< dezembro 2014 - JMais | Jornalismo Digital Archive | JMais | Jornalismo Digital

Formulário + Botão Guia+ Desktop

Formulário + Botão Guia+ Mobile

O valor do extintor ABC, obrigatório nos automóveis, pode variar entre R$ 60 e R$ 100

A partir de amanhã (1º), passa a valer a obrigatoriedade de uso nos automóveis do extintor ABC que apaga incêndio em materiais sólidos como pneus, estofamentos, tapetes e revestimentos.

O equipamento substituirá o extintor BC que apaga incêndio em materiais elétricos energizados como bateria de carro e fiação elétrica e também nos combustíveis líquidos óleo, gasolina e álcool. O extintor ABC deve ser usado em automóveis de passeio, utilitários, caminhonetes, caminhão, trator, micro-ônibus, ônibus e triciclo automotor de cabine fechada.

Circular sem o equipamento é infração grave com multa de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira de habilitação. A determinação do uso desse tipo de extintor está em resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Desde 2005, os carros novos produzidos no Brasil saem de fábrica com o extintor do tipo ABC. O novo extintor tem prazo de validade de cinco anos.

Os extintores BC são válidos por apenas um ano, por isso precisam ser recarregados anualmente. Para quem precisa adquirir o equipamento, o preço pode variar entre R$ 60 e R$ 100.

Confira os destaques de Canoinhas e região nas festividades de fim de ano:

SBO Bailão Ano Novo

 

SBO

Quando? Quarta, 31 – a aprtir das 23h30

O que? Bailão de Ano Novo com Grupo Capital Tchê

 

 

 

 

Reveillon Daj

 

DAJ CACHAÇARIA

Quando? Quarta, 31, a partir das 20h

O que? Festa de Reveillon Top Daj com Sertanejo Universitário ao vivo

 

 

Hall Club

 

THE HALL CLUB

Quando? Quarta, 31

O que? Festa de Reveillon 2015 The Hall Club em Porto União, com café da manhã free

 

 

CINEMA

jogosJogos Vorazes (Sinopse) – a Esperança, primeira parte do final da saga, estreia nesta sexta-feira, 26, no Cine Queluz, em Canoinhas. Após ser resgatada do Massacre Quaternário pela resistência ao governo tirânico do presidente Snow (Donald Sutherland), Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) está abalada. Temerosa e sem confiança, ela agora vive no Distrito 13 ao lado da mãe (Paula Malcomson) e da irmã, Prim (Willow Shields). A presidente Alma Coin (Julianne Moore) e Plutarch Heavensbee (Philip Seymour Hoffman) querem que Katniss assuma o papel do tordo, o símbolo que a resistência precisa para mobilizar a população. Após uma certa relutância, Katniss aceita a proposta desde que a resistência se comprometa a resgatar Peeta Mellark (Josh Hutcherson) e os demais Vitoriosos, mantidos prisioneiros pela Capital.

 

Veja dias e horários de exibição do filme:

PROGRAMAÇÃO   CINE QUELUZ CANOINHAS

. DIAS DA SEMANA

HORÁRIO

             F I L M E S

01.01

Quinta NÃO TEM SESSÃO

02.01

Sexta 20h Jogos Vorazes – A Esperança – Parte 1 (Dub – 14 anos)

03.01

Sábado 17H Jogos Vorazes – A Esperança
20H Jogos Vorazes – A Esperança

04.01

Domingo 17H Jogos Vorazes – A Esperança
20H Jogos Vorazes – A Esperança

05.01

Segunda NÃO TEM SESSÃO

06.01

Terça 20h Jogos Vorazes – A Esperança

07.01

Quarta 20h Jogos Vorazes – A Esperança

08.01

Quinta 20h Jogos Vorazes – A Esperança
PREÇOS DOS INGRESSOS TERÇA A DOMINGO E FERIADOS – MEIA R$ 7,00 – INTEIRA R$ 14,00QUARTA – PREÇO ÚNICO R$ 7,00

O Queluz se reserva o direito de mudar a programação sem aviso prévio.

 

 

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), entre as diversas operações que vem realizando nesse final de ano, flagrou em uma abordagem na Unidade Operacional em Canoinhas, por volta das 19 h dessa terça-feira (30), um senhor de 46 anos que apresentou sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH), com dados sem correspondência nos sistemas oficiais.

O senhor confessou ter adquirido a CNH falsa na cidade de  Joinville por R$ 1.600 (um mil e seiscentos reais), motivado pela extrema dificuldade encontrada em uma aula teórica no Centro de Formação de Condutores.

O condutor foi enquadrado no uso de documento falso e preso em flagrante. Condutor e documento foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Canoinhas.

Ano foi marcado pela segunda maior enchente da história recente do Planalto Norte/Foto: BR-280 chegou a ficar interditada no trecho Canoinhas a Porto União

 

3-6: FRIO RECORDE

Uma intensa massa de ar frio e seco foi responsável pela madrugada mais fria do Outono em Santa Catarina. As cidades mais altas de boa parte do Estado registraram temperatura próxima de zero grau e negativa, com geada.

O termômetro que fica no centro de Canoinhas registrou -3º na madrugada de 3 de junho. Oficialmente, os termômetros da Epagri registraram -0,1º.

Foram pelo menos 16 cidades com temperatura abaixo de zero grau e a temperatura mais baixa ocorreu em Bom Jardim da Serra, -5ºC. No Litoral, o frio também foi forte com 4,4ºC em Criciúma e 6,9ºC em Florianópolis.

 

 

 

JUNHO E JULHO: ENCHENTE HISTÓRICA

Os meses de junho e julho foram de preocupação e tristeza para centenas de famílias da região. A enchente, resultado de três dias de chuva intensa, alagou mais de 40% de Três Barras e atingiu 15 mil pessoas. Já em Canoinhas, mais de 2.200 pessoas foram afetadas pela cheia.

O rio Canoinhas, que passa pelos dois municípios, chegou à marca de 7,99 metros no dia 13 de junho. Esta foi a maior cheia em 30 anos na história da região, apenas perdendo para a grande enchente de 1983. Porém, em número de atingidos, superou. Em 1992, quando o desastre também foi grande, de acordo com o arquivo do jornal Correio do Norte, o nível máximo registrado foi de 7,62 metros.

Estradas do interior ficaram inacessíveis e ruas do Centro de Canoinhas foram interditadas. Em Três Barras, as aulas precisaram ser suspensas por causa da situação de emergência do município.

As prefeituras cederam espaço para as vítimas da enchente, mas a Defesa Civil ainda pediu a colaboração imediata com doações de roupas, calçados e cobertores. A população, no entanto, já se mobilizou antes do previsto. Pela internet, diversos grupos se uniram para conseguir doações, unindo forças com organizações não-governamentais e igrejas.

Já em Irineópolis, com a cheia do rio Iguaçu, um dos prejuízos contabilizados pela Defesa Civil é referente à bacia leiteira. Os alagamentos nas estradas rurais e acessos prejudicados fizeram com que, em cinco dias, fossem perdidos mais de 66 mil litros de leite, um valor estimado em R$ 52 mil.

Deputado federal defende o empresariado e afirma que somente com incentivos dos governos, indústria regional vai se desenvolver

 

Terceiro deputado federal mais votado em Canoinhas e região, Jorginho Mello (PR) fala sobre o sistema político brasileiro e não nega que o governo do PT, do qual é aliado, tem muito a fazer para recuperar a credibilidade. Acompanhe.

 

O sr foi o terceiro deputado federal eleito mais votado em Canoinhas e região. A que atribui essa boa votação?

Já tive ótimas votações em Canoinhas, agora aumentei, então tenho compromisso com toda a região. Acredito que a soma de esforços, especialmente do vereador Pike aí em Canoinhas e do (vereador) Werka, em Mafra, me ajudaram muito.

 

O que o sr pretende fazer pela região considerando a histórica falta de investimentos tanto federais quanto estaduais na região na tentativa de atrair indústrias, que hoje pode ser considerada nossa maior carência?

Para se atrair empresas é preciso ter empresários interessados. O Governo municipal tem de ser parceiro, disponibilizando infraestrutura. O Governo do Estado, por sua vez, tem de conceder incentivos fiscais. Nós também podemos ser parceiros, incentivando os empresários a investir na região. Aí tem infraestrutura adequada. Temos de melhorar nossa malha viária, incentivar a criação de ferrovias, enfim, essa infraestrutura que precisa ser melhorada para que os empresários tenham confiança na região. É bom lembrar que nenhum empresário vai fazer um investimento sem perspectiva de lucro.

 

Há dois grandes investimentos que podem ajudar a região: a Ferrovia do Frango e o aeroporto regional de Três Barras. O sr tem acompanhado esses processos. O que pode fazer para ajudar a acelerar esses investimentos?

Apoio todas elas. É bobagem dizer: faz aqui ou faz ali. Não tenho dúvidas da importância da ferrovia para o Estado. O que não pode é ficar nessa briga burra por qual o melhor trajeto. Tem de ser a que tiver mais condições de execução, senão fica aquela conversa mole de é ‘por aqui, é por ali’. Hoje em dia, com esse entupimento das estradas, as ferrovias são de fundamental importância.

Sobre os aeroportos regionais, vejo como uma necessidade. Tenho contato constante com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). O Governo Federal priorizou os pequenos aeroportos para dar condições de unir regionalmente os municípios. O aeroporto de Três Barras está centralizado. Isso é importante e tenho esperanças de que o Governo Federal leve esse assunto adiante. Temos pedido que o Governo não tire os aeroportos regionais das prioridades.

 

O sr é a favor de um novo pacto federativo, que aumente o repasse da arrecadação aos municípios?

Pacto federativo é uma conversa bonita que todo mundo faz e nunca acontece. O que precisamos fazer, primeiro, é uma reforma política. É conversa mole de quem não quer fazer. Esse sistema podre como o de hoje não pode continuar. Você não imagina a luta para conseguir a universalização e colocar todos debaixo do mesmo guarda-chuva no caso das micro e pequenas empresas. O empresário brasileiro é um herói. Ele paga a conta em todo lugar. O novo pacto federativo pode acontecer, mas não agora. Nunca vi governo nenhum abrir mão de tributos. Sou sincero, acho difícil a aprovação tão cedo.

 

Como o sr vê o atual momento político, considerando as denúncias de corrupção envolvendo integrantes de estatais e de partidos políticos, com a oposição cada vez mais agressiva?

O PR apoia o Governo Federal. Em Santa Catarina não tivemos um apoio forte porque SC é anti-PT, não importa o candidato. A oposição que o PSDB faz tem de ser feita. Ainda bem que agora está um pouco melhor, porque era muito fraca, muito tímida. Quando o PSDB fala em descumprir a meta fiscal, o Fernando Henrique fez a mesma coisa lá no passado. Pau que bate em João, bate em José. É muito fácil jogar pra torcida. A campanha ainda não terminou. O PT tem muito a fazer, muita muamba a erradicar.

 

O PR compõe o governo do Estado e acaba de garantir duas vagas na Assembleia. Esse peso político que o partido ganhou lhe garante uma participação efetiva no governo Colombo?

Não tenho dúvida.

 

O sr foi citado na operação Ave de Rapina da Polícia Federal. O sr nega envolvimento?

Isso foi uma bobagem que o jornal Notícias do Dia divulgou. A coordenação da minha campanha contratou uma empresa que colocou placas minhas e essa empresa tem envolvimento nessas denúncias. Minha prestação de contas, no entanto, foi aprovada ontem (dia 2/12). Como a empresa atrasou a entrega de placas, a gente ligava para a empresa e cobrava ‘Cadê as placas?’. Como essa empresa estava grampeada, foram publicadas essas conversas. Mas o problema é dessa empresa. Não tenho nada a ver.

 

O sr tem grande influência sob o PR de Canoinhas. Como vê a possibilidade de Renato Pike ser candidato a prefeito?

O Pike é um líder aí no município. Nós não fazemos política para pisar no pescoço de ninguém, nós queremos somar. Agora, o Pike está preparado para ser prefeito, mas isso depende dos companheiros daí construírem essa candidatura.

 

QUEM É?

Jorginho Mello, 58 anos, nasceu em Ibicaré.

Foi gerente e diretor do Banco do Estado de Santa Catarina (BESC) entre 1975 e 2002. Foi, também, conselheiro do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) de Florianópolis, em 1999.

Deputado em Santa Catarina por quatro vezes, foi reeleito em 2014.

 

 

 

O aumento beneficiará 48 milhões de pessoas que têm renda vinculada ao piso nacional

O valor do salário mínimo pago aos trabalhadores a partir de 1° de janeiro de 2015 será R$ 788. O reajuste chega a 8,84% em relação ao valor atual, de R$ 724. O novo salário mínimo está definido em decreto assinado pela presidenta Dilma Rousseff e publicado na edição dessa terça-feira, 30, do Diário Oficial da União.

Com o reajuste, o mínimo pago corresponde a um valor diário de R$ 26,27 e de R$ 3,58 por hora de trabalho. O aumento beneficiará 48 milhões de pessoas que têm renda vinculada ao piso nacional, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O valor de R$ 788 estava previsto na proposta orçamentária entregue pelo governo ao Congresso Nacional. O salário mínimo é calculado a partir de uma fórmula que leva em conta a inflação do ano anterior e o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

Da Agência Brasil

 

Canoinhense que fez carreira estadual ao assumir a chefia da Polícia Civil, Eskudlark fala sobre pulverização de votos e projetos para o Planalto Norte

 

Quarto deputado estadual eleito mais votado em Canoinhas e região, o canoinhense Maurício Eskudlark (PSD) já chegou a ser entregador do Jornal Correio do Norte, de Canoinhas.

Na entrevista a seguir ele fala sobre sua carreira, a pulverização de seus votos e comenta sobre ideias que podem vir a se tornar projetos a fim de estimular o crescimento econômico do Planalto Norte.

 

O sr tem uma trajetória política bastante curiosa. Nasceu em Canoinhas, foi morar no oeste e nas últimas eleições tem pulverizado sua votação chegando a fazer a maioria dos votos em regiões tão distantes como São Miguel do Oeste e Florianópolis.

Nasci em Canoinhas com muito orgulho, estudei no Santa Cruz, no Almirante Barroso, no Colégio Comercial, trabalhei em empresas daí até os 18 anos. Deixei a cidade para cursar Direito em Itajaí e após a faculdade passei no concurso para delegado de Polícia. A minha ideia era voltar a Canoinhas. Ocorre que na época não tivemos vaga para Canoinhas como delegado de Polícia e a opção que me foi oferecida foi São Miguel de Oeste, de onde era minha esposa. Por essa razão não voltei a Canoinhas. Lá no oeste fui delegado regional, diretor de Polícia e também vereador por duas vezes e candidato a prefeito e onde mantenho até hoje domicílio eleitoral. Depois fui chefe do combate ao crime organizado em SC, diretor de Polícia do litoral e de 2007 a 2010, chefe de Polícia Civil de SC. Por essa razão nossa eleição foi estadualizada. Em 2010 fizemos votos em 290 municípios e nesta em 289 municípios.

Mas meu desejo inicial era fazer toda a minha carreira em Canoinhas.

 

Surpreende o seu crescimento em Três Barras, Foi de 51 para 440 votos…

A cada eleição a gente busca mais espaço. Em Três Barras pude contar com o apoio do ex-vereador Ernani Wogeinaki. Em Canoinhas, apoio do vereador Osmar Oleskovicz, em Porto União do Carlos Pinto, enfim, através dessas lideranças conseguimos este resultado.

 

Como o sr pretende retribuir os votos que recebeu no Planalto Norte?

Trabalhando, vamos continuar fazendo esse trabalho por todo o Estado. Meu sonho inicial era voltar a Canoinhas, mas isso não foi possível. Deus me deu mais do que eu pedi. Queria voltar como advogado e voltei como chefe de Polícia e deputado. Claro que vou retribuir brigando junto ao Governo do Estado para mais recursos para a região.

 

Uma das principais carências do Planalto Norte está no setor industrial. Canoinhas, por exemplo, é basicamente sustentada pelo comércio. Como atrair empresas para uma região distante dos portos?

Participei de reuniões em Canoinhas e Porto União para tratar de assuntos como a insuficiência de energia elétrica. A região precisa de oportunidades para atrair investimentos. Precisamos melhorar a infraestrutura, começando pela energia elétrica. Melhorando essa questão, definir com o Governo, benefícios fiscais para que grandes empresas se estabeleçam no Planalto Norte. A região é muito carente de grandes empresas.

 

Essa ideia de regime fiscal diferenciado para o Planalto Norte é comungada por outros deputados bem votados na região. Considerando que é pequeno o número de deputados com votação expressiva na região, o sr não acha inviável aprovar esse benefício?

Temos (deputados da região) de juntos com o governador Raimundo Colombo buscar empresas para o Planalto Norte, oferecendo benefícios diferenciados. A federalização da BR-280 de Canoinhas a Porto União já ajudou, mas muita coisa precisa melhorar.

 

O sr apoia que o traçado da Ferrovia do Frango passe pelo Planalto Norte?

Entendo que se pode aproveitar o traçado da Ferrovia do Contestado, passando pelo Planalto Norte, aproveitando essa infraestrutura. Vamos defender essa tese.

 

Colombo tende a perder o apoio do PP, PSDB e do PT neste segundo mandato. O sr acredita que o debate seja mais intenso na Assembleia?

Acredito que vai ser construída uma forma de diálogo com todos os partidos, talvez com uma Assembleia mais dividida. Na legislatura passada, tínhamos 32 deputados governistas, mas não acredito que esse número se mantenha. Mas a oposição racional é boa para a democracia.

 

O atual presidente da Assembleia, Romildo Titon, acaba de reassumir o cargo depois de meses afastado por suspeitas de corrupção. Caso ele tente a reeleição o sr o apoiará?

Temos o ex-presidente da Assembleia, Gelson Merísio (PSD), que já manifestou interesse em voltar à presidência. Vamos promover um debate. Independente de nome vai-se buscar entendimento.

 

O governador já sinalizou com a possibilidade de enxugamento das estatais. Como o Sr vê essa possibilidade?

Tudo o que for possível fazer para realocar investimentos em prol do bem comum e não prejudicar o dia a dia das estatais deve ser feito.

 

Para as próximas eleições, deve-se manter o pré-acordo que garante apoio do PSD a uma candidatura do PMDB?

Temos muito tempo até lá. Há vários partidos que participaram da coligação que elegeu Raimundo Colombo. Efetivamente, só o tempo vai dizer. A tendência é da manutenção dessa coligação.

 

EVOLUÇÃO DE VOTOS DE ESKUDLARK NA REGIÃO

 

                              2010            2014

CANOINHAS         228              265

TRÊS BARRAS       51              440

BELA VISTA          45                79

MAJOR VIEIRA     12                19

IRINEÓPOLIS        88                74

PORTO UNIÃO      482            686

 

O governador reeleito de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), tomará posse para os quatro anos de mandato em uma cerimônia na Assembleia Legislativa, agendada para as 19h30min de quinta-feira. Antes, ele participa de uma missa na Catedral Metropolitana de Florianópolis, às 18h.

No discurso, de acordo com a assessoria do governador, ele deve abordar essencialmente três pontos. O primeiro será a necessidade de andamento e conclusão das obras do Pacto Por Santa Catarina, o maior programa do governo estadual. O Pacto inclui ações nas áreas de Educação, Segurança, Saúde, Defesa Civil, Infraestrutura e Assistência Social. A maior parte dos recursos é de financiamentos do governo federal.

O segundo tema que será tratado por Colombo no discurso é a vontade de reeditar no novo mandato o Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam). O programa libera recursos aos municípios, mediante a apresentação de projetos analisados pelo BRDE, para realização de obras. Os desafios que devem ser atacados na retomada da administração do Estado serão o terceiro assunto abordado pelo governador.

Ainda na cerimônia na Assembleia Legislativa, Colombo dará posse aos secretários que vão compor a equipe no segundo mandato. Não será realizado nenhum ato no Centro Administrativo do Estado, de acordo com a equipe de cerimonial da Casa Militar do governo estadual.

Antes da cerimônia de posse na Assembleia, o governador irá conceder uma coletiva no prédio do Legislativo.

Fonte: Diário Catarinense
Aposentados e pensionistas do INSS só tem até essa terça-feira, 30, para comprovação de vida e a renovação da senha bancária

As agências bancárias vão fechar amanhã (31), assim como no dia 1º de janeiro, de acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Hoje (30), os bancos abrem normalmente e farão todas as operações bancárias disponíveis ao público. Será o último dia útil do ano nas instituições financeiras: no dia 31, os bancos fecharão para realizar operações internas e balanços, sem expediente ao público nas agências.

As contas de consumo (água, luz, telefone e TV a cabo, por exemplo) e os carnês que vencerem no período em que os bancos ficarão fechados poderão ser pagas no próximo dia útil (2 de janeiro), sem a incidência de multa. Os tributos, normalmente, já estão com a data ajustada pelo calendário de feriados (federais, estaduais e municipais).

A federação lembra que, nos dias em que as agências estiverem fechadas, os clientes poderão usar os canais alternativos de atendimento para fazer operações bancárias, como caixas eletrônicos, internet bankingmobile banking, banco por telefone e correspondentes (casas lotéricas, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos comerciais credenciados).
Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) devem ficar atentos porque só têm até hoje para comprovação de vida e a renovação da senha na rede bancária. A falta de renovação pode levar à interrupção do pagamento do benefício, até que a situação seja regularizada.

Da Agência Brasil
Medidas provisórias visam ajustes nas despesas do abono salarial, do seguro-desemprego, do seguro-defeso, da pensão por morte e do auxílio-doença

As normas de ingresso e de manutenção dos brasileiros em cinco benefícios trabalhistas e previdenciários serão alteradas pelo governo federal. Nesta terça-feira (30), será publicado noDiário Oficial da União o envio de medidas provisórias ao Congresso Nacional, com ajustes nas despesas do abono salarial, do seguro-desemprego, do seguro-defeso, da pensão por morte e do auxílio-doença.

O objetivo das novas regras, informou o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, é eliminar excessos, aumentar a transparência e corrigir distorções, visando a sustentabilidade dos programas que utilizam os fundos de Amparo ao Trabalhador (FAT) e da Previdência Social. “Todas as mudanças respeitam integralmente todos os benefícios que já estão sendo pagos”, disse o ministro. “[Elas] não se aplicam aos atuais beneficiados, não é retroativo”.

As medidas foram anunciadas após encontro dos ministros com representantes de centrais sindicais, na tarde dessa segunda-feira (29), no Palácio do Planalto. Elas começam a valer a partir dessa terça, 30, mas precisam ser aprovadas pelos deputados e senadores para virarem lei. Elas vão gerar redução de custos de aproximadamente R$ 18 bilhões por ano, a preços de 2015.

De acordo com Nelson Barbosa, que vai assumir nesta quinta-feira (1º) o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, o valor equivale a 0,3% do Produto Interno Bruto (PIB), soma dos bens e serviços produzidos no país do próximo ano, e vai aumentar ao longo do tempo, de acordo com a maior utilização dos benefícios.

A primeira medida anunciada é o aumento da carência do trabalhador que tem direito a receber o abono salarial. Antes, quem trabalhava somente um mês e recebia até dois salários mínimos poderia receber o benefício. Agora, o tempo será de no mínimo seis meses ininterruptos. Outra mudança será o pagamento proporcional ao tempo trabalhado, do mesmo modo que ocorre atualmente com o 13º salário, já que pela regra atual o benefício era pago igualmente para os trabalhadores, independentemente do tempo trabalhado.

O seguro-desemprego também sofrerá alterações. Se hoje o trabalhador pode solicitar o seguro após trabalhar seis meses, com as novas regras ele terá que comprovar vínculo com o empregador por pelo menos 18 meses na primeira vez em que solicitar o benefício. Na segunda solicitação, o período de carência será de 12 meses. A partir do terceiro pedido, a carência voltará a ser de seis meses.

Citando casos de acúmulo de benefícios no seguro-desemprego do pescador artesanal, conhecido como seguro-defeso, as regras também terão mudanças. A primeira mudança visa a vedar o acúmulo de benefícios assistenciais e previdenciários com o seguro-defeso. O benefício de um salário mínimo é pago aos pescadores que exercem a atividade de forma exclusiva, durante o período em que a pesca é proibida, visando a reprodução dos peixes.

Mercadante afirmou que “não faz sentido” o trabalhador receber o seguro-defeso e concomitantemente o seguro-desemprego ou o auxílio-doença, por exemplo. Além desta medida, serão criadas regras para comprovar que o pescador comercializou a sua produção por pelo menos 12 meses, além de ser criada carência de três anos a partir do registro do pescador.

Com base em estudos de experiências internacionais, o governo pretende criar uma carência de dois anos para quem recebe pensão por morte. Outra intenção é exigir tempo mínimo de dois anos de casamento ou união estável para que os dependentes recebam a pensão. “Não dá para casar na última hora para simplesmente transferir o benefício como em casamentos oportunistas que ocorrem hoje”, justificou Mercadante.

A exceção é para os casos em que o óbito do trabalhador ocorra em função de acidente de trabalho, depois do casamento ou para o caso de cônjuge incapaz. Nova regra de cálculo do benefício também será estipulada, e reduzirá o atual patamar de 100% do salário-de-benefício para 50% mais 10% por dependente. Outra mudança é a exclusão do direito a pensão para os dependentes que forem condenados judicialmente pela prática de assassinato do segurado.

O auxílio-doença também sofrerá alteração. O teto do benefício será a média das últimas 12 contribuições, e o prazo de afastamento a ser pago pelo empregador será estendido de 15 para 30 dias, antes que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passe a arcar com o auxílio-doença.

A única medida anunciada pelos ministros, que valerá para todos os beneficiados, será o aumento da transparência dos programas. Os nomes dos beneficiados, a que auxílio têm direito, por qual motivo e quanto recebem são informações que, de acordo com Mercadante, estarão disponíveis publicamente na internet, da mesma forma que é hoje para quem recebe o Bolsa Família.

O ministro explicou que já existem medidas de auditoria permanente no Bolsa Família, e disse que as mudanças visam a dar isonomia à concessão dos programas. “Estamos fazendo com critério, equidade, equilíbrio, preservando políticas, direitos adquiridos. São ajustes e correções inadiáveis e indispensáveis”, afirmou.

Durante o encontro, estiveram presentes Carlos Eduardo Gabas, secretário-executivo do Ministério da Previdência Social, que foi efetivado nesta segunda-feira (29) à frente da pasta; Paulo Rogério Caffarelli, secretário executivo do Ministério da Fazenda; Miriam Belchior, ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão; e Manoel Dias, ministro do Trabalho e Emprego.

Os trabalhadores foram representados por dirigentes da Central Única dos Trabalhadores, União Geral dos Trabalhadores, Nova Central Sindical dos Trabalhadores, Central dos Sindicatos Brasileiros e Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil.

 

Deputado federal diz que vê como difícil a chance de trajeto passar pelo Planalto Norte/ Foto: Arquivo

 

Segundo deputado federal eleito mais votado em Santa Catarina, João Rodrigues (PSD) foi o sexto mais votado na região do Planalto Norte. Na série de entrevistas com os deputados federais eleitos mais votados em Canoinhas e região, Rodrigues fala francamente sobre as chances de a região abrigar a Ferrovia do Frango e um aeroporto regional e defende a vinda de uma grande agroindústria para o Planalto Norte. Rodrigues foi secretário da Agricultura e da Pesca de SC, deputado estadual e prefeito de Chapecó e de Pinhalzinho. Na Câmara Federal, foi eleito para o segundo mandato.

 

O sr esperava ser o segundo deputado federal mais votado no Estado?
Olha, eu esperava uma boa votação, afinal nos dedicamos nos últimos três anos e meio, trabalhei por todo o Estado de Santa Catarina, como secretário de Estado da Agricultora e da Pesca, atendi 100% dos municípios.  Tudo que se planta, se colhe. Felizmente, colhemos um pouco mais do que esperávamos.

 

No Planalto Norte o sr foi o sexto eleito mais votado. Como o sr pretende retribuir essa votação?

É evidente que temos um déficit com a região na área industrial. Esse déficit passa pelo agronegócio, que pode desenvolver e gerar empregos para a região. Precisamos nos unir, todos os deputados que fizeram votos no Planalto Norte, para ajudar a região em conjunto com os deputados estaduais, governador Raimundo Colombo e prefeitos.

 

Há dois empreendimentos que podem ajudar a região que são a Ferrovia do Frango e o Aeroporto Regional de Três Barras. O que o sr pode fazer para ajudar a região a concretizar esses dois investimentos?

Coisa que não tolero é faltar com a verdade. Sou muito sincero e acho que o serviço público exige isso. A Ferrovia do Frango, inquestionavelmente, é necessária. É uma questão de sobrevivência do agronegócio. Agora, sai ou não sai? Acho que nos próximos 20 anos não sai, porque depende de investimentos diretos do Governo Federal. A PPP (Parceria Pública Privada) dificilmente ocorrerá. Qual empresa no Brasil ou no mundo vai construir uma ferrovia onde, primeiro, o frango não vai poder passar por aí, porque hoje o frango é exportado pelo porto de Itajaí. Efetivamente, se formos buscar o milho do Mato Grosso pra poder abastecer o agronegócio, é extremamente prioritário. No entanto, um estudo está sendo feito para analisar o melhor trajeto, não podemos desanimar.

Sobre o aeroporto regional, teremos de ver se as companhias aéreas irão fazer os voos. As associações comerciais das regiões têm de fazer um estudo de viabilidade para apresentar às companhias. Quem viajaria? Quantos são os passageiros? Quem tem interesse em operar os aeroportos? O que defendo é que se identifiquem as prioridades. Aeroportos são prioridade? Pra mim, a prioridade do Planalto Norte é buscar uma grande agroindústria. Tudo é importante, mas a que tempo cada coisa acontece é que é preciso analisar.

 

Se o sr foi convidado a compor o segundo governo de Raimundo Colombo, deve aceitar?
É preciso ser analisado, junto ao governador e ao eleitorado. Confesso que ficaria muito lisonjeado. No que puder ser útil para contribuir com o estado de Santa Catarina, eu farei.

 

O sr defendeu a candidatura de Aécio Neves (PSDB) à Presidência. Como deputado federal, pretende aderir à ala mais radical da oposição, que chega a pregar até mesmo o impeachment da presidente Dilma?

Não, não concordo com isso. Não desejo e não farei com a presidente Dilma o que o PT fez comigo em Chapecó, sempre contra tudo e contra todos. O PT foi contra tudo, contra o Plano Real, as privatizações e tantas outras ações do governo do PSDB. Não serei oposição ao governo Dilma, mas ela não tem compromisso comigo assim como não tenho compromisso com ela. Tenho compromisso com as pessoas, com quem me elegeu. O PSD está na base do Governo, mas eu vou lutar pelos interesses do País. Mas não serei oposição radical ao governo.

 

Das tantas demandas apresentadas nesta campanha, o que o sr acha que é prioridade?
A política do nosso país vive um momento muito delicado. A reforma política é urgente, tem de ser debatida no Congresso Nacional, não por plebiscito e, efetivamente, temos de fazer uma reforma política urgente. Paralelamente, temos de priorizar a reforma tributária com o novo Pacto Federativo. Creio que com isso a corrupção vai reduzir a zero.

 

QUEM É
João Rodrigues, 47 anos, trabalhou como radialista em Pinhalzinho, cidade da qual foi prefeito antes de se eleger para o mesmo cargo em Chapecó, cidade que governou por dois mandatos.

Em 2002, foi eleito deputado estadual pelo PFL, com 48.549 votos.

Em 2010, elegeu-se deputado federal, pelo DEM, com 134.558 votos, a quarta maior votação do estado. Reeleito em 2014, obteve a segunda maior votação do Estado: 221.409 votos.

Um veículo capotou na tarde deste domingo, 28, na rotatória da empresa Mili, em Três Barras.

O motorista sofreu apenas ferimentos leves. Equipe do Corpo de Bombeiros de Canoinhas ajudaram no resgate, e o veículo foi removido pelo guincho.

Vazamento mobilizou equipes dos Bombeiros, Samu e Polícia Militar de Canoinhas/ Foto ilustrativa

Uma ocorrência atípica movimentou o Corpo de Bombeiros, Samu e Policias Militares de Canoinhas nessa segunda-feira (29).Segundo informações dos Bombeiros, por volta das 10h ocorreu um vazamento de amônia na empresa Fricasa Alimentos.

As equipes ao chegarem na empresa, encontraram parte dos funcionários no portão da empresa. Os Bombeiros ordenaram que a área fosse evacuada, pois o produto que vazava poderia causar sérios problemas a saúde, e se inalado uma grande quantia podendo causar até a morte.

A equipe, com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Equipamentos de Proteção Respiratória (EPRs), entraram na empresa e realizaram o fechamento da tubulação onde ocorria o vazamento.

Após o procedimento foi dado início a triagem e atendimento de possíveis vitimas que inalaram o produto, sendo que foram conduzidas oito trabalhadores pela equipe do Samu e Bombeiros. Passaram pelo Pronto Atendimento (PA) de Canoinhas até as 13h, mais de 11 pessoas relatando irritação nos olhos, garganta e com problemas respiratórios. Todas receberam atendimento médico e foram liberadas.

Segundo relato do chefe dos Corpo de Bombeiros de Canoinhas, Cabo Rocha, a ocorrência foi dentro do esperado para uma situação dessas. “Agimos com cautela e rápido ao mesmo tempo, pois tínhamos uma ocorrência de situação atípica e nunca atendida por outras equipes em nossa cidade, mas conseguimos dar uma resposta eficiente, fechamos o vazamento, evacuamos a área e atendemos as vitimas com grande êxito”, conclui Rocha.

São tantas, e tão profundamente enraizadas na alma, as lembranças dos mais ternos Natais passados com minha família. Foram muitas as noites felizes de Natal em que, juntos, cantamos “Noite Feliz”.

Natais da infância, natais do adolescer. Natais do agora. Mas, existe um Natal que ficou indelével, gravado a fogo, escrito com diamante no compacto e duro vidro da memória. Foi um Natal que, mesmo quando apenas poucos neurônios sobrarem em meu cérebro, mesmo quando apenas gastos neurônios sobrarem em meu cérebro será ele a única lembrança viva de quantos natais eu tenha vivido.

Não importa o ano. Não me lembro se era um dia de verão com muito sol ou se era nevoento, se era intenso o calor ou se fazia frio. Lembro-me do clima e da atmosfera em minha casa e de tudo o que o envolveu. Era Natal. Era véspera de Natal. Era o nosso Dia Mágico.

E já no raiar do dia os meus irmãos e sobrinhos mais velhos saiam rumo à floresta para buscar aquele Pinheirinho de Natal que já há dias havia sido escolhido e marcado. Chegavam com ele às costas, cansados, sorridentes e cantando Noite Feliz.

Colocavam-no dentro de um imenso latão arredondado, firmando-o com terra úmida e bem socada na tentativa de deixá-lo ereto e soberbo na vertical, sem risco de tombar. Era sempre uma árvore muito alta, bem copada e com os galhos inferiores imensos e largos formando uma verde saia arredondada.

Devido à sua altura, necessário também era fixá-lo com quase invisíveis fios de náilon que ficavam presos em pequenos ganchos nas paredes laterais. A copa quase chegava ao teto da casa. A bela árvore ali, frondosa e altaneira, com mais de quatro metros de altura que era a medida do assoalho ao teto.

E então os enfeites começavam a ser colocados. Bolas coloridas e brilhantes de vários tamanhos. Eram esmeraldas e rubis, topázios e safiras, ouro e prata em meio à neve do branco algodão desfiado e esparramado em flocos, que, de galho em galho escorria da copa ao chão. Luzes coloridas o contornavam, emanadas de pequenas lâmpadas de intermitente piscar. Atapetando-o, a verde-musgo-cinza barba-de-velho colhida das árvores da mata vizinha.

E ao lado, na lareira, o presépio. O presépio amado e armado por minha mãe. Um presépio completo, que, além de José, da Virgem e do Menino, tinha ainda as brancas ovelhinhas, os pastores, a vaca e o burrico, a estrela-guia e o Anjo de luz e bem mais ao fundo, bem longe ainda, a caminho, os três Reis Magos. O Presépio amado de minha mãe que, embevecida, ficava a olhá-lo com olhos carregados de lágrimas emocionadas.

Enquanto alguns decoravam a árvore, minha mãe e minha irmã ficavam na azáfama da culinária preparando as deliciosas iguarias da ceia de Natal.

Tudo naquele dia deslizando maravilhosamente. Parecia que os anjos estavam todos cuidando para que nenhuma emergência aparecesse no Hospital e eu ia me deixando estar em casa, ouvindo as clássicas melodias natalinas, arrumando os presentes, olhando os detalhes…

… a noite chegando… mesa posta para a ceia… a base do pinheirinho de natal repleta já de pacotes e caixas de múltiplas cores e formatos…o aroma da comida invadindo a casa…

… e o telefone toca ao escurecer da Noite de Natal…

… chegara ao Hospital, de uma cidade não tão vizinha nossa,… uma emergência…

E lá fui eu anestesiar uma paciente em estado gravíssimo que precisava de uma cirurgia. Na sala de cirurgia já se encontrava o amigo médico Antoninho Seleme. E logo chegaria o Dr. Oswaldo Segundo de Oliveira para completar a equipe.

E as horas passando. O caso era gravíssimo. Necessidade de transfusão de sangue. De plasma. De medicação emergencial para tirar a paciente do choque que já era de dupla causa. E uma cirurgia melindrosa, difícil.

Enfim tudo acabara. Paciente estável. Fomos todos para o aconchego natalino junto às nossas famílias.

O relógio da Matriz com seus ponteiros quase juntos, como se estivesse fazendo uma prece pela chegada do Menino Jesus e pronto para sonar as doze badaladas da Meia Noite.

Fiz em poucos minutos o caminho, em estrada de chão batido, que me levava do Hospital à minha vila. Encontro tudo em quietude total. A casa às escuras. Acesas apenas, e piscando, as pequenas luzes coloridas da varanda e das árvores do jardim.

Entro em silêncio que era para não acordar quem descansava e não assustar os pequenos que dormiam. Entro pela área de serviço onde já vou deixando a contaminada roupa, pego uma toalha limpa e vou para debaixo do chuveiro a fim de um banho de corpo inteiro, um banho que lavasse também minha alma triste por haver perdido a Festa da Noite de Natal.

Enrolada na toalha, pé-ante-pé, passo pela cozinha e percebo as panelas, no fogão, intocadas, as formas com os assados, no forno, ainda inteiros. Vou até a sala para procurar meu presente. E encontro o pinheirinho com suas faiscantes luzes acesas e sob ele todos os presentes, não só o meu, e a mesa para a ceia ainda arrumada como eu a deixara.

E, de repente, como num passe de mágica, as luzes da casa toda se acendem e de todas as partes surgem todos, minha mãe, meus irmãos, os sobrinhos com seus filhos pequenos, todos sorrindo e cantando Noite feliz e só ouço então a voz de minha mãe: “Suba rápido e se arrume depressa que estão todos com fome e ansiosos para abrir os presentes de Natal”.

Meus olhos ainda ficam encharcados de lágrimas ao me lembrar daquela Noite de Natal.

Emoção que me invade a alma ao me lembrar de minha família, que, pacientemente, esperou eu retornar para casa, naquela santa noite, para, só então, abrir os presentes e participar da ceia e das comemorações de um mágico Natal!

 

Acidente aconteceu próximo a localidade de Bela Vista do Sul, em Mafra. Uma senhora de 50 anos, e uma criança de seis anos que estavam no carro não resistiram aos ferimentos e faleceram.

Um grave acidente na BR 280, no Km 149,9, próximo a localidade de Bela Vista do Sul,  Mafra, aconteceu na manhã dessa segunda-feira, 29.

Um veículoVectra, capotou em uma ribanceira. Dentro do carro haviam cinco passageiros. Leoni Maria Soares, de 50 anos e um menino de seis anos, que estavam no carro, não resistiram aos ferimentos e faleceram.Os outros três passageiros, Ricardo Bortolini, condutor do veículo; Simone Maria da Silva Ângelo e Anderson de Oliveira dos Santos, tiveram ferimentos graves.

aci 4 ac 1 aci 2 aci 3

O serviço Consulta Débitos Após o Prazo para Regularização (Sivex), que permite ao contribuinte verificar a relação dos débitos motivadores da exclusão de ofício do Simples Nacional, estará disponível a partir dessa segunda, (29).

A consulta poderá ser feita por meio do Centro Virtual de Atendimento da Receita Federal (e-CAC ), no site da Receita. De acordo com as orientações da Receita, basta o contribuinte seguir o caminho Empresa/Simples Nacional/Consulta Débitos Após o Prazo para Regularização – Sivex.

O Simples Nacional é um regime simplificado e compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos aplicável às microempresas e empresas de pequeno porte, com a participação da União, estados, Distrito Federal e municípios.

Da Agência Brasil
Previsão é de tempo instável em todo Estado para virada do ano/ Foto: Divulgação

A forte chuva que caiu em todo Estado no final da tarde deste domingo (28),  causou alagamentos, falta de energia e piorou significativamente o trânsito. Cerca de 230 mil casas ficaram sem luz durante as fortes chuvas que atingiram Santa Catarina neste domingo. A cidade mais atingida foi o município de Itajaí, que chegou a ter 110 mil residências afetadas devido a problemas em três subestações que tiveram seu fornecimento prejudicado pelo temporal no final da tarde.

As quatro cidades mais afetadas com falta de luz por causa das chuvas foram Itajaí, com 110 mil casas sem luz, Blumenau (50 mil), Rio do Sul (25 mil) e Joinville (20 mil). A Celesc afirma que está trabalhando em regime de plantão em todo território catarinense com mais de 80 equipes de eletricistas em campo. Também trabalha com o apoio de mais de quarenta profissionais nos centros de operação e controle.

Previsão do tempo para Virada do Ano

A previsão do tempo para segunda-feira, 29,  é de céu encoberto e com chuva do Oeste ao Planalto Serrano catarinense, melhorando no decorrer do dia. Mas, como é típico da estação, entre a tarde e noite devem ocorrer pancadas de chuva de forma isolada entre Serra e o litoral norte do Estado.

O calor e a umidade do ar devem continuar. As temperaturas variam de 15ºC a 33ºC, com as maiores aparecendo no litoral e as menores nas regiões de maior altitude.

A instabilidade, no entanto, não evita as aberturas de sol, que devem ocorrer ao longo do dia e podem ser aproveitadas nos balneários catarinenses. As altas temperaturas devem continuar até a virada do ano.

A terça e a quarta-feira (30 e 31) também têm tempo instável, com muitas nuvens e pancadas de chuva em todas as regiões no decorrer do dia. A Epagri/Ciram alerta para o risco de temporais isolados com descargas elétricas e rajadas de vento nos dois dias.

E a quinta-feira, primeiro dia do novo ano de 2015, deve ter um aumento de nuvens com chuva. Uma frente fria vinda da divisa com o Rio Grande do Sul deve se deslocar, afetando o clima em Santa Catarina e reduzindo um pouco as temperaturas.

Deputado federal reeleito, cotado para assumir um Ministério, Uczai fala sobre corrupção e necessidade de investimentos no Planalto Norte
 

Indicado pelo PT para assumir o Ministério do Desenvolvimento Agrário no segundo governo de Dilma Rousseff (PT), sexto deputado federal eleito mais votado em Santa Catarina e, também, no Planalto Norte, Pedro Uczai (PT) fala sobre a possibilidade de mudar do Congresso para a Esplanada dos Ministérios, das propostas para a região e corrupção. Acompanhe.

 

O sr foi o sexto deputado federal eleito mais votado em Canoinhas e região. A que atribui essa boa votação?

Esse reconhecimento se deve à luta que tivemos aí na região. A luta por bolsas de estudos em universidades comunitárias, além do Fies e do Prouni, fui autor agora do projeto que cria essas bolsas. Em segundo lugar, a luta para conquistarmos o campus da Universidade Federal da Fronteira Sul no Planalto Norte. A luta pelas ferrovias, pelos professores e o apoio aos municípios que temos dado cotidianamente, independente de quem é o prefeito.

 

Sobre a Ferrovia do Frango, o sr defende qual traçado: o que passa pelo Planalto Norte, reutilizando a Ferrovia do Contestado, ou pelo centro do Estado?

A primeira grande luta é retomar as ferrovias no Brasil, modernizando-as, especialmente em Santa Catarina. O estudo de viabilidade técnica e econômica da Ferrovia do Frango já está em andamento. Sobre o traçado, vou defender aquele que o estudo definir como o mais viável.

 

Quanto ao campus da Universidade Federal na região, o sr acha que o fato de Canoinhas sediar um campus do Instituto Federal ajuda ou atrapalha?

Acho que ajuda. O Instituto Federal tem característica de formação tecnológica, enquanto que a Universidade tem áreas bem mais diversificadas. Em segundo lugar, a Universidade tem outro conceito. O IFSC é um primeiro passo para conquistarmos, agora, um campus da Universidade Federal. Não sei quanto tempo vai demorar para conquistarmos, mas se a comunidade continuar lutando, vamos conquistar esse campus.

 

O que o sr pretende fazer pela região considerando a histórica falta de investimentos tanto federais quanto estaduais na região na tentativa de atrair indústrias, que hoje pode ser considerada nossa maior carência?

Sou parceiro de todas as iniciativas para desenvolver a região. Se precisar mediar novas conversações com a Aurora e a Sadia, que já manifestaram intenção de construir agroindústrias aí na região, me coloco a disposição.

 

O sr vê como viável regime tributário diferenciado para atrair indústrias para a região?

Tenho duas maneiras de pensar: ou diferencia o tributo, que é o recolhimento da receita, ou refaz a distribuição dos tributos, com mais investimentos em regiões mais deprimidas economicamente. O que não pode é investir somente em regiões que já são bem desenvolvidas como o litoral do Estado.

 

O sr está sendo cotado para assumir o Ministério do Desenvolvimento Agrário no segundo mandato da presidente Dilma. As tratativas avançaram?
Então, estou sendo beneficiado pela generosidade dos meus companheiros. Acho que isso é reflexo do meu trabalho. Se a presidenta me convidar, vou aceitar com muita alegria e vontade de trabalhar. Também, se a presidenta não convidar, vou cumprir com muito gosto minha missão como deputado.

 

O sr acha que como ministro do Desenvolvimento Agrário, aumenta sua influência no sentido de atrair uma agroindústria aqui para o Planalto Norte?

É evidente que a gente vai ter mais força. Com certeza vamos iniciar diálogos no sentido de trazer agroindústrias para o Planalto Norte.

 

A política brasileira vive um momento muito delicado, que deve causar muitas turbulências no segundo mandato da presidente Dilma. Como o sr vê esse momento de denúncias e pressão sobre o governo?

Governo novo, ideias novas. Essa é a tônica desse segundo mandato. A presidenta tem o desafio de fazer um governo melhor. Estou feliz com esse enfrentamento que estamos fazendo da corrupção no Brasil. Nunca se prendeu tanto por causa de corrupção no Brasil. É preciso enfrentar essa realidade doa a quem doer.

 

O sr defende a continuidade da atual diretoria da Petrobras?

Acho que tem de renovar, muito embora não tenha se comprovado participação de ninguém da atual diretoria em atos de corrupção.

QUEM É?

Foi deputado estadual em Santa Catarina na 13ª legislatura (1995-1999), na 14ª legislatura (1999-2003) e na 16ª legislatura (2007-2011).

É deputado federal (2011-2014) reeleito para 2015-2018.

 

NOTA

De todos os deputados convidados a fazer parte dessa série de entrevistas com os deputados estaduais e federais mais votados na região, o JMais só não obteve retorno, depois de três meses de tentativas, da assessoria do deputado federal reeleito, Décio Lima (PT), segundo mais votado no Planalto Norte.

 

Número é quase um terço do total de pontos avaliados. Análise da Fatma em 27 cidades identificou também 132 locais em boas condições para banhistas/ Foto: Arquivo

Quem pretende aproveitar o feriadão para curtir um banho de mar em SC deve prestar atenção: quase um terço dos locais avaliados pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma) estão impróprios para banhistas. O último relatório semanal, divulgado na terça-feira, analisou 195 locais em 27 cidades do Estado e, destes, 63 foram considerados prejudiciais à saúde dos banhistas. Em relação à semana anterior, são 16 trechos a mais considerados inapropriados.

Florianópolis teve 22 dos 66 pontos reprovados, uma taxa próxima à do total do Estado, mas ainda preocupante. Itapema e Balneário Camboriú, duas das cidades catarinenses que mais recebem turistas durante o verão, também são as que apresentaram os piores resultados, com mais da metade dos pontos considerados impróprios para banhistas. Itapema teve seis dois oito pontos reprovados, e Balneário Camboriú, nove de 14.

Em S. Francisco do Sul, dois dos oito pontos avaliados estão impróprios. EmPiçarras, cinco de 11. Em Itapoá, os quatros pontos analisados pela Fatma estão em boas condições para banhistas.

Ainda que o local escolhido pelo banhista tenha uma avaliação positiva no último relatório, o órgão recomenda que os turistas e moradores verifiquem o histórico do ponto.

Banhista pode verificar histórico do local

Os 195 pontos analisados pela Fatma não são, necessariamente, praias – a de Itapema, por exemplo, é dividida em oito trechos na análise. O relatório da Fatma completo, com o resultado de todos os pontos analisados, pode ser acessado neste link.

Segundo o órgão, o local é considerado impróprio se pelo menos duas das últimas cinco coletas tiveram taxa de coliformes fecais maior que 800/100 mL, ou mais de 2 mil/100 mL na última análise.

Diário Catarinense

Recordista de mortes, BR 116 foi a única a registrar aumento no número de vítimas fatais em 2014/ Foto: Acidente no qual morreram cinco pessoas na BR-116, em julho

 

Se comparado com 2013, o número de mortos nas estradas da região reduziu 23% em 2014. Foram 29 pessoas que perderam a vida em acidentes de trânsito, nove a menos que em 2013. O levantamento engloba as rodovias SC-280 (que liga Canoinhas a Porto União, transformada em BR em fevereiro de 2014), SC-303 (que liga Canoinhas a Três Barras), BR-280 (que liga Canoinhas a Mafra), SC-477 (que liga Canoinhas a Papanduva), SC-160 (que liga Irineópolis à SC-280), e BR-116 (trecho que liga Monte Castelo a Mafra), além do perímetro urbano das cidades da região.

O trecho federal da 116 foi o recordista de mortes com 12 óbitos registrados, dois a mais que em 2013. Foi na 116 que se registrou o acidente que ceifou de uma só vez, cinco vidas em 12 de julho, entre eles o radialista Hilário Maciel Kohler. Em 2009, foram 21 mortos na rodovia que, agora, está no centro de uma discussão envolvendo diversas entidades regionais para reduzir o número de mortes nas estradas que cortam o Planalto Norte. Entre as medidas está a busca pela duplicação da rodovia em trechos específicos.

A federalização do trecho da 280 que liga Canoinhas a Porto União trouxe redução no número de acidentes com morte: foram cinco ante oito em 2013. No total, de Porto União a Mafra, a BR-280 contabilizou dez mortes em 2014. Em 2013, 16 pessoas tinham morrido no mesmo trecho. Em 2009, 13 pessoas haviam morrido em acidentes somente no trecho de Canoinhas a Porto União.

A SC-477 registrou apenas uma morte neste ano. No ano passado foram duas.

Pela primeira vez em cinco anos, Canoinhas não registra morte no perímetro urbano. No ano anterior foram três, mesmo número de 2012. Três Barras e Papanduva registraram duas mortes e Irineópolis, uma morte no perímetro urbano.

Bela Vista do Toldo e Major Vieira não registraram mortes no perímetro urbano.

 

OS NÚMEROS

BR 116 – 12 mortes

BR 280 – 10

SC 303 – 2

Papanduva – 2

SC 160 – 1

SC 477 – 1
Irineópolis – 1

 

26-01: MORTE NA BR 116

Um idoso de 74 anos morreu atropelado em Papanduva. O acidente ocorreu por volta das 16 horas, no km 65,3 da BR 116.

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal, Júlio Soares Ribeiro atravessava a rodovia quando foi atingido por um Ford Fusion, com placas de Caçador. O idoso não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O motorista do veículo, João Carlos Machiavelli, 53 anos, que não conseguiu frear a tempo de evitar a colisão, saiu ileso do acidente.

 

8-2: MOTOCICLISTA MORRE EM ACIDENTE

O motociclista Ismael Dizmitz, 28 anos, morreu e a carona de 30 anos segue gravemente ferida depois de sofrerem um acidente nas proximidades do acesso secundário a Irineópolis, pela BR-280.

13-2: ADOLESCENTE MORRE EM ACIDENTE

Thais Riske, 17 anos, morreu em um acidente  na estrada geral da Colônia Tigre, às margens da BR 280, em Três Barras.

Segundo os bombeiros, Thais estava em um Gol com o motorista e outras duas pessoas. O carro capotou na estrada.

 

22-2: TRÊS MORTES NA 116

Uma colisão frontal no km 41,9 da BR-116, em Itaiópolis, envolvendo uma carreta Iveco, placas HSI-0892, município de Campo Grande (MS) e um Gol, placas ALR-9721, de Papanduva, causou a morte de três pessoas.

Jucelia Guedes Quirino de Marcos, 35 anos; Angelita Aparecida Popovicz, 23 anos; e Marisa Camargo, 19 anos, todos moradores de Papanduva, estavam de carona no Gol e morreram na hora.

O condutor do Gol, Felício Guedes, 27 anos, teve lesões graves, foi internado no Hospital São Vicente, de Mafra, e recebeu alta dois dias depois.

O motorista da carreta Iveco, Clementino Roberto Sanderson Couto, 38 anos, sofreu lesões leves.

 

28-2: MORTE NA BR-280

Uma colisão envolveu três veículos na BR 280, trecho entre Canoinhas e Bela Vista do Toldo, próximo a localidade de Encruzilhada.

Segundo relato do condutor do veículo Toyota Bandeirante, placas ACH 0034, de Canoinhas, um homem de 55 anos, que dirigia sentido Canoinhas, o condutor do veículo Fiat Strada, com placas MFP-1623, de Bela Vista do Toldo, perdeu o controle da direção, invadindo a pista contrária e se chocando de frente com a Toyota.

 

2-3: MORTE EM IRINEÓPOLIS

Marcos Marques, morador de Irineópolis, morreu em um acidente, no KM 4 da rodovia que liga a BR-280 a Irineópolis. Segundo a Polícia, ele dirigia um Voyage branco no sentido BR-280 ao centro de Irineópolis quando perdeu a direção do veículo e capotou no km 4. Quando bombeiros de Porto União e policiais militares de Irineópolis chegaram no local, Marques já estava morto. Sem usar cinto de segurança, ele quebrou o pescoço durante o capotamento. A Polícia avalia que dificilmente ele morreria se estivesse com cinto, considerando que o resto de seu corpo ficou intacto. Marques era técnico agrícola e trabalhava em uma cerealista de Irineópolis. Deixa esposa e duas filhas.

9-3: MORTE NA 280

Edevino de Paula Pinto, de 53 anos, morreu em um acidente na rodovia BR-280, trecho logo após a ponte sobre o rio São João, em Mafra, próximo da divisa com Três Barras.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Três Barras, Edevino estava em uma motocicleta Factor 125, placa de Canoinhas, quando colidiu frontalmente contra um caminhão Ford 1722, placas de São Lourenço do Oeste, conduzido por Gelson Bossa, de 22 anos, que nada sofreu.

Edevino morreu no momento da colisão.

 

16-3: DUAS MORTES EM ACIDENTES

Em 12 horas, cinco pessoas morreram no trânsito em Santa Catarina. Todos os acidentes aconteceram em rodovias federais, entre a meia-noite e o meio-dia do dia 16 de março: dois deles na BR-116, em Monte Castelo e Papanduva. Os outros dois na BR-282 no Meio-Oeste catarinense, com poucos quilômetros de distância entre si.

No primeiro acidente, à meia-noite, uma colisão frontal entre um carro e uma carreta deixou uma vítima fatal em Papanduva. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Golf conduzido por Cérgio Olinto de Souza, 42 anos, teria invadido a pista contrária na altura do km 47,5 da 116, e colidido de frente com um caminhão Iveco Ectector. Cérgio morreu no local. O condutor da carreta, André Lucas dos Santos Alves, 22 anos, sofreu lesões graves e foi encaminhado ao Hospital de Mafra. Já a passageira Mariana Farias Azeredo, 20 anos, machucou apenas o dedo.

Dez minutos depois, a 37 quilômetros de distância do acidente anterior, outra pessoa perdeu a vida, desta vez em Monte Castelo. Belmiro de Moura Bueno Neto, 48 anos, caminhava pela BR-116 quando foi atingido por uma carreta, na altura do km 84,8. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

 

26-4: ADVOGADO CANOINHENSE SE ENVOLVE EM ACIDENTE COM MORTE

O advogado canoinhense Diderot Voigt Cordeiro sofreu um acidente na BR-280, em trecho próximo à localidade de Bela Vista, em Mafra. Diderot estava em uma motocicleta Harley Davidson que colidiu contra outro motociclista, Rodrigo Zeithammer, que morreu ao dar entrada no Pronto Atendimento de Mafra.

 

23-4: MORTE EM IRINEÓPOLIS

Jeferson Hortmann, 23 anos, morreu em um acidente de trânsito na Estrada Geral da localidade de Vila Nova do Timbó, interior de Irineópolis, próximo do distrito de Poço Preto.

 

 

12-7 CINCO MORTOS EM ACIDENTE

O acidente no qual morreu o radialista Hilário Maciel Kohler, 43 anos, que por anos comandou o departamento de Jornalismo da Rádio Pantera (hoje Band FM), de Canoinhas, teve outras quatro mortes confirmadas pela Polícia Rodoviária Federal.

O acidente aconteceu no KM 37,5 da BR-116, em Itaiópolis.

Além de Hilário, morreram seus dois sogros, que estavam com ele no seu carro, um Vectra, placas CGS-1849, de Papanduva. Élio da Cruz, 62 anos, e Maria Inês Poma da Cruz, 60 anos, morreram no momento da colisão.

Hilário, que estava ao volante, colidiu frontalmente com um Pegeout, placas MLQ-3788, de Rio Negrinho.

O passageiro do Pegeout, Francisco Lucio Kotkoski, 31 anos, morreu na hora.

Do Vectra, sobreviveu a esposa de Hilário, Angela Kohler, que foi levada para o Hospital de Mafra.

Em estado gravíssimo, também levada para o Hospital de Mafra, a motorista do Pegeout, Roseli Aparecida Kotkoski, 31 anos, sobreviveu.

Seu filho, de 7 anos, que viajava no Pegeout e também foi levado para o Hospital de Mafra, morreu dias depois.

Hilário, que atualmente exercia o cargo de assessor de imprensa da prefeitura de Monte Castelo viajava com a esposa e os sogros para Balneário Camboriú, visitar a filha, que morava e estudava na cidade litorânea.

 

24-7 MORTE EM ACIDENTE

Andrei Francisco de Assis, de 23 anos, morreu ao se envolver em um acidente na localidade de Rio da Areia, km 154 da rodovia BR 280, em Mafra.

 

6-9 DUAS MORTES NO TRÂNSITO

O motociclista Emerson Ramires Gonçalves dos Santos, de 23 anos, morreu ao colidir a motocicleta Suzuki, placa MMI 6072, de Canoinhas, na traseira de um caminhão na avenida Rigesa, em Três Barras.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Três Barras, o caminhão, com placas de Três Barras, estava estacionado na avenida.

Já João Pedro Marques, de 18 anos, morreu em um acidente na BR-280, na localidade de Saltinho do Canivete, em Mafra.

Ele estava no banco do carona de um Fiat Uno, placas de Mafra, que saiu da pista e capotou.

Quando bombeiros de Três Barras chegaram no local, o rapaz já estava morto, preso às ferragens.

O motorista do carro, Antônio Dorival Peters, de 32 anos, apresentava suspeita de fratura na cintura pélvica lado direito e queixava-se de fortes dores na coluna vertebral toráxica. Ele foi encaminhado ao Pronto Atendimento Municipal de Três Barras e passa bem.

Segundo a PRF, o motorista que dirigia sem habilitação, apresentava sinais de embriaguez e se recusou a fazer o teste do bafômetro.

 

10-9  MORTE EM TRÊS BARRAS

Bombeiros de Canoinhas Três Barras e a Polícia Militar foram acionados para atender um acidente em frente à igreja São Cristóvão no bairro com o mesmo nome, em Três Barras.

Segundo informações de populares, teria ocorrido uma colisão entre uma motocicleta e um ônibus.

Chegando no local, os socorristas encontraram Cristina Ferreira de Souza, 23anos, caída em via publica inconsciente e sem o capacete. Após as análises preliminares foram constatadas escoriações pelo corpo e suspeita de traumatismo craniano, provavelmente devido o choque com o pára-brisa do ônibus.

A moça foi imobilizada e encaminhada ao Pronto Atendimento Municipal de Canoinhas onde acabou falecendo.

 

21-9 MÃE E FILHO MORREM EM ACIDENTE

Marilin Ellis Vieira, 28 anos, e seu filho, Matheus, de 2 anos, morreram depois de sofrerem um acidente na rodovia BR 280, em Canoinhas.

Matheus chegou a ser internado no Hospital Materno-Infantil de Joinville. Ele passou por uma cirurgia na cabeça e, devido às complicações da operação foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). No entanto, não resistiu e sofreu uma parada cardíaca.

 

23-9 MORTE NA 116

Valmir Soares Nardo, 50 anos, morreu em um acidente envolvendo o carro em que estava e um caminhão na BR-116, em Mafra. O acidente aconteceu no km 2,6 da rodovia.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o caminhão Volvo trafegava pela BR quando um veículo Siena teria invadido a contramão repentinamente e os dois veículos colidiram frontalmente. Valmir morreu no local.

O motorista do caminhão não se feriu.

 

21-9 MORTE EM PAPANDUVA

Anderson Abel Colodel, 31 anos, morreu em um acidente na localidade de Passo Ruim, em Papanduva.

Ele dirigia um Fiat Palio, placas de Mafra. Segundo os bombeiros, ele sofreu politraumatismo e escoriações diversas.

Um rapaz que estava no banco traseiro do veículo apresentava escoriações na face, tronco e braços, além de suspeita de fratura na perna esquerda.

No banco do carona, estava uma mulher de 26 anos que apresentava escoriações na face, tronco, braços e suspeita de fratura no braço direito.

Segundo os bombeiros, o Palio colidiu frontalmente contra um caminhão conduzido por Edenilson Galvão, de 40 anos, que nada sofreu.

Todos os feridos foram conduzidos para atendimento médico nos hospitais de Mafra e Papanduva.

 

MORTE DE MOTOCICLISTA

Um motociclista de 50 anos morreu em um acidente de trânsito na localidade da Pedra Branca, na BR-280, em Canoinhas.

O acidente ocorreu nas proximidades da KL Lar.

Wilmar de Lima colidiu sua motocicleta Honda CG, placas de Três Barras, contra um Santana, placas de Canoinhas.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Canoinhas, quando a ambulância chegou no local, Lima já estava morto, a cerca de um metro do acostamento.

 

7-12 MORTE NA 477

O motociclista Moacir Antonio Wieczorkievicz, 31 anos, morreu em um grave acidente de trânsito na rodovia SC-477, que liga Canoinhas a Major Vieira.

Ele colidiu contra um Golf, placas de Caçador.

A ocorrência foi registrada por volta de 21 horas e aconteceu próximo ao trevo de acesso a Major Vieira.

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual, o motociclista saiu de uma via secundária e colidiu contra o Golf, que seguia pela SC – 477.

O motorista do Golf, Nilto José Simão, nada sofreu.