< agosto 2016 - JMais | Jornalismo Digital Archive | JMais | Jornalismo Digital

Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

A cerimônia ocorreu no plenário do Senado, que estava lotado de senadores, deputados, ex-parlamentares e convidados                                                                                                    

 

O plenário do Congresso Nacional acaba de dar posse a Michel Temer como presidente da República. Ele já estava no cargo interinamente desde o afastamento de Dilma Rousseff por consequência da abertura do processo de impeachment dela, em maio deste ano. A posse foi dada pelo presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL).

A cerimônia ocorreu no plenário do Senado, que estava lotado de senadores, deputados, ex-parlamentares e convidados. Temer leu juramento em que se compromete a defender e respeitar a Constituição. Em seguida, foi lido o termo posse.

A posse foi marcada logo após o plenário do Senado decidir pelo impedimento da presidenta e Temer ser notificado de que assumiria definitivamente a Presidência da República até 31 de dezembro de 2018, quando termina o mandato.

Michel Temer é jurista especializado em direito constitucional e atuou como parlamentar por cerca de 25 anos, entre mandatos assumidos como eleito e suplente. Foi presidente da Câmara dos Deputados por três vezes e foi eleito como vice-presidente junto com Dilma Rousseff em 2010 e depois reeleito em 2014.

 

PERFIL

Considerado discreto e hábil negociador, o advogado e professor de direito Michel Miguel Elias Temer Lulia (PMDB), 75, chega à Presidência da República, o maior desafio de sua trajetória, de forma interina, com uma larga experiência política, algumas suspeitas e uma condenação. Em 2016, com a fama de gostar do que faz, ele completa 35 anos de política partidária –sua militância começou, porém, há mais de 50 anos

Posse de Michel Temer efetivamente na Presidência acontece ainda nesta quarta

 

Depois de aprovar a perda do mandato de Dilma Rousseff, o Senado também manteve, por 42 votos a 36, os direitos políticos de Dilma. Com isso, ela pode ocupar cargo público. Foram registradas três abstenções. A votação deste quesito foi feita separadamente a pedido de senadores do PT, que apresentaram o requerimento logo no início do dia e que foi acatado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, mesmo sob protestos de aliados do presidente interino Michel Temer.

 

ENCAMINHAMENTOS

A senadora peemedebista Kátia Abreu  (TO) foi a primeira a argumentar contra a perda dos direitos políticos de Dilma Rousseff. Para fundamentar a argumentação, ela leu trecho escrito pelo presidente interino Michel Temer dizendo que as penas “são autônomas e independentes” e não “acessórias”.

“É uma pessoa que com certeza pode ser convidada para dar aulas em universidades”, disse. “A presidente Dilma precisa continuar trabalhando para poder suprir suas necessidades. Não vote pelas palavras de uma pessoa, mas pela sua consciência e por aquilo que acreditam na personalidade da presidente Dilma”, disse.

Na defesa pela perda dos direitos, o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) afirmou que o Senado não protagonizou uma farsa, como declararam aliados de Dilma. “É um procedimento legítimo, que legitima a decisão que tomamos agora. Aqui não houve golpe”, assegurou. Nunes ainda criticou a comparação feita pelo senador Lindbergh Farias (PT-RJ), minutos antes, do atual julgamento com a sessão que declarou a vacância do cargo até então ocupado por João Goulart. “É uma burla a história deste país. Não tem nada a ver. Primeiro porque não houve deliberação do Congresso naquela ocasião. Em segundo porque o Congresso estava sitiado. As únicas desordens hoje em dia são promovidas pelas informações factoides que vive o PT. Pessoas que incendeiam pneus, pessoas que tiveram audácia de dizer que pegaria em armas se o impeachment fosse aprovado”, disse .

Nunes disse que a Constituição deixa claro que a perda do mandato no caso de crime de responsabilidade está associada à perda dos direitos políticos e afirmou que é possível ocupar função pública sem ocupar cargo público. “Além de invocar a letra da Constituição, quero invocar o artigo que trata da perda do mandato com a inabilitação”, pediu.

Sereno, o senador Capiberibe fez um apelo “em nome da conciliação” e do reencontro. “O sectarismo só nos divide mais”, afirmou ao destacar que a política tem que ser uma “atividade conciliadora”. “Não tivemos a capacidade de construir uma alternativa mais consensual. Fomos para o confronto. Mas não podemos esquecer o amanhã. Não basta derrotar? Tem que esmagar?”, disse.

Num tom dramático, Jorge Viana (PT-AC) fez uma analogia com a morte de Tiradentes e afirmou que a votação em duas fases está prevista na Lei do Impeachment (1.079). “Não estamos em Ouro Preto enforcando ninguém e para ter certeza, esquartejando”, disse. Viana disse que Dilma não poderá sequer dar aula em universidades se perder os direitos políticos. “Excessos todos cometemos aqui, mas todos nós, ainda mais num processo delicado como este, vamos ter que seguir convivendo com os outros”, disse.

O líder tucano Cássio Cunha Lima (PB) afirmou que “por trás” da possível manutenção dos direitos políticos há “mais um acordo entre Dilma e [o ex-presidente da Câmara Eduardo] Cunha porque o resultado dessa cassação terá repercussão na votação de Cunha [que vai definir o futuro de seu mandato em sessão agendada para o próximo dia 12]. O que estaremos fazendo é permitir que a presidente Dilma perca seu cargo e amanhã inicie uma campanha Brasil afora”, disse.

Cunha Lima antecedeu o presidente de seu partido, Aécio Neves (MG), que emocionado declarou: “Venceu a democracia, venceu a Constituição, venceu o Brasil”, comemorando o resultado. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pediu a palavra e antecipou o voto contrário à inabilitação da petista.

Por 61 a 20 , o plenário do Senado decide pelo impeachment de Dilma Rousseff                                                     

da Agência Brasil

Por 61 a 20, o plenário do Senado acaba de decidir pelo impeachment de Dilma Rousseff. O resultado – comemorado com aplausos por aliados do presidente interino Michel Temer – foi proclamado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, que comandou o julgamento do processo no Senado, iniciado na quinta-feira, 25.  Sem nenhuma abstenção. A posse de Temer ocorrerá ainda hoje.

Fernando Collor, primeiro presidente eleito por voto direto após a ditadura militar, foi o primeiro chefe de governo brasileiro afastado do poder em um processo de impeachment, em 1992. Dilma Rousseff é a segunda a perder o mandato no mesmo tipo de processo.

Dilma fará uma declaração à imprensa. Senadores aliados da petista estão se dirigindo ao Palácio da Alvorada para acompanhar o pronunciamento de Dilma.

 

JULGAMENTO

A fase final de julgamento começou na última quinta-feira (25) e se arrastou até hoje com a manifestação da própria representada, além da fala de senadores, testemunhas e dos advogados das duas partes. Nesse último dia, o ministro Ricardo Lewandowski leu um relatório resumido elencando provas e os principais argumentos apresentados ao longo do processo pela acusação e defesa. Quatro senadores escolhidos por cada um dos lados – Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), pela defesa, e Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Ana Amélia (PP-RS), pela acusação – encaminharam a votação que ocorreu de forma nominal, em painel eletrônico.

 

HISTÓRICO

O processo de impeachment começou a tramitar no início de dezembro de 2015, quando o então presidente da Câmara dos Deputados e um dos maiores adversários políticos de Dilma, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceitou a peça apresentada pelos advogados Miguel Reale Jr., Janaína Paschoal e Hélio Bicudo.

No pedido, os três autores acusaram Dilma de ter cometido crime de responsabilidade fiscal e elencaram fatos de anos anteriores, mas o processo teve andamento apenas com as denúncias relativas a 2015. Na Câmara, a admissibilidade do processo foi aprovada em abril e enviado ao Senado, onde foi analisada por uma comissão especia, onde foi aprovado relatório do senador Antonio Anastasia (PMDB-MG) a favor do afastamento definitivo da presidenta.

Entre as acusações as quais Dilma foi julgada estavam a edição de três decretos de crédito suplementares sem a autorização do Legislativo e em desacordo com a meta fiscal que vigorava na época, e as operações que ficaram conhecidas como pedaladas fiscais, que tratavam-se de atrasos no repasse de recursos do Tesouro aos bancos públicos responsáveis pelo pagamento de benefícios sociais, como o Plano Safra.

Confira o Preto no Branco, que desconstrói o discurso dos candidatos                                    

 

Beto Passos (PSD) continuou falando de agricultura, prometendo “um olhar especial” sobre o setor durante seu mandato. O candidato prometeu parceria entre Secretaria de Obras e Desenvolvimento Rural, com extensão de rede de telefonia e acesso a internet para o meio rural. “O secretário de Agricultura tem de ser alguém que de fato conheça a área rural do Município”, frisou. Prometeu reestruturar o Porteira Adentro para compra de equipamentos e suporte técnico para os agricultores e eventos e feiras para apoiar culturas como da amora preta, fumicultura, suinocultura e leite. Prometeu nomear técnicos concursados para projetos específicos em suas áreas de formação, capacitação de mulheres e jovens, estimulando o empreendedorismo evitando, assim, o êxodo rural. Prometeu, ainda, estimular o artesanato e fortalecer as entidades de capacitação.

Passos prometeu distribuir seu plano de governo nos próximos dias para a comunidade canoinhense.

Beto Faria (PMDB), por sua vez, continuou a falar sobre saúde, mas focando no saneamento básico. “Saneamento básico é investimento em saúde. Esse é nosso compromisso. Investir cada vez mais na qualidade de vida da nossa população”, garantiu Faria.

Os locutores Stela Maris e Cleber Marcel falaram sobre a importância de se instalar redes de esgoto nas cidades e lembraram que muitos políticos não gostam de investir em saneamento porque a obra fica debaixo da terra. “Mas Beto Faria não é um candidato comum e, corajoso, projetou o Município para os próximos 100 anos. O resultado não pode ser visto, vai render poucos votos, mas vai melhorar e muito a cidade”, garantiu a locutora.

Faria falou em seguida lembrando do transtorno necessário que “projeta Canoinhas para um futuro melhor. Até o momento assentamos pelo menos 44 km de rede coletora de esgoto. A previsão neste etapa, é de implantar 51 km de rede coletora de esgoto. Um sonho para todos nós. Também estão sendo implementadas duas elevatórias de esgoto. Estas obras tem previsão de término em março de 2017. É uma obra que esperávamos há mais de 40 anos. Não quero mais ver uma mãe preocupada com o filho que brinca próximo de esgoto a céu aberto”, garantiu, prometendo avançar cada vez mais na rede coletora de esgoto. “Hoje nem vou falar em voto, fiz essa obra pensando em você canoinhense, pensando no seu bem-estar”, concluiu.

 

preto no brancoVamos aos fatos. Quando Beto Passos fala em ampliar internet e telefonia para a área rural, esquece que vai precisar convencer uma operadora a investir no interior de Canoinhas. Não cabe ao Município fazer isso. Hoje, aliás, uma das grandes queixas da comunidade do Rio dos Pardos é uma antena da TIM, instalada na localidade, mas que não funciona. As demais promessas de Passos não apresentam novidade em relação ao que já está sendo feito no campo, como o programa Porteira Adentro, uma grande inovação implementada por Leoberto Weinert e mantida por Faria. Feiras como da Amora Preta já acontecem com relativo sucesso há alguns anos. Canoinhas, por sinal, tem uma central de congelamento de frutas, medida também implementada por Weinert. Quando fala em nomear técnicos para trabalhar projetos específicos, certamente se inspira no programa Educação no Campo, também herança de Weinert.

Já Beto Faria se gaba de ter implementada a rede de esgoto em Canoinhas e fala em transtorno, sem citar os tantos casos de calçadas destruídas e não reconstruídas como eram por parte da Itajuí (leia mais aqui), concessionária que venceu a licitação para fazer a obra que, frise-se, é 100% custeada pela Casan, concessionária que explora os serviços de água e esgoto em Canoinhas. A Casan só iniciou o investimento com 40 anos de atraso, porque Weinert, mais uma vez, peitou até mesmo o governador à época, Luiz Henrique da Silveira, afirmando que se a Casan não investisse em Canoinhas, iria municipalizar o serviço de água e esgoto. Mais uma vez, Faria colheu frutos plantados por Weinert (leia mais aqui). É isso.

A vítima foi entregue ao hospital de Papanduva, onde segue internada, mas estável              

 

Um homem foi atropelado pelo próprio caminhão na manhã desta segunda-feira, 29, no KM 58 da BR-116, próximo ao Posto Matinhos, em Papanduva.

Segundo informações dos bombeiros,  o caminhão disparou e passou por cima das pernas do motorista quando ele consertava os freios do veículo.

Ainda de acordo com os bombeiros de Papanduva, o homem queixava-se de fortes dores no abdômen e na pélvis. As duas pernas do homem foram fraturadas.

A vítima foi entregue ao hospital de Papanduva, onde segue internada, mas estável.

Para saber se tem direito ao abono, o trabalhador deve ligar para o número 158, do Ministério do Trabalho

 

Termina nesta quarta-feira, 31, o prazo para trabalhadores sacarem o abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), ano-base 2014. Segundo o Ministério do Trabalho, cerca de 1 milhão de trabalhadores ainda não sacaram o benefício, disponível nas agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil.

O abono tem o valor de um salário mínimo, R$ 880. Podem receber a quantia os trabalhadores que tiveram a carteira assinada por pelo menos 30 dias e receberam até dois salários mínimos em 2014.

 

CONSULTA

Para saber se tem direito ao abono, o trabalhador deve ligar para o número 158, do Ministério do Trabalho. Também é possível obter informações na Caixa ou no Banco do Brasil, pelos números 0800 726 0207 e 0800 729 0001.

Para consultar pela internet, é preciso acessar o site do Ministério do Trabalho e clicar no banner Abono Salarial, localizado na parte superior da tela. No local, é possível visualizar a lista dos trabalhadores que ainda não fizeram o saque, dividida por estado e município e em ordem alfabética. A página abonosalarial.mte.gov.br oferece a consulta por meio do número do PIS/Pasep ou do CPF e da data de nascimento.

Assista a reportagem da TV Senado

No total, 67 senadores se inscreveram, mas quatro desistiram de discursar                                       

 

Com o discurso do senador Romário (PSB-RJ) foi encerrada a fase de pronunciamento dos senadores no julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada, Dilma Rousseff. No total, 67 senadores se inscreveram, mas quatro desistiram de discursar. Posteriormente Romário se inscreveu, para chegar ao número final de 63 inscritos. Destes, 44 falaram a favor do impeachment, 18 contra e um não declarou abertamente sua intenção de voto.

Em seu discurso, Romário disse ser favorável ao impeachment e não imaginava cumprir o papel de juiz em um processo de impedimento. “É um momento triste quando se decide afastar uma presidente da República”, disse. O senador disse estar convencido que Dilma cometeu crime de responsabilidade. “Estou convencido pelos fatos e amparado pela minha consciência”.

Em uma fala rápida, de menos de cinco minutos, Romário falou em superação da crise e união do país após o afastamento definitivo de Dilma. Ao falar sobre a necessidade de reformas, o senador afirmou que não apoiará propostas que queiram retirar direitos e garantias sociais. “Não apoiarei nenhuma medida que retire conquistas sociais dos trabalhadores. É pelas mãos deles que sairemos dessa situação”, disse.

A sessão dessa terça-feira, 30, durou quase 17 horas, incluindo as falas da defesa e da acusação e os discursos dos senadores. Os discursos duraram cerca de 12 horas, tendo iniciado por volta das 14h30 e se encerrado cerca de 2h30 da quarta-feira, 31.

Após o voto de Romário, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, que conduz os trabalhos no Senado, disse que a sessão final para votação do julgamento do impeachment da presidenta afastada Dilma Roussef vai ser retomada hoje (31), a partir das 11h. Para o impedimento definitivo, são necessários ao menos 54 votos entre os 81 senadores.

 

DEZ MINUTOS

Cada senador teve 10 minutos para falar da tribuna na etapa de discursos. O primeiro da lista foi Gladson Cameli (PP-AC). Em seguida foi a vez do relator do processo de impeachment na comissão especial do Senado, o tucano Antonio Anastasia (MG), que reafirmou que houve crime de responsabilidade.

 

DIA D

Os senadores retomam nesta quarta-feira, 31, a partir das 11h, a sessão final para votação e julgamento do processo de impeachment da presidente Dilma. A reunião começará com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, que conduz os trabalhos no Senado, apresentando uma síntese das alegações finais da acusação e da defesa.

Em seguida, ele deverá responder a algumas questões de ordem que podem ser apresentadas pelos senadores ou pelos advogados sobre a votação. Uma das questões que deve ser colocada é em relação à pergunta que será feita aos senadores no momento de votar.

Está previsto que Lewandowski faça a seguinte pergunta: “Cometeu a acusada, a senhora presidenta da República, Dilma Vana Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos junto à instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhe são imputados, e deve ser condenada à perda do seu cargo, ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazo de oito anos?”.

A defesa, no entanto, deve questionar se a condenação da presidenta vai implicar necessariamente e automaticamente a perda dos direitos políticos por oito anos, ou se será o caso de fazer essa pergunta separadamente para uma nova votação.

Lewandowski deverá responder unilateralmente a essa e a qualquer outra questão que seja colocada, bem como a pedidos de votação em destaque que sejam apresentados. Suas decisões não poderão ser objeto de recurso ao plenário.

Concluídas essas preliminares, o presidente designará dois senadores favoráveis e dois contrários para fazerem o encaminhamento da votação por cinco minutos cada. Em seguida, será feita a pergunta e aberto o painel para a votação dos senadores. Para que a presidenta seja condenada são necessários pelo menos 54 votos, que equivalem à maioria qualificada, ou dois terços dos 81 senadores.

Embora a votação seja aberta, ela será eletrônica, no painel, e não haverá chamada nominal para que os senadores pronunciem seus votos oralmente. Depois que todos tiverem votado, Lewandowski abrirá o painel e o resultado será divulgado. Ele lavrará a sentença na mesma hora e todos os senadores serão convidados a assinar. Na sequência, será publicada a resolução.

Se a presidenta for condenada, ela será imediatamente notificada, bem como o presidente interino Michel Temer. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), deverá então convocar uma sessão do Congresso Nacional para o mesmo dia, a ser realizada na Câmara dos Deputados, para dar posse a Temer.

31 de agosto de 2016

O Globo

 

Manchete : Nunca antes

Em dia histórico, país deverá ter hoje impeachment e duas posses

O Brasil viverá hoje um dia histórico, com a provável aprovação do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, que porá fim a 13 anos do PT no comando do país, e a efetivação e posse do presidente interino, Michel Temer (PMDB). Nesse caso, Temer embarcará no fim do dia para a China, onde participará da cúpula do G-20, transmitindo o cargo interinamente para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). No mesmo dia, portanto, o país poderá ter três presidentes. Ontem, Dilma ficou mais perto da queda com a indicação de que senadores indecisos devem votar pró-impeachment, como o ex-presidente Collor, que viveu a mesma situação há quase 24 anos. O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, marcou o início da sessão de votação para as 11h. São necessários 54 votos para o afastamento. Caso o impeachment seja aprovado, Dilma terá de deixar o Palácio da Alvorada, mas manterá benefícios como carro com motorista e segurança. (Págs. 3 a 12)

 

Vice de Janot sai após ato contra Temer

Após a divulgação de vídeo em que aparece num ato em Portugal contra o presidente interino, Michel Temer, a vice- procuradora-geral da República, Ela Wiecko, pediu exoneração do cargo. O procurador- geral, Rodrigo Janot, aceitou. (Pág. 9)

 

Temer: ‘Brasil está pacificado juridicamente’

Em conversa com MÍRIAM LEITÃO, o presidente interino, Michel Temer, diz que pretende encaminhar a reforma da Previdência antes das eleições e afirma que o lema de seu governo será dialogar sempre, sem ceder no principal (Pág. 24)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

 

Manchete : Placar indica saída de Dilma

Votação final sobre cassação do mandato da petista é adiada para hoje
Aliados de Michel Temer asseguram votos de senadores do Maranhão
Caso impeachment se confirme, presidente em exercício tomará posse à tarde

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, deixou para hoje a votação final do impeachment de Dilma Rousseff, após dia de discursos de senadores e advogados de defesa e acusação. Até o início da madrugada, o Placar do Impeachment do Estado indicava 55 votos a favor da cassação e 20 contra. São necessários 54 para que a petista perca o cargo. Ofensiva do governo Michel Temer assegurou o apoio de três senadores do Maranhão: Edison Lobão (PMDB), Roberto Rocha (PSB) e João Alberto Souza (PMDB). Cargos entraram no acerto. Apesar do discurso de neutralidade, o governo também tentou sem sucesso acelerar o julgamento para que, caso o impeachment seja aprovado, Temer tome posse no Congresso ainda hoje, faça reunião com ministros e líderes da base e possa viajar para a China. Para tentar evitar a perda de direitos políticos de Dilma, sua defesa deve pedir fatiamento da votação. (Política A4 a A9)

 

Na véspera, tensão e lágrimas

Advogados de defesa e acusação de Dilma Rousseff se emocionam em seus discursos finais

“Finalizo pedindo desculpas à senhora presidente. Não por ter feito o que fiz, mas por ter lhe causado sofrimento”
JANAINA PASCHOAL – AUTORA DO PEDIDO DE IMPEACHMENT

“Peço a Deus que, se Dilma for condenada, um novo ministro da Justiça tenha dignidade de se desculpar a ela”
JOSÉ EDUARDO CARDOZO – EX-MINISTRO E ADVOGADO DE DEFESA

 

Collor: ‘Dilma era tragédia anunciada’ (Pág. 7)

 

Temer prepara primeira reunião ministerial (Pág. 8)

 

Após participar de ato, vice de Janot deixa cargo (Pág. 10)

 

Líder do governo promete casas a eleitores em SE (Pág. 12)

 

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

 

Manchete: Senado tem maioria para cassar Dilma; Temer já prepara a posse

Presidente interino planeja pronunciamento em rede nacional antes de viajar à China para reunião do G20

Ao fim dos sete dias de julgamento, o Senado define nesta quarta-feira (31) o futuro da presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo enquete feita pela Folha, 54 dos 81 senadores declararam seus votos a favor do impeachment da petista. O número é o mínimo necessário para a cassação de Dilma, reeleita em 2014. Ela responde a acusações de fraude fiscal desde dezembro de 2015, quando o processo foi aberto na Câmara. A petista nega ter cometido crime de responsabilidade. O Palácio do Planalto, comandado pelo presidente interino, Michel Temer (PMDB), calcula que obterá 60 votos. Caso Dilma seja cassada, o peemedebista convocará ministros e aliados para tentar dar peso político à sua posse no Congresso. A solenidade de meia hora seguirá rito de 1992, quando Itamar Franco substituiu Fernando Collor de Mello após impeachment. No evento, ele pretende entregar a previsão orçamentária de 2017, sem expectativa de aumento de impostos. Em seguida, Temer deve fazer uma reunião ministerial e um pronunciamento em rede nacional sobre os rumos de sua gestão. Ele quer viajar ainda nesta quarta para uma reunião do G20 (grupo das maiores economias do mundo) na China. (Poder A4)

 

Foto-legenda: Dois lados

José Eduardo Cardozo, que defende Dilma, é cumprimentado após sua argumentação final; Janaina Paschoal e Miguel Reale Jr., da acusação, recebem flores (Poder A7)

 

Prefeitos temem efeito do processo de impeachment

O processo de impeachment de Dilma Rousseff tem provocado insegurança jurídica nos prefeitos, diz Gilberto Perre, secretário da Frente Nacional de Prefeitos. Para ele, “o precedente do impeachment de um governante por não atendimento à lei fiscal” gera o entendimento de que os demais estão ameaçados. Perre defende revisão na Lei de Responsabilidade Fiscal. (Poder A9)

 

Deficit aumenta e juro menor pode ficar para 2017

O aumento no deficit da Previdência e o acerto de pedaladas levaram as contas do governo federal a fechar julho com deficit de R$ 18,6 bilhões, alta de 140% ante o mesmo mês de 2015. O governo de Michel Temer (PMDB) avalia que a resistência da inflação e a demora no ajuste fiscal podem fazer o Banco Central adiar o corte da taxa de juros para 2017. (Mercado pág. 1 e pág. 4)

Reunião na tarde desta terça-feira, 30, expôs para representantes das coligações o regulamento dos debates que acontecem em setembro

 

eleições jmaisO JMais e a Band FM Canoinhas, com apoio da Associação Empresarial de Canoinhas e Ordem dos Advogados do Brasil (Subseção Canoinhas), vão promover quatro debates com os candidatos a prefeito da comarca. Os debates acontecerão nos dias 14 (Canoinhas), 16 (Três Barras), 21 (Bela Vista do Toldo) e 23 (Major Vieira). Com exceção do debate de Canoinhas, todos os outros três serão nos estúdios da Band FM sem presença de plateia.

O debate com os candidatos de Canoinhas será realizado na Sociedade Beneficente Operária (SBO) das 20 às 22 horas, mesmo horário dos debates em estúdio.

Uma reunião na tarde desta terça-feira, 30, com representantes dos candidatos a prefeito serviu para que a organização expusesse o regulamento. Dos dez candidatos da comarca, apenas Adilson Litcoski (PSDB), de Major Vieira, não mandou representante. Os participantes apresentaram poucas sugestões ao regulamento. Eles têm até sexta-feira, 2, para assinar o termo de anuência com as regras do debate. Caso um ou mais candidatos discordem, o debate se mantém da mesma maneira. Se somente um candidato concordar, o debate se transforma em entrevista com algumas alterações no regulamento.

 

AS REGRAS

O debate será dividido em cinco blocos. No primeiro, os candidatos terão quatro minutos para apresentar seus respectivos planos de governo.

No segundo bloco eles serão sabatinados por representantes de dez veículos de imprensa da região.

No terceiro bloco eles respondem a perguntas do público. No caso do debate de Canoinhas, a plateia faz as perguntas. Já nos debates em estúdio as perguntas poderão ser mandadas por email.

O quarto bloco servirá para que os candidatos se confrontem, questionando uns aos outros.

O último bloco será de considerações finais.

 

TRANSMISSÃO

Os quatro debates terão transmissão ao vivo da Band FM Canoinhas. No JMais, os internautas poderão assistir o debate ao vivo via streaming. “O sucesso destes eventos será a repercussão que a discussão das propostas para os municípios terá no voto do eleitor que, certamente, usará estes debates como elemento importante na hora de decidir o destino das nossas cidades”, afirma o editor do JMais, Edinei Wassoaski.

Os cinco trabalham para uma empreiteira e retornavam para a empresa no momento do acidente

 

Cinco pessoas ficaram feridas em um acidente no começo da noite desta terça-feira, 30, na BR-280, em frente à empresa Quantum, em Canoinhas. Segundo testemunhas, uma Van com funcionários da Rocha Empreendimentos, empreiteira de Canoinhas, foi fechada por um Fiesta que entrava na rodovia.

Com o impacto da batida, a van chegou a tombar a cerca de 20 metros de uma ribanceira.

Os funcionários da Rocha estavam retornando à empresa, que fica às margens da rodovia, bem próxima do local do acidente. Os cinco feridos estavam na Van e foram conduzidos por bombeiros de Canoinhas para o Pronto Atendimento Municipal. Dos cinco, um dos casos inspira cuidados.

No Fiesta estava somente o motorista, que nada sofreu.

14172019_627271904117163_2021168310_n 14182141_627271894117164_1982000622_n 14182249_627271890783831_1609189022_n 14193648_627271897450497_896045662_n 14193803_627271880783832_1782029021_n

A Loja Leonardo, de Canoinhas, foi assaltada no fim de semana em Canoinhas. Os ladrões danificaram o sistema de alarme da loja e quebraram a janela que fica nos fundos do estabelecimento.

Eles levaram duas câmeras fotográficas digitais Sony, 14 telefones celulares, dois notebooks e seis tablets, além de quantia não informada em moedas. A Polícia não tem pistas sobre os autores do crime.

Beto Faria elencou suas obras na área de saúde enquanto Beto Passos prometeu melhores estradas no interior

 

Beto Faria (PMDB) falou sobre saúde no quarto programa, afirmando que a saúde de Canoinhas já esteve na UTI. “A cidade tinha poucos postos de saúde, era comum faltar médico e quase não tinha atendimento especializado. O sistema público estava falido”, afirma o locutor Cleber Marcel.

O locutor garante que Canoinhas deu a volta por cima na saúde, elencando as obras da saúde feitas por Faria como prefeito: reforma e ampliação da Clínica da Mulher e da Criança, unidades básicas do Cristo Rei,  Cohab 1, Campo d’Água Verde, Paula Pereira, Pinheiros, Felipe Schmidt e Arroios, Centro de Apoio Psicossocial (Caps), unidade de saúde do Água Verde, Alto da Tijuca, fortalecimento de exames e procedimentos cirúrgicos, enfermeiros e médicos especializados. novas ambulâncias e automóveis e a nova Policlínica Municipal, além da Unidade de Pronto Atendimento.

Faria falou na sequência, prometendo um novo centro cirúrgico para o Hospital Santa Cruz e reforçar o atendimento à atenção básica. “Queremos e iremos realizar equipes de estratégias de saúde da família, criar o Programa Municipal de Saúde da Família para atender bairros, além de ampliar atendimento de médicos especialistas. “Trabalhamos com propostas sérias e capazes de serem realizadas, porque conhecemos a situação do Município”, disse.

Beto Passos (PSD) falou sobre agricultura. “Como serão tratados o interior e a agricultura no governo Passos e Pike?”, questionou o locutor Tato Mansur.

Passos frisou a precariedade das estradas. “Infelizmente o agricultor não está conseguindo escoar sua produção. Não consegue sair da sua lavoura, as estradas não oferecem condições. Importante frisarmos nosso compromisso com o interior. De nada adianta mão de obra qualificada se na hora de tirar a produção, não há estradas transitáveis”.

O candidato prometeu criar um cronograma de obras que será divulgado antecipadamente nos meios de comunicação a fim de atender todos os 2,2 mil quilômetros da comunidade rural do Município. Passos garantiu que as máquinas só sairão de determinada localidade quando o serviço estiver completo. O candidato prometeu voltar ao assunto no próximo programa.

 

preto no brancoVamos aos fatos. As obras elencadas por Faria de fato foram erguidas, mas no caso da Policlínica Municipal, a obra foi herdada do governo anterior e só inaugurada há poucos dias de a campanha começar. A Unidade de Saúde do Alto da Tijuca só existe o prédio. Não há funcionários, muito menos médicos trabalhando. A saúde, por sinal, foi um dos motivos que levou Canoinhas a ficar 409 posições atrás de Mafra no Ranking de Eficiência de Municípios lançado pelo jornal Folha de S. Paulo no fim de semana (saiba mais aqui)

Já Beto Passos, bem menos ambicioso do que no dia anterior quando fez promessas para a saúde, tocou em pontos sensíveis relacionados à má conservação das estradas do interior e prometeu anunciar antecipadamente o cronograma de obras. Faltou explicar, no entanto, como fica esse cronograma prévio se chover.

 

 

 

A campanha é uma parceria entre Senac e Sindilojas                                                                                    

 

O Senac de Canoinhas iniciou uma campanha solidária de arrecadação de produtos de higiene pessoal e limpeza, que serão doados ao Lar de Idosos, Casa Máter Rainha da Paz e à Casa de Passagem Nova Canaã, todas instituições de Canoinhas.

A campanha é uma parceria entre Senac e Sindilojas. Segundo as entidades, podem ser doados produtos como escova e creme dental, sabonete, shampoo, óleo de girassol, fraldas infantis, fraldas geriátricas, absorventes pós-parto, tolhas de banho, desinfetante, sabão em pó, água sanitária, detergente, esponja, vassouras e rodos.

As doações podem ser entregues na sede do Senac, no Sindilojas, Farmácia Popular Masterfarma, Farmácia Vital, Supermercados Steidel, Bom Dia Um e da Avenida.

content_id (1)

 

Durante o dia os participantes puderam conhecer produtos e equipamentos voltados à atividade leiteira

 

Produtores rurais e técnicos se reuniram no domingo, 28, em Canoinhas para participar de um domingo diferente, programado para as famílias, com atividades para adultos e crianças. Este foi o 1º Encontro Regional de Famílias do Programa Planorte Leite, que une técnica e ação visando melhorar a produção e a qualidade do leite produzido no Planalto Norte Catarinense através de capacitação permanente, incentivos ao uso de energia alternativa, educação e saúde, pastagens diferenciadas, certificação sanitária, central de inseminação, entre outras ações voltadas ao desenvolvimento sustentável da cadeia. Cerca de 850 pessoas passaram pelo evento.

O presidente da Associação dos Municípios do Planalto Norte (Amplanorte) e prefeito de Três Barras, Eloi José Quege representou os prefeitos da região e explicou que este é um dos produtos que resultam da mudança de consciência das gestões, que resolveram mudar a região reprimida economicamente incentivando a união e a luta contra os problemas do Planalto Norte e não de um município isolado. Demonstrou apoio irrestrito aos produtores.

O gerente Regional da Epagri de Canoinhas, João Donato Noernberg, lembrou que é preciso fazer mais, ousar e que o programa quer ajudar a trazer não apenas dinheiro para as famílias, mas também bem estar, saúde e felicidade. A gerente de Mafra, Bernadete Grein falou da satisfação em ter diversas famílias unidas para um bem comum, desenvolver a região, a renda e a qualidade dos produtos. Após uma celebração religiosa foi realizada uma palestra sobre saúde, abordando atividade física, alimentação, bem estar e prevenção de doenças.

A Epagri ainda apresentou um Projeto Piloto Estruturante do Programa SC Rural, o qual está sendo desenvolvido em Canoinhas e deve ser estendido aos outros municípios em breve. O objetivo é melhorar a situação social, educação e saúde das famílias participantes. O Secretário Executivo da Amplanorte, Helio Daniel Costa, recebeu o diagnóstico e ações que envolvem trabalhos a serem desenvolvidos com estas famílias do Projeto e garantiu que o agronegócio será o precursor do desenvolvimento da região.

Para finalizar as atividades a Epagri ministrou palestra sobre a importância da organização na atividade leiteira, abordando temas como commodities (produtos de baixo valor agregado), agricultura industrial, circuitos curtos de comercialização, consumidor exigente, qualidade diferenciada, agregação de valor, oportunidades, legitimidade da agricultura familiar, importância de cooperativas, entre outros.

Durante o dia os participantes puderam conhecer produtos e equipamentos voltados à atividade leiteira, em exposição e comercialização no local, como tratores e ordenhadeiras. Para as crianças houve atividades lúdicas monitoradas por profissionais da Secretaria de Educação de Canoinhas.

 

Nesta terça-feira, 30, os trabalhadores nas empresas Epagri e Cidasc de todo o estado se reúnem, em Florianópolis, para assembleia geral unificada para decidir o rumo da campanha salarial 2016/17. A greve está na pauta, visto que o governo do estado sem mantem intransigente em não pagar ao menos a inflação (INPC) do período, calculada em 9,83%.

Segundo dados do Dieese/SC, para que o salário destes trabalhadores retorne ao mesmo poder de compra de 1995 – desde o Plano Real- o reajuste salarial deveria ser de 113%. Para os dirigentes dos 13 sindicatos que representam estes trabalhadores, está ficando difícil conter os ânimos, pois são anos sem um ganho real e sempre precisando mendigar a reposição da inflação. Com a data-base em maio, as negociações com as empresas e com a Secretaria de Agricultura e Pesca, Moacir Sopelsa seguem desde abril. Nem mesmo uma audiência com Nelson Serpa, Secretário da Casa Civil, dia 16 de agosto, surtiu efeito e a resposta quanto à reposição da inflação tem sido negativa.

A agricultura catarinense gera 30% da riqueza do Estado e os trabalhadores na Cidasc e Epagri são fundamentais para esse resultado. Segundo o Balanço Social da Epagri, o lucro gerado pela empresa ao Estado, diz que a cada R$ 1,00 (um real) investido, o retorno é de R$ 3,58 (três reais e cinquenta e oito centavos). Além de que, a sanidade agropecuária no território catarinense garantida pelo trabalho da Cidasc possibilitou em 2015 a exportação de 515 milhões de dólares em carne suína.

 

 

TRT

Na tarde do dia 30 de agosto, a partir das 14horas, os trabalhadores também irão se concentrar em frente ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho), na Av. Rio Branco, na capital, quando acontece a 1º audiência de dissídio de coletivo das empresas Epagri e Cidasc e Codesc, Ceasa e Santur.

Equipe canoinhense vem de goleada levada em Florianópolis                                          

Por Maycon Candeo

   

Nesta quarta-feira, 31, a ADC Canoinhas recebe às 20h15 no ginásio Magno Victor Fuck, a equipe do Concórdia. A partida é valida pela segunda rodada da 2ª fase da Divisão Especial do estadual.

O Concórdia vem de vitória sobre a Chapecoense por 3 x 2, enquanto o Canoinhas sofreu goleada para o Florianópolis por 5 a 1.

Canoinhas precisa muito da vitória, e convoca o apoio do torcedor para comparecer no ginásio e apoiar a equipe.

A partida será transmitida pela equipe esportiva da rádio Band FM, através do 105,1 MHz (no dial) ou pelo site www.bandfmcanoinhas.com.br.

O corpo foi trasladado para São Mateus do Sul, onde foi sepultado

 

Do Portal Cultura Sul FM

 

Acir/Portal Cultura Sul FM

Acir Nizer/Portal Cultura Sul FM

O corpo do aposentado Acir Nizer Lemesfoi encontrado no fim da tarde de domingo, 29, em uma geladeira na comunidade de Vila da Glória, região continental de São Francisco do Sul. Lemes era policial militar rodoviário aposentado pelo Estado do Paraná e morava com a companheira na Estrada Geral Serrinha.

As polícias civil e militar da região estão procurando a mulher dele, que é irmã de um dos policiais militares que atua na Vila da Glória. Ela é suspeita de ter cometido o crime
De acordo com informações de socorristas que ajudaram a polícia no local, o corpo de Lemes estava escondido na geladeira da casa onde o casal mora. As primeiras informações davam conta de que ele havia sido morto com golpes de facão, mas a Polícia Civil não confirma essa informação.

Segundo a PM, ela teria atravessado a Baía da Babitonga em direção ao Centro Histórico de São Francisco do Sul e não foi mais vista.

Acir era natural de São Mateus do Sul  e filho de Belmiro Lemes, ex-prefeito do município.

O corpo foi trasladado para São Mateus do Sul, onde foi sepultado.

Na região, Mafra foi a cidade que mais habitantes ganhou; já Monte Castelo foi a cidade que menos cresceu em número de habitantes                                                  

 

 

O Brasil tem 206,08 milhões de habitantes, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 30, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estimativas publicadas no Diário Oficial da União indicam que o país tinha, em 1º de julho deste ano, 206.081.432 habitantes. No ano passado, a população era de 204.450.649.

São Paulo, o estado mais populoso do país, tem 44,75 milhões de habitantes. Mais cinco estados têm populações que superam os 10 milhões de habitantes: Minas Gerais (21 milhões), Rio de Janeiro (16,63 milhões), Bahia (15,28 milhões), Rio Grande do Sul (11,29 milhões) e Paraná (11,24 milhões).

 

POPULAÇÃO DOS ESTADOS

Três estados têm populações menores do que 1 milhão: Roraima (514,2 mil), Amapá (782,3 mil) e Acre (816,7 mil).

As demais unidades da Federação têm as seguintes populações: Pernambuco (9,41 milhões), Ceará (8,96 milhões), Pará (8,27 milhões), Maranhão (6,95 milhões), Santa Catarina (6,91 milhões), Goiás (6,69 milhões), Paraíba (4 milhões), Amazonas (4 milhões), Espírito Santo (3,97 milhões), Rio Grande do Norte (3,47 milhões), Alagoas (3,36 milhões), Mato Grosso (3,3 milhões), Piauí (3,21 milhões), Distrito Federal (2,98 milhões), Mato Grosso do Sul (2,68 milhões), Sergipe (2,26 milhões), Rondônia (1,79 milhão) e Tocantins (1,53 milhão).

 

REGIÃO

A população de Canoinhas cresceu 0,2% em 2016 se comparado com 2015. A população atualizada pelo IBGE é de 54.296 habitantes, ou seja, 108 a mais em comparação com o ano passado. A cidade que mais cresceu em número de habitantes foi Mafra, com acréscimo de 0,5%, um contingente de 298 pessoas. Já Monte Castelo foi a cidade que menos cresceu, somando apenas mais dois habitantes.

 

CONFIRA O COMPARATIVO NA REGIÃO

CIDADE 2015 2016
Bela Vista do Toldo 6.248 6.276
Canoinhas 54.188 54.296
Irineópolis 10.989 11.061
Itaiópolis 21.263 21.385
Mafra 55.313 55.611
Major Vieira 7.899 7.957
Monte Castelo 8.475 8.473
Papanduva 18.793 18.905
Porto União 34.882 35.045
Timbó Grande 7.632 7.699
Três Barras 18.945 19.046

 

Cada senador inscrito terá direito a falar por dez minutos

 

Os senadores retomam nesta terça-feira, 30, os trabalhos do julgamento do impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff. Às 10h começam os debates entre acusação e defesa. Os advogados Janaína Paschoal e José Eduardo Cardozo, respectivamente, terão uma hora e meia cada para fazer suas alegações e depois mais uma hora para réplica e uma hora para tréplica. Os debates podem, portanto, durar até cinco horas.

Em seguida, será iniciada a discussão dos senadores. Cada um terá direito a falar por dez minutos, que não podem ser prorrogados e não há direito a aparte. Até a noite dessa segunda-feira (29), 53 senadores já estavam inscritos para falar, mas outros podem requisitar o direito ao debate até o último minuto. O primeiro será o senador Gladson Cameli (PP-AC). A previsão é de que essa fase do julgamento dure cerca de nove horas, podendo se estender se mais senadores se inscreverem.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, que conduz o julgamento, tem concedido intervalos de uma hora para almoço e uma hora para jantar e outros que variam de 30 minutos a uma hora, a depender do ritmo dos trabalhos.

Depois das discussões entre os parlamentares, finalmente será a vez de Lewandowski fazer a seguinte pergunta aos senadores: “Cometeu a acusada, a senhora presidenta da República, Dilma Vanna Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos na instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhes são imputados, e deve ser condenada à perda do seu cargo, ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazo oito anos?”.

Será aberto espaço para encaminhamento de dois senadores favoráveis e dois contrários aoimpeachment, com cinco minutos de fala para cada um. Após esse encaminhamento, o presidente da sessão abrirá o painel e os senadores serão convidados a votar. O voto é nominal e aberto, computado pelo painel eletrônico, onde o resultado final será divulgado.