< Março 2016 - JMais | Jornalismo Digital Archive | JMais | Jornalismo Digital

Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

Para incentivar a diversificação de culturas na agricultura familiar, o Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) desenvolve o programa Milho & Feijão nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Neste ano o evento de início da colheita de Milho e Feijão acontece em 03 de maio na propriedade de Claudinei Wardenski, em Canoinhas

O programa Milho & Feijão após a colheita do Tabaco foi criado pela Souza Cruz em 1985 e desde 2014 é desenvolvido pelo SindiTabaco. Divulgação das vantagens do plantio da safrinha, assistência técnica e capacitação de produtores, incentivo a diversificação da propriedade, redução dos custos de produção de proteína animal (carne, leite e ovos), uso de práticas conservacionistas, como plantio direto e cultivo mínimo, Manejo Integrado de Pragas e Doenças e alternativa de renda, são algumas das ações compreendidas pelo programa, que conta com apoio dos governos estaduais e dos municípios.

O prefeito de Canoinhas, Beto Faria, recebeu nesta segunda-feira,28, o diretor do SindiTabaco Sérgio Rauber que, acompanhado da jornalista Ister Brum Reis, veio ao município convidar autoridades para participarem do evento.

 

Tendo em vista a aposentadoria de vários policiais militares por tempo de serviço, é que parte dos vereadores que integram a bancada do Partido da República (PR) na Câmara, estiveram em Florianópolis na tarde de quarta-feira, 30, para solicitar o reforço do efetivo da Polícia Militar em Canoinhas e nos municípios vizinhos.

Durante reunião com o comandante geral da PM catarinense, coronel Paulo Henrique Hemm, vereadores Renato Pike, Célio Galeski e Neno Pangratz pediram, mais uma vez, a reposição de policiais para a sede do 3º Batalhão de Polícia Militar e para os destacamentos das cidades de Três Barras, Bela Vista do Toldo e Major Vieira, que tiveram muitas baixas recentemente.

O número de ocorrências, que tem aumentado nos últimos meses, foi uma das justificativas apresentadas pelos vereadores ao comandante geral. Segundo eles, a vinda de novos policiais incrementaria ainda mais o trabalho da corporação, que já é reconhecidamente importante por sua atuação em ações de combate aos delinquentes nos mais diversos tipos de delitos.

No caso de efetivação de transferências, os vereadores chegaram a sugerir que fosse dado preferência para os policiais nascidos na região de Canoinhas, que estão atuando em outras corporações do Estado e que têm interesse em retornar aos seus locais de origem.

De acordo com os vereadores, o coronel Paulo Henrique Hemm se comprometeu em transferir novos praças para a região até o mês de junho. Sem dizer exatamente quantos policiais seriam, o comandante afirmou que alguns já seriam remanejados a partir do mês de abril.

A reunião foi intermediada pelo coronel Mário Renato Erzinger, ex-comandante do 3º BPM e atual chefe de gabinete do Comando Geral da PM de Santa Catarina.

Foto: caçador.net

A Polícia Civil de Caçador desencadeou na manhã desta quinta-feira, 31, a Operação Balaclava, uma ação contra roubos a residências. Ao todo, foram cumpridos 11 mandados de prisão preventiva e 15 de busca e apreensão. Um dos locais onde a polícia esteve foi no bairro Martello.

Pelo menos trezes pessoas foram presas. A polícia também apreendeu armas, toucas, dólares, euros, dinheiro em real e objetos furtados.

De acordo com o delegado regional Fabiano Locatelli, as investigações iniciaram ainda no mês de dezembro, devido à incidência de roubos violentos em Caçador. Foram mais de 100 dias de investigações.

Segundo o delegado, o bando agia em Caçador, região e também no Paraná. A operação contou com apoio da Polícia Civil de Lebon Régis, Santa Cecília, Videira, Joaçaba, Porto União e Canoinhas.

Neste momento os presos estão sendo ouvidos pela polícia. Novas informações serão divulgadas em coletiva de imprensa às 17h.

As informações são do sute caçador.net.

01 Vaga para Secretária. (Temporário)

Requisitos:

– Ensino médio completo.

– Experiência de no mínimo 06 meses.

– Conhecimento em informática (Word/Excel).

– Boa comunicação e relacionamento.

 

 

01 Vaga para Auxiliar de Limpeza. (Temporário)

Requisitos:

– Ensino Fundamental completo.

– Necessária experiência de no mínimo 06 meses.

 

 

OBS: INTERRESADAS (os) ENTREGAR CURRICULO JUNTO COM UMA FOTO NA RECEPCÃO D CLÍNICA UNIÃO, EM CANOINHAS, OU PELO E-MAIL: sandriely@clinicasuniao.com.br

Foto: Deputados aprovaram pena maior se o crime for praticado em descumprimento de medida protetiva da Lei Maria da Penha/Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira, 30, o Projeto de Lei 3030/15, do deputado Lincoln Portela (PRB-MG), que muda o Código Penal para aumentar, de 1/3 à metade, a pena do feminicídio se o crime for praticado em descumprimento de medida protetiva de urgência prevista na Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06). O projeto será votado ainda pelo Senado.

A matéria foi aprovada na forma de umsubstitutivo da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, de autoria do deputado Alberto Fraga (DEM-DF). Nele, são incorporadas mudanças constantes do PL 4572/16, do deputado Weverton Rocha (PDT-MA), como o agravamento da pena se o crime for praticado contra pessoa portadora de doenças degenerativas que acarretem condição limitante ou de vulnerabilidade física ou mental.

Haverá novo agravante com aumento de pena também se o crime for cometido na presença física ou virtual de descendente ou de ascendente da vítima.

O Código Penal estipula a pena de reclusão de 12 a 30 anos para o homicídio contra a mulher por razões da condição de sexo feminino (feminicídio). Atualmente, já existe agravante no caso de crime cometido contra vítima menor de 14 anos, maior de 60 anos ou com deficiência; durante a gestação ou nos três meses posteriores ao parto; e na presença de descendente ou de ascendente da vítima.

 

MEDIDAS PROTETIVAS
As medidas protetivas cujo descumprimento poderá provocar esse aumento de pena são a suspensão da posse ou restrição do porte de armas; o afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida; e condutas proibidas, como aproximação da vítima, contato com ela ou familiares por qualquer meio de comunicação.

Para a deputada Moema Gramacho (PT-BA), o aumento da pena garante principalmente o combate à impunidade. “Fazer com que os agressores sejam devidamente punidos é muito importante para as mulheres, para a família, para nós que acreditamos que é possível combater a violência combatendo a impunidade”, disse.

O deputado Ronaldo Benedet (PMDB-SC) ressaltou que houve muito mais denúncias após a Lei Maria da Penha, mas constatou-se o dobro de homicídios contra as mulheres e, por isso, é preciso endurecer a pena. “São homens que estão desobedecendo ordens judiciais de ficarem afastados e passam a matar as mulheres”, declarou.

31 de março de 2016

O Globo

 

Manchete : Sobram crimes, diz autora de pedido de impeachment

Argumentos de juristas incluem ‘pedaladas’ e corrupção na Petrobras

Janaina Paschoal e Miguel Reale Jr. falaram à comissão do impeachment na Câmara e afirmaram que governo não teve responsabilidade fiscal, prejudicando os mais pobres; petistas contestaram

Autores do pedido de impeachment da presidente Dilma, os juristas Miguel Reale Jr. e Janaina Paschoal apresentaram ontem à comissão especial da Câmara lista de argumentos para sustentar que a petista cometeu crime de responsabilidade. As “pedaladas” fiscais e a corrupção na Petrobras foram os pontos destacados pelos juristas, aplaudidos pela maioria dos parlamentares. “Tenho visto cartazes dizendo que impeachment sem crime é golpe. Essa frase é verdadeira. Mas estamos aqui diante de um quadro em que sobram crimes de responsabilidade”, disse Janaina. “Se apropriaram de um bem dificilmente construído, o equilíbrio fiscal, e as consequências são gravíssimas para as classes mais pobres, que estão sofrendo com inflação, desemprego e desesperança”, afirmou Reale Jr. Deputados petistas contestaram. (Pág. 3 e Merval Pereira)

 

Dilma volta a falar em golpismo

Com a presença de militantes de movimentos sociais, o lançamento da 3ª fase do Minha Casa Minha Vida virou palco de defesa da presidente Dilma, que voltou a afirmar que não cometeu crime de responsabilidade e que impeachment é golpe. (Pág. 6 e Míriam Leitão)

 

Seis ministros do PMDB resistem a sair

Um dia após o PMDB aprovar desembarque do governo, seus seis ministros resistem a entregar os cargos, o que pode dificultar a estratégia do Planalto de redistribuir esses postos para atrair votos contra o impeachment. Kátia Abreu desafiou: não sai do ministério nem do partido. (Pág. 4)

 

Presidente de conselho acusa Cunha de golpe

O presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo, acusou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, de tentar um golpe. Réu na Lava-Jato, Cunha apresentara à Mesa Diretora projeto que mudaria as regras para escolha dos membros do conselho, mas, sob pressão, recuou. (Pág. 7)

 

A palavra final no processo

Diferentemente do ministro do STF Luís Roberto Barroso, seu colega Marco Aurélio Mello disse que a presidente Dilma pode recorrer à Corte se o Congresso decidir pelo impeachment. Juristas discordam. (Pág. 6)

 

País tem rombo fiscal de R$ 23 bi

O déficit nas contas públicas em fevereiro bateu recorde e chegou a R$ 23 bilhões, o pior resultado para o mês em 15 anos. O rombo só não foi pior porque estados e municípios conseguiram economizar R$ 2,7 bilhões, o que analistas dizem que não deve se repetir nos próximos meses. O Rio teve o maior déficit entre os estados, com rombo de R$ 4 bilhões. (Pág. 17)

 

‘Pílula do câncer’ de suplemento

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, sugeriu a aprovação da fosfoetanolamina como suplemento alimentar, mas médicos dizem que medida seria subterfúgio para facilitar acesso à substância. (Pág. 25)

 

Novo prazo para metrô – Estação Gávea agora só em 2018

A Estação Gávea do metrô, que teve a construção adiada para 2017, agora só deve ficar pronta em 2018. O novo prazo consta do pedido de autorização feito pelo Estado do Rio à Assembleia para contrair empréstimo de cerca de R$ 1 bilhão e finalizar as obras da Linha 4. (Pág. 9)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

 

Manchete : ‘É golpe’, ataca Dilma; para juristas, ‘sobram crimes’

Presidente transforma evento no Planalto em palanque; autores do pedido de impeachment criticam governo

A presidente Dilma Rousseff fez ontem no Palácio do Planalto, durante o lançamento da terceira etapa do programa Minha Casa Minha Vida, seu mais duro ataque ao processo de impeachment em curso na Câmara. “Impeachment sem crime de responsabilidade é golpe”, afirmou. Dilma também criticou Michel Temer e o PMDB. A plateia do evento chamou o vice-presidente de golpista e pediu sua renúncia. Em sessão tumultuada, os juristas Miguel Reale Júnior e Janaina Paschoal, autores do pedido de impeachment, reforçaram na Comissão Especial sobre o assunto na Câmara seus argumentos pelo afastamento da petista. Os juristas disseram que Dilma deu “golpe” na população ao dizer, durante a campanha eleitoral de 2014, que as contas públicas estavam organizadas. Para Janaina, “estamos diante de um quadro em que sobram crimes de responsabilidade”. (Política A4 e A5)

‘Esperança vã’

O ministro Marco Aurélio Mello, do STF, afirmou que o impeachment não é capaz de resolver a crise no País e indicou que, se não houver fato jurídico para afastar a petista, o processo “transparece como golpe”. (Pág. A4)

 

Ministros do PMDB tentam manter cargos no governo

A imposição do diretório nacional do PMDB para seus membros deixarem os cargos no governo Dilma Rousseff foi ignorada ontem pelos ministros da legenda. A moção aprovada anteontem determinava a “imediata saída”. O partido tem seis pastas. A tendência é a de que os peemedebistas coloquem nas mãos de Dilma a decisão sobre a permanência. A ministra Kátia Abreu (Agricultura), porém, recorreu às redes sociais para dizer que não pretende deixar o governo. No detalhamento dos cortes de R$ 21,3 bilhões do Orçamento Federal, divulgado ontem, o governo poupa as emendas individuais de parlamentares. (Política A6)

PF faz relação de viagens de parentes de Lula ao Panamá

Relatório da investigação da PF sobre o ex-presidente Lula destaca viagens de parentes dele ao Panamá. O país é um dos destinos investigados pela Lava Jato. Uma das viagens é a de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, em novembro de 2014. No voo estava Fernando Bittar, dono, na escritura, do sítio em Atibaia (SP). (Política A10)

 

Fundo do FGTS perde R$ 1 bilhão com Sete Brasil

O fundo de investimento que usa recurso do FGTS para infraestrutura deve dar baixa contábil de cerca de R$ 1 bilhão no aporte feito na empresa Sete Brasil, criada para construir e administrar sondas para a Petrobrás no pré-sal. (Economia B1)

 

SP teve menor adesão à vacina de gripe em 3 anos

A taxa de adesão da população de SP à campanha de vacinação contra a gripe em 2015 foi a menor em três anos. Para especialistas, a adesão insuficiente à vacina é uma das causas do aumento atípico de casos de gripe H1N1. (Metrópole A20)

 

‘Pílula do câncer’ pode virar suplemento (Metrópole A21)

 

Brasil se oferece para acolher refugiado sírio (Internacional A14)

 

Família de Jean Charles perde recurso na UE (Internacional A15)

 

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

 

Manchete : Repasse de marqueteiro do PT eleva suspeitas sobre reeleição

Lava Jato investiga se recursos vieram ilegalmente da Odebrecht; tesoureiro da campanha nega

A empresa do marqueteiro João Santana recebeu recursos em dinheiro vivo do grupo Odebrecht e fez repasses, também em espécie, a fornecedores da campanha de Dilma Rousseff em 2014, informam Valdo Cruz, Graciliano Rocha e Leandro Colon. Esse roteiro é investigado pela Polícia Federal no âmbito da Lava Jato. Para a força- tarefa, há indícios de que Mônica Moura, mulher e sócia do publicitário, fez esses pagamentos entre 2014 e 2015 com recursos ilegais recebidos da construtora. Sob a condição de anonimato, um prestador de serviços da campanha disse à Folha que foi pago em espécie por Mônica Moura. As defesas do publicitário e de sua mulher, que negocia acordo de delação, não se manifestaram sobre o caso. As contas de 2014 são alvos de inquérito no Tribunal Superior Eleitoral, que pode resultar na cassação de Dilma e do vice, Michel Temer. O ministro Edinho Silva (Comunicação Social), tesoureiro da campanha de Dilma, nega irregularidades. Segundo ele, todos os pagamentos à empresa de João Santana (R$ 70 milhões) foram feitos por meio de transferências bancárias e informados à Justiça Eleitoral. Procurada, a construtora Odebrecht não quis comentar o assunto. (Poder a4)

 

Governo oferece até Ministério da Saúde para atrair novos aliados

Após rompimento com o PMDB, a equipe de Dilma passou a oferecer ministérios, como o da Saúde, para partidos como PP e PR, na tentativa de obter votos para barrar processo de impeachment. Com a saída do ministro do Esporte, George Hilton, a pasta também poderá ser usada para acomodar aliados. Em mensagem de Kátia Abreu (Agricultura) flagrada pela Folha, ela diz que ministros do PMDB ficarão. (Poder a6)

 

Sessão por defesa do impeachment acaba em agressão

Terminou em agressão a sessão na Câmara em que os advogados Miguel Reale Jr. e Janaina Paschoal fizeram a defesa do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, em análise por comissão da Casa. O oposicionista Caio Nárcio (PSDB-MG) empurrou Ivan Valente (PSOL-SP) quando a audiência foi declarada encerrada. (Poder a8)

 

Deficit do setor público alcança patamar recorde

União, Estados e municípios contabilizaram em fevereiro deficit (despesas maiores que receitas) de R$ 23 bilhões, no pior resultado do mês desde o início da série histórica do BC, em 2002. Em 12 meses, o setor público teve deficit primário de R$ 125,1 bilhões, ou 2,1% do Produto Interno Bruto — em proporção ao PIB, é o maior já registrado. (Mercado a13)

 

Procuradoria faz denúncia contra dono do Safra

No âmbito da Operação Zelotes, a Procuradoria da República do DF denunciou à Justiça Joseph Safra, maior acionista do Grupo Safra, e um executivo da instituição. Eles são acusados de negociar R$ 15,3 milhões em propina para servidores da Receita, a fim de evitar multa de R$ 1,8 bilhão ao grupo. O Safra nega ter oferecido “vantagem a qualquer funcionário público”. (Poder a10)

 

Gol deve reduzir número de seus voos em até 18%

Depois de acumular prejuízo de R$ 4,29 bilhões, a companhia aérea Gol anunciou redução de até 18%na oferta de voos— em 2015, realizou 315.902 deles. O objetivo, segundo a empresa, é adequá-la ao atual patamar de demanda — em março, caiu 3,1% em relação ao mesmo mês de 2015. Não foram divulgadas quais rotas serão afetadas. (Poder a23)

 

Corte confirma decisão de não punir policiais do caso Jean Charles (Mundo A12)

Foto: Ginásio Ione Ciryaco passou por reformas/Divulgação

Nesta quinta-feira, 31, inicia a 3ª Copa Três Barras de Futsal, no Ginásio Ione Cyriaco de Souza, com participação de duas esquipes de Liga Nacional: Concórdia e Joinville.

Além das duas equipes vão disputar a competição  equipe de Canoinhas, que foi campeão estadual da primeira divisão no ano passado, e Mafra, que foi vice-campeã do mesmo campeonato.

Com o sucesso das edições passadas, a Copa Três Barras vem se firmando no calendário nacional de futsal como uma grande competição preparatória para as equipes, que vem em busca do título. Também será uma grande oportunidade para o público que gosta do futsal ver de perto jogadores de Seleção Brasileira.

 

CONFIRA OS JOGOS:

31/03

19h30 – Joinville x Concórdia

20h30 – Canoinhas x Mafra

 

01/04

19h30 – Mafra x Joinville

20h30 – Concórdia  x Canoinhas

 

02/04

19h30 – Mafra x Concórdia

20h30 – Joinville  x Canoinhas

Os ingressos estão sendo vendidos a 10 reais em Canoinhas na Panificadora João XXIII (crianças menores de 10 não pagam).

Foto: Caminhões na rua Duque de Caxias/Biluka

A interdição da BR-476, que liga União da Vitória a São Mateus do Sul, depois da queda da cabeceira de uma ponte em Paulo Frontin na tarde desta quarta-feira, 30, aumentou consideravelmente o fluxo de veículos por Três Barras e Canoinhas.

Na manhã desta quinta-feira, 31, muitos motoristas, especialmente de caminhões, ignoravam o acesso para a BR-280 pela rodovia Transfalcônica, em Três Barras, e seguiam rumo a Canoinhas. Dessa forma, o trânsito é bastante intenso pelas ruas Coronel Albuquerque e Duque de Caxias. As duas ruas no centro de Canoinhas formam um corredor que dá acesso à BR-280, agora única alternativa de trânsito entre União da Vitória e São Mateus do Sul.

Segundo motoristas ouvidos pelo JMais, essa rota está sendo usada porque é recomendada pelos aparelhos de GPS. O JMais não conseguiu contato com o responsável pelo trânsito em Três Barras.

A Polícia Rodoviária Federal informou que aumentou em pelo menos três vezes o fluxo de veículos pela BR-280, no posto de Canoinhas. Alerta, ainda, para a impossibilidade de se fazer ultrapassagens.

 

milhoAgricultores de todo o Estado estão enfrentando problemas por causa do desabastecimento de milho.

Na avaliação da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaesc) é preciso incentivar a produção interna, diminuir a exportação do cereal e subsidiar parte dos custos do produtor.

A falta do produto tem motivado o fim de atividades que precisam do grão nas principais regiões produtoras como o Oeste, Sul e Planalto Norte do estado. Desde o início do ano, impulsionado pela alta do dólar, o preço não para de subir. Segundo o Centro de Estudos Econômicos (Cepea) a saca de 60kg no dia 29 de março de 2016 estava cotada em Santa Catarina a R$ 41,00. A mais cara do Brasil. (Veja tabela ao lado)

Nós últimos anos o produtor tem preferido plantar soja, que também virou produto de exportação e ganhou preço no mercado internacional ficando mais rentável que a produção do milho.

Outro fator, além da diminuição da área de plantio do milho no estado em 10% se comparada a 2015, está diretamente ligada a exportação do produto. O governo federal, preocupado com a balança comercial, passou a exportar o grão o que causou a escassez do produto e consequente aumento dos preços.

“Será que teremos milho para o pequeno produtor alimentar seu plantel na produção bovina, suína e de aves?”, pergunta o presidente da Fetaesc, José Walter Dresch, que tem participado de encontros com o governo para tratar do tema.

Os mais otimistas acreditam que irá haver falta do produto, mas que a safrinha a partir de junho, que deve injetar no mercado cerca de 70 milhões de toneladas, pode amenizar o problema. Mas a previsão para se confirmar precisa de boas condições e como a cultura do milho é bastante suscetível ao clima a aposta pode não se confirmar.

“Hoje o agricultor que colhe 140 sacas de milho por hectare, compromete 75 sacas para pagar todos seus insumos. Temos que diminuir o custo porque quanto maior é a produtividade, maior serão seus lucros e assim o preço pode ser melhor para o milho do que para a soja”, disse.

O governo estuda parcerias por intermédio das agroindústrias e cooperativas. A proposta já foi apresentada. A ideia é que as indústrias se comprometeriam a fornecer os principais insumos, ou seja, adubo, ureia e semente, para pagamento no próximo ano; a cooperativa forneceria os demais insumos, e o agricultor plantaria e se comprometeria com um volume de produção para entrega na Cooperativa para pagar os insumos, e esta teria seu preço fixado com a agroindústria catarinense. Com isso, segundo o governo, o agricultor teria seus insumos sem precisar financiar, e pagaria com produto da colheita, com o preço do milho definido antes de plantar. A expectativa é ampliar em mais 100 mil hectares a produção de milho no estado. Assim Santa Catarina estaria assegurado pelo menos mais 840 mil toneladas de grãos para o abastecimento interno.

O Governo do Estado asseguraria incentivo fiscal a agroindústria, para que ela possa garantir um preço de garantia no produto, compatível com os custos de produção. Outro caminho e que a Fetaesc tem incentivado é o transporte de grãos via linha férrea. A ideia do governo é buscar o milho nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul levando via trens o produto para Lages o que baratearia o preço da saca em até R$ 10,00 na média.

Continuam abertas as inscrições do processo seletivo para contratação temporária de médico veterinário, para atuar junto a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural de Canoinhas.

Os requisitos para preenchimento da vaga são: graduação nível superior em Medicina Veterinária; registro no Conselho Profissional; Carteira Nacional de Habilitação entre outros, que se encontram no edital do processo no Portal Transparência do município. Para ter acesso ao edital basta clicar no linkhttp://www.pmc.sc.gov.br/cms/pagina/ver/codMapaItem/18342 e realizar as inscrições até o dia 11 de abril, na própria Secretaria de Desenvolvimento Rural ou através do correio, com envio de toda a documentação pessoal autenticada por SEDEX.