguém sem identificação e liderança. (Caderno Especial)

 

 

Governo Temer abandona envio de livros a bibliotecas

Após abandonar o programa de envio de livros para bibliotecas de escolas públicas, a gestão Temer descumpriu prazo para retomar a iniciativa. Em 2016, o MEC afirmou que faria a compra, mas ela foi engavetada. (Cotidiano B4)

 

Demanda em alta trava vistos para alunos brasileiros em Portugal (Mundo A19)

 

Procuradoria queria destruir PMDB, afirma delator da JBS

Novos áudios resgatados do gravador de delatores da JBS mostram conversa entre o empresário Joesley Batista e o advogado Francisco de Assis e Silva, na qual o segundo diz que a Procuradoria-Geral da República tem o PMDB como alvo preferencial.

Para o Planalto, as gravações provam a armação contra o presidente peemedebista Michel Temer. (Poder A4)

 

Fundo apoiado por Huck e Abilio dará ajuda a candidatos

Um fundo que está sendo criado por nomes como Abilio Diniz e Luciano Huck para a formação de novos candidatos às eleições prevê bolsas de R$ 5.000 para os selecionados. O apresentador de TV tem se movimentado politicamente, mas nega uma eventual candidatura. (Poder A12)

 

Reforma da Previdência será menor e difícil de aprovar, diz Maia(Mercado A27)

 

60% da geração de energia no país é privatizada 

Empresas privadas concentram 60% da capacidade de geração de energia no Brasil, segundo um levantamento da Thymos Energia. O leilão de quatro usinas da Cemig, nesta semana, elevou a presença do investidor na geração — antes, essa fatia era de 59%.

Na distribuição, que começou a ser leiloada na gestão FHC, o percentual privatizado ê de 71%. (Mercado A21)

 

Militares deixam Rocinha, no Rio, depois de uma semana de cerco (Cotidiano B5) 

Adair Dittrich comenta o novo livro de Pedro Penteado  do Prado                                                                                                       

 

Era uma pequena cidade. Carregada de histórias de heróis. Era uma pequena cidade onde o sangue de muitos jorrara em vão. Onde o sangue de muitos marcou a poeira. Marcas de sangue, que nem mesmo as águas das chuvas que por lá correram, em mais de uma centena de anos, conseguiram lavar.

 

 

Era uma pequena cidade onde vivia um menino. Rodeado de muitos meninos. E o menino sonhava. Era um menino cheio de ideias. E de ideais. Um menino aprontador.

 

 

            Um dia o menino viu, bem de perto, um avião de verdade. E dentro dele entrou. Mexeu em seus comandos. Manuseou o manche. Engravidou seus olhos e sua mente com todos aqueles relógios de ponteiros encantados. Parecia-lhe que as reluzentes hastes do altímetro, do velocímetro, da bússola e outros mais só para ele sorriam naquela noite de realizações.

 

 

O sonho tornou-se seu companheiro em todos os momentos de vigília. E o acompanhava universo afora quando suas pálpebras cansadas o separavam do mundo real.

 

 

Na escuridão da noite o menino desenhava o seu sonho. Traçava riscos em seu velho caderno de desenho, montando a imagem da nave onde sonhava voar. Traçava seus riscos no velho caderno de desenho, apenas iluminado pela tênue chama de um lampião a querosene. Pela chama amarelada que acesa teimava ainda no topo de um pavio embebido pelas últimas gotas do precioso combustível. Do precioso líquido, amigo das noites de uma cidade onde a energia elétrica não havia chegado até então.

 

 

Precisava colocar no papel, corretamente, nas devidas proporções, com todos os detalhes, tudo aquilo que a sua memória gravara da investida noturna, em que, às escondidas, vislumbrara todo o interior da máquina voadora.

 

 

Correr as páginas do mais novo livro do escritor Pedro Penteado do Prado, é correr, com ele e seus amigos de outrora, através de muitos parágrafos, atrás de todos os componentes para a construção de um aeroplano. De um aeroplano que comportasse até uma cabine onde um menino-piloto conseguisse se acomodar. De um aeroplano de verdade. De um aeroplano que voasse.

 

 

De acordo com o desenho, projeto do menino de cabelo arrepiado, a obra foi, passo a passo, sendo executada.

 

 

São peripécias mil que se desenrolam, em minúcias, desde a queda de um pequeno avião perto de um campo de futebol, onde a gurizada fazia as suas peladas diárias, até o panorâmico e inesquecível voo da aeronave fabricada pelos meninos da vila de Santo Antonio do Trombudo.

 

 

São múltiplas as horas e os sustos até o encontro de todo o material necessário, para a construção do pequeno pássaro, entre as geringonças,que cada um descobrisse, jogadas pelos sótãos e porões de suas casas.

 

 

São verdadeiras apoteoses os desfiles dos veículos do espaço pelas ruas da cidade. O primeiro desfile, o do original, o que caíra perto do campo de futebol onde os meninos jogavam bola. Que, solenemente, sobre a carroceria de um caminhão, em procissão passou.

 

 

A descrição de Pedro Penteado leva-nos à Lebon Regis de então onde chegamos a ouvir todos os comentários das pessoas nas janelas e portas do velho casario. E a vê-los, com seus trajes e seus chapéus, seus trejeitos, seus bules de café, suas chaleiras de água fervendo e suas cuias de chimarrão.

 

 

E depois, muitos dias depois, vemos passar, pelas ruas, o aeroplano que os meninos construíram. Aeroplano feito com ripas, pedaços de velhos brinquedos guardados, taquaras, uma velha lona de caminhão e muito empenho. Tudo decalcado, minuciosamente, milimetricamente, no desenho do menino Pedrinho, que, exímio desenhista é desde que nasceu.

 

 

Entre as duas procissões, histórias, vividas pelos moleques, afloram na imaginação. Histórias vividas no entorno e na cidade que já fora Santo Antônio do Trombudo e que teve de engolir, a contragosto, a mudança de seu nome para homenagear o tirano chamado Gustavo Lebon Regis.

 

 

“Nome de um oficial comandante das tropas do governo, que tinha chegado até ali nos idos da Guerra dos Jagunços, para dizimar a população cabocla.

            E haviam dizimado mesmo.

            Chegaram a queimar milhares de corpos dos caboclos revoltosos que tinham sido assassinados por se rebelarem, após serem expulsos da terra onde nasceram!

            Trocar o nome da cidade para homenagear um homem desses?

            O mesmo homem que assassinou nossos antepassados?

            Não admitiam a troca.

            Quando muito, falavam Lebon…

            Mais para o interior do município, a pronúncia não passava de um ligeiro “Bãorege…”

O nome da cidade mesmo era Santo Antônio do Trombudo!”(*)

 

 

            “O Pássaro Abatido” é o sétimo livro, publicado, de Pedro Penteado do Prado. Brilhante professor de Química, dirigiu suas primeiras letras, exatamente, em direção ao que melhor sabia fazer: ensinar Química. Então saiu “Química Mágica – a Experimentação”, livro que reúne uma série de experiências que abrange todo o ensino fundamental. Seguiram-se a este “Química Geral”, “Físico – Química” e “Química Orgânica”, três compêndios que visam facilitar as aulas de Química da 1ª. 2ª. e 3ª. Séries do Ensino Médio.

 

 

Foi então que Pedrinho, o menino de cabelo arrepiado, o menino que sonhava voar, ousou descrever, meio século depois, em “Mácula”, as agruras pelas quais passou, quando foi preso e torturado nos porões da ditadura, aquele terrível período cinzento, de nossa história atual.

 

 

E entre este e o atual publicou a primeira parte de “Contestado: que o povo fique com a história”. Muito honrada fiquei em ter sido convidada, pelo autor, para escrever o texto inserido na contracapa da saga de Zorico Tamanqueiro.

 

 

Ansiosa aguardo as linhas finais das aventuras deste intrépido caboclo do Contestado.

 

 

(*) Trecho de “O Pássaro Abatido”.

 

 

Empresa Mili levou no naipe feminino CIA no naipe masculino

 

Na quarta-feira, 27, aconteceu a modalidade de Bolão Individual dos Jogos do Sesi. Seguem os resultados:

 

Naipe Feminino

1º Lugar: Vanderleia Moraes – Mili

2º Lugar: Elaine Kowalski – Mili

 

Vencedores do naipe masculino/Maria Cristina Brehmer /Divulgação

Naipe Masculino

1º Lugar: Ricardo Josué Lins – Cia Canoinhas – 177 pontos

2º Lugar: Aleciano Anísio Vogt – Mili – 176 pontos

3º Lugar: Juari Alves Simões de Oliveira – Mili – 166 pontos

4º Lugar: Enio Jorge Batista – Fricasa – 156 pontos

 

 

Participaram da palestra todos os alunos do 1º ano do Ensino Integral, e também alunos dos 2º e 3º ano do Ensino Médio Inovador

 

Um mês para conversar, discutir e conscientizar. Assim está sendo o mês de setembro na Escola de Educação Básica (EEB) Almirante Barroso, em Canoinhas. Com diversas atividades realizadas dentro e fora da sala de aula, os alunos estão tendo a oportunidade de dialogar um pouco mais sobre um assunto que é problema de saúde pública no Brasil; o suicídio.

 

Alunos que participaram da palestra nesta quarta.
Sérgio Teixeira da Silva /Divulgação

Mais de 100 alunos puderam assistir a palestra motivacional da médica, escritora e colunista do Portal JMais, Adair Dittrich, que na manhã desta segunda, 25, e tarde de quarta-feira, 27, levou aos alunos do ensino médio da escola, assuntos pertinentes à realidade dos jovens, incluindo a prevenção da depressão e do suicídio.  Adair destacou que o problema do suicídio é preocupante, pois aumentou consideravelmente nos últimos anos, atingindo principalmente os jovens.

 

 

 

“São assuntos que devem ser abordados dentro e fora da sala de aula, como forma da instituição instruir e apoiar os alunos e suas famílias. Refletir sobre o suicídio previne novos casos, sendo mito pensar que essa reflexão favorece a incidência”, destaca o diretor Pedro Penteado.

Loja continua vendendo no atacado; novo espaço busca atender a público diferenciado                                   

 

A Frutas e Verduras Indiana inaugurou na tarde desta quinta-feira, 28, um espaço exclusivo para atender no varejo. Com visual requintado e produtos selecionados, a ideia do já conceituado comércio é atender a um público diferenciado, que gosta de comprar em pequenas quantidades. Não é só isso. A loja oferece vinhos, cervejas, bebidas em geral, frios, embutidos, perfumaria, além de, claro, as mais fresquinhas e deliciosas frutas e verduras. Produtos selecionados com cuidado e bom gosto.

 

 

O espaço atacado continua, agora mais organizado, com a ampliação do local de estoque e triagem das mercadorias. “A ideia não é só de oferecer espaços diferenciados e bons produtos, mas promover a saúde por meio de uma grande variedade de alternativas que trarão ótimos benefícios para o bem-estar dos nossos clientes”, afirma DanieleSorgPerucci, que ao lado do pai, Alfredo LuisSorg, e da irmã, Jéssica Renata Sorg, administra a Indiana.

 

 

Os dois espaços – atacado e varejo – funcionam de segunda a sexta-feira das 8 às 12 horas e das 13h30 às 19 horas. Aos sábados abrem das 8 às 12 horas.

 

 

A Frutas e Verduras Indiana está localizada na rua Caetano Costa, 916. Telefone (47) 3622-3460.

 

A realização da audiência pública é uma exigência para a obtenção da Licença Ambiental Prévia (LAP)                                              

 

A WestRock, uma das maiores fornecedoras globais de soluções em papel e embalagens de papelão ondulado, promoveu audiência pública sobre o projeto de expansão da Fábrica de Papel de Três Barras nesta quinta-feira, 28. Cerca de 350 pessoas participaram do encontro, que é caracterizado como o momento em que a população pode esclarecer suas dúvidas e apresentar sugestões em relação ao projeto.

 

 

A realização da audiência pública é uma exigência para a obtenção da Licença Ambiental Prévia (LAP), a ser concedida pela Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma). Na oportunidade, a empresa apresentou o Relatório de Impacto Ambiental (Rima), onde estão os principais pontos relativos aos impactos socioambientais gerados pelo empreendimento. O Rima pode ser considerado um resumo do Estudo de Impacto Ambiental (EIA), disponível para consulta pela população na Câmara de Vereadores e na Prefeitura de Três Barras, na coordenadoria regional da Fatma em Canoinhas e na  Associação Desportiva Classista Rigesa (ADCR).

 

 

O diretor de Projetos de Expansão da WestRock em Três Barras, Ali Abdul Ayoub, salientou que, caso a ampliação seja de fato aprovada, a capacidade de produção da unidade pode aumentar em até 42%. Entretanto, essa é uma estimativa máxima e esse valor pode variar. “A partir das mudanças e instalações previstas, a fábrica obterá aumento na eficiência do aproveitamento da madeira e na produção de papel, entre outros benefícios”, ressaltou.

 

 

O procurador jurídico da Fatma, João Pimenta, destacou a qualidade do evento. “Avaliamos o sucesso de uma audiência pública pelo interesse das pessoas e pelo nível das perguntas, que foram qualificadas e com abordagem técnica”, disse.

 

 

Caso aprovada, a obra deve ser concluída em 22 meses. O número de trabalhadores necessários oscilaria a cada etapa, com até 2700 temporários no período de pico. O parecer da Fatma é válido por até cinco anos. É importante salientar que a LAP não autoriza a construção da obra, apenas atesta a sua viabilidade em determinado local.

 

 

A WestRock reforça que a execução do referido estudo e o relatório (EIA – Rima) e a audiência pública a eles relacionada, bem como a aprovação pelo órgão ambiental, não significam, em absoluto, que o Projeto de Expansão esteja aprovado – a depender de avaliações estratégicas pela empresa.

 

 

SOBRE A WESTROCK

Em 2015, com a fusão com a também norte-americana Rock Tenn, surge a atual WestRock, parceira de seus clientes para fornecer soluções únicas em papel e embalagens que impulsionem seus negócios. São 45.000 funcionários que apoiam os clientes ao redor do mundo em mais de 300 operações e escritórios na América do Norte, América do Sul, Europa e Ásia. Saiba mais emwww.westrock.com.br

 

Confira os destaques em Canoinhas e região                                                                                       

 

BOLICHE BAR

Quando? Sexta, 29

O que? Acústico com Rafa Glinski

Quando? Sábado, 30

O que? Só Moda Boa com Luis Cláudio & Adriano

 

 

 

 

 

 

 

CINE

Quando? Sábado, 30

O que? Cuba de Balde

 

 

 

 

 

 

DAJ E AUSTIN BAR

Quando? Sábado, 30

O que? Sábado Rock com Hullio na DAJ e Inimigos do Fim, com Rafa Nunnes e Cello Jr, na Austin

 

 

 

PANCADÃO MUSIC BAR

Quando? Sexta, 29

O que? Avisa que Eu Cheguei, com Ander & Fael

 

 

 

SBO

Quando? Sábado, 30

O que? Formatura do curso de dança com o grupo Tá na Moda

Quando? Domingo, 1º

O que? Baile com o grupo Bochinchaço

 

 

 

 

 

 

WUNDERBAR

Quando? Sábado, 30

O que? Show com João Vitor e Miguel

 

 

 

 

CINEMA

It – A coisa, Emoji O Filme e Atômica em cartaz no CineMax Canoinhas

 

CONFIRA TRAILER, DATAS E HORÁRIOS

 

It- A coisa

 

SEXTA, 29

2D     21h15

 

 

SÁBADO, 30

2D      19h

 

 

DOMINGO, 1º

2D         21h15

 

 

Emoji O Filme

 

SEXTA, 29

17h

 

 

SÁBADO, 30

17h

 

 

DOMINGO, 1º

17h

 

 

 

Atômica

 

SEXTA, 29

2D      19h

 

 

SÁBADO, 30

2D      21h15

 

 

DOMINGO, 1º

2D      19h

A primeira etapa do ginásio foi realizada em 2009

 

Canoinhas recebeu oficialmente o seu Ginásio Municipal Melquíades Pereira da Cruz. Com 2.215,89m² de área construída, o espaço já está sendo utilizado pela comunidade – especialmente pelas escolinhas da Fundação Municipal de Esportes e Lazer (FMEL). “É graças a este ginásio que agora podemos oferecer mais aulas e incentivo aos nossos canoinhenses”, destaca o prefeito Beto Passos.

 

A primeira etapa do ginásio foi realizada em 2009. A estrutura ficou abandonada por anos até que o deputado Jorginho Mello, em 2015, conseguiu intermediar recursos para a conclusão deste ambiente que é um sonho para os moradores do Campo D’Água Verde – sonho compartilhando pelo saudoso Melquíades Pereira também! Foram investidos mais de R$1,4 milhão na obra que ainda passará por melhorias externas. O ginásio fica na rua Rua Otávio Ferreira da Silva.

 

O ato aconteceu nesta quinta-feira, 28, às 19h30, no próprio ginásio. Antes, a partir das 18h30, aconteceram amistosos entre alunos da FMEL e das escolinhas da cidade. A inauguração faz parte das comemorações que o Poder Executivo está realizando pela passagem dos 106 anos do Município neste mês.