< dezembro 2015 - JMais | Jornalismo Digital Archive | JMais | Jornalismo Digital

Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

 da Agência Brasil

Foi publicada nesta quinta-feira, 31, no Diário Oficial da União a Lei 13.239, que dispõe sobre a oferta e realização, no Sistema Único de Saúde (SUS), de cirurgia plástica reparadora de sequelas de lesões causadas por violência contra a mulher.

O texto já havia passado pelo Senado e foi aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados em novembro deste ano, quando seguiu para sanção presidencial.

De acordo com a lei, hospitais e os centros de saúde pública, ao receberem vítimas de violência, deverão informá-las da possibilidade de acesso gratuito à cirurgia plástica para reparação das lesões ou sequelas de agressão comprovada.

Ainda segundo o texto, a mulher vítima de violência grave que necessitar de cirurgia deverá procurar uma unidade de saúde que realize esse tipo de procedimento portando o registro oficial de ocorrência da agressão.

A lei prevê também que o profissional de medicina que indicar a necessidade da cirurgia deverá fazê-lo por meio de diagnóstico formal, encaminhando-o ao responsável pela unidade de saúde respectiva, para autorização.

Ao final, o texto prevê ainda a possibilidade de punição aos gestores que não cumprirem com a obrigação de informar as mulheres vitimadas sobre seus direitos.

Os outros dois veículos furtados de uma revende da de carros de Três Barras durante a madrugada de terça-feira, 29, foram recuperados na cidade de Araquari.

Na quarta-feira, 30, a Renault Duster, cor prata, placa AVY – 4250 de Três Barras foi localizado em uma casa na rua Julio Korman, no loteamento Icaraí.

Diante da confirmação de que o carro tinha sido furtado, os policiais solicitaram reforço. Com a chegada da Polícia, os suspeitos tentaram fugir pulando a janela dos fundos da casa, mas em uma ação bem elaborada e rápida dos policiais os dois suspeitos foram presos, sendo identificados como Maicom Evandro de Lima, 21 anos, com 28 passagens criminais, e Josiel Kotcoski Pinto, 26 anos, com 22 passagens criminais.

Após presos foram encaminhados para a central da Polícia Civil de Araquari, onde foram entregues ao delegado de plantão e devem responder pelo artigo 180 do Código Penal, que diz respeito a crime de receptação, cuja pena é reclusão de um a quatro anos e multa.  Os dois são de Canoinhas, onde moram no Campo d’Água Verde. Em Canoinhas eles têm passagens por furtos/roubos e tráfico de drogas. A Polícia ainda não sabe se eles foram os autores do furto ou apenas receptaram o veículo. A Polícia também não sabe onde estão os outros dois veículos furtados.

 

MAIS DOIS

Os outros dois carros foram recuperados nesta quinta-feira, 31. A Freemont estava abandonada no acostamento de uma rua, também em Araquari. Por último a Polícia Militar localizou a Ford EcoSport, que se envolveu em um acidente na madrugada do dia 31. Os suspeitos colidiram na cerca de uma residência no bairro Colégio Agrícola, ainda em Araquari.

 

 

Cinquenta e uma pessoas morreram em um acidente com o ônibus que saiu de União da Vitória no dia 14 de março, e que caiu de uma altura de 400 metros ao descer a Serra Dona Francisca, em Joinville, distante 250 km de União da Vitória. Os passageiros viajavam com destino a Guaratuba, no Sul do Paraná, onde participariam de um evento religioso. Entre os mortos havia crianças e adultos.

Outros oito passageiros do ônibus sobreviveram à queda, incluindo duas crianças.

O prefeito de União da Vitória decretou luto oficial de três dias. Trata-se do mais trágico acidente da história de Santa Catarina se considerado o número de mortos.

A comoção chegou até o Papa Francisco, que por meio de um secretário do Vaticano, enviou uma mensagem às famílias das vítimas do acidente. A oração foi lida no dia 21 de março, durante o culto ecumênico de 7º dia na estação ferroviária que divide União da Vitória, no Paraná, e Porto União, em Santa Catarina.

No texto, o papa manda condolência e diz também sentir a do dor dos enlutados. Ele deseja eterno repouso aos mortos e  conforto aos sobreviventes.

Ao término das orações, foram soltos 51 balões brancos. Todos os presentes receberam rosas e um vídeo com a imagem de cada uma das vítimas fatais foi exibido.

 

CONCLUSÕES

Em maio, o delegado Brasil Guarani, que presidiu o inquérito que apurou as circunstâncias do acidente divulgou o resultado da perícia. Segundo ele, o motorista do ônibus que se dirigia ao litoral paranaense, Cérgio da Costa, estava alcoolizado no momento do acidente.

Conforme o delegado, Costa teria causado a tragédia por exaustão física, pressão psicológica e consumo de bebida alcoólica. Pelo laudo divulgado pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), ele possuía 1,49 decigramas de álcool no sangue do motorista. A partir de 0,33, o motorista já é autuado e não pode dirigir.

Nenhum dos passageiros, no entanto, afirmou ter visto o condutor ingerir bebida alcoólica. A hipótese de que o motorista teve um mal súbito, levantada no começo da investigação, foi descartada pelo resultado do laudo cadavérico. Segundo relato de passageiros à Polícia Civil, a condução do motorista estava normal até a descida da Serra.

A perícia não detectou falha mecânica, com exceção do superaquecimento dos freios. O ônibus estava a 90km/h  no momento que desgovernou, e caiu a 120km/h, de acordo com a perícia  do IGP.

O inquérito final tem 550 páginas foi protocolado no Judiciário no mesmo dia. São 62 laudos, destes 54 são do IGP,  51 apontam a causa da morte de cada uma das vítimas. Outros dois laudos analisaram amostras de sangue do motorista para saber se ele havia consumido alguma substância, como bebida alcoólica. O último laudo é um estudo nos destroços do ônibus e no lugar do acidente.

 

 

No dia 11 de abril o promotor de Justiça Eder Viana pediu o afastamento do prefeito de Três Barras, Elói Quege (PP – foto), do cargo, por descumprimento do que rege a Constituição no tocante a contratação de pessoal.

Segundo a ação civil pública movida pelo promotor, Quege descumpre sistematicamente a lei que rege as contratações. A ação é de 2013, quando o prefeito foi advertido de que não poderia mais contratar funcionários públicos por meio de processo seletivo para ocupar cargos que exigem continuidade. É o caso, por exemplo, dos admitidos em caráter temporário (ACTs) para trabalhar o ano todo como professores. “A temporalidade só se admite em casos excepcionais, que façam jus ao termo temporário”, adverte Viana. Ainda em 2013, a Justiça concedeu liminar que proibia Quege de contratar temporários para cargos efetivos e o obrigava a dispensar os que estavam em situação irregular e convocar os aprovados em concurso público realizado em 2009. Mesmo assim, segundo o promotor, Quege insistiu em contratar temporários, ignorando a liminar. “De lá para cá, houve audiência, tentativa de fazer um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), mas continuaram os testes seletivos e não mandaram os temporários embora. Entendo que de 2013 para cá houve tempo para fazer isso”, conclui o promotor.

Em 24 de julho, o juiz da 2ª Vara Cível de Canoinhas, Bernardo Augusto Ern, mandou afastar Quege do cargo, acatando a denúncia do Ministério Público (MPSC) de que o prefeito vinha infringindo sistematicamente a lei ao contratar funcionários sem concurso público para ocupar cargos efetivos. Para a Justiça, o ato configura improbidade administrativa.

Quege foi condenado a perder o cargo com suspensão dos direitos políticos por cinco anos e a pagar multa 30 vezes maior que seu salário à época dos fatos. De imediato, Quege teve de deixar a prefeitura por pelo menos 180 dias. Seu vice, Alinor Lescovitz, assumiu a prefeitura, mas Quege voltou depois de 90 dias afastado mediante liminar.

 

NOVO REVÉS

Em 22 de outubro, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) cassou os mandatos do prefeito e vice de Três Barras, Elói Quege e Alinor Lescovitz (ambos PP), respectivamente. A decisão saiu cinco dias antes de Quege voltar ao cargo depois de ter sido afastado por 90 dias a pedido do Ministério Público, apoiado por ação civil pública que apontou irregularidades na contratação de temporários para assumir funções efetivas.

Dessa vez, Quege e Lescovitz tiveram seus mandatos cassados por suposto abuso de poder político e econômico nas eleições de 2012. A votação pela cassação de mandato foi unânime. Quege foi acusado de gastar com publicidade além do que permite a lei em ano eleitoral. Cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Caso o TSE confirme a cassação antes da finalização dos mandatos, haverá eleição indireta na qual votarão os vereadores da cidade, a exemplo do que ocorreu recentemente com Mafra. Eles se mantêm nos cargos, no entanto, por causa do efeito suspensivo da decisão.

 

MAFRA

Já o prefeito de Mafra não teve a mesma sorte.  Em uma sessão de mais de seis horas que começou na noite de 3 de junho, e se estendeu pelo começo da madrugada seguinte, os vereadores de Mafra decidiram por sete votos a dois, cassar o mandato do prefeito Roberto Agenor Scholze (PT).

A decisão veio dois dias depois de a juíza da Comarca, Liana Bardini Alves, ter determinado o afastamento do prefeito do cargo por ter contratado a mãe e a madrasta para ocupar cargos comissionados, o que caracterizaria nepotismo. Motivo semelhante levou a Câmara a cassar o mandato de Scholze. Depois de se dar conta da irregularidade, ele teria apagado os registros das contratações da mãe e da madrasta dos arquivos do departamento pessoal da prefeitura.

Scholze não compareceu à sessão, alegando problemas de saúde. Mais cedo, ele disse ao JMais que tinha amparo legal quando contratou a mãe e a madrasta para trabalharem na Secretaria Municipal do Programa Bolsa Família. Ele disse que se baseou em uma súmula vinculante (mecanismo que tem força de lei e deve ser seguido por todos os tribunais) que trata sobre contratação de funcionários públicos. “Minha mãe foi secretária há muitos anos, tem duas formações e está terminando outra graduação, além de ser pessoa de extrema confiança para mim”, justificou.

A questão vem de 2013, quando o Ministério Público entrou com ação contra o prefeito baseado na Lei Orgânica do Município, que veda a contratação de parentes no serviço público para ocupar cargos comissionados. Imediatamente, Scholze exonerou a mãe e a madrasta. “Ainda não fui notificado efetivamente (até 3 de junho), só sei da decisão pela imprensa. Assim que for notificado, vamos recorrer”, afirmou. Scholze disse que ambas desenvolveram suas atividades de maneira exemplar, tanto que muitas pessoas lamentaram as exonerações.

Da decisão judicial, cabe recurso ao Tribunal de Justiça do Estado (TJSC). Enquanto o TJSC não apreciasse o recurso de Scholze, ele se manteria no cargo. Com a decisão da Câmara, no entanto, a perda de mandato é imediata. Pelos trâmites normais, assumiria seu vice, Milton Pereira (PMDB). Como Pereira morreu em 2013, o cargo deveria ser ocupado pelo presidente da Câmara de Vereadores, Edenilson Schelbauer. O presidente, no entanto, renunciou ao cargo em favor do vice-presidente da Câmara, Abel Bicheski. Dessa forma, pela segunda vez em cinco anos, em um mesmo dia Mafra teve três prefeitos. O mesmo ocorreu durante o mandato de Jango Herbst (PMDB).

Em eleição indireta, feita pela Câmara de Vereadores, Wellington Bielecki foi eleito prefeito de Mafra para mandato até dezembro de 2016. Em entrevista ao JMais, ele disse, no dia seguinte à eleição, depois de três horas de reunião com os vereadores, que a situação financeira do Município é “caótica”. “O desafio é grande, mas estamos preparados”, afirmou. O prefeito disse que pretende trocar o secretariado e extinguir cargos. “A ordem é enxugar a folha de pagamento”, garantiu.

Sobre a possibilidade de Scholze reverter a cassação na Justiça, Bilecki disse que, como advogado e, em consulta a outros especialistas, não vê esse risco. “Não deixei um cargo de alto escalão para não assumir até o final do mandato. A população de Mafra pode ficar tranquila com relação a isso. A chance disso acontecer é uma em um milhão”, afirmou.

Sobre seus projetos à frente do Executivo, Bielecki disse que para começar é preciso arrumar a casa. “Faltam sete das dez certidões negativas que o Município tem de ter. Sem essas CNDs não tem como contratar financiamentos, por exemplo”, explica.

Com oito votos favoráveis e apenas um contrário, a Câmara de Vereadores de Mafra condenou novamente no dia 20 de julho, o ex-prefeito pela prática de infração político-administrativa que consistiu em omitir-se ou negligenciar na defesa dos bens, rendas, direitos ou interesses do Município sujeito à administração da Prefeitura.

 

MAIS DE POLÍTICA

10-05

O Governo do Estado de Santa Catarina decretou luto oficial de sete dias em razão do falecimento do ex-governador do Estado e atual senador da República, Luiz Henrique da Silveira.

O governador João Raimundo Colombo (PSD) manifestou profundo pesar pela morte do político catarinense, vítima de um enfarte.

 

28-5

Um homem armado com um facão ameaçou o prefeito de Major Vieira, Orildo Severgnini (PMDB ).

Quando os policiais chegaram no local, foram informados pelo prefeito que o suspeito teria fugido. Durante as buscas pela área central da cidade a guarnição foi informada de que o homem, que já é conhecido das equipes da PM, estaria fugindo para a cidade de Papanduva, onde mora.

Com o apoio da PM de Papanduva, o autor foi detido, bem como o facão que teria sido usado para ameaçar o prefeito. Após lavrado o boletim termo circunstanciado e diante da aceitação em comparecer ao Juizado Especial Criminal (JeCrim), o suspeito foi liberado. Não foram apurados os motivos que levaram o rapaz a fazer a ameaça.

 

16-6

A Câmara de Vereadores de Porto União aprovou em segunda e definitiva votação, o projeto que propõe o aumento no número de nove para 11 cadeiras de vereadores a partir da próxima legislatura. A preposição é dos vereadores Alceu Jung (DEM), Osmar Martins (DEM) e da vereadora Maria Aldair de Carvalho (PP). A justificativa é de que a cidade terá maior representatividade.

Seis vereadores votaram a favor do aumento. Já os vereadores Gildo Masselai (PP) e o presidente da Casa, Almir Borini (DEM), votaram contrários ao aumento. O vereador Carlos Roderlei Pinto, o “Polaco do Bifão” (PSD), optou pela abstenção.

 

 

OUTUBRO

Ex-prefeito de Canoinhas, Orlando Krautler (DEM) foi absolvido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) da condenação imposta pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina, de pena de cinco anos e três meses de detenção, além de multa, por atos de improbidade administrativa. Ele, a exemplo de seus dois sucessores, manteve contrato com o Coletivo Santa Cruz, para exploração do transporte urbano, sem exigência de licitação.

A absolvição abre jurisprudência para a defesa de Leoberto Weinert (PMDB), também condenado em primeira instância pelo mesmo motivo.

 

16-10

O prefeito de São Mateus do Sul, Clovis Ledur (PT), vetou os projetos de lei que baixariam os salários dele, do vice-prefeito, dos vereadores e dos secretários municipais a partir de 2017. Segundo Ledur, as propostas foram consideradas inconstitucionais pela assessoria jurídica da prefeitura.

Ainda conforme o prefeito, os projetos de lei 21 e 22 de 2015 contrariam o artigo 17 da Lei Orgânica do Município, que determina que os valores dos subsídios devem ser fixados pela Câmara Municipal apenas no último da legislatura, 30 dias antes das eleições municipais.

Caso os projetos de lei fossem aprovados, os vereadores – que, hoje, ganham em torno de R$ 6.210,00 – passariam a receber R$ 800. Já o salário dos secretários municipais cairia de R$ 6.713,13 mil para R$ 3,5 mil: uma queda de mais de R$ 3,2 mil. A mudança valeria, também, para o vice-prefeito, que ganha o mesmo valor que eles. Já a remuneração do prefeito baixaria de R$ 21,9 mil para R$ 10 mil.

A Câmara de Vereadores de São Mateus do Sul, manteve o veto do prefeito.

.

7-11

Primeira mulher a assumir a presidência da Câmara de Canoinhas em 104 anos de história do município, Cris Arrabar (PT) ocupou parte de seu discurso para citar e enaltecer a importância das seis vereadoras que ocuparam cadeira titular e lhe antecederam em outras legislaturas. “Divido com elas a minha alegria”, frisou.

 

10-11

Os dez vereadores tresbarrenses aprovaram projeto de lei  que o proíbe o Executivo de terceirizar os serviços de água e esgoto no Município. Três Barras é o único município da região que administra os serviços de água e esgoto por meio do Serviço Autônomo de Água e Saneamento (Samasa) desde que rompeu contrato com a Casan. Segundo os próprios vereadores, no entanto, o projeto é inconstitucional e tem efeito simbólico.

Os vereadores foram enfáticos em rejeitar a terceirização dos serviços, sob risco de elevar as tarifas para a população. A concessão, a princípio, seria de 35 anos, tempo considerado muito elevado pelos vereadores.

 

NOVEMBRO

O juiz da Comarca de Papanduva, Rogério Manke, julgou procedente a ação movida pelo Ministério Público contra o ex-prefeito de Papanduva Luiz Henrique Saliba, pelo crime de improbidade administrativa. Saliba teria burlado a Lei de Licitações para favorecer uma empresa fornecedora de caminhões. Além disso, a compra teria sido superfaturada.

O ex-prefeito, que já havia tido suas contas e bens bloqueados em outras ações, terá que devolver R$ 123.150,23 para os cofres públicos. Os valores já foram sequestrados da conta bancária de Saliba e transferidos para uma conta do Judiciário. Deste valor, R$ 92.600,00 se refere à compra dos caminhões.

 

DEZEMBRO

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve na Justiça o bloqueio de bens no valor de R$ 1 milhão de Carlos Roberto Scholze, ex-prefeito de Mafra, e mais cinco pessoas – secretários municipais e servidores públicos -, por irregularidades na realização IV Festa do Peixe, ocorrida em 2004.

A ação civil pública de ressarcimento de danos ao Erário foi ajuizada pela 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Mafra a partir de relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que reprovou a contabilidade da festa e apontou o desvio de R$ 231 mil – que em valores atualizados chegam a R$ 1 milhão.

 

15-12

Os dez vereadores votaram na única chapa inscrita para concorrer à presidência da Câmara de Canoinhas. Dessa forma, Célio Galeski (PSD) preside a Câmara no último ano deste mandato. Cris Arrabar (PT), atual presidente da Casa, será sua vice. Chiquinho da Silva (PMDB) assume a primeira secretaria e João Grein (PT) a segunda secretaria.

 

 

da Agência Brasil

O governo publicou nesta quarta-feira, 30, no Diário Oficial, o decreto que oficializa o aumento do salário mínimo de R$ 788 para R$ 880, a partir de 1° de janeiro de 2016. De acordo com o texto, o valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 29,33 e o valor por hora a R$ 4.

O reajuste de 11,6% terá impacto direto para cerca de 40 milhões de trabalhadores e aposentados que recebem o piso nacional e, segundo o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, a medida causará impacto de R$ 30,2 bilhões nas contas públicas em 2016.

O novo aumento dá continuidade à política de valorização do salário-mínimo, criada em 2003, que determina que o reajuste anual do mínimo seja definido com base na soma da inflação do ano anterior mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

Assim como nos anos anteriores a quinta edição do jogo das estrelas foi um sucesso na cidade de Canoinhas. Reunindo ex-atletas e algumas personalidades importantes da região o jogo foi realizado na terça-feira, 29, no campo de futebol Sintético do Sesc Ler e foi aberto ao público que compareceu em bom número.

César Lima, um dos organizadores da partida, comentou sobre o sucesso do evento: “Sem duvida quem esteve presente gostou da partida e do clima descontraído que foi o jogo. A gente espera em um futuro breve poder organizar um evento ainda maior do que foi esse de 2015”.

Confira os destaques em Canoinhas e região:

elaAUSTIN LOUNGE BAR

Quando? Quinta, 31

O que? Ela é toda toda réveillon 2016

 

revPANCADÃO MUSIC BAR

Quando? Quinta, 31

O que? Sorriso Lindo

 

vipTHE HALL, EM UNIÃO DA VITÓRIA

Quando? Quinta 31

O que? Vip Premium

 

 

 

 

 

 

 

CINEMA

Segue em cartaz no Cine Queluz, em Canoinhas, SOS Mulheres ao mar 2.

Adriana (Giovanna Antonelli) não está em um bom momento. Ela não consegue que alguma editora publique seus livros e, para ganhar a vida, legenda filmes pornôs. Para piorar a situação, seu marido Eduardo (Marcello Airoldi) decide pedir o divórcio. Em meio à fossa da separação, ela descobre que Eduardo fará um cruzeiro ao lado da nova namorada, Beatriz (Emanuelle Araújo), uma estrela da TV. Incentivada pela irmã Luíza (Fabíula Nascimento), as duas decidem embarcar no mesmo cruzeiro para que Adriana tenha a chance de reconquistá-lo. A empregada Dialinda (Thalita Carauta), que tenta ajudar a patroa a todo custo, acaba também embarcando nesta aventura. Veja o trailer, datas e horários:

DATA DIAS DA SEMANA HORÁRIO              F I L M E S
31.12 Quinta NÃO TEM SESSÃO
01.01.16 Sexta NÃO TEM SESSÃO
02.01 Sábado 17h SOS Mulheres ao Mar 2 (10 anos)
20h SOS Mulheres ao Mar 2
03.01 Domingo  17h SOS Mulheres ao Mar 2
 20h  SOS Mulheres ao Mar 2
04.01 Segunda NÃO TEM SESSÃO
05.01 Terça  20h SOS Mulheres ao Mar 2
06.01 Quarta 20h SOS Mulheres ao Mar 2
07.01 Quinta  20h
SOS Mulheres ao Mar 2
PREÇOS DOS INGRESSOS
TERÇA A DOMINGO E FERIADOS – MEIA R$ 7,00 – INTEIRA R$ 14,00
QUARTA  – PREÇO ÚNICO R$ 7,00
O Queluz se reserva o direito de mudar a programação sem aviso prévio.

 

 

 

 

Usuários do transporte coletivo urbano de Canoinhas encontraram por volta das 7 horas desta quarta-feira, 30, ao descer na Praça Lauro Muller, em Canoinhas, um homem pendurado em uma árvore no interior da praça. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados, mas já encontraram o homem morto.

Trata-se de Ademir Keise, de 46 anos. Ele trabalhava consertando antenas parabólicas na cidade.

A Polícia Civil está investigando se se trata realmente de suicídio, já que ele não deixou carta nem bilhete dando os motivos para tal atitude. A Polícia suspeita que ele tenha morrido por volta das 6h desta quarta,

Ladrões invadiram uma revenda de veículos de Três Barras na madrugada desta terça-feira, 29, e levaram um Renault Duster placas PUJ-8601, um Ford Eco Sport placas AVY-4250e um Fiat Freemont placas MMM-5105.

Segundo a proprietária da revenda, os ladrões ainda arrombaram o cofre onde estavam as chaves dos veículos.

A Polícia tem trabalhado na tentativa de localizar os veículos. Corporações de cidades vizinhas foram comunicadas do furto.

Abaixo os veículos furtados, conforme divulgado pelos proprietários da revenda no Facebook:

jc 2 jc 3 jc

O ano foi marcado por várias invasões de áreas questionadas por movimentos ligados ao direito à terra.

Em maio, uma fazenda em Três Barras foi invadida por cerca de 250 pessoas. A fazenda pertence à família Shimoguiri, que tem uma dívida com a União relacionada à área. O Movimento Sem-Terra (MST) usa esta dívida para justificar a invasão. A família, no entanto, diz que está resolvendo a situação.

O advogado da família, Paulo Glinski, entrou com pedido de reintegração de posse da área. Ele alegou que o terreno é produtivo e que, portanto, não se justifica a invasão. O advogado reconhece a dívida tributária, mas lembra que grande parte está sendo parcelada. “Existe expectativa de quitação, portanto, a dívida não justifica a invasão”, afirmou. Ainda de acordo com o advogado, as dívidas tributárias se referem à extinta Agropecuária Shimoguiri.

O acordo saiu dois meses depois. Os invasores concordaram em deixar a fazenda até o começo de 2016.

 

FELIPE SCHMIDT

Pelo menos 30 famílias invadiram uma área no distrito de Felipe Schmidt em agosto, em Canoinhas.

Segundo um dos membros do movimento autodenominado Unidos Pela Terra, Nilson Soares Fragoso, a área foi escolhida por, segundo ele, ser de terras devolutas da União.

 

AÇÕES

Em outubro a Justiça Agrária obteve a desocupação, de forma amigável, de duas áreas invadidas nos municípios de Canoinhas e Irineópolis por membros do Movimento Unidos pela Terra (MUT) e Movimento dos Sem Terra (MST). Os acordos foram firmados em audiências com a participação do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), da Justiça Agrária e da Polícia Militar.

As ocupações foram identificadas em inspeções judiciais do promotor de Justiça, Eraldo Antunes, do juiz agrário Juliano Serpa e do oficial de Ligação tenente coronel Edvar Fernando da Silva Santos. Os locais invadidos se localizam na Linha da Caixa d’Água, em Irineópolis, e na Linha Felipe Schmidt, em Canoinhas.

Na ocasião, foi identificada a presença de 12 famílias do MUT em Canoinhas e de 45 famílias do MST acampadas na Linha da Caixa d’Água. Segundo os termos de conciliação, os habitantes podem permanecer nos locais até 30 de janeiro e 30 de abril do próximo ano, respectivamente.

As famílias se comprometeram a não receberem mais integrantes dos movimentos até a data final de desocupação e assumiram a responsabilidade por preservar os recursos naturais das áreas. Caso a saída dos envolvidos não ocorra voluntariamente até a data estabelecida, ocorrerá a imediata expedição de mandado de reintegração de posse.

Após a assinatura do termo de compromisso, a Polícia Militar Ambiental e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) foram notificados para a realização de fiscalização contínua nos locais ocupados e cadastramento das famílias que atualmente se encontram nos terrenos.

Foto: Ex-marido matou Gilvana Leite no Campo d’Água Verde em fevereiro/Arquivo

O número de homicídios registrados na região neste ano teve sensível queda em relação a 2014. Foram 16 homicídios registrados em 2015 ante 17 em 2014. O que chama a atenção é que os assassinatos estão muito mais pulverizados. Ao contrário do ano passado, que Porto União liderou a taxa com cinco homicídios, neste ano, o número máximo de assassinatos por cidade ficou em três mortes em Canoinhas e em Mafra. Porto União registrou dois homicídios.

Bela Vista do Toldo quebra um recorde positivo em 2015. São dois anos sem registrar nenhum homicídio. O último aconteceu em 2013, ano em que 21 assassinatos foram registrados na região. Vindo de uma média de três homicídios por ano, Três Barras também surpreendeu positivamente ao não registrar nenhum assassinato neste ano.

 

RELEMBRE OS HOMICÍDIOS

23-01

Salvino Nazário, 52 anos, foi morto a pauladas dentro de seu estabelecimento comercial, um bar, na localidade de Lageado Liso, interior de Major Vieira. O crime teria ocorrido na sexta-feira, 23, mas o corpo só foi encontrado na manhã de domingo, 25, por vizinhos do bar.

Daniel Santos, de 22 anos, confessou o crime. Segundo o acusado, ele teria comprado um quilo de carne do estabelecimento e, ao discutir com Nazário sobre o valor da compra, acabou assassinando-o e deixando o local.

Daniel foi preso em Santa Cecília. Ele estava foragido desde o dia do crime.

 

25-01

Antônio Marcos Carvalho, 30 anos, foi esfaqueado e morreu no local do crime, em Papanduva. Os acusados de serem os autores do crime, um homem de 50 anos e seu filho de 26 anos, teriam dito aos policiais que cometeram o homicídio para vingar a morte de um membro da família ocorrido há dois anos na praça central da cidade. Na época um irmão de Antônio Marcos teria matado o irmão do acusado de 50 anos. A Polícia Militar também prendeu um rapaz de 23 anos que, segundo os detidos, teria auxiliado no crime.

 

3-02

Gilvana Leite, 28 anos, foi assassinada com cinco golpes de faca na rua Antonio Massaneiro, distrito do Campo d’Água Verde, em Canoinhas.

Um ex-companheiro da vítima, Josimar Steaidler, 27 anos, teria ido até sua casa para tentar reatar a relação. Com a negativa da vítima, ele teria a ameaçado, momento em que ela correu para a rua com um telefone celular na mão, dizendo que chamaria a Polícia. Quando vizinhos se aproximaram da briga, a vítima já estava sendo esfaqueada pelo assassino. Josemar teria desferido três golpes no peito e dois nas costas da ex-companheira.

Josimar foi preso na casa onde vivia com a ex-companheira, no Campo d’Água Verde.

 

22-3

Mauri Martins, de 41 anos, foi assassinado com cinco golpes de faca no bairro Tricolim, em Canoinhas. O assassino confesso foi preso logo em seguida.

Segundo o delegado regional Wagner Meireles, tudo começou com uma briga de família. Martins tinha três filhos com uma mulher que mora no bairro. Ele teria ido até a casa e iniciado uma discussão com a ex-mulher e uma das filhas, de 17 anos. Durante a briga ele teria desferido um golpe com uma pedra no rosto da filha. Pouco depois ele saiu da casa. Dimar de Souza, 24 anos, também ex-companheiro da dona da casa, teria ido atrás de Mauri e, durante nova briga, desferido um golpe de faca na barriga da vítima. Mauri ainda tentou fugir, mas levou mais quatro facadas nas costas, morrendo no local.

 

14-3

Renan Dal Lago, confessou ter assassinado Ivo Kominikievicz, 47 anos, em Irineópolis. Segundo a delegada que conduz o inquérito, Sirlei Gutoski, Renan já tinha sido ouvido como testemunha assim que Ivo desapareceu no dia 14. Ele teria negado participação no crime. Depois de o corpo de Ivo ter sido encontrado enterrado nas proximidades da casa de Renan, ele e a namorada, Ester, desapareceram. Desde então, a Polícia tentava localizá-los.

Depois de preso, Renan confessou o crime na Delegacia de Porto União. Ele contou que Ivo estaria na sua casa para ajudar em um trabalho com gado. Quando foi tomar banho, diz Renan, Ivo teria tentado agarrar sua namorada. Ester teria gritado e Renan teria vindo em seu socorro armado com um martelo. Ele teria desferido vários golpes na cabeça de Ivo e, enterrado o corpo do homem logo em seguida.

Ester também foi presa suspeita de coautoria no crime.

 

 

10-4

José Eduardo Moreira de Souza, de 16 anos, foi assassinado com três tiros a queima-roupa em Porto União. Os disparos atingiram o jovem na cabeça, peito e mão.

Segundo informações da Polícia Militar de Porto União, Dudu, como era conhecido, estava em uma casa no Legru, interior do município, quando foi surpreendido por dois jovens que chegaram em uma moto, entraram na casa e disparam a queima roupa. Dudu teve morte instantânea.

 

4-6

O advogado Tadeu Luka foi assassinado com um tiro na cabeça na localidade de Iraceminha, interior de Itaiópolis.

Segundo a Polícia, ele teria ido acompanhado de um cliente até a casa do assassino que, teria iniciado uma discussão com ambos. O assunto seria uma disputa de terras envolvendo as famílias do assassino e do cliente do advogado.

Logo no início da discussão, o assassino teria desferido um soco no rosto de Luka e, em seguida, sacado de um revólver e disparado contra a cabeça do advogado. Luka teria morrido instantaneamente.

 

18-9

Sandro de Almeida, 26 anos, foi assassinado com uma facada bairro São Marcos, em Canoinhas. Ele tentava cobrar uma dívida de Eder Pereira, 21 anos, relacionada à venda de uma motocicleta. Testemunhas disseram que os dois discutiram e Eder teria esfaqueado Sandro, que ainda correu, mas caiu uma quadra adiante. Ele foi socorrido pelos bombeiros, mas acabou morrendo ao dar entrada no Pronto Atendimento Municipal.

 

11-11

Michel Kaczmareck Junior, 20 anos, foi assassinado com uma facada no coração em frente ao ginásio da Escola Valentim Gonçalves Ribeiro, em Monte Castelo, justamente na hora da saída dos estudantes, o que não passou de coincidência. Ambos não estudavam no colégio. Segundo o responsável pela Delegacia de Monte Castelo, Jamil Wilson Carvalho, a princípio eles estavam indo jogar uma partida de futebol quando, em frente ao ginásio do colégio, discutiram, a princípio, por causa de uma estudante da escola com a qual um deles namorava.

A discussão foi testemunhada por vários estudantes da escola. A briga terminou com a facada que o assassino deu no coração de Michel, que chegou a ser socorrido com vida, mas morreu ao dar entrada no Pronto Socorro Municipal.

O assassino tem 16 anos.

 

28-11

A Polícia Civil investiga a morte de Vagner Holles, de 22 anos, assassinado a tiros na localidade de Aterrado Alto, em Monte Castelo.

O autor dos disparos já foi identificado. Ele se apresentou na Delegacia de Mafra.

Segundo o delegado que apura o inquérito, Dr Saul Bogoni, o autor relatou que a vítima adentrou sua casa, agrediu sua esposa e partiu pra cima dele. Foi quando ele sacou a arma para se defender. Quando Holles teria avançado para cima dele, ele diz ter efetuado alguns disparos, que mataram Holler na hora. Assustado, ele teria fugido do local. Ainda de acordo com o delegado, o autor tem uma mercearia que fica em frente à casa. Já bastante embriagado, segundo o autor, Holles queria forçá-lo a abrir o estabelecimento para comprar mais bebidas.

O acusado deve responder por homicídio doloso, quando se comete sem intenção. Ele deve alegar legítima defesa.

 

 25-12

Ademir dias da Silva, de 40 anos, foi assassinado com um tiro de espingarda na noite desta sexta-feira, 25, na Cohab 1, em Papanduva.

Segundo a Polícia Militar, o tiro atingiu o peito de Silva, que morreu pouco depois. O acusado de ser o autor do disparo, de 23 anos, fugiu para um matagal e segue foragido.

 

COMPARATIVO

MUNICÍPIO                  2012                     2013                     2014                      2015               

Porto União                       1                             3                             5                             2

Canoinhas                          2                             3                             4                             3

Itaiópolis                             0                             1                             4                             1

Três Barras                         3                             4                             3                             0

Mafra                                   2                             4                             2                             3

Papanduva                        3                             1                             2                             2

Monte Castelo                 1                             1                             1                             2

Bela Vista do Toldo         1                             1                             0                             0

Irineópolis                          0                             1                             0                             1

Itaiópolis                             0                             1                             0                             1

Major Vieira                      0                             1                             0                             1

TOTAL                               13                          21                          17                          16

 

A Prefeitura de Canoinhas recebeu uma visita inesperada no dia 30 de junho. Pelo menos oito membros do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) estiveram na prefeitura recolhendo documentos e vasculhando computadores.

O material, de acordo com o promotor de Justiça Eder Viana, que recebeu a denúncia e deu início ao processo investigatório, está sendo periciado. Segundo o promotor, a suspeita é de que um grupo de empresas que venceu processo licitatório da prefeitura entregava menos do que vendia. “É como se eu comprasse cinco unidades de determinado produto e o fornecedor me entregasse somente uma unidade”, exemplifica o promotor.

Em entrevista coletiva quatro dias depois, prefeito Beto Faria disse que a operação foi motivada por intriga entre a ex-coordenadora do Lar dos Idosos e uma ex-funcionária. A confusão teria ocorrido em 2012. Faria disse que embora a denúncia seja irresponsável, o Município está colaborando integralmente com as investigações.

 

COOPERATIVA

De acordo com o Município, o grupo de empresas, na verdade, seria um grupo de agricultores cooperados à Cooperativa Agropecuária Regional de Pequenos Produtores de Mafra (Cooarpa). Embora essa cooperativa tenha contrato para fornecimento de alimentos para a merenda escolar, a denúncia se refere exclusivamente ao Lar dos Idosos que, segundo o Município, não tem contrato com a prefeitura. O que ocorre, na versão do advogado do Município, Douglas Conceição, é que a Cooarpa faz parte do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Governo Federal. Por meio deste programa, a União compra frutas, verduras e hortaliças de cooperativas e distribui entre unidades filantrópicas. Dessa forma, reforça Conceição, “não tem como haver prejuízo ao erário público municipal, já que a negociação ocorre entre a cooperativa e o Governo Federal”.

Não citando nomes, Faria disse que já foi registrado até um boletim de ocorrência envolvendo conflito entre a ex-coordenadora do Lar do Idoso e a ex-funcionária que fez a denúncia. “Um conflito particular ganhou uma repercussão que não merecia”, afirmou. As duas continuam servidoras municipais, mas trabalham em outras funções.

Com a cópia de uma página de agenda rascunhada, a ex-funcionária teria feito a denúncia. Nesta página havia anotações feitas pela ex-coordenadora registrando o recebimento dos alimentos da Cooapar. “Quando a cooperativa não conseguia entregar alface, por exemplo, substitua por repolho. Ao invés de entregar um quilo de morango, substituíram por geleia. A denúncia partiu daí”, explica Conceição. O controle fiscal, segundo o advogado, era todo feito pela Cooperativa, que presta contas ao Governo Federal. “A denúncia diz que o prefeito e os secretários sabiam da suposta fraude, mas os produtos eram doados”, conclui.

Até o momento, o Ministério Público não emitiu nenhuma conclusão da investigação.

Sete de abril foi uma data histórica para Canoinhas. Foi dado início às obras da primeira etapa do sistema de esgotamento sanitário da cidade. As obras começaram pela rua Rolando Malucelli. A empresa responsável é Itajuí Engenharia, de Curitiba (PR).

Os investimentos em Canoinhas ultrapassam os R$ 19,5 milhões. Para a primeira etapa do sistema de esgotamento sanitário de Canoinhas estão sendo implantados 47 quilômetros de redes em 56 ruas da área central da cidade, além da construção de uma estação de tratamento de esgoto com vazão de 40 litros por segundo.

 

PROBLEMAS

A Casan será notificada pelos asfaltos, calçamentos e estradas de chão que a Itajuí está perfurando para instalar a rede de esgoto em Canoinhas no caso de não conseguir reconstituí-los. É o caso de estradas de chão batido que estão afundando e de oscilações em calçamentos, como é o caso da rua João Tomachitz, no Jardim Esperança. A informação é do gestor de saneamento, Frederico Valdir Ecker.

Segundo o gestor, o mau tempo tem prejudicado as obras de reconstrução das vias por onde já foram instalados os canos de esgoto. Ele conta que já fez um levantamento fotográfico das ruas com problemas e apresentou ao setor de Planejamento da prefeitura, responsável por notificar a Casan.

Ecker frisa que há interesse da Itajuí em refazer os trechos que apresentam problemas.

A ação das autoridades, no entanto, foi insuficiente. Em outubro, uma petição pública foi aberta na internet pedindo que a Casan, Município e vereadores tomem providências urgentes em relação ao acabamento dado as obras de esgotamento sanitário realizadas em Canoinhas. “Não questionamos as obras, que são importantes, mas como estão sendo refeitos os asfaltos e, principalmente, as calçadas. Quando um particular reclama, eles vão lá e refazem. Mas quando o prejudicado é o Município como no caso do calçadão, como fica?”, questiona uma das autoras da petição, a advogada Bianca Neppel.

“A empresa Itajuí tem retirado calçamento e o reconstruído de forma precária, deixando calçadas e ruas em péssimo estado. O maior exemplo dessa precariedade tem sido o calçadão da rua Felipe Schmidt, que além de ter sido completamente descaracterizado teve as pedras colocadas de forma irregular, o que prejudica o aspecto estético e ainda coloca em perigo as pessoas que transitam pelo local”, diz a petição que pode ser assinada por qualquer cidadão.

“O que pedimos é que a empresa deixe as calçadas e os asfaltos como estavam”, cobra a também advogada e autora da petição Celina Scultetus Krauss.

 

 

Termo de Ajuste de Conduta (TAC) assinado entre o Município de Canoinhas e o Ministério Público previa que vários cargos de professores fossem preenchidos por concursados a partir deste ano. Acordo assinado, a realidade foi bem diferente. Sem concursados e sem condições de contratar Admitidos em Caráter Temporário (ACTs), o Município enfrentou a ira de pais e professores.

Já no começo do ano letivo, quando a questão se transformou em escândalo, com professores tendo de assumir mais uma turma e alunos sendo dispensados por falta de professor, o secretário Hamilton Wendt apresentou um plano estratégico para resolver o problema da falta de professores nas escolas municipais. De acordo com Wendt, a situação estaria completamente resolvida até 20 de março, quando deveriam assumir todos os concursados em 2012 que estariam sendo convocados. Enquanto isso, profissionais estariam sendo remanejados a fim de completar o quadro de professores das escolas mais deficitárias.

Os professores que lideraram o movimento de pressão sobre o executivo avaliaram as medidas anunciadas pelo secretário com satisfatórias desde que cumpridas à risca. Não foi o que aconteceu.

A situação se agravou depois que o promotor de Justiça Eder Viana se pronunciou. Viana esclareceu que todos os termos do TAC relacionados a contratação de professores titulares já haviam sido esclarecidos no ano passando, não justificando, portanto, a chamada de concursados em 2012 somente depois do início das aulas, o que provocou revolta em professores que tiveram de assumir mais de uma turma por falta de colegas. Ele disse que Canoinhas teria até 30 de abril para concluir concurso a fim de preencher as vagas em aberto, mas que se chamasse ACTs neste período estaria incorrendo em ilegalidade. “Não estamos falando de nada recente, isso vem da Constituição de 1988. Há mais de 26 anos que a lei não é cumprida”, afirmou Viana.

O promotor lembrou ainda que as autoridades municipais serão responsabilizadas pelo não cumprimento da lei, antes e depois do TAC assinado no ano passado.

Em maio, reportagem do JMais mostrou que enquanto a administração municipal tentava maquiar a situação, as escolas e Centros de Educação Infantil (CEIs) do Município iam de mal a pior. Faltavam professores ao ponto de a Associação dos Pais e Professores (APP) da Escola Maria Lovatel Pires estar pagando o salário de uma professora de Ciências a fim de garantir educação aos alunos da unidade escolar. Até o dia 4 de abril, a escola ficou sem professor de Matemática, Inglês e Língua Portuguesa. Neste dia, três professores admitidos em caráter temporário (ACTs) assumiram as funções. No dia 30 de abril, no entanto, todos foram dispensados. No caso do professor de Matemática, a APP também estava pagando pelas aulas até que saísse uma portaria do Município habilitando o professor a assumir a disciplina.

No dia 30, o Município deu a última cartada para tentar manter os ACTs. A Justiça não aceitou.

Levantamento feito pelo JMais mostrou que além do Lovatel, em maio faltavam professor de Geografia, um administrador escolar e dois auxiliares de cozinha na Escola Severo de Andrade. O 1º bimestre fechou com os alunos sem notas de Geografia. A escola mandou um bilhete para os pais explicando que as aulas estavam sendo ministradas por uma pedagoga, sem condições de fazer avaliação.

No Rio do Pinho faltavam professores de Matemática, História, Geografia e Ensino Religioso. Na Escola Maria Isabel de Lima Cubas faltavam professores de História e Inglês. Já na localidade de Barra Mansa não havia professores de Matemática, Ensino Religioso, Ciências e monitores.

Na Escola Reinaldo Kruger não havia professor de Educação Física desde o início do ano. A professora do terceiro ano do primário foi exonerada por ser ACT e não havia previsão de substituição.

Nos Centros de Educação Infantil (CEIs) faltavam, além de professores, monitores e serventes.

Para o prefeito Beto Faria (PMDB), a falta de profissionais nas escolas e CEIs já era fatura liquidada. “Estamos apenas na fase de chamado dos profissionais. Acontece que quando chamado, o professor tem 30 dias para decidir se aceita. É um período que tem de ser respeitado”, argumentou. Ele garantiu que não faltavam recursos para as contratações. Questionado sobre a falta de portaria para o caso do professor de Matemática do Lovatel, Faria disse que estava assinando portarias a todo o momento. Ele ainda disse que desconhecia o fato de APPs de escolas estarem bancando o salário de professores enquanto o Município não nomeava nenhum concursado.

De fato, a situação só foi 100% contornada no segundo semestre.

Mesmo assim, em outubro o Ministério Público de Santa Catarina instaurou inquérito civil para apurar a falta de professores na rede municipal de ensino de Canoinhas. Em ofício encaminhado ao prefeito e ao secretário de Educação, o promotor Eder Viana pede que sejam encaminhadas ao MPSC as seguintes informações: relação de escolas que ficaram sem professores e quais foram as disciplinas, indicando-se o período; quantas crianças e adolescentes ficaram sem aula e por quanto tempo; plano de reposição de aulas dos alunos da rede municipal, se existente, informe de quais as providências adotadas quanto a falta de monitores nos CEIs municipais; e eventual documento remetido pelas Associações de Pais e Professores (APPs) quanto ao assunto.

O promotor pediu ainda que as APPs realizassem assembleias a fim de discutir a questão, fazendo uma ata e encaminhando o documento para o MP. A ata deveria conter o número de professores faltantes entre 2014 e 2015 e de eventuais outras irregularidades como desvios de função, professores sem qualificação profissional adequada e o relatório/balancete da APP relativa aos gastos mensais entre os meses de março a junho de 2015 do qual conste discriminadamente os gastos com serviços e prestadores de serviços e os valores recebidos do Município ou de outras fontes.

 

MAIS UMA AÇÃO

Em junho, o promotor Eder Viana entrou com ação civil pública contra Beto Faria e o secretário de Educação, Hamilton Wendt, a fim de garantir transporte escolar para um menino de 14 anos, morador da localidade de Arroios. Segundo a mãe do menino, ele caminha todos os dias cerca de dez quilômetros até o ponto de ônibus mais próximo. O adolescente é aluno da Escola Almirante Barroso.

A ação iniciou em agosto de 2014, quando a mãe procurou o promotor reclamando do que chamou de descaso do Município. Segundo ela, ao procurar a prefeitura, ouviu que por ser final do ano, a Secretaria de Educação não poderia fazer nada.

Depois da negativa, a mãe teria tentado matricular o filho no Educação de Jovens e Adultos (EJA), que funciona na localidade, mas não conseguiu. Sem recurso, ela procurou o Ministério Público.

A partir das informações fornecidas pela mulher, o Ministério Público expediu recomendação ao Município para que garantisse transporte para todos os alunos em situação semelhante à relatada.

Segundo resposta do secretário de Educação, Hamilton Wendt, o Município está cumprindo o que determina a legislação e a distância que o aluno percorre de sua casa até o ponto de ônibus é de 4,8 quilômetros e não de dez quilômetros. De fato, segundo constatou o oficial de diligências do Ministério Público, a distância entre a casa do aluno e o ponto de ônibus é de 5,5 quilômetros.

Questionado, o Conselho Tutelar também se manifestou, dizendo que soube pelo Departamento de Transporte Escolar da prefeitura que é impossível incluir o adolescente na rota do ônibus escolar, devido à “incompatibilidade de horários”, bem como o trajeto não teria sido incluído no planejamento de 2014.

A assessoria de imprensa da prefeitura informou que o problema já foi solucionado e que o aluno já está sendo transportado pelo ônibus que presta serviço ao Município.

 

CRIANÇA ESQUECIDA

Uma criança foi esquecida dentro do Centro de Educação Infantil (CEI) Ruth Rocha em março. Quando os pais chegaram na creche para apanhar a criança, encontraram o prédio fechado. Sem contato com a diretora e professoras do CEI, os pais chamaram a Polícia Militar que, por sua vez, acionou o Conselho Tutelar.

Quando se conseguiu fazer contato com a diretora do CEI, ela foi até a creche. Ao abrir o local, a criança estava dormindo.

A assessoria de imprensa da prefeitura de Canoinhas emitiu nota explicando as providências tomadas:

“Na segunda-feira à noite, assim que o secretário de Educação Hamilton Wendt tomou conhecimento sobre o ocorrido no Centro de Educação Infantil Ruth Rocha, nomeou uma comissão para apuração dos fatos. A comissão, formada por duas assistentes sociais e também pela coordenadora dos Centros de Educação Infantil, já conversou com os pais e profissionais que atuam no CEI para que as providências sejam tomadas.”

O caso provocou revolta popular e complicou ainda mais a situação da Secretaria de Educação do Município.

 

O pastor Daniel de Souza, da igreja Assembléia de Deus do Alto das Palmeiras foi transferido para Joinville neste final de ano. O atual presidente, o pastor Wilson falou em seu discurso de despedida ”que Deus falou que o tempo do pastor Daniel aqui acabou e que Deus tem muitas bênçãos para ele em outra cidade”.

Um grande culto aconteceu na noite do último domingo (27), com a igreja lotada e diversas homenagens feitas ao pastor e sua família, que deixou a igreja  do Alto das Palmeiras quatro meses dirigindo a congregação. Em Canoinhas foram seis anos e meio realizando diversas ações e trabalhos na Assembléia de Deus sede. Daniel assume funções em Joinville, maior cidade catarinense.

A primeira igreja que o casal Daniel e Elisa estiveram a frente pastoreando foi a do Alto das Palmeiras. Segundo os fieis, o  pastor é conhecido por inovar e conquista novos fieis para igreja com sua simplicidade, carisma e abraço amigo nas horas de aflição. O pastor Daniel, durante esse tempo que esteve aqui deixou sua marca e seu legado. Diversas ações, campanhas, muitas pessoas passaram a frequentar a igreja através da sua palavra, do seu amor e dedicação a comunidade canoinhense.

“A alegria nossa é ver vocês continuarem o trabalho que nós iniciamos, fiquem firmes e fortes, corajosos, não desistam, servimos a Deus e não aos homens, servindo a Deus com alegria”, assim destacou Elisa, esposa do pastor, durante sua fala de despedida.

Pastor Daniel ao fazer uso da palavra claramente emocionado lembrou que é acostumado com mudanças, ainda falou que “louva a Deus por tudo, pois o que sei é ajudar Deus me escolheu pra isso, quatro meses que estive a frente da congregação, durante esse tempo restauramos famílias, buscamos pessoas desviadas, pessoas novas vieram para a congregação, por isso vim para ajudar, eu sempre preparo a ceia, porém ainda me sirvo dela, que as promessas Deus continuem a nós abençoar”, assim finalizou sua fala.

Dentro da homenagens o maestro Paulo da Banda Novos Talentos destacou o apoio e a ajuda que o Daniel deu a banda, e em especial ao filho Gunnar Gabriel que é um talento em cantar e tocar diversos instrumentos, “vão fazer falta para a cultura musical de nossa cidade” lembrou Paulo.

 

Foto: Pais da cabeleireira seguram foto da filha/Arquivo

No dia 12 de novembro, completou-se um ano do assassinato da cabeleireira Miriam Dufeck, 27 anos, no bairro Argentina, em Três Barras. Trata-se de um dos crimes mais chocantes e ousados já registrados na região. Em plena luz do dia, por volta das 15h, um ou mais bandidos entraram na casa, sufocaram e estrangularam a cabeleireira. Nenhum dos vizinhos disse ter visto nada.

A partir de então, 39 pessoas já foram ouvidas pelo inquérito policial conduzido pelo dr Vagner Meireles, quatro suspeitos foram presos e liberados e, agora, a Polícia se agarra a possibilidade de a Justiça autorizar a coleta de material genético de um menor de idade. É a última cartada da Polícia na tentativa de prender o culpado ou culpados pelo crime. O material genético seria comparado com o encontrado em uma bituca de cigarro, abandonada no local do crime. Dos moradores da casa, ninguém fumava.

O crime ecoou durante todo o ano como um símbolo de impunidade. No dia 12 de janeiro a juíza criminal da comarca de Canoinhas, Gisele Ribeiro, mandou soltar os dois presos acusados de participação no assassinato da cabeleireira. Outros dois menores de idade acusados de envolvimento no assassinato foram liberados do Centro de Internação Provisória de Caçador (CIP) uma semana antes.

Os quatro estavam detidos desde 12 de dezembro de 2014. O delegado regional Wagner Meirelles havia conseguido prorrogar os 30 dias de prisão temporária até 9 de fevereiro, mas como a divulgação dos laudos periciais não apontou a culpabilidade dos detidos, a juíza acatou o pedido dos advogados Neto Freitas e Andrey Watzko e determinou o fim da prisão temporária.

O Instituto Geral de Perícias (IGP) de Canoinhas concluiu que não há material genético de três dos quatro suspeitos presos um mês depois do crime. O quarto suspeito, um menor com 17 anos de idade, não teve material genético colhido para comparação com o DNA encontrado na bituca de cigarro.

Meireles confirmou o resultado do exame, mas não quis fazer nenhum comentário porque, segundo ele, a partir do resultado dos exames de DNA, outras linhas de investigação foram retomadas. Sobre o menor suspeito não ter feito o exame de DNA, ele diz que por ser menor de idade, precisaria-se da autorização dos pais. Essa autorização não havia sido dada à época da coleta de material genético.

 

NOVA PRISÃO

Um dos detidos há um ano acusado de matar a cabeleireira voltou para a cadeia em novembro deste ano. A acusação, desta vez, é de estupro.

Ele e mais um comparsa teriam abusado de uma menina de 12 anos e de sua amiga de 11. Um terceiro suspeito teria entrado no carro depois que os crimes aconteceram. Os dois acusados e as meninas estariam “namorando” nas proximidades da empresa Mili. Os rapazes de 19 e 20 anos teriam cometido vários atos libidinosos com as meninas, o que, em se tratando de menor de 14 anos, configura estupro.

Pouco depois os quatro embarcaram em um Gol com placas de São Bento do Sul. A menina de 11 anos teria sido deixada adiante e a de 12 teria seguido com os meninos. Depois, ela teria sido dopada com uma mistura de bebida alcoólica e, suspeita a polícia, alguma droga que, possivelmente, seria maconha. Depois, acredita a Polícia, os rapazes teriam penetrado a menina. Exame de conjunção carnal cujo laudo ainda não foi emitido deve comprovar ou rejeitar a suspeita. A menina, que foi abandonada nua em frente à casa de parentes, disse que estava inconsciente, mas lembra-se de ter sido violentada. Além de hematomas pelo corpo, ela foi internada com sintomas de overdose.

Os dois rapazes presos preventivamente aguardam determinação judicial. A juíza criminal pode determinar que eles respondam ao processo em liberdade ou prorrogar a prisão preventiva.

 

Nosso clima já não é mais o mesmo! Dizem ser o El Niño, fenômeno climático que aquece as águas do Oceano Pacífico bagunçando o clima no planeta. Se for ou não, fato é que nunca antes os moradores do Planalto Norte catarinense e Sul do Paraná sentiram tanto essa bagunça. O inverno, sempre rigoroso, teve apenas duas geadas (isso dois anos depois de vermos neve), a chuva que cai desde setembro devastou lavouras e provocou quebra em diversas culturas, principalmente o fumo, principal renda de agricultores da região de Canoinhas que, além do excesso de chuva, foram surpreendidos por pedras de granizo do tamanho de bolas de tênis.

Ao longo do ano foi uma surpresa desagradável atrás da outra.

No dia 10 de janeiro, uma forte chuva provocou enxurradas em vários pontos de Canoinhas. A rua Coronel Albuquerque, no centro, foi a mais atingida. Diversos estabelecimentos comerciais foram invadidos pela água da chuva. O trevo de acesso à Canoinhas no Portal, também, foi invadido pela enxurrada.

No Jardim Esperança e na Cohab 1 houve vários pontos de alagamentos. A Escola Presidente Castelo Branco também foi atingida pela enxurrada. O trânsito pelo centro ficou paralisado por alguns minutos.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as ocorrências atendidas somente dizem respeito a quedas de cabos de energia.

Já no dia 3 de fevereiro, o centro de Papanduva e os bairros Cohab 2, Rondinha, São Cristóvão, Santa Mônica, Bairro Industrial e Hospital ficaram inundados por uma forte chuva. Muitos imóveis foram atingidos, entre eles prédios municipais como biblioteca, telecentro, conselho tutelar e policlínica.

Estima-se que em meia hora choveu 60 mm, o equivalente a um mês de chuva em níveis normais. O córrego que corta o centro da cidade não conseguiu escoar o grande volume de água que se concentrou na região e causou alagamentos.

No dia 7 de setembro, um vendaval acompanhado de pancadas de chuva provocou estragos em Canoinhas e Porto União.

Em Canoinhas a situação mais grave foi na rua 3 de Maio, no acesso ao distrito de Marcílio Dias, onde uma árvore caiu sobre a garagem de uma casa.

Segundo os bombeiros de Canoinhas, mais de 30 chamados foram atendidos no centro e bairros. Houve registro de quedas de árvores e destelhamentos. Equipes dos bombeiros e da Defesa Civil trabalharam em auxílio aos afetados pelo temporal.

Em Três Barras, Major Vieira e Mafra houve ocorrência de granizo.

Já no dia 15 de outubro, uma chuva de granizo caiu no Planalto Norte catarinense e Sul do Paraná, prejudicando agricultores. Em Santo Antonio dos Wossgrau, no interior de Canoinhas, o fumicultor Sidney Popokievicz relatou que perdeu toda a plantação de fumo. “Havíamos plantado a safra não tinha nem 20 dias. Perdemos tudo”, relatou. Para piorar, não existem sementes no mercado. “Agora é só esperar a próxima safra”, lamenta.

O granizo que caiu em Santo Antonio dos Wossgrau, Canta Galo, Santa Leocádia, Paula Pereira e Sereia tinha o tamanho de bolas de tênis. Animais também se machucaram com as pedras. Pássaros mortos foram encontrados por Popokievicz nos arredores de sua propriedade.

Além de lavouras de fumo, plantações de milho e cebola também foram prejudicadas pelo granizo. O temor dos agricultores é de que novas intempéries prejudiquem as culturas que não foram prejudicadas pelo granizo.

 

ENCHENTE

Ainda em outubro, pelo menos 60 famílias foram retiradas da rua Etelvina Pires, no distrito do São Cristóvão, em Três Barras, por causa da cheia do rio Canoinhas. O nível do rio Canoinhas subiu cerca de um centímetro a cada três horas, chegando a 7,07 metros no dia 20.

Na bacia do rio Iguaçu a situação hidrológica ficou em emergência nas cidades de Mafra e Porto União, e em condição de alerta nos municípios de Rio Negrinho e Irineópolis.

Em apenas três dias, 120 milímetros de chuva caíram em Monte Castelo. Em Canoinhas, choveu 47 milímetros. Em Major Vieira, 80 milímetros e em Três Barras, 45,2 milímetros.

Em Porto União cinco famílias foram retiradas de área de enchente. O nível de alerta do rio Iguaçu (5,50 metros) foi ultrapassado com as fortes chuvas na região.

Em menos de dois meses (55 dias), Canoinhas registrou 34 dias de chuva durante a primavera.

Desde o dia 15 de setembro até 10 de outubro, várias regiões do Estado tiveram mais de 40 dias de chuva.  Em Urupema, no Planalto Sul, foram registrados 51 dias de chuva. Em Benedito Novo, no Vale do Itajaí, 50 dias. Em Timbé do Sul, no Litoral Sul e em Garuva, no Litoral Norte, o total foi de 49 dias de chuva. Em Florianópolis, em 55 dias choveu pelo menos 43 dias.

 

DADO SURPREENDENTE

Cidade que registrou uma das maiores tragédias climáticas da história de Santa Catarina, quando 23 pessoas morreram em 1948 durante a passagem de um furacão pela localidade de Valinhos, Canoinhas figura como a terceira cidade no número de tragédias naturais entre 1991 e 2012. Perde somente para São Paulo (SP) e Chapecó (SC).  Foram registrados 41 eventos climáticos capazes de causar destruição em Canoinhas na década.

As enchentes anuais, frisa o coordenador regional de Defesa Civil, Edson Antocheski, contribuem e muito para a colocação da cidade no ranking do Atlas Brasileiro de Desastres Naturais. “O estrangulamento do rio Canoinhas deixa a cidade muito suscetível a enchentes.

Vem água de todos os lados. Choveu no rio da Serra do Espigão, a água se acumula no rio Canoinhas”, exemplifica. Antocheski lembra que o atlas é um espelho de todos os desastres naturais ocorridos no Brasil. “Quando se tem um registro, vai para a Defesa Civil Nacional. Se chover em Canoinhas e inundar uma rua, o responsável pela Defesa Civil deve fazer o registro”, explica Antocheski. Ele lembra que Santa Catarina é uma prioridade para a Defesa Civil Nacional. Para se ter uma ideia, das dez cidades mais suscetíveis a desastres naturais no País, somente São Paulo (SP) e Petrópolis (RJ) não são catarinenses.

 

 

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

No dia 30 de novembro, a Coordenaria Municipal de Defesa Civil (Comdec) aprovou o decreto de situação de emergência em Canoinhas. O alto índice de chuvas nos últimos meses e os danos que têm causado à malha viária e ao setor agrícola foram os motivos do decreto.

No encontro, o secretário municipal de Desenvolvimento Rural, Joercio Mielke, relatou queda na produção agrícola do município, falando ainda sobre a expectativa de produção e a realidade vivida pelos empresários do meio rural do Planalto Norte, em especial de Canoinhas. Já o secretário interino de Obras, Fernando de Oliveira, explanou sobre os danos à malha viária destacando os diversos problemas nas vias públicas.  O secretário de Planejamento, Gilson Guimarães, também comentou sobre as dificuldades na execução de obras em razão das chuvas. “A previsão é de chuva até o início do próximo ano e por isso está difícil dar continuidade aos trabalhos e obras”, disse o secretário.

Pelo mesmo motivo, pouco depois, Porto União decretou situação de emergência.

 

Ademir dias da Silva, de 40 anos, foi assassinado com um tiro de espingarda na noite desta sexta-feira, 25, na Cohab 1, em Papanduva.

Segundo a Polícia Militar, o tiro atingiu o peito de Silva, que morreu pouco depois. O acusado de ser o autor do disparo, de 23 anos, fugiu para um matagal e segue foragido.

 

O ano de 2015 teve como destaque no esporte, Canoinhas sediando pela quarta vez os Jogos Abertos de Santa Catarina etapa Leste Norte; o título inédito do estadual do futsal na primeira divisão de Santa Catarina; e o Bolão 23 Masculino como campeão regional dos Jogos Abertos de Santa Catarina.

Na Copa Integração de Futebol de Campo, o campeão foi o Mirassol do Rio do Pinho na categoria aspirante e o Grêmio Entre Rios na categoria titular.

Tivemos o cancelamento da copa dos campeões; e Grêmio Entre Rios como campeão da Taça Planalto de Futebol de Campo.

Na primeira Copa Estrela Azul de Futebol o Bela Vista foi o campeão da competição.

Na Copinha Sesc Ler de Futebol Sintético os campeões foram: na categoria sub 07 Escolinha do Jubanski A, sub 09 Escolinha do Jubanski, sub 11 Juvenil, sub 13 Papanduva, e sub 15 Adesp.

Nos Jogos da Primavera o troféu de campeão geral foi para a Turma da Rose, com 73 pontos. Taça Cidade de Futsal teve o time do Espanhol como campeão da competição.

Nos Joguinhos Abertos de Santa Catarina etapa leste norte, realizada em Três Barras, Blumenau, 63 pontos, foi campeã geral.

2015 também foi marcado pelo falecimento do radialista Alcione Machado, deixando um legado grande para o esporte e sendo homenageado nas duas partidas finais do estadual de futsal, deixando muita saudade e dor aos parentes e amigos.

Foto: Lu Calistro/VVale

Luiz Felipe Dolinski, 18 anos, foi encontrado morto nas águas do rio d’Areia, em Porto União, na manhã deste sábado, 26.

De acordo com o portal VVale, Dolinski desapareceu na sexta-feira, 25. De acordo com testemunhas que estavam com a vítima, ao andar pela ponte que passa sobre o rio, ele se jogou de forma repentina. Foi feita uma tentativa de resgate pelas próprias testemunhas, mas sem êxito. A situação ficou a cargo do Corpo de Bombeiros que localizou o corpo por volta das 9h deste sábado.