< setembro 2017 - JMais | Jornalismo Digital Archive | JMais | Jornalismo Digital

Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Confira o que foi destaque no JMais

 

Obra da BR-280 é inaugurada

 

Agência em Canoinhas deve processar sangue coletado em toda a região

 

PM prende traficante no Campo d’Água Verde

 

Sob PRF, apreensões de cigarro falso vão a zero de Porto União a Canoinhas

 

Homem é executado a tiros em São Mateus do Sul

 

Bombeiros e Samu terão atendimento pré-hospitalar integrado no Estado

 

Dupla tenta matar desafeto com faca e facão

 

Homem atira contra a própria TV e aparelho de som em Canoinhas

 

Pelo WhatsApp, casal tenta vender motosserra furtada

 

PRF apreende cerca de 20 mil maços de cigarros em Mafra

 

Canoinhas ganha cozinha comunitária

 

WestRock realiza audiência pública sobre possível expansão

 

STF autoriza ensino religioso confessional nas escolas públicas

 

Mestrado da UnC conquista conceito 4 da Capes

 

Petrobras aumenta gás de cozinha em 6,9%

 

Leilão da empresa Fuck não tem lance positivo

 

 

 

 

 

 

Comunicador fez sucesso nos anos 1970 e 1980

 

“Quem não se comunica se trumbica!”, já diria Abelardo Barbosa, o saudoso Chacrinha. Conhecido como o Velho Guerreiro, graças à homenagem feita por Gilberto Gil na canção Aquele Abraço, o apresentador começou a ficar conhecido com um programa de músicas de Carnaval que lançou em 1943 na Rádio Fluminense: Rei Momo na Chacrinha, de onde veio a alcunha que o tornaria conhecido em todo o país.

 

 

Neste sábado, 30, cem anos após o seu nascimento, a Agência Brasil resgatou duas entrevistas feitas pelo jornalista e radialista Hilton Abi-Rihan, encontradas no acervo da Rádio Nacional do Rio de Janeiro.

 

 

> Confira o especial preparado pela Agência Brasil para a data

 

 

Nos áudios, um Abelardo Barbosa que foge à imagem alegre e brincalhona que marcaram o personagem no rádio e na televisão. Em 1980, um Chacrinha irritado solta um palavrão e deixa o estúdio durante um programa que discutia o jabá. No segundo momento, num especial de carnaval gravado em 1984, ele fala sobre um problema de saúde que o afetava na época: a depressão.

 

 

Mesmo nessas situações, é possível reconhecer a figura do Chacrinha como o ícone de humor perspicaz que se tornou conhecido país afora e foi considerado o maior comunicador do Brasil. Outros momentos de sua trajetória são lembrados na entrevista com Denilson Monteiro, autor de “Chacrinha, uma biografia”. Chacrinha faleceu em 30 de junho de 1988 de infarto do miocárdio e insuficiência respiratória em decorrência de um câncer de pulmão.

Segundo o diretor-presidente da Aneel, Romeu Rufino, a decisão foi tomada devido à baixa vazão das hidrelétricas

 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou nesta sexta-feira, 29, que a bandeira tarifária das contas de luz em outubro será a vermelha patamar 2. A tarifa é a mais cara do modelo e representa a cobrança de taxa extra de R$ 3,50 a cada 100 Quilowatt-hora (kWh) consumidos. Em setembro, a bandeira tarifária das contas de luz foi a amarela, com taxa extra de R$ 2 para cada 100 kWh de energia consumidos.

 

Segundo o diretor-presidente da Aneel, Romeu Rufino, a decisão foi tomada devido à baixa vazão das hidrelétricas, porque as chuvas em setembro ficaram abaixo da média. “Em função do regime hidrológico muito crítico, este setembro foi o pior mês de setembro, do ponto de vista da vazão, da série histórica do setor elétrico”.  Apesar do alerta, Rufino disse que não há risco para o abastecimento de eletricidade.

 

 

Desde que a bandeira vermelha passou a ter dois patamares, 1 e 2, em janeiro de 2016, esta é a primeira vez que o nível mais alto é acionado. A tarifa extra mais alta se deve à necessidade de operar mais usinas térmicas, cujo custo de produção da energia é mais alto que a da produzida nas hidrelétricas.

 

 

Na semana passada, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), ligado ao Ministério de Minas e Energia, havia decidido não acionar as usinas termelétricas mais caras, o chamado “despacho fora da ordem de mérito” mas aprovou, se necessário, o aumento da importação de energia elétrica da Argentina e do Uruguai “na medida em que for possível”.

 

 

Na reunião, o CMSE também decidiu retomar a operação de três usinas termelétricas que estão paradas. Segundo o comitê, as usinas de Araucária, Cuiabá e Termonorte II “são capazes de produzir energia a preços mais competitivos se comparados com os de outras usinas térmicas.”

 

 

ECONOMIA

Além disso, a Aneel também realizará uma campanha de conscientização do uso da energia elétrica. Entre as recomendações que a agência fará, estão a de usar a temperatura morna do chuveiro e tomar banhos mais curtos, de até cinco minutos; diminuir ao máximo a utilização de ar-condicionado e não deixar portas e janelas abertas em ambientes com o equipamento; não colocar alimentos quentes e deixar a porta da geladeira aberta apenas o tempo que for necessário; e utilizar iluminação natural ou lâmpadas econômicas, além de apagar a luz ao sair de um cômodo.

A produção de lanches iniciará com a média de 250 refeições por dia                                      

 

Fome. O que ela significa pra você? A maioria da população canoinhense sente “fome”somente antes das refeições, mas infelizmente há pessoas que passam fome todos os dias. Há pessoas que possuem alimentação precária.

 

 

É justamente para assegurar alimentação de qualidade que o Governo Municipal de Canoinhas inaugurou nesta sexta-feira, 29, a cozinha comunitária. A produção de lanches iniciará com a média de 250 refeições por dia, ultrapassando a meta proposta pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário que institui o mínimo de 100 refeições/lanches ao dia. “Desta forma estamos garantindo a esse público o direito humano à alimentação adequada”, explica o prefeito Beto Passos. Os alimentos serão produzidos na cozinha e servidos nos CRAS.

 

 

A cozinha inicialmente vai atender usuários dos Centros de Referência Assistência Social – CRAS I, II e III. Segundo a secretária de Assistência Social, Cintia Aguiar, são famílias em situação de risco e vulnerabilidade social que participam dos grupos e oficinas do serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF).

 

 

O equipamento, com área construída de 269,59 m², foi construído por meio de convênio formalizado entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) e o Município. Estão sendo investidos aproximadamente R$482 mil.A responsável pela Segurança Alimentar e Nutricional de Canoinhas, Jéssica de Jesus Vieira, lembrou que Canoinhas torna-se Município modelo nesta área com a abertura da cozinha. “É um grande avanço na política pública alimentar”, destaca.

 

 

 

INAUGURAÇÃO

A inauguração foi acompanhada por autoridades civis, militares, secretários e gestores municipais, vereadores, equipe da Secretaria de Assistência Social e comunidade. “Que esta casa atenda exatamente àqueles que precisam”, disse o presidente da Câmara de Vereadores, Wilmar Sudoski.

 

 

A unidade estava pronta desde o ano passado, mas não tinha sido aberta. “Foi graças ao trabalho de várias pessoas que conseguimos abrir as portas. Não adianta fazer obra

A rodovia recebeu obras de drenagem, de sinalização e melhorias para a segurança de veículos e pedestres

 

Responsável pela articulação do recurso usado nas obras no trecho urbano da BR-280, deputado federal Jorginho Mello aproveitou a vinda para Canoinhas e inaugurou na manhã desta sexta-feira, 29, as melhorias que a rodovia recebeu. Ato simples, realizado no trevo de acesso a Canoinhas, contou com a presença do prefeito, Beto Passos, do vice, Renato Pike, de secretários e gestores municipais, vereadores e do deputado estadual Antônio Aguiar.

 

 

“O senhor prontamente atendeu ao nosso pedido, cumpriu o que prometeu e hoje, meses depois daquela reunião realizada na prefeitura com a comunidade, estamos inaugurando a obra mostrando que o senhor é um homem de palavra”, destacou o vice-prefeito Renato Pike.

 

 

A rodovia recebeu obras de drenagem (para solucionar problema de alagamento), de sinalização e melhorias para a segurança de veículos e pedestres. A ponte do rio Água Verde ganhou passarelas para os pedestres. “Esta obra não veio para dar comodidade, mas segurança”, ressaltou Pike.

 

 

O superintendente do DNIT de Santa Catarina, Ronaldo Carioni Barbosa, também falou sobre a segurança que a via passou a oferecer com as modificações: “é uma vitória entregar esta obra. Já perdi uma irmã vítima de acidente e sei o quanto é importante uma obra para nos trazer segurança”. Em sua fala, deputado Antônio Aguiar agradeceu o empenho de todos. “A entrega de uma obra destas é como um agradecimento pelos votos que recebemos”.

 

 

Reunião realizada em março na prefeitura com moradores do bairro Água Verde foi lembrada pelo deputado Jorginho Mello. “A sala tinha mais gente do que temos hoje aqui, mas não espero agradecimento porque política não se faz em troca de recompensa”. Mello disse que vai verificar a possibilidade da construção de marginais neste trecho. “Por enquanto a possibilidade é zero, mas se há o desejo e se vai trazer segurança, temos que trabalhar para isso”.

 

 

As obras entregues ao longo deste mês foram enumeradas pelo prefeito, Beto Passos, durante o ato. “Todas elas vão trazer qualidade de vida a nossa população. O ginásio vai afastar os jovens de caminhos ruins, o Creas vai garantir direitos e as pavimentações vem para dar segurança”, comentou. Emocionado, o prefeito desabafou: “se esta obra tivesse sido feita há alguns anos não veria uma das mais tristes cenas que já vi em minha vida; uma mãe enterrando o seu filho”.

 

 

 

O documento detalha todas as receitas e as despesas do Estado no ano

 

O Governo do Estado encaminha nesta sexta-feira, 29, para a Assembleia Legislativa de Santa Catarina o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2018. O documento, elaborado sob a coordenação da Secretaria de Estado da Fazenda, detalha todas as receitas e as despesas do Estado no ano. As receitas orçamentárias estimadas na LOA 2018 somam R$ 26,429 bilhões.

 

>>> O documento pode ser acesso neste link

 

O valor corresponde a um crescimento de 2,5% em relação ao orçamento de 2017.  As receitas correntes, provenientes em grande parte de impostos, foram projetadas considerando um crescimento de 4,4%. Por outro lado, a projeção das receitas de capital, provenientes de operações de crédito, considerou um decréscimo de 66,0%.

 

 

“O princípio do equilíbrio orçamentário estabelece que a projeção da receita seja igual às despesas fixadas. Isso quer dizer que não podemos gastar mais do que os recursos disponíveis, o que nos obrigada a estabelecer prioridades”, explica Romualdo Goulart, diretor de Planejamento Orçamentário da Fazenda.

 

 

A Previdência Social dos servidores públicos continuará sendo a maior despesa do Governo do Estado em 2018, totalizando R$ 5,9 bilhões. Na sequência, vêm as áreas de Educação – R$ 4,37 bilhões (25,02% da Receita Líquida de Impostos), Saúde – R$ 3,54 bilhões (14,01% da RLI) e Segurança Pública – R$ 2,44 bilhões (9,23% da RLI).

 

 

Além do Executivo, a LOA inclui a previsão de repasse de recursos para o Poder Judiciário (R$ 2,2 bilhões), Poder Legislativo (Alesc e Tribunal de Contas do Estado – R$ 790,9 milhões), Ministério Público (R$ 711 milhões) e Universidade do Estado de Santa Catarina (435,6 milhões).

 

 

TRÂMITES

O Orçamento é elaborado pelos três poderes (Executivo, Judiciário e Legislativo) e consolidado pelo Poder Executivo. A LOA é apreciada pelo Poder Legislativo, que pode alterá-la por meio de emendas.  A votação da LOA deve ser feita até o último dia parlamentar do exercício do ano anterior à sua execução.

Orçamento do Estado – Tipo de despesas/Em que se gasta?

Pessoal e Encargos Sociais          59,7%

Outras Despesas Correntes       31,7%

Investimentos                                 4,7%

 

Orçamento do Estado – Funções de despesas/Para que se gasta?

Previdência Social           22,51%

Educação                            16,57% (25,01% da RLI)

Saúde                                  13,39% (14,01% da RLI)

Segurança Pública           9,23%

Direito da Cidadania       3,49%

Transporte                         2,51%

Agricultura                         2,41%

Assistência Social            1,06%

 

Comparativo das receitas entre os orçamentos de 2017 e 2018, segundo a categoria econômica e origem dos recursos

ESPECIFICAÇÃO                           2.017                     2.018  %
1 – Receitas Correntes 23.048.529.219 24.065.565.452 4,4%
Outras Receitas Correntes 514.920.425 374.750.754 -27,2%
Receita Agropecuária 1.095.733 1.098.700 0,3%
Receita de Contribuições 881.055.705 1.009.139.516 14,5%
Receita de Serviços 675.846.814 803.716.551 18,9%
Receita Industrial 3.676.899 33.906 -99,1%
Receita Patrimonial 860.016.517 560.683.339 -34,8%
Receitas Tributárias 14.653.072.737 16.130.044.607 10,1%
Transferências Correntes 5.458.844.389 5.186.098.079 -5,0%
2 – Receitas de Capital 1.392.144.649 473.694.518 -66,0%
Alienação de Bens 49.765.221 57.229.491 15,0%
Amortização de Empréstimos 12.078.000 30.148.538 149,6%
Operações de Crédito 1.248.932.434 350.318.593 -72,0%
Transferências de Capital 51.368.994 35.997.896 -29,9%
Outras Receitas de Capital 30.000.000 0 -100,0%
3 – Receitas Intraorçamentárias Correntes 1.343.477.477 1.884.152.161 40,2%
4 – Receitas Intraorçamentárias de Capital 6.000.000 6.000.000 0,0%
Total 25.790.151.345 26.429.412.131 2,5%
Receita Líquida Disponível (*) 15.110.000.000 16.050.000.000 7,93

Inclui fonte 100, 161 e 162

O prefeito de Major Vieira, Orildo Antonio Severgnini (PMDB), recebeu em seu gabinete na tarde desta terça-feira, 26, a entrega de uma emenda parlamentar através do deputado federal Celso Maldaner (PMDB), no valor de R$ 300 mil.

 

A entrega da emenda foi feita através os representantes de Maldaner, Edemilson Zilli e Valci Dal Maso.

 

O valor é destinado à compra de equipamentos para o Hospital Municipal São Lucas e à Unidade de Saúde Central do município.

 

 

Relação de produtos que serão adquiridos:

Ventilador pulmonar;

Oxímetro;

Aspirador móvel;

Foco clínico de teto;

Bomba de infusão;

Amnioscópio;

Cardioversor bifásico;

Balde pedal;

Freezer;

Escada sete degraus;

Geladeira;

Espaldar em madeira (Aparelho para fisioterapia);

Lavadora de roupas;

Ar-condicionado;impresssora;

Cama Hospitalar elétrica;

Escada com dosi degraus;

Mesa para refeição;

“Carro” Maca simples;

“Carro” emergência;

“Carro” curativos;

“Carr” térmico;

Banho Maria;

Suporte para soro.

Ainda nesta sexta-feira, suposto usuário foi flagrado no mesmo distrito

 

Um jovem com 22 anos de idade foi autuado por portar uma pedra de crack nesta sexta-feira, 29, na rua Valdomiro Olsen, distrito do Campo d’Água Verde, em Canoinhas.

 

 

Ele estava em um Gol em atitude suspeita. Durante revista veicular PMs localizaram dentro do carro a pedra de crack. O motorista do carro relatou que trocou a droga por uma televisão com um homem que já é conhecido da PM pela prática de venda de drogas. Diante dos fatos a substância foi apreendida e o homem vai responder boletim termo circunstanciado.

 

 

 

SEGUNDA ETAPA

Ainda na manhã desta sexta-feira, 29, policiais militares receberam a denúncia de que um jovem estava trocando objetos de sua casa por drogas.

 

 

O local onde ele estava fazendo a troca fica na rua Francisco de Assis Costa, distrito do Campo d’Água Verde. Chegando no local, os PMs abordaram o condutor de um veículo VW Gol que confirmou ter trocado um aparelho de televisão por três gramas de crack.

 

 

Na casa do suspeito foram localizadas duas “buchas” de maconha, em cima do forro do quarto e uma bucha de substância desconhecida embaixo do assoalho, junto de uma lata contendo pó de café e com plástico na tampa, comumente usado para disfarçar o cheiro da droga. Também foram localizados alguns objetos trocados pelo jovem como um televisor 21 polegadas, botijão de gás, aparelho DVD, serra tico-tico, ferro elétrico, entre outros. Diante dos fatos o homem foi preso em flagrante e conduzido para a Delegacia.

Horário vale para o comércio em geral, com exceção dos supermercados                

 

A Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) divulgou nesta semana o horário especial do comércio para o mês de dezembro, considerando as festas de fim de ano.

 

Entre 1º de dezembro de 2017 e 1º de janeiro de 2018, as empresas da categoria do comércio varejista em geral ficam autorizadas a prorrogar o horário de trabalho de seus empregados.

 

O horário máximo a ser respeitado é o seguinte:

DATA DIA DA SEMANA HORÁRIO
1º a 2 de dezembro Sexta e sábado Normal
3 de dezembro Domingo Fechado
4 a 8 de dezembro Segunda a sexta Normal
9 de dezembro Sábado Das 8h30 às 16h
10 de dezembro Domingo Fechado
11 a 15 de dezembro Segunda a sexta Das 8h30 às 20h
16 de dezembro Sábado Das 8h30 às 16h
17 de dezembro Domingo Das 16 às 22h
18 a 22 de dezembro Segunda a sexta Das 8h30 às 22h
23 de dezembro Sábado Das 8h30 às 22h
24 de dezembro Domingo Das 8h30 às 15h
26 a 29 de dezembro Terça a sexta Normal
30 de dezembro Sábado Das 8h30 às 16h
31 de dezembro Domingo Fechado
1º de janeiro/18 Segunda Fechado

2 de janeiro o atendimento começa às 13h

*Fechado no dia 25/12

 


MERCADOS

Este horário não se aplica aos supermercados, mercados e minimercados, que poderão abrir as portas, com o uso da mão de obra de seus empregados conforme lei recentemente editada pelo Governo Federal.

Reinaldo de Lima Jr deve ser candidato concorrendo com a atual reitora da instituição                                      

 

O Ministério Público de Santa Catarina endossou recentemente a decisão do Conselho Universitário (Consun) da Universidade do Contestado (UnC) de autorizar a atual reitora Solange Sprandel da Silva a concorrer a reeleição. Apesar de ter manobrado nos bastidores para que o Consun tomasse tal decisão, Solange não confirma a candidatura.

 

O processo eleitoral ainda não foi deflagrado, mas já suscita movimentação de oposição. Professor da UnC e contador, Reinaldo de Lima Junior já declarou pré-candidatura. Quer representar o campus de Canoinhas, mas trabalhar por todos os campi. Na condição de pré-candidato, ele concedeu a seguinte entrevista ao JMais:

 

 

Descreva sua trajetória na UnC.

Minha trajetória na UnC iniciou-se em 1997. Neste ano fui aprovado no vestibular para cursar Ciências Contábeis, pois já possuía o título de Técnico em Contabilidade pelo Colégio Estadual Coronel Cid Gonzaga de Porto União. Colei grau em Ciências Contábeis na UnC em 2001, pois naquele período o curso tinha duração de 5 anos. Ainda em 2001 iniciei a pós-graduação Lato Sensu, em Contabilidade Gerencial e Administração Financeira, também na UnC, concluindo em 2002. Em 2003 fui contratado pela UnC Canoinhas como professor e permaneço até hoje. Neste período ministrei aulas nos cursos de Ciências Contábeis, Administração de Empresas, Tecnologia em Gestão Pública e Tecnologia em Marketing, além de aulas nos cursos de pós-graduação (Lato Sensu) em Canoinhas e Mafra. Neste sentido, sou UnC de formação. Também ocupei o cargo de vice-coordenador (quando existia esta função) e posteriormente coordenador do Curso de Ciências Contábeis. Atualmente sou professor do Curso de Ciências Contábeis e presidente do Núcleo Docente Estruturante do mesmo curso.

 

 

 

Neste ano completamos dez anos de unificação dos CNPJs dos campi da UnC. Que balanço faz desse processo?

O Processo de Unificação da UnC, iniciou em 2009, por uma exigência do Ministério Público. Em uma determinada reunião estiveram presentes os dirigentes da UnC, representante do Conselho Estadual de Educação, promotores de Justiças das Comarcas (da UnC), onde foi apresentado todo o contexto de necessidade de adequação do formato jurídico/organizacional da UnC. Todo o processo foi orientado e supervisionado pelo Ministério Público. Cabe destacar que foram realizadas auditorias em todas as Fundações e diante do parecer dos auditores, os gestores daquele período, com o aval da Assembleia das Fundações, optaram pela permanência do CNPJ da Fundação da UnC de Mafra. Com relação ao reflexo da unificação temos que destacar alguns pontos. a) O formato utilizado pela UnC antes da unificação, não era mais aceito pelo Ministério Público, desta forma era necessário fazer algo, ou seja, regularizar aquela situação jurídica do momento; b) As antigas Fundações, ao meu ver, possuíam duas opções, unificar ou desvincular daquele sistema, pode-se citar como exemplo a Fundação de Caçador, que seguiu a segunda opção. Entendo que a UnC unificada se fortaleceu, pois meu pensamento, seja na Universidade ou fora dela, é de que juntos somos fortes, separados perdemos força. Entendo também, que os gestores daquele período tinham suas razões plausíveis para unificar.Lembro também, que ocorreu a aprovação pelo legislativo dos municípios, pois as Fundações tinham sido instituídas pelos municípios. Então se a UnC Canoinhas, ou qualquer outro campi universitário tivesse seguido o caminho de Caçador, não sabemos se hoje estaríamos certos da decisão tomada ou lamentando o erro cometido. A decisão foi tomada, certa ou errada, temos que seguir, fortalecendo a Instituição, reconhecendo toda a contribuição que ela tem realizado nos municípios. Contribuição com o desenvolvimento dos municípios. Lembrando sempre, que a UnC é da sociedade, ou seja, a UnC é nossa, pois é uma Fundação. Então ela é uma pessoa jurídica, sem fins econômicos ou lucrativos, que se formam a partir da existência de um patrimônio, para servir a um objetivo específico, voltado as causas de interesse público.

 

 

 

Qual análise faz da gestão da atual reitora?

Acredito que professora Solange não mede esforços para fortalecer a UnC. Entretanto não me cabe julgar a gestão dela ou qualquer outro gestor, seja na UnC ou fora dela. Não sou oposição a atual gestão, ao contrário, gostaria de participar efetivamente da próxima gestão, para continuar o trabalho realizado pela equipe hoje existente. Pois não se pode simplesmente ignorar o trabalho já realizado por todas as pessoas que passaram pela UnC. Esta instituição tem mais de quatro décadas, muito esforço foi destinado para a UnC ser o que é. Desta forma, entendo que renovar é preciso, inovar é necessário, não só na UnC como em qualquer outra entidade.

 

 

 

Concorda com a alteração do estatuto da Fundação que permite que ela se candidate a reeleição?

Quanto a alteração do estatuto, o Ministério Público validou. Como mencionei a fundação é acompanhada e fiscalizada pelo Ministério Público, inclusive com previsão estatutária para essa fiscalização. Neste sentido, se o Ministério Público validou sua alteração é por que não existe nenhuma irregularidade. Quanto à reeleição, cabe destacar que este procedimento adotado no Brasil, em diferentes locais, poderia ser chamado como um mal desnecessário para a democracia. Pois, interpreto este processo de duas formas; 1) Sendo o gestor (independente de entidade ou qualquer outro local), um excelente profissional. Competente, dinâmico, ético e com as demais características positivas que o bom líder deve possuir; ou 2) Totalmente ao contrário da primeira, ou seja, apenas mais uma pessoa com vontade de comandar, porém sem capacidade para tal. Em tese, reeleição é uma proposta boa. Dá a oportunidade de votar novamente em um gestor que se julga eficiente e eficaz. Para o gestor, serve de estímulo para que faça um bom governo e, com isso, seja premiado pelo seu grupo com mais um mandato.

Ficou famosa a frase de Orestes Quércia dizendo após conseguir eleger Luís Antônio Fleury Filho: “Quebrei o Estado, mas fiz meu sucessor”. No meio político, cabe uma análise mais profunda, pois em 2016 tínhamos a seguinte informação: Dos 95 governadores que tentaram a reeleição desde 1998, 61 conseguiram a vitória – o equivalente a 64%. Entre os prefeitos de capitais, o índice sobe para 84%, com 43 dos 51 candidatos obtendo sucesso desde 2000. Desde 1990, quando se intensificaram as permissões para a reeleição nos países da América Latina, somente dois candidatos a um segundo mandato presidencial foram derrotados: Daniel Ortega, na Nicarágua, em 1990, e Hipólito Mejía, na República Dominicana, em 2004. Na América do Sul, os presidentes venceram todas as 17 reeleições.

Pode-se perceber que a possibilidade da reeleição é “quase” a recondução automática ao cargo.

Levantamentos como este, do Senado Federal, com dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), são motivos para avaliar a reeleição de forma negativa e para justificar a sua inclusão no debate sobre uma reforma política.Não há consenso sobre as vantagens e desvantagens da reeleição; e talvez essa discussão seja irrelevante diante de tantos outros desafios do sistema.

Pois bem, sabemos que é fundamental para a democracia a alternância de “poder”. “Quando a alternância de poder não acontece, abrem-se precedentes a comportamentos oportunistas. Corre-se o risco de que avanços ou um legado positivo sejam colocados em xeque”. Cabe frisar, que NÃO estou afirmando que isto pode ocorrer na UnC. Espero que nunca ocorra.

“Uma eleição é feita para corrigir o erro da eleição anterior, mesmo que o agrave”. (Carlos Drummond de Andrade); “A diferença entre um estadista e um demagogo é que este decide pensando nas próximas eleições, enquanto aquele decide pensando nas próximas gerações”. (Winston Churchill).

 

 

 

A justificativa dos apoiadores da atual reitora é que ela fez um bom trabalho e que esse trabalho merece continuidade. Concorda?

Não tenho o habito de julgar pessoas, mas sim resultados. Entretanto acredito que seus apoiadores devem ter razões para tal apoio. Na UnC, tivemos seis Reitores, sendo: a) 1991 a 1998 – AntonioElizioPazeto (Caçador); b) 1998 a 2002 – Mário Bandiera (Caçador); c) 2002 a 2006 – Gaston Mário ZazamajouBojarski (Canoinhas); d) 2006 a 2010 – Werner José Bertoldi (Curitibanos); e) 2010 a 2014 – José Alceu Valério (Mafra); 2014 a 2018 – Solange Salete S. da Silva (Concórdia). Todos estes realizaram um bom trabalho, com certeza todos acertaram e erraram. E sempre o reitor seguinte, imagino eu, tentou melhorar, evoluir. Por isto a renovação é importante. Penso que a renovação permite a correção de possíveis falhas realizadas pelos gestores anteriores, em contrapartida melhorar o que está sendo realizado de positivo.

 

 

 

 

O que o leva a se candidatar a reitor?

Muitas pessoas estão fazendo esta pergunta. Pois eu poderia ser um professor horista (trabalhar durante a noite na UnC) e durante o dia estar à frente de minha empresa (Assecont Org. Contábeis Ltda) que atualmente possui 34 colaboradores, com clientes em diversas cidades, porém, a resposta vai muito além, pois me sinto capaz em exercer esta função. Quem sabe em alguns aspectos de forma diferente da atual gestão, mas com certeza, com as melhores das boas intenções. Também sou uma pessoa com muita vontade de empreender, inovar fazer diferente e fazer a diferença. Quem me conhece, convive comigo,sabe exatamente do que eu estou falando. As entidades, os processos em todos os aspectos precisam ser melhorados, atualizados. Percebo que hoje a sociedade brasileira está desmotivada, estamos nos declarando derrotados. Refiro-me em todos os aspectos, muito além da UnC. Também gostaria de contribuir, implantando uma gestão diferenciada da tradicional. Também quero frisar que esta inciativa surgiu fora da Universidade, participo de diversas entidades (voluntariamente) e este apoio da sociedade de Canoinhas e região fez com que eu tomasse esta decisão e colocasse meu nome como pré-candidato a reitor. Se observar o ciclo de reitores já mencionados, agora seria a vez de Canoinhas, já que Caçador não faz mais parte deste processo. Canoinhas merece, Canoinhas pode.

 

 

Tem conseguido apoio?

Tenho muito apoio da sociedade, posso citar diversas entidades do Planalto Norte Catarinense, Poder Executivo e Legislativo de diversos municípios da região. E estamos conseguindo apoio da comunidade acadêmica. Acredito que quando deflagrar o processo eleitoral, será possível apresentar nosso projeto e aísim a comunidade vai conhecer nossas intenções.

 

 

Conversou com a atual reitora? Ela chegou a te fazer alguma proposta de parceria?

Conversei. Fiz questão de informá-la desta minha disposição, não só ela como todos os dirigentes da instituição. Entendo e respeito muito bem a hierarquia da UnC e por esta razão não poupei esforços para dizer que não sou um revoltado ou oposição. Minha intenção é contribuir, somar. Quanto a uma possível parceria, não chegamos a conversar sobre o assunto, entretanto sou o único pré-candidato declarado na Universidade. Com certeza teremos outros, mas atualmente pelo que sei sou o único, nem mesmo a professora Solange se declarou candidata à reeleição.

 

 

Qual a importância de Canoinhas ter um reitor que trabalhe justamente aqui?

Temos de deixar claroque a sede da Reitoria não vai mudar, vai continuar sendo Mafra, porém o reitor seria de Canoinhas. Com certeza é muito importante para o município. Como muitas pessoas comentam que a Universidade é uma “fábrica sem chaminé” Canoinhas só tem a ganhar. Como uma importância similar, pode-se comparar a necessidade de Canoinhas ter um deputado estadual, um deputado federal é muito importante possuir um reitor também.Destaco que o reitor não vai olhar apenas para o seu município, mas sim para todosos municípios onde a UnC está inserida. Lembro que a UnC conta com uma estrutura deliberativa e a uma executiva. A primeira é o Conselho Universitário (Consun) e a segunda, ou seja, a executiva, é a Reitoria. A reitoria é composta pelo reitor, vice-reitor e mais três pró-reitores. Entendo que estes cargos devem ser distribuídos em todos os campi universitários. Canoinhas possui o mestrado em Desenvolvimento Regional, inclusive, aproveito para parabenizar aos envolvidos neste programa, pois foi avaliado pela Capes com conceito 4, um ótimo conceito. Então ouso a dizer, que Canoinhas contribuiu muito para a UnC ser e permanecer com o título de Universidade, pois sem o mestrado quem sabe isto seria impossível.